História Say That You Love Me - Fillie - Capítulo 11


Postado
Categorias Stranger Things
Personagens Dustin Henderson, Eleven (Onze), Lucas Sinclair, Maxine "Max" Mayfield / "Madmax", Mike Wheeler, Will Byers
Tags Fillie, Finn Wolfhard, Millie Bobby Brown, Stranger Things
Visualizações 120
Palavras 1.763
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


VOLTAMOS! DEMORAMOS UM
POUQUINHO MAS VOLTAMOS.

SOMOS QUASE 100 FAVORITOS EU TO GRITANDOOOOOOO
AMORES DAS NOSSAS VODAS, EU E A ANINHA QUERÍAMOS AGRADECER! SÉRIO, VOCÊS SÃO OS MELHORES!
AMAMOS VOCÊS ❤️

Gente, eu Marcella, passei por uma situação muito difícil essa semana. Infelizmente meu primo, que era como um irmão pra mim, veio a falecer. Eu tinha escrevido metade do capítulo segunda e recebi a notícia terça e o funeral foi quarta, então todos esses dias, assim como hoje, estão bem difíceis. Eu só consegui me ajustar e escrever o resto do capítulo ontem (que no caso seria quinta, porque já é 00:00).
Por isso demorou um pouco. Me desculpem, de qualquer forma.

Boa Leitura 💕

Capítulo 11 - Chapter Eleven


LEIAM AS NOTAS INICIAS PFV 

 

    Minhas lágrimas rolavam soltas sem hora pra parar, eu me sentia suja, não por transar com Romeo, mas por deixar que aquilo continuasse mesmo que eu não quisesse. Sentada, olhei em volta do quarto. Tudo em perfeito estado, exceto minha cama, que continha os lençóis de seda amarrotados e espelhados. 

    Vi então minha penteadeira, algumas maquiagens e jóias jogadas, junto a uma foto minha com mamãe, e uma foto com as minhas duas melhores amigas.

    Eu não chorava mais, provavelmente estava com nariz de rena do Papai Noel, fazendo conjunto com minhas bochechas. 

 Cogitei a possibilidade de ir atrás da Rainha, contá-la o que acabou de acontecer, mas pensando melhor, uma mãe não merece ouvir de sua filha que foi estuprada porque a mesma "quis". É claro que eu não queria, mas não posso culpar Romeo, aquilo podia ter sido evitado... mas ao invés disso fiquei calada.

    Em um impulso levantei de minha cama, querendo ir atrás de Sads e de Liss, mas lembrei que estava brigada com as duas. Oras, quem se importa Millie? elas são suas melhores amigas, mesmo que estivessem te odiando, ajudariam você no que precisar. Como se minha mente gritasse e as ouvissem, assim que toquei na maçaneta para abrir a porta, Sadie a empurrou. 

    A menina sardenta a minha frente, estava de boca aberta, como se preparasse para entrar em meu quarto dizendo milhões de coisas, mas assim que me viu vermelha, soube que não era a hora certa. 

    Liss, estava ao seu lado, parecia nervosa, suas mãos tremiam, assim como as minhas. Porém, assim que me viu, seu olhar mudou de "estou prestes a vomitar" para "quer o mundo? eu te dou"  

    ⁃    Mills? - incerta, a morena chamou minha atenção; coitada de Liss, deveria pensar que eu ainda estava brava - Porque estava chorando? 

    ⁃    Eu... - não conseguia falar em voz alta - sinto muito meninas. - foi o que sussurrei no lugar do que eu realmente queria falar para as minhas garotas favoritas - Me perdoem por favor. - e então, desabei novamente.

    Esperando as palavras de alguma delas, me assustei assim que senti braços me envolverem. Sem pensar duas vezes, as abracei de volta. Nós três, caímos ao chão, não tendo forças para carregar o peso que todas estávamos sentindo, e lá ficamos. Chorando, parecendo três idiotas após assistir um filme de amizade - sim, nós já fizemos isso, e é muito clichê. 

XX

    Eu e a menina dos cabelos acobreados estávamos sentadas no jardim junto a mamãe, na aula de boas maneiras. A rainha tagarelava e tagarelava enquanto eu batia minhas unhas bem cortadas na mesinha de vidro à minha frente. Minha amiga brincava com seus cabelos, soprando a franja de cima de seus olhos vez ou outra.  O sol parecia feliz hoje, pois estava mais quente que as chamas do inferno - não que eu já tenha estado lá, graças a Deus. Felizmente, tínhamos sombrinhas para nos protejer, mesmo assim eu estava com óculos de sol - o que obviamente é proibido de ser usado por uma princesa, mesmo assim eu usava, já que mãe não ligava muito. 

    Pra ver o quão chato estava a aula, até minha mãe percebeu que estávamos entediadas. 

    ⁃    Eu sei que não gostam meninas, - disse com sua voz doce e compreensível, como sempre - mas infelizmente são aulas obrigatórias. 

    ⁃    Porque não podemos simplesmente fazer algo como Caleb e Finn? - Sadie rebateu; Ouvir o nome do cacheado, me fez remexer sobre a cadeira, enquanto um arrepiou me corroeu por inteira. Minha amiga pareceu notar, pois olhou pra mim com o canto dos olhos azuis, logo depois voltando a mamãe - Eles estão andando a cavalo! Sabe quanto tempo faz que eu não subo em outra coisa a não ser saltos? - como sempre educada, Sadie levou seu pé à altura do rosto de minha mãe, fazendo sua calcinha aparecer pra quem quiser ver. 

    ⁃    Tudo bem, tudo bem...- A mais velha de nós levou as mãos aos céus, indicando a nós que se rendeu; eu observava tudo sem ao menos opinar - querem andar a cavalo com os meninos? - perguntou, obviamente sem ideias. Bufei. 

     Um desespero bateu em minha porta, e senti meu coração bater rápido de mais como se eu tivesse acabo de correr uma maratona. "Você está evitando ele, se lembra?" Minha consciência gritava dentro de minha mente, e ela estava certa, eu estava o evitando. O garoto foi um grosso comigo sem motivos, aparentemente. Não quero aguentar ter que evitar olhar em seus olhos, até porque, sei que não conseguiria. Aqueles olhos eram a minha perdição...

    ⁃    NÃO! - Não fiquei surpresa quando a ruiva gritou junto comigo. 

    Estava claro como água que Sads tinha uma quedinha por Caleb. Assim como eu estava a evitar Finn por desgosto, Sadie estava evitado Caleb por timidez. Ficou óbvio que ela gostava dele, e por mais que a ruiva se demonstrasse louca e safada na frente de mim e Liss, eu a conhecia muito bem, e ela era muito envergonhada quando gostava MESMO de alguém. Além do mais, era bem provável que Wolfhard tenha ouvido gemidos falsos da noite anterior, o que me fez corar instantaneamente, junto com a ruiva.

    ⁃    Ok! - minha mãe pareceu se assustar - querem fazer o que então? 

    ⁃    Vamos praticar arco e flecha. - Dei aos ombros. 

Sei que mamãe não gosta muito que eu brinque com esse tipo de instrumento - o que era um verdadeiro exagero, já que as flechas eram sem ponta. Achava que eram coisas masculinas e que eu não deveria perder meu tempo com isso, mas eu adorava arco e flecha, e estava um dia tão lindo! Além do que, é uma desculpa pra eu poder colocar calças. Eu adoro vestir calças, elas ficam perfeitas junto às minhas curvas. 

    ⁃    Eu sou péssima em arco e flecha! - exclamou Sadie, claramente frustrada. 

    ⁃    É por isso que vamos praticar. - respondi, dando ênfase a última palavra. 

    Mamãe preferiu ficar em seus aposentos, já que odiava arco e flecha. 

XX

    A brisa leve do vento junto aos raios solares batiam nos fios do meu cabelo acastanhado. Meus olhos presos no pontinho do alvo, bem ao meio, estavam totalmente cerrados. Inspirei e expirei antes de soltar a flecha e vela colidir com a madeira, deixando uma marca preta de tinta em cima da tirinha próxima ao pontinho do meio. 

    Como eram flechas de treinamento, não tinham ponta, então não tinham forças para perfurar a madeira - não machucavam nem uma mosca. Assim, antes de jogá-la, molhávamos a ponta na tinta, para sabermos onde acertamos no alvo. 

    Bufei ao ver que errei o alvo, enquanto me abaixava e pegava mais uma flecha. E lá estava eu de novo, mais concentrada do que nunca, enquanto ouvia minha amiga ruiva choramingar toda vez que errava - ou seja, todas as vezes que a mesma jogou - quando ouvi uma risada que era música para meus ouvidos. 

    O som de patas pesadas batiam freneticamente ao chão, se aproximando cada vez mais. O moreno - Caleb - foi quem apareceu primeiro, logo em seguida o branquelo - Finn. 

    Meus olhos se prenderam ao que eu posso chamar de visão de Deus. 

    O sardento sorria de uma forma que nunca vi antes, me deixando completamente hipnotizada. Me lembrei do nosso primeiro beijo, me senti prestes a cair dura no chão... Logo depois me lembrei das suas palavras horríveis, que me machucaram como um tiro. 

    Todo o odeio e rancor que eu sinto por ele triplicaram 10x mais. Tive vontade de socar aquelas sardas perfeitas. Sem ao menos perceber, minha flecha apontava para sua cabeça. Inspirei, expirei e soltei. Depois que o instrumento bateu em sua cabeça o menino se virou pra mim, deixando seu cavalo conduzir sozinho. Nossos olhares se encontraram e percebi que tanto eu quanto ele, estávamos hipnotizados com a eletricidade. 

   A partir daí, tudo aconteceu em câmera lenta. A sua frente havia um lago, o que claramente Finn não percebeu pois estava ocupado de mais olhando para as minhas curvas, mesmo de longe. Julian - seu cavalo, muito bem treinado por sinal - pigarreou para trás e em um movimento de defesa a si mesmo, jogou o que - ou quem, no caso o príncipe - estava pesando em suas costas, para frente. Conclusão, Wolfhard literalmente voou pra dentro do lago. 

    Levei minhas mãos a boca, espantada, e apesar de não dever, soltei uma gargalhada. Sadie agarrou minha mão, e nós duas corremos para ver se o menino estava bem - apesar de nenhuma das duas estarem realmente preocupadas, já que não parávamos de rir. 

    ⁃    Eu... não sei... nadar. - parei de rir e sem pensar duas vezes, pulei ao lago. 

Agarrei o braço do garoto, e franzi o cenho assim que o vi em pé com um sorriso de deboche. Eu não acredito que me molhei toda por causa desse idiota! Ah, se eu pegar um resfriado, eu vou matá-lo. 

    ⁃    Ficou toda preocupadinha. - disse irônico; dei um soco em seu braço torcendo para que doesse, apesar de eu saber que provavelmente não fez nem cócegas. Pelo menos ele não fez menção aos gemidos.

    ⁃    Saia logo desse lago. - minha amiga disse me entendendo a mão. 

   Assim que sai, senti os olhos de Wolfhard queimando desejo sobre mim, ao olhar pra baixo, entendi o porque. Minha blusa branca estava transparente e grudada ao meu corpo, deixando a mostra meu sutiã rendado na cor vermelha.

    ⁃    Perdeu alguma coisa aqui Wolfhard? - perguntei e apontei para os meus peitos, o que fez meus amigos gargalharem e o cacheado corar instantaneamente.

    ⁃    É que vermelho é minha cor favorita. - disse, quase num sussurro, mas eu entendi muito bem.

    ⁃    Como é? - perguntei.

    ⁃    Nada. Caleb, me ajude aqui. - tentou disfarçar ao perceber meu sorriso irônico. O que recebeu como resposta do amigo, foi um vácuo, já que o mesmo estava ocupado de mais conversando com a minha amiga. 

   Revíramos os olhos juntos e então estendi minha mão pra ele. Era óbvio que eu não o ajudaria, mas o tonto caiu sem duvidar de nada. Quando pensa que não, soltei sua mão, fazendo o menino cair novamente. Assim que se levantou, me fuzilou com os olhos. 

    ⁃    Que palhaçada Brown! - bravo, com certeza estava bravo, mas eu não ligava. 

    ⁃    Isso foi por você me fazer pular no lago. - e então dei-lhe as costas, sentindo seu olhar queimar em direção às minhas nádegas.


Notas Finais


Sou só eu ou vocês também adoram provações fillie?
"vermelho é minha cor favorita"
ADOROOOOO
gente, eu juro que não consigui parar de rir quando escrevi a cena do cavalo AHAHAAHAHAHAHAHAH'
Vemos vocês nos comentários ❤️😉


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...