História Save the Last Dance for Me - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Chanyeol, D.O
Tags Chansoo, Fem!chanyeol, Fem!kyungsoo, Menção!fembaek, The Female Project
Visualizações 193
Palavras 1.215
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: FemmeSlash, Ficção, Ficção Adolescente, Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


notas finais, como sempre...

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Save the Last Dance for Me - Capítulo 1 - Capítulo Único

– De-desculpe, Channie! Eu... te machuquei? – Kyungsoo apoiou-se nos cotovelos, encarando o rosto quase inexpressivo da namorada com seus orbes esbugalhados, enquanto tentava limpar com a própria língua os resquícios do orgasmo dela que ainda pairavam em seus lábios.

– Não, amor! Você foi ótima. Sempre é ótima – Chanyeol retribuiu o olhar da mais nova, a boca reprimindo-se num riso forçado. Aproveitou para puxar o corpo pequeno da Do, acomodando o rosto macio rente à curva de seu pescoço. Kyungsoo amava se aninhar ali, se embriagar no cheirinho doce de sua Park… o seu próprio aroma ainda quente na pele alheia.

– Epa! Epa! Epa!... alto lá – a outra se afastou novamente, assim que percebeu a estratégia da namorada – Não pense que vai me distrair dessa vez, Park Chanyeol. Nada de chamego com a senhorita. Pelo menos, não até começar a me dizer o que está preocupando essa cabecinha.

O motivo tinha um nome e endereço marcados: o baile de primavera dos formandos organizado pela tão adorada comissão de pais que aconteceria aquele final de semana, no ginásio do colégio. Como representante dos alunos, Chanyeol era obrigada a comparecer. O momento se aproximava cada dia mais rápido, e ela ainda não tinha encontrado um par.

Com mais de um metro e oitenta de altura, a moça sempre tinha sido alvo de ostracismo por parte dos colegas. Pelo menos, quando o assunto envolvia qualquer encontro romântico. Se a vida fosse um jogo de basquete, talvez as coisas fossem mais fáceis para ela.

– Quando se é alta como eu, ninguém te chama para dançar – a Park argumentou, sentindo os olhos nublarem de repente. Tentou expulsar o choro dos orbes acastanhados, sendo logo impedida por Kyungsoo. Segurou as mãos grandes entre as dela e selou os lábios com ternura.

Claro que ela não estava triste por causa dos caras, que se danem eles. Sentia vontade mesmo de arrastar a namorada pro evento consigo. Mas Kyungsoo estudava em outra escola. Não que fosse realmente culpa ela, claro. O senhor e a senhora Do achavam mais sensato que as duas mantivessem o mínimo de contato possível. Totalmente injusto, mas aquela era a vida real.

– Não sabe como me odeio por não poder ir contigo – e então foi a vez da outra se agarrar forte contra o peito desnudo da Do, como um filhote de coala faminto. Ficaram deitadas juntinhas debaixo do edredom, durante um bom tempo. Os dedos da morena se enrolando nos cachinhos de Chanyeol até que ambas conseguissem finalmente adormecer.

(…)

O dia do tão sonhado baile afinal tinha chegado, muito antes do planejado. Kyungsoo deu a desculpa de um trabalho de última hora para ajudar com todos os preparativos. O discurso que Chanyeol leria para o corpo docente já estava em mãos. O vestido violeta, alugado as pressas numa loja qualquer, contrastava com os longos cabelos avermelhados. Podia ter a altura das torres do Empire State, ela ainda seria a mulher mais perfeita que a Do já tinha presenciado.

– Tem certeza que vai ficar bem? – a mais velha perguntou, se encarando no espelho enquanto agarrava a pequena bolsinha entre os dedos magros. O carro de seu pai já estava à espera. Como não tinha conseguido convencer Sehun a ir consigo, decidiu que passaria a festa sozinha.

– Que linda você, Chann-ie!… – Kyungsoo riu soprado, aproximando-se da namorada para colocar uma mecha de cabelo atrás das orelhas sobressalentes – Prestes a enfrentar o seu baile de formatura, toda preocupada comigo. Quando achava que não podia te amar mais…

– Ah! Soo… é só que eu… – a frase foi interrompida por um beijo ardente. O gosto do lip-balm de cereja, que Chanyeol sempre usava, invadindo o paladar. Fazendo com que o pobre coração da mais nova falhasse uma batida. Ou talvez várias. Não existe nada que Kyungsoo não faria.

 

O caminho até o baile foi longo e silencioso. O senhor Park parecia animado, tentando a todo o momento fazer com que a filha se sentisse mais confortável, apesar da ausência de Kyungsoo. Tentou até mesmo lhe comprar aquele sorvete favorito, mas Chanyeol parecia inconsolável.

Não demorou muito para que adentrasse a grande quadra de esportes, onde treinou vôlei durante vários anos. Seria a última vez que cruzaria as dependências do colégio. No fundo, Chanyeol ia mesmo sentir falta da vida no Ensino Médio. Mesmo apesar de toda frustração.

 

O tempo parecia voar, conforme todos os adolescentes perambulavam pelo piso resinado. A jovem ruiva estava no cantinho, copo de refrigerante em mãos. A mente, e o coração apaixonado, tinham ficado com Kyungsoo. Pegou se perguntando como seria se o mundo fosse um lugar diferente. Se o preconceito e o medo não a impedissem de viver plenamente, como tinha planejado.

Claro que isso foi só até o início do alvoroço. De repente, todos que estavam presentes se voltaram numa única direção. Chanyeol tentou ignorar de início. Provavelmente era só Zitao. No máximo, a chata da Baekhyun… que sempre arrancava suspiros por onde passava.

Mas o caminho começou a se abrir. E pior: começou a se abrir em sua direção. Os olhos acastanhados da Park se esbugalharam ainda mais do que o normal. A vontade que ela sentia, na real, era de abrir um buraco no terreno e se enfiar lá dentro para não sair nunca mais.

Maldita seja a hora em que esqueceu suas lentes em casa. Aliás, maldito o dress-code que a obrigou a deixar os óculos em casa. A única coisa que Chanyeol conseguia enxergar era o grande borrão de um terno amarelado quem diabos usava um terno amarelado?

Forçou a vista o quanto pode, o cheiro do perfume tão conhecido chegando ao seu olfato antes mesmo que a imagem ganhasse foco. Não! Não podia ser! Mas… como?

– Um passarinho verde me disse que a donzela está sozinha… – os olhos de Chanyeol involuntariamente se encheram d’agua. Parte pelo bendito esforço da miopia, e a outra claro! porque a voz que ouvia pertencia a ninguém mais, ninguém menos, que sua Kyungsoo.

Aos poucos, o corpo pequeno e bonito foi ganhando definição. Os sapatos sociais envernizados. O chamativo terno amarelado meu deus! como ela conseguia ficar fabulosa mesmo vestindo um terno amarelado horroroso?. Os lábios em formato de coração, que emolduravam um riso acabrunhado. E o principal de tudo: os cabelos curtos, como nunca haviam estado. Claro que ainda existia uma certa dificuldade dela em esconder seus seios fartos Chanyeol amava os seios de Kyungsoo. Mas aquele estilo quase masculino realmente combinava demais com ela.

– Você disse que tinha que vir com um rapaz, eu… – a Do continuou, usando uma das mãos para massagear a base dos fios cortados, enquanto a outra foi parar no bolso da calça social. Foi quando Chanyeol abriu o mais largo de todos os seus sorrisos, jogando todo o peso de seu corpo num abraço apertado. Kyungsoo quase se desequilibrou, mas deu firmeza ao ter o pescoço enlaçado.

– Vo-você… – a Park disse quando se desvencilhou daquele abraço, ainda tendo uma grande dificuldade em controlar sua emoção – Você veio. E tá tão linda. Ma-mas… e os seus pais?

– De verdade? Eu não dou a mínima pro que vão pensar – Kyungsoo respondeu, os dedos grossinhos acariciando as bochechas da namorada. Fez uma pequena reverência, segurando as mãos de Chanyeol entre as suas. Então, o silêncio. E a próxima música começou – Me concede essa dança? 


Notas Finais


o final ficou meio bosta mas né?... esse plot lindo e cheiroso foi doado pra mim no CuriousCat, não lembro agora o nome/link da menina que doou (OI @hiwme tudobom? hahaha) mas assim que olhar nas minhas mensagens privadas deixo os créditos e aliás foi inspirado nesse post aqui: https://twitter.com/souIanime/status/861681822236901377 ~ desculpa a demora! espero que goste de coração mesmo eu amei escrever só perdoa a demora mesmo ok? :) ~

um agradecimento especial a meu nenezinho @carvalhodands pela capa linda
https://spiritfanfics.com/jornais/the-female-project-8493974


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...