História Save Me - Jikook (Em correção) - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Beyond The Scene, Jikook, Jimin Ativo, Jungkook Passivo, Kookmin, Lemon, Romance, Smut, Taeseok, Vhope, Yaoi
Visualizações 3.857
Palavras 3.496
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Recebi INÚMERAS ameaças de morte, mas saibam que valeu a pena, porque os comentários de vocês foram ótimos. ~rindo muito
Boa leitura ;)

Capítulo 17 - Se Mexer Com O Que É Meu Pt. 3



Jungkook's P.O.V

- Não! - Gritei, arrancando o telefone das mãos de um Jimin furioso. - Eu vou ligar pro Tae e pedir desculpas.

- De jeito nenhum! - Jimin roubou para si o aparelho novamente, segurando-o longe de mim para impedir-me de pegá-lo de volta.

- Não pode fazer isso! - Protestei, desistindo de lutar contra o homem e batendo meu pé no chão.

Ele podia não ser muito alto, mas era forte.

- Posso e fiz. - Respondeu com simplicidade.

Meus olhos pegavam fogo, eu queria matar aquele monstro!

- Tae só queria me levar pra comer bolo! Que mal tem nisso? - Comecei a andandar de um lado para o outro no quarto, sem conseguir mais olhar para a cara de Jimin.

- Tae. - Ele bufou, imitando a forma como eu chamava Taehyung. - Vocês se conheceram ontem e já estão íntimos o bastante pra ficar dando apelidos um para o outro?

Olhei incrédulo para Jimin, aquele hipócrita não tinha nem um farelinho de moral para dizer aquilo. Não é como se nós dois tivéssemos nos conhecido há tanto tempo também, entretanto já morávamos juntos, dormíamos na mesma cama e…  fazíamos aquelas coisas.

- Eu não mereço isso.  - Cruzei os braços e dei as costas para o homem. -  Me diz uma coisa. O que eu sou pra você, Jimin?

- Meu. - Respondeu como se fosse a coisa mais estupidamente óbvia do mundo.

- Inacreditável! - Me virei para encará-lo nos olhos, e quando o fiz, ele estava surpreendentemente próximo a mim, o suficiente para me assustar ao sentir sua respiração tocar meu rosto.

Jimin selou seus lábios suavemente em minha bochecha, perto, tão perto da minha boca.

Droga, droga, droga.

Envolveu a minha cintura com seus braços fortes e prendeu-me firmemente ao seu corpo, suas mãos foram direto para as minhas nádegas, apertando-as com mais vontade do que necessário. Deixei meu queixo cair por instinto e meus lábios se abriram ao mesmo tempo que um leve ah escapou por entre eles. Jimin aproveitou a brecha para me invadir com sua língua, quis retribuir, porém tive que lembrar a mim mesmo que eu estava furioso com aquele homem.

Empurrei a cara de Jimin para longe com uma mão e fugi de seu abraço. O olhar que ele me lançou poderia ter me matado se ambos não tivéssemos nos distraído com o som repentino do telefone tocando.


Narrador P.O.V

Park revirou os olhos, até imaginava quem estava ligando e hesitou antes de atender. Jungkook o encarou com curiosidade, aproximando-se para escutar a ligação.

- Achei que tinha sido bem claro antes. O que você quer? - Jimin perguntou sem tolerância alguma a Taehyung.

- Quero o Jungkook. Estou aqui embaixo esperando. - Tae disse por último, desligando na cara do outro homem.

- Ele está aqui! - Jungkook gritou animado, pulando como um coelho ao redor de Jimin.

- Nem pense nisso. - O mais velho disse rispidamente quando Jungkook voltou-se novamente para ele com uma expressão estranha no rosto.

- Tchau. - Foi só o que o rapaz disse antes de sair correndo do quarto.

Era como um corrida, não podia deixar Jimin o alcançar e o ponto de chegada era Taehyung.

Jungkook teve dificuldade para abrir a porta com a chave e Jimin quase pôs suas mãos nele, mas conseguiu escapar e continuou correndo. Atravessou o corredor rindo como uma criança e foi em direção às escadas, considerando que se tentasse pegar o elevador demoraria muito e Jimin definitivamente o alcançaria. Jungkook não olhou para trás, nem mesmo por cima dos ombros, mas escutava o som dos sapatos chiques de um homem muito irritado descendo os degraus atrás dele.

Chegando ao andar térreo, o garoto avistou um deus de cabelos loiros, esse mesmo estava a sua espera no lado de fora do prédio, encostado no próprio carro e irradiando beleza sem o menor esforço.  Kook ousou olhar para trás, Jimin estava chegando perto de si muito rápido, então correu com mais vontade, passou pela portaria como um raio e Tae sorriu ao lhe ver. Já estava para comprimentar o loiro quando foi puxado por Jimin, que passou um dos braços possessivamente por sua cintura, colando o jovem mais perto de si.

- Yah. - Reclamou um ofegante Jungkook, cansado demais para se livrar daquele aperto que o mais velho o submetia.

- Eu gostaria de poder dizer que é um prazer te conhecer, Park Jimin, mas infelizmente não é. - Taehyung o fitou com um sorriso tão falso quanto poliéster.

- Isso deveria me magoar? - Jimin zombou, falando com dificuldade após correr tanto.

- Gente. - Kook balançou os braços no ar como se estivesse tentando lembrar aos dois homens de sua presença ali.

- Desculpa, Kookie. Nem te comprimetei. - Taehyung franziu as sobrancelhas daquele jeito fofo que só ele sabia fazer, fazendo com que Jungkook sorrisse aceitando imediatamente suas desculpas.

- Tudo bem, a culpa é desse idiota brigão. - Apontou para Jimin. - Ele te irritou, não é?

Jungkook riu, tentando disfarçar a vergonha ao afastar-se de Jimin, empurrando a cara do homem novamente para longe. Sentia que só assim conseguia fazer com ele o soltasse.

Taehyung abafou um riso e os olhos de Jimin pegaram fogo. Se a situação se tratasse de uma ficção de história em quadrinhos, aquele seria certamente o momento em que trovões apareceriam de repente atrás de Jimin.

- Tae, você ainda vai me levar para comer bolo, não é? - Jungkook juntou as mãos como um anjinho e olhou de cabeça baixa para o loiro, tentando persuadi-lo à uma resposta positiva.

- Não vai. - Jimin respondeu por Taehyung, porém foi completamente ignorado.

- Claro que vou, Kookie. - Disse Tae com um sorriso doce.

- Então vamos! - Jungkook animou-se instantaneamente, sem dar ouvidos a Jimin, que continha-se para não socar o loiro à sua frente.

- Você é teimoso para um caralho. - Park xingou com todo o amor, carinho e paciência de sempre.  

- Eu quero bolo, Jimin. -  O rapaz insistiu com uma voz manhosa para o homem ao seu lado.

- Eu compro bolo pra você. - Era meio difícil para Jimin acreditar que estava mesmo discutindo sobre algo tão fútil com um pirralho.

- Não quero que você me compre bolo, quero que o Taehyung me compre bolo.

Nunca antes Jungkook foi tão digno do título “pirralho”, seus braços estavam cruzados, seu corpo encolhido, sobrancelhas franzidas e o bico em seus lábios eram um verdadeiro exagero. Jimin encarou a cena em descrença, contudo, a pergunta que rondava sua cabeça era tão infantil quanto a atitude de Jungkook.

Porque ele quer bolo do loiro oxigenado e não de mim?

- Por favor. - Kookie cantou as palavras, se agarrando ao Park emburrado e dando pulinhos como uma criança mimada.

- Está bem… Mas eu vou junto com vocês. - Jimin respirou fundo, revirou os olhos e cedeu à Jungkook.

Já havia perdido mais uma discussão para aquela criança, inacreditável, o cara que fecha negócios milionários todas as semanas não conseguia vencer uma discussão contra um pirralho teimoso.

- Sério? - Jungkook o olhou com os dois olhos brilhantes.

- Não sei se é uma boa ideia, Kookie. - Taehyung disse, coçando a cabeça e sorrindo torto. No final acabou também cedendo ao mais novo quando viu o bico em seus lábios. - Esquece. Tudo bem então. Vamos indo.

O loiro abriu a porta do carro com um sorriso e Jungkook sentou-se no banco de carona, logo em seguida sendo puxado pelo braço por Jimin, que tomou seu lugar em seguida.

- Você senta no banco de trás. - Ele disse ao rapaz, que teria reclamado se não estivesse com preguiça de discutir mais uma vez.

Taehyung bufou, detestando a forma indiscreta que Jimin demonstrou o quanto não queria Jungkook perto dele. Apesar daquilo ter o incomodado, respirou fundo e fingiu que estava tudo bem, abrindo a porta traseira do carro para Jungkook, o mesmo agradeceu e entrou.

- Kookie, quer ouvir música? - Tae perguntou, olhando o rapaz pelo espelho retrovisor.

- Não quer. - Jimin disse direta e grosseiramente.

- Ele perguntou para mim, metido. - Disse o moreno mais jovem, fazendo Park respirar fundo para manter o controle. - Quero sim, Tae.

A música começou a tocar e o loiro deu partida no carro. Jungkook dançava com a cabeça da mesma forma que Taehyung, os dois se entreolharam e riram, era divertido. Tudo em paz até Jimin decidir abrir a boca.

- Essa música é enjoativa e irritante. - Disse encarando a janela ao seu lado.

- É uma das músicas do meu álbum mais novo. - Taehyung respondeu sem muita paciência.

- Não liga muito pro que ele diz, Tae. - Jungkook disse, aproximando-se do loiro, para falar em seu ouvido. - Tudo é irritante pra esse cara.

- O que importa pra mim é que você tenha gostado, Kookie. Você gostou? - Taehyung perguntou baixinho, como se a conversa deles não pudesse ser ouvida por Jimin.

- Adorei. - Jungkook sorriu, quando estava prestes a acrescentar mais alguma coisa foi duramente empurrado para trás por Park, batendo as costas no estofado do banco do carro.

- Põe a droga do cinto. - Mandou o homem, ainda na contagem de milissegundos para explodir de raiva.

- Não é necessário, já chegamos. - Taehyung disse estacionando o carro em frente a uma cafeteria muito bonita. - Aqui tem os melhores bolos do mundo.

- Uau! - O garoto ficou de queixo caído, o lugar era grande e o ambiente era muito agradável. - Onde vamos sentar?

- Que tal naquela mesa ali? - Taehyung apontou com o indicador e Jungkook assentiu com a cabeça.

Jungkook se sentou em um dos bancos e arrastou-se para o cantinho, quase encostando na parede.

- Senta do meu lado, Tae. - Falou com tanta inocência que o loiro sentiu-se culpado por pensar que a forma como ele dizia aquilo era sexy.

Antes mesmo que Taehyung desse um passo para perto de Jungkook, Jimin sentou-se no lugar que o garoto havia oferecido ao loiro, que ainda estava de pé os encarando.

- Jimin! - Kook falou alto em protesto.

- Está tudo bem, eu sento à sua frente. - Disse Tae com um sorriso calmo, apesar de estar pouco a pouco perdendo toda sua tolerância com Park Jimin.

Poucos instantes depois, logo que todos já estavam sentados e acomodados em seus lugares, um atendente veio com um cardápio, o qual Jimin pegou.

- Estas são as opções de bolos e tortas. O que você vai querer? - Ele perguntou para Jungkook e este parecia extremamente indeciso.

- Kookie, se quiser minha opinião, eu recomendaria o bolo de morango com chocolate. É o meu preferido. - Taehyung sugeriu.

- Pode ser.

- Tem certeza? - Perguntou Jimin, insistindo que Jungkook olhasse o menu mais uma vez.

- Sim, tenho certeza. Confio na palavra do Tae que é o melhor bolo de todos. - Jungkook sorriu feito uma criança para o loiro, estava realmente se esforçando por aquela amizade, apesar de ter um maluco possessivo em sua cola dificultando tudo.

- Eu vou querer somente um xícara de café preto, sem acúcar. - Jimin fechou o cardápio como se tentasse descontar nele toda sua raiva, impaciência e frustração, entregando-o de volta para o atendente.

- Mais alguma coisa, senhores? - Perguntou o moço.

- Só isso. - Jimin cortou Taehyung antes que ele fizesse o próprio pedido, logo já era tarde demais, o atendente havia dado meia volta e saído.

- Tae, você não pediu nada. - Jungkook se virou no banco, procurando pelo ambiente o atendente que havia sido rápido em sumir de vista.

- Ah, eu não tô com fome. Não se preocupe. - Ele respondeu sem jeito.

- Pensei que também queria comer bolo. - Kook se ajeitou de novo em seu lugar.

- Era uma desculpa para fazer alguma coisa junto com você. - Disse Tae, piscando para para o garoto, seu principal truque para fazer os outros se apaixonarem por sua beleza.

- Entendi, acho que idols como você não comem doces assim todo dia, ainda mais depois de todo aquele sorvete de ontem. - O moreno se inclinou sobre a mesa, pondo seus cotovelos em cima da mesma e apoiando seu queixo entre as mãos.

- Sorvete? - Jimin perguntou confuso.

- Eu levei o Kookie para tomar sorvete comigo ontem, digo, depois que ele esbarrou em mim na rua. Nunca pensei que diria isso, mas que bom que você esbarrou em mim. - Taehyung riu, olhando para um constrangido Jungkook.

- Não precisava ter dito essa parte. - O garoto se escondeu nos próprios braços.

Jimin havia passado aquele dia inteiro procurando por Jungkook, preocupado que algo ruim tivesse acontecido com o rapaz ou que o ele tivesse se cansado e ido embora, quando na realidade ele estava rindo e tomando sorvete com outro cara. Perfeito.

Curtos segundos depois, o atendente que antes havia sumido tão ligeiramente, surgiu de igual forma, dessa vez com a xícara de café de Jimin e o bolo de Jungkook.

- Obrigado. - Agradeceu o rapaz ao surpreso atendente, que provavelmente estava acostumado com clientes como o grosseiro e silencioso Jimin.

- Não há de quê. - O moço respondeu educadamente, para a satisfação do moreno.

Jimin já aproveitava um gole de seu café sem açúcar enquanto Jungkook somente encarava a fatia de bolo tão linda quanto apetitosa à sua frente.

- O que está esperando? Prova. - Taehyung riu.

- Ele é tão lindo, eu estou com pena de comer. - Kookie respondeu.

- Quem? Eu? - Jimin olhou para Jungkook com malícia, mordeu os lábios na justa tentativa de provocá-lo na frente de Taehyung.

- Você nada, velho pervertido. - Jungkook lhe virou a cara e deu a primeira garfada no bolo, enchendo a boca com um pedaço enorme da sobremesa.

Tae quase engasgou-se ao tentar sufocar uma gargalhada que lhe subiu ao ouvir Jungkook chamando Jimin de velho pervertido. Era a primeira vez que tinha escutado alguém dizer uma coisa daquelas, principalmente para um CEO milionário. Jungkook era mesmo muito engraçado.

- Tae, você está bem? - O rapaz perguntou preocupado ao notar que o loiro tossia muito.

- Estou, estou. - Respondeu, escondendo um sorriso.

- Quer um pedaço? - Kook estendeu o garfo com um pedaço grande de bolo para Taehyung.

- Eu quero. - Jimin puxou a mão do garoto para si roubou a garfada de bolo. - Hum... Doce demais para o meu gosto.

- Jimin! Você está impossível hoje! - Jungkook falou alto e todos no lugar olharam feio para ele.

A próxima garfada que deu no bolo foi com se estivesse esfaqueando alguém, pôs um pedaço enorme da sobremesa na boca e mal deu conta de mastigar direito. Era sua forma de descontar a frustração.

- Kookie, não se irrite tão fácil, você fica mais bonito sorrindo. - Tae pronunciou suas doces palavras ao mesmo tempo que limpou a lateral dos lábios de Jungkook, lambendo o próprio dedo sujo de chocolate em seguida.

- Estava sujo? Obrigado. - Jungkook lambeu os lábios como se estivesse tentando encontrar mais mais chocolate perdido ao redor da sua boca, seria um desperdício limpar com o guardanapo.

Jimin fuzilou Taehyung com os olhos, parecia que a qualquer momento iria se levantar e começar a chutar tudo ao seu redor..


Jungkook's P.O. V

De repente o ar naquele ambiente parecia ter ficado mais denso, o clima não estava muito pacífico entre Tae e Jimin. Park Jimin, só de pensar naquele homem irritante minha cabeça dava mil voltas. Seria possível amar e odiar alguém ao mesmo tempo? Às vezes era assim que eu me sentia em relação ele.

Tentei ignorar a minha cabeça e meu coração para que eu pudesse me concentrar apenas no paladar. Morango com chocolate, o equilíbrio perfeito entre o ácido e o doce, era como se os dois sabores se completassem. Eu estava bem feliz com meus últimos pedaços de bolo até começar a sentir algo diferente e que me impedia de voltar a concentrar-me diretamente no paladar. Uma mão na minha virilha, massageando a região e paralisando meu corpo inteiro. Não olhei para Jimin porque não quis ser óbvio demais, fiquei assustado com a situação repentina e não soube fazer nada mais além de tentar continuar a mastigar o bolo.

- Kookie, como está o bolo? Valeu apena escutar a minha sugestão? - Tae perguntou e demorei para processar a pergunta e responder.

- O bolo está uma del… ele é muito bom. - Corrigi minha frase antes de completá-la, pensando que talvez Jimin fosse maliciar se eu dissesse a palavra “delícia”.

- Por isso é meu preferido. - Taehyung respondeu, já parecendo notar algo de estranho.

Estava ficando cada vez mais difícil fingir que nada estava acontecendo desde que Jimin havia movido sua mão da minha virilha para dentro da minha calça. Quando eu menos esperava, a mão se recolheu de volta e Jimin soltou um tipo de grunhido de dor.

- Ah, me desculpe, Jimin. Te chutei sem querer, não foi? Me desculpe mesmo, como tenho pernas longas acabo fazendo esse tipo de coisa de vez em quando. - Tae disse e respirei com alívio.

Aquele homem era um anjo vindo do céu para me salvar do ser humano/demônio/tarado chamado Jimin.

- Acabou de comer, Jungkook? - Jimin me perguntou, ignorando Taehyung. - Sim. - Respondi hesitantemente, começando a achar que tinha sido uma má ideia ter saído para tomar café com aqueles dois.

- Então acho que todos acabamos aqui. - Jimin se levantou, jogou o dinheiro da conta de qualquer jeito em cima da mesa e me puxou rumo a saída da cafeteria, Tae estava nos seguindo com pressa.

- Para de me puxar pra lá e para cá, Jimin. - Reclamei, aquilo estava de fato sendo algo muito frequente para apenas uma manhã.

Para minha surpresa, ele me soltou.


Taehyung's P.O.V

Depois que Jimin praticamente sequestrou Kookie para fora da cafeteira, fazendo-me correr atrás dos dois feito um pateta, tudo o que eu posso dizer é que fiz algo relacionado à sequestrar o pequeno Kookie de volta e arrancar o carro para deixar um Park Jimin cheio de ódio para trás. Confesso que foi uma sensação ótima ter me livrado daquele cara, ele estava arruinando minha manhã com o Jungkookie.

- Minha nossa! - Gritou o garoto, olhando para trás como se tivesse medo que Jimin de alguma forma estivesse nos seguindo. - Não devia ter feito isso, Taehyung! Você viu a cara do Jimin?

- Eu vi, e ele que lide com isso. - Respondi calmamente, não que eu estivesse calmo, mas também não queria estressar Jungkook.

- Mas se tem uma coisa que Jimin é incapaz de fazer é “lidar”! - Kookie se desesperou.

- Respira, Jungkookie. - Acabei rindo, o garoto estava tão nervoso que mal respirava para falar.

Levei a gente até aquele centro comercial de antes, queria acalmar o garoto e ter um momento com ele no qual não estivéssemos estressados com aquele stalker. Porque era isso que Jimin provavelmente era, um stalker.

- Acho que não estou me sentindo bem. - Disse Kookie, sentando em um dos bancos daquela mesma cobertura em que ficamos por horas conversando no dia anterior.

- Tem tanto medo assim do Jimin? - Perguntei preocupado.

- Não, claro que não. Sei lá. - Respondeu pensativo, então me aproximei e sentei ao seu lado.

- Por que ainda mora com aquele cara se ele te assusta assim? - Kookie era tão inocente que dava vontade de puxá-lo para perto e protegê-lo para todo o sempre.

- Porque… porque eu acho que… eu acho que eu amo ele. - As palavras soaram como um tiro.

Depois de anos sem me interessar por uma pessoa sequer, justo a pessoa que me cativou estava apaixonada por um idiota?

Após daquilo fiquei tão silencioso quanto Kookie, nenhum de nós quis dizer mais nada e até que estava bom daquele jeito. Nós dois apenas aproveitando nossos próprios pensamentos e a brisa fresca da manhã. Não sei por quanto tempo ficamos daquele jeito, mas foi por um bom tempo, tempo o suficiente para que eu pudesse me perder na paisagem que era aquele rosto bonito quando pensativo. Eu gostava daquele rapaz, e eu queria me apaixonar com ele.

- Você me dá uma carona para casa? Quanto mais tempo sem dar notícias pro Jimin, mais risco de morte eu corro. - Eu teria rido do que Jungkook disse se eu não tivesse dúvidas de que talvez ele falasse a verdade.

- Claro. - Assenti amargamente com a cabeça, entretanto tentando não deixar tal amargura transparecer.

Chegamos ao carro e eu estava pronto para dar partida quando olhei para o retrovisor e vi algo muito estranho. Quando próximo o suficiente para que eu enxergasse com precisão, percebi Park Jimin caminhando em nossa direção, e ele segurava um taco de golfe.

- Yah! O que ele está fazendo?! - Meu coração acelerou no momento em que vi aquele homem sorrir, parado em frente a traseira do meu carro.

CRASH!

Foi esse o barulho imenso que o vidro fez ao ser quebrado em mil pedacinhos pelo taco de golfe de Jimin. Jungkook gritou de susto e seus olhos arregalaram, nem tive tempo de reagir quando Park Jimin abriu a porta do carro e puxou Kookie para fora.

- Eu te avisei. - Disse para mim como um último aviso antes de sair arrastando um Kookie em choque junto com ele.


Notas Finais


Esta é a minha primeira fanfic, por favor deixem-me desenvolve-la ao longo que evoluo com a ajuda de vocês, então sintam-se livres para fazer comentários e críticas construtivas.
Beijinhos no coração <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...