História Save Me - Capítulo 28


Escrita por: e MinBrie

Postado
Categorias 2PM, A.C.E, Bangtan Boys (BTS), Big Bang, EXO, Got7, Jay Park, Seventeen
Personagens Baekhyun, G-Dragon, Jackson, Jay Park, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Junsu, Lee Jihun "Woozi", Lu Han, Mark, Rap Monster, Seungcheol "S.Coups", Suga, T.O.P, Taecyeon, V, Wow, Xiumin
Tags 2pm, Akai Ito, Da Série: Minimini? Sobi!, Drama, G-top, Hoseok Ativo, Hoseok Passivo, Hoseok!bottom, Hoseok!top, Jay Park, J-hope Passivo, J-hope!bottom, J-hope!top, Jikook, Kakaw-chan, Lemon, Namjin, Romance, Sad, Sobi, Sope, Suga Passivo, Suga!bottom, Vbaek, Xiuhan, Yaoi, Yoongi Passivo, Yoongi!bottom, Yoonseok
Visualizações 227
Palavras 1.371
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fluffy, Lemon, Policial, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie!! ^^
Penúltimo capítulo... Sabe, oficialmente esse deveria ser o último capítulo, mas descobri que não poderia terminar essa estória aqui dessa forma, por isso essa é a última segunda-feira em que SM será postada, mas ainda temos mais uma sexta!!
Desde já eu agradeço imensamente a todos que tem favoritado e acompanhado, mas principalmente a quem tem nos dado apoio com comentários pois isso nos incentivou muito a continuar postando!!
Agora vão lá, divirtam-se!! ♥♥

Capítulo 28 - Capítulo XXVIII


Min Yoongi

Após tomar os remédios logo eu voltei ao normal, o fato é que eu não estava habituado a ficar sem ingeri-los nem um dia sequer e não tê-los tomado ontem junto a falta de sono, a briga que havia tido com a minha mãe e a conversa com o Jung, havia feito com que eu ficasse um pouco tonto, porém não era nada que os remédios não resolvessem. Ao contrário do que eu achei que Jimin faria, ele me deixou na casa do Jung e eu não estava muito a vontade com isso, eu nunca havia entrado ali dentro e mesmo que eu e o Jung tivéssemos voltado a nos falar, não apagava os seis meses que nem olhamos um na cara do outro ou a hesitação que eu sei que o Jung havia tido em aceitar a casa e o dinheiro. O próprio café que o Jung havia feito provava isso, não que eu achasse ruim, mas sabia o quanto teimoso e orgulhoso o Jung era.

Ao pedido de Hoseok eu entrei na casa e depois de poucos passos pela sala apareceu uma senhora numa cadeira de rodas que o Jung logo a identificou como mãe. Eu tensionei ao ouvir isso, lembrando da briga que eu havia tido com a minha própria, claro que a mãe do Jung não era como a minha, disso eu tinha certeza, no entanto eu não via com bons olhos a palavra "mãe", no geral.

Mas aquela era a mãe do Jung, a mulher que viu seu filho sair de casa em perfeito estado e depois de muito tempo voltar com sequelas irreversíveis fisicamente e quem sabe mentalmente, por minha culpa. Ela devia me odiar com todas as suas forças, no entanto num ato totalmente inusitado ela me sorriu. Não fazia sentido algum, mas quem disse que a família do Jung era normal?

Mesmo ainda um pouco acanhado ouvi e grifei em minha mente muito bem quando ela disse que eu era o dono do coração do Jung, mesmo que isso me trouxesse uma felicidade enorme eu sabia que tudo o que o Jung havia passado era por que tinha dado seu coração a mim. Eu queria devolver como fiz com o fio vermelho, queria que ele voltasse a pensar somente em si mesmo. No entanto, algo me dizia que o Jung nunca deixaria de pensar nos outros e bom, era essa idiotice dele que me tirou das mãos de Park. Eu não podia reclamar, mas podia chama-lo de idiota quantas vezes eu quisesse.

A mãe do Jung se aproximou mais de mim e pegou em minha mão me transmitindo confiança e pedindo para que eu cuidasse de Hoseok, pedido que concordei sem nem pensar duas vezes. Assim que ela foi embora e eu olhei pro Jung que me pediu mudamente para que eu o seguisse e foi o que eu fiz. Andamos pouco até um dos quartos da casa que identifiquei ser o do maior e o mesmo pediu para que eu pegasse a cadeira de rodas o que fez meu coração se apertar.

Ele se sentou na cadeira e foi até a janela com uma caixa no colo.

O que ele falou ali podia até ter sido com o objetivo de amenizar o clima, porém pra mim só foi mais um soco no estômago me deixando ciente de que eu havia afetado por completo na vida do Jung.

— Você não sabe como foi satisfatório ver a cara de Jackson sendo preso, e quanto a Junso, ele me foi uma enorme fonte de lucro, aquele cara parece ter mágica! E foi ele que... Me convenceu a ir até você...

Ele olhou pra caixa e começou a falar, ele me pediu para colocar o fio de volta em meu dedo e ele não sabe a felicidade que me invadiu. Eu havia sentido tanta falta daquele fio, de como eu ficava o embolando com os dedos, de como ele se destacava na minha pele branca.

— Se ele cair Jung, infelizmente não te devolverei, será difícil se livrar de mim agora. E se um dia quiser da-lo para outra pessoa eu terei que estar enterrado a baixo de sete palmos no cemitério e mesmo estando lá, na minha mão estará esse fio. E agora Jung, por mais que eu saiba que você não vem falado muito e que hoje foi um progresso e tanto, eu preferia que não falasse por alguns minutos...

Eu me inclinei para ele e ele me sorriu sabendo do que eu falava.

O beijei e ficamos ali por um bom tempo nos beijando e aproveitando a companhia um do outro. Não voltei pra casa naquele dia, acabei dormindo junto a Hoseok e só voltando no outro dia com um sorriso enorme no rosto, o qual Namjoon não deixou de zombar e ser esmurrado por mim.

O resto da semana se passou e minha rotina era ir para a empresa de manhã, a tarde ficar com o Jung na cafeteria como garçom lindo, gato, com ótimo gosto pra livros... Assim diziam os clientes. A noite ir pra faculdade e depois passar pela cafeteria mais uma vez e pegar o Jung e voltar pra casa dele.

Ao fim daquela semana eu já estava cansando de não parar em casa e em uma das poucas horas que eu ficava em casa eu parei pra pensar.... Por que caralhos eu não fico na minha casa?! - Com o Jung claro.

E a resposta logo me veio.

— Namjoon!!!!

Ele veio correndo até mim que estava na cozinha.

— O que foi?

— Como estão as coisas entre você e o Jin?

— Caralho! Você me faz correr assim só pra isso?!

— Responde logo!

— Estamos muito bem, na verdade, até de mais! — Ele sorriu pervertido.

— E... Já que vocês estão tão bem... Por que não vai morar com ele?

— Nossa Yoongi! Tá me expulsando é?! Seria para trazer um certo Jung aqui?

— Exatamente Nam! E sabe, o único empecilho que vejo? Você! Então.... Vou pedir ao Jin que deixe de cu doce e assuma logo você.

— É o que?!

— O que você ouviu, se eu fosse você eu arrumaria logo minhas coisas.

— Mas que amigo da onça! Primeiro me oferece pra vir morar junto com ele! E depois me expulsa pra ficar com o namorado! — Ele fingia uma falsa irritação, porém o sorriso no seus lábios o denunciavam.

— Te amo Namjoon!

— Te odeio Min Yoongi!

 

Uma semana depois

As coisas do Kim já haviam sido substituídos pelas do Jung que já estava se acostumando com a ideia de morar aqui. No dia em que pedi para que ele morasse comigo eu o fiz no meio da noite, na verdade, logo após o Jung acordar com falta de ar e se desesperando ainda inconsciente. Quando o vi naquele estado eu não aguentei esperar mais e o pedi ali mesmo e ele aceitou.

Hoje era feriado e eu e o Jung havíamos ficado o dia todo em casa, só fazendo vários nadas. Nesse exato momento estávamos assistindo meu desenho favorito e pra completar um de meus episódios preferidos também. Logo vi que o príncipe Chiclete cantaria uma das minhas canções favoritas do desenho  eu me levantei e fiquei em frente ao Jung.

— Levante-se. — Ele fez uma careta confusa mas se levantou.

Peguei suas mãos e as pus em minha cintura e depois enlacei as minhas envolta do seu pescoço.

— Só sinta a música... Como você uma vez me disse que fazia. — Sussurrei e fechei meus olhos.

Na televisão a música começava:

"Eu sinto que nada é real"

"Até encontrar você"

"Eu sinto que a gente completa e que eu te entendo"

"Se eu disser que você é bonita"

"Será que chateia você?"

"Por que do jeito que esta esta noite"

"Sua silhueta me deixa zoreta"

"Ooooo Fiona"

"Seu punho, tocou meu coração"

"Ooooo Fiona"

"Eu nunca vou deixar que nos separem preste atenção."

— Mais uma vez te falo algo sensitivo através de desenhos Jung, mas eu não consigo evitar! Alguns hábitos nunca se vão não é mesmo? O meu de dizer que te amo e que você foi a melhor coisa que já aconteceu não irá também. — Disse com meu rosto enterrado em seu ombro e então o beijei. — Espero que não.


Notas Finais


Fim?
Era para ser, mas não será, então vamos ver o que nos reserva nessa sexta!!

Eu particularmente amo esse capitulo, ele foi completamente escrito pela minha amada co-autora Briene e eu não tive nenhuma influência nele, mesmo assim eu realmente o amo, espero que tenham gostado!!!
Deixem um comentário, estamos na reta final mas seu comentário ainda nos incentivará bastante!!
Beijos e até os comentários ou sexta!! ♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...