1. Spirit Fanfics >
  2. Saviour >
  3. Primeiro Beijo.

História Saviour - Capítulo 4


Escrita por: MichikoKurosaki

Notas do Autor


Atualização surpresa sem compromisso.

Capítulo 4 - Primeiro Beijo.


Fanfic / Fanfiction Saviour - Capítulo 4 - Primeiro Beijo.



Naquele dia, após as aulas, Lauren me convidou pra comer com ela num café novo. Como eu apenas poderia ir até a casa do meu amigo pra conversar com ele a qualquer hora, aceitei o convite. Ela era uma amiga divertida, ainda estava no ginasial, então tinha um pouco mais de tempo livre, o que fazia dela a líder do clube de música.

- Lauren, você é uma beta? – perguntou e ela me encara com um olhar curioso.

- Não, sou uma ômega recessiva.

- Jura? Você não é bonita demais pra isso? – Eu sorri e ela riu.

- Não. Minha mãe é linda, então naturalmente, eu também sou.

Entramos no cercado da loja nova bem decorada e escolhemos uma mesa ao ar livre. Olhei o cardápio.

- Ser ômega torna as coisas difíceis pra você? – Passo a página sem ler direito.

- Hmm. De que coisas estamos falando? Eu soube que conseguir emprego costuma ser mais difícil sim, mas nada impossível. É meio que esperado que as mulheres sejam ômegas?

Uma garçonete para ao lado da mesa e Lauren pede alguns doces e chá gelado, eu opto por café. Quando a moça de uniforme se afasta, ela se aproxima de mim na mesa.

- Por acaso você se descobriu ômega? – Sussurra. Desvio o olhar para as minhas mãos que estão sobre a mesa. Não consigo parar meus dedos, e quando abro a boca pra falar, Lauren grita, alguém havia derramado café quente nela e agora se desculpava enquanto ela praguejava entredentes.

- Lanna? – Olho desconfiado por baixo da aba da boina que ela usava.

- Willi? – Ela responde, igualmente surpresa. Lauren se levantou e correu para o banheiro. – Vou ajudá-la. – Ela toma o mesmo caminho e eu vou até uma farmácia próxima em busca de uma pomada para queimaduras.

Quando retorno, Lauren está sentada sozinha. Estendo para ela a pomada.

- Obrigada. – Ela diz. – Quem era?

- Minha namorada... desculpe por isso. Foi grave? Quer ir ao hospital?

- Desculpas aceitas, e não, estou bem. – Ela enfaixa o pulso levemente avermelhado.

- Vou pagar a conta e pedir que embalem seu pedido para viagem. – Aviso e assim faço.

Minutos depois, entrego a caixa para a garota baixinha.

- Até mais, Willian. Conversamos depois.

- Claro, cuidado no caminho. Me dê notícias. – Nos abraçamos antes dela tomar o trem para casa. Enquanto caminho, fico encabulado com a coincidência. O que a Lanna ainda faz na cidade? Ela deveria estar atendendo às aulas da faculdade... Entro em casa, e depois de comer, fico assistindo uma série com a minha mãe até dar o horário dela sair pra um jantar com uma amiga. Por volta das 19h, mando mensagem pro Gabriel.

Willian: Ei, Biel

Gabriel: Oi, já voltou do passeio com a Lauren?

Willian: Sim... Encontrei a Lanna lá.

Gabriel: Posso ir até aí?

Willian: Claro, nem precisava perguntar.

Cerca de 3 minutos depois, Gabriel está na porta. Subimos pro meu quarto.

- Sua mãe saiu?

- Sim, foi comer com uma amiga, acho. – Ele se senta na minha cadeira e eu fico na cama.

- Então, o que tá rolando? – Pergunta.

Respiro fundo antes de falar sobre o resultado dos exames e do quanto aquilo me preocupa e desperta insegurança, especialmente em relação a Lanna e meu futuro. Só olhei em seus olhos quando dei uma pausa para ver sua reação, mas antes que eu pudesse, Gabriel estava me abraçando apertado.

- Gabriel? – Era reconfortante, mas eu estava meio envergonhado e surpreso com o gesto repentino.

-...Me desculpa, Willian... acho que estou... fora de mim. – Ele murmurou.

- O qu-

Senti seus lábios serem pressionados contra os meus. Fiquei confuso apenas um momento antes de sentir uma fragrância tomar conta do meu quarto, ela me deixou sensível a estímulos e eu senti uma certa fraqueza, além de ficar ofegante e sentir meu rosto esquentar. Gabriel agora estava por cima de mim, e seus olhos reluziam num azul mais vívido que nunca. Fiquei paralisado diante dele. Merda, não consigo falar... Ele me beijou de novo, dessa vez invadindo minha boca com a sua língua. Com algum esforço, o afasto de mim e o coloco contra a parede.

- Gabriel, recomponha-se, cara.

- Pare de liberar seus malditos feromônios, então, porra. – Ele me encara olhando diretamente nos meus olhos. Meus feromônios? Eu o solto e pego da minha mochila o pequeno frasco que recebi e o envelope, que continha a dose recomendada. Engulo dois comprimidos.

- Desculpe. – Digo, meio sem jeito. Ele não me responde. – Gabriel?

- Tudo bem, só fique quieto. – Desço meu olhar um pouco, com a sobrancelha arqueada e percebo que ele tem uma ereção.

O quê? Por quê?! Dou as costas a ele. O Gabriel é gay? Bissexual? Talvez goste de mim? Não, deve ter sido o calor do momento, ele ainda é só um virgem por não se dar conta da beleza que tem... mas me sinto mal por ele.

- Gabriel. – Ele me olha de canto. – Me deixe te ajudar. 


Notas Finais


Estamos indo rápido demais?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...