1. Spirit Fanfics >
  2. Scars on Your Heart >
  3. Chapter 14

História Scars on Your Heart - Capítulo 14


Escrita por:


Notas do Autor


Oiii, pra compensar esse dias em que eu não postei nada, aqui está outro capítulo!!!!

Boa leitura!!!!

Beijos!!!!

Capítulo 14 - Chapter 14


-Tudo bem. – Disse Pepper. -OK. – Era a terceira vez que ela dizia isso, mas Tony não se sentia corajoso o suficiente para apontar isso para ela. Ele a observou andar para frente e para trás, os saltos fazendo sons suaves de clique contra o chão do jato. Sua expressão estava enrugada de concentração. Ela alternou entre olhar para ele e olhar para seu telefone.

-Você não precisa encontrar uma solução agora. – Observou Tony. -Isso foi meio que jogado no seu colo e você tem um zilhão de outras coisas com que se preocupar.

Pepper piscou para ele. -Espere, um Tony Stark que reconhece que não é o centro do meu mundo? Você é do futuro ou de um universo paralelo?

Tony sorriu severamente. -No futuro, você morreu. – Disse ele, o mais gentilmente que pôde. Pepper recuou visivelmente. -Eu sei exatamente o quanto você tem que fazer, Pep, porque tudo isso foi despejado nos meus ombros depois que você se foi. Eu estava tentando fazer o trabalho de cinco pessoas. Não sei como você consegue, mas a última coisa que quero fazer é colocar mais estresse em seus ombros. Vou ficar bem sem identificação por um tempo, sério.

-Oh, Tony. – Com um olhar de compaixão em seu rosto, Pepper se moveu para ficar na frente dele. -Não consigo imaginar como isso foi difícil para você.

-Foi horrível. – Admitiu. -Nunca me senti tão perdido. – Ele olhou para o rosto lindo e familiar dela e sentiu uma pontada de melancolia. Ele a amava por isso muito, mas não é assim. Não mais. Ele chorou por esse amor quando colocou sua Pepper para descansar seis meses atrás. Talvez se ela tivesse sobrevivido, as coisas teriam sido diferentes. Eles podem ter voltado a ficar juntos e talvez até mesmo se casado. Eles podem ter descoberto como fazer as coisas funcionarem.

Mas isso não aconteceu e não aconteceria agora. Pelo menos não entre os dois. Tony havia passado por muitas coisas; ele não podia pedir a Pepper para aceitar ou tentar entender as diferenças fundamentais entre ele e Stark. Isso não era justo com ela. Talvez Stark e Pepper tivessem uma chance melhor, Tony não sabia. Ele meio que esperava que sim, apenas para que ele pudesse ver algumas crianças Stark-Potts correndo por aí. Eles não seriam dele, mas seria a segunda melhor coisa.

-Vou trabalhar nisso. – Disse Pepper, tocando seu rosto suavemente. -Eu tenho alguns contatos. Provavelmente, você terá que usar um nome diferente legalmente, mas terá algum tempo para pensar sobre isso.

-Vou pensar um pouco. – Tony prometeu, pressionando um beijo ausente em sua mão. A capa se moveu ao redor dele e Pepper deu um passo repentino para trás.

-O que -?!

-Oh, esta é a capa da levitação. – Disse Tony. Ele se levantou e deixou a capa escorregar de seus ombros. Ele pairou ao lado dele e se curvou para Pepper, cujos olhos eram do tamanho de bolas de gude.

-Você fez isso? – Ela perguntou, parecendo maravilhada.

Tony riu. -Oh Deus não. É um artefato mágico. Na verdade, pertencia ao Dr. Stephen Strange. Aquele cara que você viu comigo? No futuro, ele foi deixado para trás depois que ele se desintegrou do Snap. – Ele estendeu a mão para tocar a capa, passando levemente os dedos por todo o comprimento do tecido. -Ele se apegou a mim.

-O que isso faz? – Pepper perguntou.

Funcionou como um cobertor de segurança, basicamente. Tony sorriu para ela. -Isso me faz parecer legal, é claro.

-Claro. – Disse Pepper, revirando os olhos, mas ela não conseguia esconder o sorriso puxando seus lábios.

-Acabou voltando no tempo comigo. Stephen já tem um, então acho que este continua meu. – Tony acrescentou, e graças a Deus por isso. Ele teria sido pressionado a desistir do bolo se Stephen tivesse insistido em devolvê-lo por algum motivo.

-Stephen, hein? – Pepper disse.

-O que? Ele é um associado. – Disse Tony.

Pepper ergueu as sobrancelhas. -Um associado que te faz sorrir assim?

-Que sorriso? Eu não estou sorrindo. – Ele disse rapidamente.

-E com quem você vai para casa? – Ela continuou ignorando-o.

-Ele se ofereceu por cortesia profissional! – Tony exclamou. Na verdade, ele não tinha certeza de por que Stephen havia oferecido o Sanctum. Ele estava muito grato pela oferta para se incomodar em perguntar. O Sanctum era o único lugar onde ele se sentia seguro e confortável agora e Tony não conseguia pensar em nenhum lugar que preferisse estar. Com o tempo, isso poderia mudar - mas ele não tinha certeza se seu desejo de estar perto de Stephen iria embora.

Mas ele não iria admitir isso para Pepper.

Ela olhou para ele com conhecimento de causa. -Ok, Tony. O que você precisar dizer a si mesmo.

-Ele fez!

-Ok, Tony. – Ela estava rindo agora, e era um som tão bom. Tony sorriu impotente quando ela deu um tapinha em seu ombro, então saltou quando a capa bateu em sua mão.

Ambos olharam para ele. A capa apenas pairou lá, silenciosa e teimosa. Tony teve a estranha sensação de que, se a capa tivesse braços, eles estariam cruzados.

-O que - que diabos - o que foi isso ?! – Tony finalmente gaguejou. -Pep, eu sinto muito. Nunca foi feito isso antes.

-Você não disse que era Strange? – Pepper disse depois de um momento.

-Sim, por quê?

Ela sorriu novamente. -Sem razão. Vamos. Estamos aqui há quase quarenta e cinco minutos. Terei sorte se Tony não me abandonar para ir buscar cheeseburgers.

-Certo. – Disse Tony. Ele não achava que fosse provável. Ele franziu a testa para a capa quando ela voou de volta para ele e se acomodou em seus ombros. Ele teria que perguntar a Stephen se era comum a capa fazer coisas assim, ou se isso era um sinal de que havia algo errado com ela.

Ele desceu a prancha atrás de Pepper e descobriu que sua suspeita estava totalmente correta. Não havia sinal de Peter ou Stephen, mas Stark e Rhodey estavam ambos esparramados em sofás dentro do prédio do aeroporto. Stark saltou no instante em que Pepper fez sua aparição, caminhando rapidamente até ela e envolvendo um braço em volta de seus ombros. Rhodey revirou os olhos para eles.

-Peter foi embora. – Stark disse, falando mais com Pepper do que qualquer outra pessoa. -A tia dele estava pirando.

-Não estou surpreso. – Disse Tony suavemente. Eles estiveram fora de Nova York por mais de dois dias, e Peter teria ficado completamente fora de contato enquanto eles estavam no espaço. Isso, mais a filmagem que teria sido transmitida da invasão alienígena, daria a qualquer um motivo para pirar.

-Vocês se importam se eu for com vocês? – Rhodey disse, sentando-se. -Com o que quero dizer, diga-me agora se vocês vão passar o caminho de volta e se olharem arregalados. E, especialmente, diga-me agora se você vai ficar brincalhão. – Ele fingiu estremecer. -Já vi o suficiente para uma vida inteira e prefiro pegar um táxi de volta.

-Isso não vai acontecer! – Pepper disse, corando levemente.

-Certo. – Disse Rhodey com ceticismo. -Isso ... não é muito convincente, Pep.

Assistir Pepper e Stark gaguejar e evitar olhar um para o outro foi divertido, mas Tony se viu distraído. Ele olhou ao redor da pequena sala como se Stephen pudesse se materializar de repente, mas não havia sinal dele. Queria perguntar se Stephen já tinha saído, mas não conseguiu fazê-lo por medo de que a resposta pudesse ser sim. Se Stephen tivesse partido sem ele, isso significava -

Bem, Tony não sabia exatamente o que significava. Mas ele sabia o suficiente para saber que não poderia ser bom. Seu estômago se contraiu em uma nova onda de pânico quando percebeu que esta era a primeira vez que ele estava fora da vista de Stephen desde que ele voltou do futuro. Quando ele estava no jato falando com Pepper, não parecia tão ruim. Ele sabia - pensava - que Stephen estava lá fora, dando-lhes um pouco de privacidade.

Mas talvez Stephen tivesse mudado de ideia sobre Tony vir para o Sanctum. Talvez ele tivesse decidido que estava melhor sem Tony, e que Tony poderia se virar com Stark, Pepper e Rhodey. Talvez ele tenha pensado que Tony deveria ir para a torre em vez disso. Ele não poderia saber que apenas o pensamento de ir para a torre fez um suor frio brotar do corpo de Tony. Ele não estava pronto para isso ainda.

Ele deve ter feito algum tipo de som, porque Rhodey se virou para ele. -Tony? Você está bem?

-Tudo bem. – Disse Tony, ou tentou dizer. O futuro estava simplesmente aberto diante dele como um abismo gigantesco e vazio, e não havia nada o prendendo ao chão. Sua respiração ficou curta.

-Tony, ei. – Disse Rhodey, a expressão mudando para preocupação.

Tony acenou para ele, cerrando os dentes. -Não é nada, eu- – Sua desculpa morreu sem voz quando a porta mais distante se abriu e Stephen entrou. Pepper, Rhodey e Stark caíram quando Stephen viu a cena, uma carranca cruzando seu rosto. Tony nunca tinha ficado tão grato por ver alguém em sua vida.

-Certo. – Disse Rhodey lentamente. -Vamos apenas - vamos lá fora. – Ele conduziu Pepper e Stark para fora, olhando para trás e para frente entre Tony e Stephen por todo o caminho.

-Você está bem? – Stephen perguntou quando eles estavam sozinhos. -Você está muito pálido.

-Estou bem. – Tony mentiu, o pânico ainda fazendo seu coração bater muito rápido. -Eu só ... pensei que você pudesse ter ido embora.

-Eu estava pensando nisso. – Admitiu Stephen, e Tony estremeceu. Stephen não pareceu notar, acrescentando: -Não tinha certeza se você gostaria de voltar para o Sanctum comigo agora que sabe que seus amigos estão dispostos a ajudá-lo. A Sra. Potts poderia ajudá-lo muito mais do que eu.

-Não é um ou outro. – Disse Tony. -Eu posso ir com você e ainda ter a ajuda dela. A menos que ... se você quiser rescindir sua oferta, eu entendo.

Stephen olhou para ele. -Você sempre será bem-vindo no Sanctum, Tony. – Disse ele simplesmente, como se as palavras não socassem Tony no estômago como um golpe. Ele esfregou a mão no rosto e suspirou. -Me perdoe. Eu sei que não é da minha conta. Mas costumávamos nos mover em círculos sociais semelhantes, e eu acompanho os Vingadores nas notícias há um tempo. Eu sei que você e a Sra. Potts estavam namorando, e que você sentiu muito a falta dela depois que ela morreu. Achei que você gostaria de ter tempo para voltar com ela.

Tony ficou imediatamente emocionado e frustrado. Ele balançou sua cabeça. -Não. Isso nunca vai acontecer entre mim e Pepper.

-Mesmo? – Strange pareceu surpreso e ... satisfeito? Isso não poderia estar certo.

Poderia?

Perturbado, Tony baixou o olhar. -Sim com certeza. Posso parecer Stark, mas não sou ele. Sem querer descontar o que passamos, mas passei por muito mais do que ele. Quando olho para ele, é como olhar para um estranho. Além disso, eu amo Pepper, mas não estou mais apaixonado por ela. E mesmo se eu fosse, não funcionaria. – Ele fez uma pausa e acrescentou: -Além disso, não acho que poderia fazer isso com Stark.

-Entendo. – Stephen disse lentamente. -Mas eu entenderia se você quiser ir com eles. Eles são seus amigos, e você os perdeu.

-Eu fiz, mas eu sei que eles estão lá. Prefiro ir com você. – Disse Tony, forçando-se a olhar Stephen diretamente nos olhos. Ele não queria gastar mais vinte minutos dançando em torno do óbvio. Ele estava cansado e queria ir para casa dormir um pouco.

Stephen sorriu. Isso fez seus olhos brilharem, as linhas de cansaço desapareceram, quando ele ofereceu o braço exatamente como fazia quando estavam em Wakanda, e desta vez o coração de Tony palpitou por um motivo totalmente diferente. Ele não sabia dizer se Stephen tinha ciúmes de Pepper ou se suas motivações eram puras e ele estava apenas sendo atencioso. Ou talvez fossem os dois, embora Tony provavelmente não tivesse tanta sorte.

Ele deu um passo à frente e segurou o braço de Stephen, sentindo-se imediatamente mais relaxado. Stephen abriu a porta e eles entraram. O ar frio da noite de Nova York o fez estremecer, e ele estava grato tanto pela capa sobre os ombros quanto pela presença de Stephen ao seu lado. Stark, Pepper e Rhodey olharam para trás quando a porta se abriu, então Tony estava em uma posição perfeita para ver o sorriso nos rostos de Rhodey e Pepper e o olhar pensativo nos de Stark. Mas ele fingiu não notar, porque seus amigos às vezes podiam ser implacáveis.

-Suponho que você não vai me ajudar a manter o flerte entre esses dois no mínimo. – Disse Rhodey.

-Desculpe, querida, você terá que cuidar disso você mesmo. – Tony disse com um sorriso. -Eu, uh, não tenho um telefone celular, mas -

-Você pode ligar para o meu. – Disse Stephen, tirando um cartão de visita do bolso. Ele o passou para Pepper, que o aceitou com um aceno de cabeça. Tony se perguntou o que aquilo dizia. Dr. Stephen Strange, Sorcerer Supremo? Que tipo de slogan você usaria?

-Vamos passar a noite para você um telefone e um cartão de crédito. – Disse Pepper. -Não consigo imaginar um Tony Stark que fique sem tecnologia por muito tempo.

Tony sorriu com isso. -Eu tenho meus métodos. – Disse ele, batendo no reator. Mesmo com capacidade de processamento limitada, o JARVIS pode chegar a praticamente qualquer lugar. Tony estava ansioso para deixar JARVIS cravar seus dentes na SHIELD. SEXTA-FEIRA tinha feito o seu melhor e Tony lhe deu elogios por isso, mas JARVIS estava intimamente familiarizado com os firewalls e servidores lame da SHIELD.

-Vocês precisam de uma carona? – Stark perguntou.

-Nós temos um. – Stephen disse, levantando suas mãos. Tony achava que nunca se cansaria de vê-lo usar magia. Os dedos de Stephen eram tão graciosos, fluindo sem esforço de um movimento complicado para o próximo, sem pausa. O portal se abriu diante deles, mostrando o salão principal do Sanctum. Os olhos de Pepper e Rhodey ficaram pasmos, enquanto Stark apenas inclinou a cabeça; ele tinha visto os portais antes.

-Te vejo mais tarde. – Disse Tony com uma piscadela, avançando ao mesmo tempo que Stephen. Eles passaram pelo portal juntos. Tony se virou, tendo uma última visão de seus amigos espantados, antes que o portal se fechasse e ele ficasse apenas com o leve cheiro de fumaça para saber que ela havia estado lá.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...