História Say no to him - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Eijirou Kirishima, Katsuki Bakugou, Mina Ashido
Tags Hin, Kiribaku, Kirmina
Visualizações 58
Palavras 2.066
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, LGBT, Shoujo-Ai, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


>> Hey! Eu não sou boa em Hentais e isso tem mais história do que sexo, mas o titio Spirit poderia me penalizar se eu não botasse a categoria.

>> Aproveitem que eu amei escrever esse drama.

>> Futura capa by: @sugamom05

Capítulo 1 - Capítulo único


Kirishima e Ashido estavam saindo a um bom tempo, eles eram um casal feliz e amável, a relação era algo totalmente novo e eles estavam se divertindo com a novidade. Ainda sim algo era estranho, o ruivo se sentia culpado, claro que ele amava a namorada e mas ela não foi sua primeira opção.

Ele não tinha certeza dos seus sentimentos, mesmo que já façam 5 meses que ele e Ashido estão juntos, como saber se é mesmo o que deveria? Ele se imaginava junto assim a alguém e fazendo esse alguém feliz, mas ele sabia que não era a rosada quem estava nos seus sonhos. Ele nunca parou para pensar tanto sobre isso, mas notou que Bakugou estava bem mais impenetrável que antes e imaginava se ele tivesse alguma culpa nisso.

Já faziam meses que ele teve uma queda pelo loiro, mas ele não poderia aceitar, afinal eles são dois homens e isso não faz sentido. Ele entende que essa forma de amor existe mas não era a forma dele, Eijirou era másculo, um homem forte e futuro herói e nenhum dos grandes heróis eram homoafetivo, ele não se via sendo o primeiro.

Ainda sim, quando ele e Mina começaram a namorar, tudo começou a mudar, suas relações e seus pensamentos. Katsuki se afastou do grupo e Eijirou mal conseguia trocar mais de duas palavras com ele, sequer treinavam juntos mais. O ruivo percebeu o quão grave era o corte de laços quando em um treino em dupla as opções eram ele e Izuku e o loiro chamou o odiado colega.

- É uma pena que você não pode ir, vamos trazer lembrancinhas. – Ashido diz se despedindo com um beijo.

Teria uma viagem de classe e através de um sorteio ela foi um dos selecionados para ir, Kirishima não.

Após uma semana, em uma tranquila noite de verão, Kirishima não queria ficar com tantos pensamentos que faziam a coração apertar, mas ele estava por sí mesmo sem certeza do que fazer.

Já havia passado uma semana, duas desde a viagem, ele estava confuso e cansado, se sentia mal pelo loiro ter simplesmente se afastado, sentia falta dele mais do que da namorada, mesmo sabendo que o pensamento era errado. Soube que durante um treino naquele dia, o loiro e alguns outros colegas de classe foram acertados com uma Quirk temporaria que muda a personalidade, era uma chance arriscada mas torcia para Bakugou ter ficado mais amigável e mandou uma mensagem pedindo para ele vir ao quarto de Kirishima. O ruivo ficou muito surpreso em ouvir a porta bater dois minutos depois.

- Kats- – Antes de dizer qualquer coisa, o loiro só se tombou para cima dele, levou algum tempo para Kirishima notar que era um abraço.

- Senti, sua falta... Você me abandonou... Por que? – O loiro diz deixando o queixo apoiado na curva do pescoço do ruivo.

Talvez o efeito da individualidade tenha causado um Bakugou mais emotivo? Eijirou não tinha certeza mas o coração palpitava forte a um ponto de sua respiração não acompanhar, ele estava inquieto, nervoso.

- Você se afastou sem dizer nada... Eu não te abandonei... – Kirishima responde sem saber o que fazer e fica de pé ali com o loiro.

- Se você escolheu ela, tudo acabou... – Ele responde e Kirishima sente o nariz dele roçar em seu pescoço até os rostos estarem frente a frente – Sei que você não deve ter entendido, mas foi mais seguro para mim só te apagar da minha vida e agora veja onde eu vim parar – Ele dá uma risada sarcástica amarga – Como um cachorrinho eu corri para você de volta.

- Você não deveria ter ido, somos amigos... Você é o melhor e eu realmente gosto de você... – Kirishima diz encarando os olhos dele, pareciam os de sempre, os mesmo que ele encarava enquanto deveriam estar estudando.

- Você me faz tão mal. – Bakugou volta a rir e anda para frente, fazendo Kirishima recuar – Me manipula, abusa o quanto pode, usa o quanto quer e para você eu nunca negaria nada, então pense bem nas suas próximas palavras.

- E-Eu não... – Mas Eijirou parou antes de terminar a frase. Claro que ele aproveitava o máximo que podia os momentos que Bakugou se abria com ele, mas nunca fez por mal, mesmo agora ele não tinha intenções ruins... Ao menos é o que ele pensava até aquele momento.

O ruivo pôs as mãos na boca envergonhado com o que estava fazendo, Bakugou era a última pessoa no mundo que ele queria machucar.

- Você é gentil, Eijirou. – Bakugou diz meio a um suspiro e fecha a porta, abrindo um sorriso que surpreendeu Kirishima. Em poucos segundos Bakugou empurrava Kirishima contra a parede com um olhar triste e um sorriso sádico – Mas nunca será meu Eijirou.

O ruivo se via confuso, com a cena que ele já havia sonhado armada para acontecer. Bakugou parecia o querer tanto quanto Kirishima já o quis... “Mas ele estava com Ashido e tinha uma ideia parcialmente frágil de masculinidade”... Como se isso tivesse se passado pela cabeça dele na hora. O coração saltava, o desejo gritava e o loiro se aproximava.

- Só está noite... – O loiro sussurra em seu ouvido – Seja meu.

O ruivo ainda cogitou como dizer não para ele, afinal o certo seria dizer não para ele. Mas ele não queria ir, não mesmo, a chance de sua vida estava bem ali.

Bakugou poderia o odiar depois disso, nunca mais o olhar na cara. Kirishima sabia que enquanto tirava a roupa do loiro na cama ele estava trilhando o caminho que ele botaria tudo a perder.

- Por que essa demora? – Bakugou instiga o puxando pela gola – Aproveite enquanto estou com desejo, quente e me segurando para não fazer bagunça. Se aproveite desse cachorro idiota!

Calando o loiro, eles deram um beijo, um que ele nunca deu em Ashido. Era um beijo com desejo, duas pessoas desesperadas por aquele momento a tanto tempo que não viam ele se acabar, a paixão que nos pouco segundos que se afastavam para recuperar o fôlego era o oxigênio que precisavam para manter a chama acesa. Naquela noite seus corpos estavam em chamas, eles estavam marcados. Não só Kirishima, Bakugou pôs tudo a perder naquela noite. Cada marca deixada no corpo do outro, as mordidas, arranhadas, o prazer compartilhado e as tentativas falhas de uma primeira vez.

O número de alunos estava reduzido, o quarto era em um andar alto e quase vazio. Nos momentos que Bakugou gemia Kirishima tinha medo dele explodir e quando era o contrário a afirmação oposta não era verdadeira.

Na manhã seguinte, Kirishima quase gritou ao ver o estado do quarto e principalmente ao ver o loiro dormindo tranquilamente abraçado com ele. Não ser um sonho fez Eijirou se sentir mal, não só por suas pernas mas por sua palavra quebrada, sua consciência, ele sabia que não poderia fazer isso de novo.

Ele gostaria de dizer que aquela foi a única vez, mas foi a primeira vez que algo maior começou. Nas noites em que tinham sonos ruins eles se consolavam no quarto de Bakugou.

Kirishima se sentia vivo fazendo aquilo, se sentia realmente apaixonado pelo rapaz com quem trocava as sensações. Mas aí que está, ele só via Bakugou com um sorriso quando acordava na manhã seguinte e tinha que sair do quarto enquanto o loiro dormia, durante o resto do dia eles não trocavam olhares e muito menos palavras, o loiro parecia a milhões de mundos de distância.

Não foi só Bakugou que sentiu os prazeres de Kirishima, Ashido se surpreendeu com a habilidade do namorado para aquilo, afinal ela não tinha experiência alguma e a notícia da primeira vez deles era fofoca quente entre as meninas.

Eles tinham quase 18, estavam no terceiro ano e já tinham licenças provisórias e era tratados como adultos, mas bastava citar romance que todos pareciam crianças do primeiro ano.

Depois daquele dia, a chama de Bakugou ficou mais fraca e Kirishima reparou, o perguntando no meio da noite o motivo da desanimação e se o loiro queria parar, ficou surpreso ao perceber os olhos do loiro marejados.

- Eu só espero que esteja se sentido bem, pois está em posição de quem pode se gabar... Você usaria tão fácil pessoas como eu, que aceitam cada migalha que você dá que eu me surpreendi. Cada olhar, sorriso, tentativa de chamar atenção, minha atenção... – O loiro tinha mágoa na voz e afasta seu corpo do de Kirishima – beijos desesperados durante a noite, é aí que eu penso que te tenho, mas toda manhã eu acordo e você não está mais aqui e eu lembro que eu sou só seu cachorrinho e não significo mais nada. Eu não consegui te dizer nada quando tive tempo, você não me disse nada... Na verdade você cortou todas as minhas esperanças!

A toma frase acertou Kirishima de jeito e ver o loiro chorar o fez se sentir muito pior.

- Disse que um cara jamais teria chance, esse não era seu tipo, então eu desisti. – O ruivo lembra claramente que depois dessa conversa, a troca de olhares e sorrisos acabou, ele só não tinha fé que fosse o motivo – Mas bastou UM momento de fragilidade, UM momento que eu não pudesse me defender que você se aproveitou de tudo que você SABIA que existia.

- Bakugou eu... – Eijirou tenta mas não tem o que se explicar, o loiro estava certo e Kirishima sabia que esse momento chegaria e teria que reconhecer o que fez – Eu posso terminar com a Mina e ficaria com você, só com você e o tempo todo, todo mundo poderia ver.

- E como eu poderia confiar em você? – Bakugou diz deixando as lágrimas caírem e então se afasta da cama – Eu não posso deixar você mexer mais com o meu coração, não deveria ter te deixado ficar tanto tempo na minha cama, você é só a aparência da pessoa que eu mais amei. Ele era gentil, ele nunca mentiria, ele não se aproveitaria para me usar assim, ele não me deixaria ser usado assim, ele não magoaria outra pessoa por uma ação desesperada!

Cada palavra de Bakugou destroçava o peito de Kirishima, ele estava na cama do loiro sem as roupas e começou a se sentir a pior pessoa do mundo e esse sentimento o sufocou, ele chorava sem se permitir fazer barulho.

- Não sei o que você fez com o Kirishima que eu sempre amei, não sei como eu permiti que isso acontecesse mas agora, juntos, nós vamos queimar. – Bakugou diz e respira fundo – Vá embora, por favor.

Pouco depois que saiu do quarto, ele tombou com Ashido no corredor. A rosada estava preocupada por o ver chorando assim da madrugada e só parou de insistir quando ambos estavam no quarto de Kirishima.

- Eu acordei e não te achei... Imaginei que algo tivesse acontecido e vim te procurar... – Ela parecia insegura enquanto falava – Onde você estava?

- Te traindo. – Ele responde sem pensar duas vezes, a sinceridade na voz dele assusta Ashido quem não esperava por essa e então ele contou tudo. Faltava menos de um mês para eles marcarem um ano de namoro, ele já vinha a traindo faziam meses e ele contou sem muitos detalhes.

Traída, humilhada, desrespeitada? Nenhuma dessas palavras era capaz de descrever o que Ashido sentia naquele momento, ela levantou nervosa e quando ele tentou a parar ela começou:

- A idiota aqui procurava por você! Se preocupava! Te via distante e pensava que tinha feito alguma coisa errada! – Ela diz e parecia querer rosnar – Eu deixei o cabelo crescer porque você disse achar bonito, eu parei de fazer as pegadinhas com o Kaminari por você dizer se preocupar, eu me sentia mal e fiz com você por achar que você me largaria se eu não fizesse... – Ela chuta a porta, qual ameaça cair e ela chorava irritada – Espero que tenha orgulho da sua grande decisão, que tenha ganhado o máximo que pode! Esse é o fim! Espero que pense com carinho da próxima vez que quiser namorar!

Ashido saiu e o deixou sozinho. Ela inventou uma história sobre discussões que nunca tiveram e ninguém nunca soube o que Kirishima fez.

Mas do que adianta? Ele perdeu todos que o amavam, perdeu as pessoas que ele amava e não era digno de as ter de volta...

Bad ending


Notas Finais


>> Espero que tenham gostado, eu realmente gostei.

>> teve referências a algus musicais, entre eles Hamilton e DEH.

>> Dois beijos e sejam felizes.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...