História Scary Love. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Personagens Originais
Tags Casnath, Yaoi
Visualizações 29
Palavras 851
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


essa ideia para minha fanfic chegou agorinha,preenchida por todas as músicas indiezeiras possíveis.
Não pude deixar essa ideia sumir de repente,e a escrevi logo.

Capítulo 1 - -prólogo.


-O que você pensa sobre tudo isso?

A porta do porão estava trancada, e duas pequenas almas estavam presas lá.  

O alourado o olhou de forma amistosa, como se fosse realmente próximo do mesmo. Sempre procurando poder ler o que se mostravam além de irritação nos espelhos que seus olhos são. Ser amigável era algo totalmente difícil com ele, mas Nathaniel se esforçava. 

-Quem se importa. 

Mas claro, estamos falando com Castiel. O próprio poço de desconfianças, e cúmulo de rancores já passados e não superados. Seu pé batia freneticamente no chão, indicando que estava ficando ansioso. 

Sempre faz isso quando necessitava de um cigarro. 

Nathaniel pensava no que dizer, o ruivo sempre fora alguém difícil, e todos os movimentos dele eram muito conhecidos pelo alourado. 

-Você não pode fazer isso. - O loiro disse, em um tom que esperava um pouco de compreensão da parte do outro. Castiel queria fumar, mas o cheiro e a fumaça deixavam Nathaniel enjoado; todos temos de concordar. Cigarros fedem. 

-Oh, perdão meu caro! - Castiel o encarou, depois de muito encarar as caixas empoeiradas e as teias de aranhas daquele porão. Debochar com a cara do outro era tudo que fazia de melhor.- Não sabia que além de estar preso num porão junto a você, tenho que fazer o que manda! 

Nathaniel inflou as bochechas logo as tocando, quando ficava sem graça, ou começava a ficar irritado ficava vermelho. E não conseguia evitar de encher as bochechas, revirar os olhos ou até mesmo, tinha vontade de bater os pés contra o chão. 

Forçou-se a responde-lo de forma mais educada possível, não querendo perder o controle de suas emoções. Sentou-se no chão, cruzando as pernas logo falando: 

-Não é isso! Mas você poderia ser um pouco mais compreensivo, não? - Gesticulou com os o polegar e o dedo indicador ele sinalizou uma separação entre eles, uma separação pequenina. 

Castiel bufou, o ignorando. Falando mais para si mesmo no quão precisava relaxar, colocando os fones nos ouvidos, colocando no volume máximo. Levou suas mãos até o bolço da calça retirando de lá uma cartela de cigarros e um isqueiro transparente. 

De canto de olho viu a cara indignada de Nathaniel e avermelhada, ele estava ficando irritado. 

-Você sabia que isso pode prejudicar sua saúde, não? - Disse o outro vendo Castiel retirar um cigarro de dentro da caixinha contando os outros. -Sua mãe não ficaria contente. Nem todos que se importam consigo. - Castiel parará tudo que estava fazendo para o encarar e escuta-lo melhor. - Sei no quão...- Com brutalidade o ruivo colocou as mãos contra os lábios de Nathaniel,os calando. 

-Não você não sabe!- Ele vociferou irritado. -Não sabe no quão fodido é sentir culpa, não ser amado de verdade, e não ter ninguém que te chame de importante na própria vida. - Ele continuou a pressionar sua mão contra a boca do outro, sem nunca desviar os olhares. - Não compare sua vida boa, com a minha. 

Nathaniel o encarou agora, com um olhar mais gélido e irritado. Retirou as mãos do outro de seus lábios, e pôs-se a falar. Vendo a cara surpresa de Castiel pelo ato e olhar. 

-Primeiro, fui seu primeiro amigo, como não saberia sobre isso?Segundo, tudo no qual falei sobre sua saúde foi por me preocupar. Não percebe? - Sua respiração ficou descompassado tamanho nervosismo. - Eu não diria aquelas coisas por livre e espontânea vontade. E terceiro... - Seu tom, ficou bem baixinho, como se Nathaniel o contasse um segredo, chegando bem perto de sua orelha. - Você realmente não deveria comparar sua vida com a minha, se você soubesse todas as verdades, choraria junto a mim. 

E silêncio. 

O alourado respirava com dificuldade e estava muito vermelho, saiu de perto de Castiel e direcionou-se até umas das paredes geladas daquele porão. Sentiu vontade de chorar, sem motivo. Estava cansado apenas, mas não gostaria de chorar na frente do outro. 

O nó em sua garganta começará a crescer, e seus olhos a arderem. 

Gargalhou, sorrindo como se estivesse feliz, logo seu rosto se contorceu se tornando infeliz. 

As lágrimas brotaram nos cantos, e escorreram pelo lados de suas bochechas. Nathaniel estava sozinho. Apesar de sua mente sempre ser forte, seu coração era fraco e se quebrava fácil.Ela era sempre tomada pelas suas emoções humanas. 

Sua mente era pedra, mas seu coração vidro. 

Castiel o encarava perdido, se sentindo emotivo. Quis chorar junto, apesar de não estar triste. Nathaniel era tão frágil, e o ruivo tinha medo de falar mais coisas erradas. No quão ‘fodida era a vida de Nathaniel, o ruivo quis saber. 

O mesmo levantou-se, indo para ao lado do loiro que continuava com suas lamúrias. Deslizou e ficou agora, bem perto do outro, sentindo a pele quente e doce do garoto. 

Queria poder fazer algo, talvez rasga-lo até os ossos para ele ter uma paz, ou cuidar dele. 

E por impulso dos pensamentos, Castiel retirou as mãos do loiro que escondia seu rosto, dizendo de um jeito calmo para o outro: 

-Olá... - Nathaniel fungou, e o ruivo respirou fundo. - Bem vindo ao lar. 

 


Notas Finais


pode tá uma merda,mas eh por que eu escrevi correndo antes que a ideia sumisse.
bom dia,ou boa madrugada,boa noite,boa tarde.Passar bem e aceitem esses beijos que vós os envio via sedex!!!1!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...