História Say you don't want it - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Atriz
Visualizações 11
Palavras 2.055
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Bom pessoal, como disse, vou demorar um pouco pra postar mas eu posto. E eu voltei kkk eu acho.
Boa leitura.

Capítulo 3 - Capítulo 3


Fiquei aliviada por saber que Alex me protegeria caso Benjamin tentasse alguma coisa comigo, então deixei que isso sumisse da minha mente um pouco. Afastei-me um pouco dos dois e fui em direção ao balcão para comprar uma bebida, ao me aproximar do balcão um cara vem ao meu lado e pergunta:

-Posso te pagar uma bebida?

-Não será necessário – Eu disse ao rapaz com um sorriso no rosto – eu estou acompanhada, e meu acompanhante está olhando para você nesse exato momento – Ele olhou e viu Alex olhando diretamente para ele. – bem ele está me esperando, mas muito obrigada pela oferta. – Comprei um copo de Absolut e saí de lá, indo na direção de Alex e Aurora.

-Será que você não pode nem comprar bebida sem chamar atenção? – Disse Aurora com um tom de risada.

-Sinceramente, eu não sei o que eles veem em mim, sou tão normal quanto qualquer outra garota aqui.

-A diferença é que você exala confiança e isso chama e muito a atenção por ser sexy. Você é autônoma e centrada, isso te difere das demais que vem em lugares como este. – Alex estava praticamente gritando, pois o volume da música era muito alto e mal dava para ouvir a minha própria voz. – Mas agora se prepare, os predadores viram que você é difícil e vão começar a vir pra cima.

                Nesse momento começou a tocar minha musica favorita “Say you don’t want it”, é um tipo de rock-indie, então eu comecei a dançar, eu achava aquela música extremamente viciante, não era nem tão lenta e nem tão barulhenta, a voz do cantor é linda e traz aquela sensação de liberdade, aquela sensação de “Você é seu único dono”. Eu estava dançando de forma um pouco sexy, forma essa que atraia olhares de todos os lados, dançava e tomava da minha bebida, então chegou o refrão e eu soltei um grito de excitação:

                               “The big screens, the plastic-made dreams

                               (Telas grandes, sonhos feitos de plástico).

Vi um rapaz bonito vindo na minha direção, não esperei ele chegar perto e fui à direção dele.

                               Say you don’t want it, say you don’t want it

                               (Diga que não quer isso, diga que não quer isso).

Parei a centímetros do seu rosto, nossos corpos praticamente colados um no outro.

                                It’s our world, the picture-book girls

                               (É o nosso mundo, garotas de livro ilustrado).

-Nossa você é mais linda do que meus olhos conseguiam ver – Seu hálito de menta misturado com um pouco de álcool tocava minha pele.

                               Say you don’t want it, say you don’t’ want it

                               (Diga que não quer isso, diga que não quer isso).

Dei um sorriso pelo canto da boca como aprovação e ele chegou mais perto.

                               Don’t you ask me if it’s love, my dear?

                               (Não me pergunte se isso é amor, minha querida.).

Antes de ele me beijar coloquei meu dedo na frente da boca e sorri, oque o fez sorrir também.

                               Love don’t really mean a thing ‘round here

                               (O amor realmente não significa nada por aqui)

-Não gosto de caras que acham que eu não posso fazer oque eles fazem – eu disse com um sorriso safado.

                               The fake scenes the plastic-made dreams

                               (Cenas falsas, sonhos feitos de plástico)

Então avancei sobre os lábios dele, um beijo intenso, cheio de luxuria, suas mãos andando pelo meu corpo.

                               Say you don’t’ want it, say you don’t want it”

                               (Diga que você não quer isso, diga que você não quer isso).

-Vamos para um lugar com mais privacidade – ele disse se separando do beijo.

                A música continuou a tocar mais eu fui com ele para um canto um pouco mais afastado, ele me encostou na parede e continuou a me beijar, com uma das mãos na minha nuca e a outra mão na minha bunda. Era disso que eu estava precisando, relaxar, me divertir extravasar, e hoje eu vou. Notei que ele estava apertando minha bunda e sorri durante o beijo, então coloquei minha mão por dentro da camisa dele e depositei alguns arranhões ali, então ele parou o beijo e começou a beijar meu pescoço, eu estava ficando arrepiada, ele tinha pegada, e sabia que tinha, então ele voltou para minha boca e eu mordi devagar seu lábio inferior, ele sorriu e fez o mesmo, então voltamos para o beijo e ele chupou minha língua. Eu estava totalmente arrepiada, então me separei do beijo:

-Preciso encontrar minha amiga, eu vim com ela e acabamos nos desencontrando.

-Posso te pagar uma bebida antes de ir? – Ele perguntou com um sorriso.

Fiz que sim com a cabeça e fomos em direção ao bar:

-O que vai querer tomar? – Ele me perguntou.

-Uma dose de Tequila.

Ele pegou uma dose de G&T sentamos em uma mesa e começamos a conversar e descobri que seu nome é Patrick, então pedi seu número e disse que eu precisava encontrar minha amiga, agradeci a bebida e fui para o encontro de Aurora e Alex. Quando os encontrei, Alex estava com uma garrafa de vinho na mão e a dividia com Aurora, quando cheguei perto dos dois, Alex me deu a garrafa e eu dei um gole, eu acabaria acordando com uma ressaca pesada no dia seguinte mas não estava me importando, terminei minha dose de Tequila e bebi vinho com Alex e Aurora.

                Eu tinha começado a ficar bêbada mas não queria para de beber, a cada música que passava eu dançava mais, já estava um pouco suada por causa do calor:

-Aurora, vamos ao banheiro comigo?

Ela assentiu com a cabeça e fomos ao banheiro, a fila estava enorme mas não nos importamos, entramos na fila e Aurora perguntou:

-Onde você estava? Eu estava conversando com o Alex e quando olhei você tinha sumido.

-Eu estava beijando, encontrei um gatinho e nos pegamos, começamos a nos beijar praticamente do lado de vocês, mas fomos para um canto mais reservado, mas me diga, e você e o Alex, rola ou não?

-Não sei, ele é super legal, me faz rir e nos damos bem, mas eu realmente não sei. – disse ela que estava visivelmente bêbada, na verdade nós três estamos.

-Pode parar, esse papinho de ser legal e tal é só desculpa, olha pra você garota, que homem que não ia querer beijar você, olha essa bunda – disse apertando a bunda dela – você é super gostosa, e o Alex é mole, então chega lá e beija ele.

                Continuamos a conversar até que chegou a nossa vez de ir ao banheiro, fiz minhas necessidades, saí e fiquei esperando Aurora do lado de fora do banheiro, quando ela saiu peguei na sua mão e a beijei, a princípio ela se assustou mas retribuiu, foi um beijo curto mas foi bom, os lábios dela eram macios:

-O que foi isso? – disse ela surpresa. – será que alguém ta se descobrindo? – Disse ela com um sorriso no rosto.

-Não babaca – ri da pergunta dela -  chega no Alex e faz isso que ele vai se amarrar, só toma cuidado pra não se apegar, agora vai lá gostosa. – falei dando um tapa na bunda dela.

Ela olhou pra mim e me mandou um beijo e em seguida sorriu e foi para onde o Alex estava, e eu fui em direção ao bar, pedi outra dose de Tequila e quando viro lá está Zack, com seus olhos verdes olhando pra mim, seu porte de atleta (mesmo não sendo), seus cabelos castanhos, e o cheiro do seu perfume favorito:

-Quanto ela está devendo? – Perguntou ele ao bartender

-A conta dela deu $175,00.

Zack pegou p cartão na carteira e pagou, olhei para ele com cara de quem está descontente com a situação e ele como que lendo meus pensamentos disse:

-Em, você não está bem, e precisamos conversar, vamos.

                Acompanhei ele até o lado de fora da balada, entrando no seu carro, então perguntei:

-Aonde vamos?

-Em, tenta descansar, – Disse ele olhando para mim com aqueles olhos que ele sempre me olhava, aqueles olhos de quem cuida – olha só pra você, quem diria que ficaria bêbada. – Continuou ele com um sorriso no rosto.

O carro começou a andar e eu comecei a me sentir enjoada, meu estomago começou a revirar e eu senti que iria vomitar por causa do enjoo:

-Zack, eu estou enjoada.

Ele parou o carro e eu sai, logo em seguida Zack saiu carro também e veio para me ajuda, segurando meus cabelos. Após vomitar, eu fiquei um pouco melhor mas ainda estava tonta:

-Em, vamos numa pizzaria que eu conheço. – Disse ele com a atenção voltada para a estrada.

-Não tem nenhuma pizzaria aberta, já passa da três da madrugada.

-Exato, mas também, não existe melhor pizza que a minha, vamos lá pra casa, assim você descansa um pouco.

Ficamos em silêncio e eu comecei a olhar para ele, aquele rosto preocupado, pensando bem ele sempre fora assim comigo, sempre preocupado com o meu bem estar e com a minha saúde:

-Zack, por que me traiu? – Ele me olhou e sorriu com o canto da boca.

-Em, amanhã conversamos sobre isso, hoje você precisa comer alguma coisa e ir descansar, agora, como eu sabia que você estava na balada? Isso é fácil, o Alex me ligou faz uma hora mais ou menos, me disse a balada que vocês estavam e me disse que queria falar com a sua amiga a Aurora. – Eu olhei para a janela ao meu lado e abri o vidro, o vento da noite começou a soprar nos meus cabelos, balançando-os.

-Se ele queria ficar sozinho com ela era só ter me avisado, não tinha necessidade de ligar para você. – Eu falei com um tom calmo e ao mesmo tempo entristecido.

-Na verdade foi ajuda de ambos, ele sabia que eu queria falar com você.

Olhei para ele emburrada, então ele parou na garagem de seu apartamento e subimos, logo que entramos em seu apartamento eu me joguei o sofá e ele riu e foi direto para a cozinha para preparar a pizza.

                Depois de comermos, Zack sentou no sofá e eu me sentei ao seu lado, me senti nos tempos em que namorávamos, nós nos sentávamos no sofá e começávamos a falar sobre nossa semana, eu estava bêbada demais para tentar falar algo com seriedade, meus olhos começaram a se encher de lágrimas, meu peito começo a apertar, nesse momento Zack segurou levemente o meu queixo e olhou nos meus olhos:

-Em, sabe de uma coisa, desde que terminamos, eu não consigo pensar em outra coisa sem ser os momentos que passávamos juntos, os momentos em que, eu apenas olhava para você e podia compreender todos os seus pensamentos, suas angústias, suas fraquezas. Sinto falta das nossas conversas, sinto falta de dizer oque eu gosto em você, sinto da falta do calor dos seus abraços, da doçura dos seus beijos, sinto falta de você, amanhã, quando estiver melhor, eu preciso falar com você, eu não posso adiar por mais tempo, até porque, quando se menos espera o seu amor, a pessoa que você mais amou na vida desaparece, e quando você notar, já vai ser tarde, pois ela já vai estar nos braços de outro alguém – ele disse num tom de voz mais baixo – e você não fez absolutamente nada para mudar isso – dessa vez uma lágrima escorreu dos seus olhos.

Ele olhou pra mim e secou uma lágrima que estava nos meus olhos, em seguida ele foi se aproximando e beijou minha testa, então saiu do sofá e foi para o quarto, e de lá de dentro ele disse:

-Se quiser tomar banho, fique a vontade, e depois se quiser venha dormir aqui na cama.

Depois que ele foi deitar eu fiquei olhando ao redor, o apartamento dele era grande, não tanto como uma casa mas era grande para uma pessoa. Entrei no banheiro e comecei a tomar um banho tomando cuidado para não molhar os cabelos, estava pensando em alguma coisa quando me pego pensando em Zack, ele era um idiota que conseguia me surpreender todas as vezes que nos encontrávamos, um idiota que com simples palavras me fazia sentir muito bem. Então terminei meu banho e fui até o quarto, Zack estava deitado apenas de shorts, seus cabelos castanhos jogados em frente o rosto, deitei ao seu lado da cama, olhando para ele, e adormeci com a vista de seu rosto.

 

  


Notas Finais


Esta é a música caso queiram conferir.
https://www.youtube.com/watch?v=wF1WzzrLmpk

Beijos do grim-chan


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...