1. Spirit Fanfics >
  2. Scars - CARL GRIMES (2) >
  3. 09. Sua culpa

História Scars - CARL GRIMES (2) - Capítulo 11


Escrita por:


Capítulo 11 - 09. Sua culpa


Fanfic / Fanfiction Scars - CARL GRIMES (2) - Capítulo 11 - 09. Sua culpa

NATÁLIE

(...)

Acordei e olhei o relógio digital ao meu lado, que indicava treze horas. Dormi até essa hora, por conta da minha vigia de ontem à noite.

Levantei e fiz minhas higienes, coloquei uma calça jeans clara, uma regata preta e a minha capa por cima - sem vestir o capuz -.

Desci as escadas e um cheiro de comida fez meu estômago se revirar de fome. Entrei na cozinha encontrando com Negan no fogão. Levantei uma sobrancelha e estranhei ele ali.

一 Que susto! - seguro a risada da sua cara, quando ele se virou e se assustou comigo ali. 一 Aliás, bom dia bela adormecida. - o homem debocha, sorrindo no final. 一 Com fome? Fiz espaguete.

一 Desde quando você cozinha? - perguntei, me sentando no balcão.

一 Eu até que sei me virar bem. - ele dá de ombros. 一 É melhor comer, o dia vai ser longo. - Negan diz, me servindo com um prato.

Fechei os olhos e aquela frase ecoou na minha cabeça. Lembrei do dia em que fiquei com o Governador, e tudo o que ele fez. A queda da prisão e a morte - verdadeira - do Hershel. Depois eu fugindo para a floresta com uma mulher negra, que também tinha uma katana nas mãos.

Isso tudo passou pela minha cabeça em flashes rápidos, que duraram segundos. Quando abri meus olhos, quase caí do banco, e me segurei firme na bancada. Negan deu a volta correndo e me apoiou.

一 Está tudo bem? - ele pergunta, e eu assento. 一 Outra lembrança? - concordo com a cabeça.

Durante essas semanas que se passaram, Negan 'aprendeu' sobre essas minhas recaídas, algumas vezes ele até me ajudava. Até mesmo na vez que me lembrei dele.

FLASHBLACK ON

Entrei em casa, depois de um dia inteiro fora da comunidade. Negan estava no sofá, enquanto uma música baixa tocava no rádio velho que eu tinha. Olhei para o chão, e ri ao ver uma garrafa de whisky ao seu lado.

一 Noite ruim? - pergunto, fazendo ele finalmente notar minha presença.

一 É... - ele soltou um suspiro. 一 Lembrei da minha esposa, e de como eu fui um cuzão com ela.

一 O que aconteceu com ela? - pergunto, me sentando na poltrona.

一 Lucille sempre...

Ele começou a falar, mas eu não conseguia ouvir sua voz, apenas via sua boca se mexer. Fechei os olhos e tentei voltar ao normal, mas não adiantou, já que lembranças voltaram para mim.

×

O sonho que tive, do homem de cabelos negros e mãos sujas de sangue, era Negan. Ele havia acabado de matar o Abraham e levantava aquele taco no ar, fazendo o sangue do ruivo espirrar no rosto de um outro homem. Várias pessoas choravam.

Depois, eu estava no Santuário, um dos seus capangas me manteve presa em uma cela, e duas mulheres me batiam até eu desmaiar.

Alexandria estava em chamas. Havia ido até a torre para tentar distrair Negan. Saí de lá, e logo as ruas estavam sendo bombardeadas. Lembro do meu corpo ser arremessado, e minha cabeça batendo contra uma árvore, logo me fazendo apagar.

×

一 Natálie?! - voltei a realidade e vi ele me olhando. 一 Está...

一 Você... - o interrompi. 一 FOI VOCÊ! - gritei, me levantando e ignorando a dor de cabeça. 一 Como... Como confiei em você?! - comecei a andar de um lado para outro na sala. 一 Você matou o ruivo, me manteve presa... - parei de andar e olhei para ele. 一 Foi por sua culpa que perdi as memórias!

一 Olha... calma! - ele levanta, vindo até mim, mas eu me afastei. 一 Eu sei o que fiz, e confesso que foi muita merda mesmo. Mas, eu mudei! - dou uma risada irônica. 一 Tá, não precisa acreditar, mas eu realmente não sou mais daquele jeito.

一 Porque eu acreditaria? Quem me garante que você não vai esmagar minha cabeça, enquanto eu durmo?! - perguntei debochada.

一 Você viu Lucille comigo? - fiquei em silêncio, pois realmente não vi o taco de beisebol com ele. 一 Eu não estaria ajudando vocês com a Miranda, se eu ainda fosse daquele jeito.

Fiquei o olhando, sentindo minha respiração alterada e a cabeça explodindo de dor.

一 Se você fizer outra merda, eu juro que minha katana vai parar no meio do seu peito. - digo seriamente, e ele dá uma risada nervosa.

一 Não vou duvidar disso.

FLASHBLACK OFF

Daquele dia em diante, mantive um pé atrás com ele. Mas, Negan realmente estava diferente. Queria ajudar na comunidade e sempre trazia informações úteis sobre o plano de Miranda.

Acabamos de almoçar e Negan foi em uma ronda com Thomas - os dois aprenderam a conviver juntos, da forma deles, mas aprenderam -. Saí de casa e fui até Dylan, que estava separando algumas armas.

一 Vai sair? - pergunto, e ele concorda.

一 Negan me avisou que Miranda estava próxima. Vou verificar. Quer ir?

一 Não precisa pedir outra vez. - sorri, pegando munição para o meu revólver.

Passamos os portões da Aldeia e seguimos pela estrada, encontrando - eu no caso - alguns rastros recentes, que entravam na floresta.

Seguimos as folhas reviradas, e avistamos uma cabana velha depois de alguns segundos. Ficamos escondidos atrás de uma grande pedra, para observar o local.

Miranda e seus capangas não apareceram, mas percebi um movimento atrás de nós. Levantei e apontei a espada, dando de cara com Duke. Abaixei a lâmina, já que ele apontava uma arma para mim, e Killier apontava outra para Dylan.

一 Que surpresa! - Miranda apareceu, andando até nós. 一 Rapazes, abaixem as armas. - e assim os dois fizeram. 一 O que os líderes da Aldeia estão fazendo aqui?

一 Viemos fazer uma visita não está vendo? Trouxemos até bolo! - debocho, o que fez ela rir cinicamente.

一 Vieram atrás de nós? - a mulher pergunta, cruzando os braços, ficando de frente à mim.

一 Acha que viemos perder nosso tempo com vocês? - digo, a encarando. 一 Achou errado amiga. - ironizo.

一 Então, é melhor irem embora, antes que aquela comunidade sofra as consequências desse seu deboche. - Miranda diz. Eu e Dylan nos afastamos. 一 Você vai morrer, Queen! - ela fala alto, e eu paro de andar, me virando um pouco para trás.

一 Não antes de você, Miranda. - digo friamente, e volto a andar, ignorando os três.

(...)

Entramos na comunidade e vimos Eddie e Marie no portão, conversando com Paul. O homem veio hoje, mas seu grupo viria amanhã.

一 Não diga aos seus pais, que encontramos com ela. - falo baixo para Dylan, enquanto nos aproximamos dos três. 一 Paul, é bom te ver de novo.

一 Digo o mesmo, Natálie. - ele me abraça, e cumprimenta Dy. 一 Meu grupo vai vir amanhã, como o combinado. - assenti. 一 E espero que você esteja preparada para isso.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...