1. Spirit Fanfics >
  2. School II >
  3. Fuck!

História School II - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Peço perdão por aqueles que se decepcionaram por eu não postar nos últimos. Todas as postagens ocorreram aos domingos, porém, nem todo domingo terá capítulo.

Pessoa que está me hateando (e mto provavelmente criando perfis alternativos para me hatear), essa é a última vez que lhe dirijo a palavra: VAI LER OUTRA FANFIC QUE LHE AGRADE, eu (e aposto que NINGUÉM) não estou te obrigando a ler, vai ler algo que você gosta e me deixa em paz, man. Eu vou dar o destino que eu quiser para as personagens e colocar os casais que eu quiser como eu quiser. Senhô, coisa chata.

Ao demais, boa leitura!

Capítulo 8 - Fuck!


Fanfic / Fanfiction School II - Capítulo 8 - Fuck!

Uchiha Sasuke

 

Fuck!

 

Sábado, 23:55 – Rio Sumida, Tóquio

 

- É só o nome da marca. SS clothing. – Disse quando Sakura se preparou para me dar um tapa por ter dado língua para ela e nem sequer ter respondido à pergunta.

Antes que ela pudesse ter alguma reação, meu celular começou a tocar e eu peguei o aparelho no bolso.

- Quem é? – Sakura perguntou voltando se apoiar na grade e observar a água. – Sua namoradinha querendo saber por que você sumiu?

Franzi meu cenho com a confusão que se formou em minha mente quando li o nome no visor brilhante do telefone.

- Kushina.

- Nossa professora? – Sakura perguntou.

Nossos olhares confusos se encontraram e eu respondi silenciosamente à pergunta não feita sobre a frequência desse acontecimento. Isso não era comum, embora a Uzumaki parecesse nutrir vários sentimentos positivos em relação a mim, ela nunca me ligava, nossa comunicação na escola e as minhas repetidas visitas a casa dela pareciam ser o suficiente para manter nosso bom relacionamento.

Atendi à ligação ainda olhando para Sakura.

- Alô.

- Boa noite, Sasuke, espero não estar incomodando. Queria saber se você está com o Naruto. – Ela falou tranquilamente, mas parecia tentar esconder uma irritação.

Encarei os olhos verdes brilhantes de Sakura que ansiava pelo desfecho da ligação pensando no que responder.

- Sim. Mas ele já está dormindo, quer que eu o acorde? – Mordi o lábio esperando não ser pego na mentira.

- Não precisa. Ah, aquele desgraçado, nem para ligar avisando que não ia dormir em casa. Imagino que vocês dois tenham ido embora antes da confusão. Ainda bem.

- Perdão, que confusão?

- Não ficou sabendo ainda? Houve uma denúncia. Estou na delegacia nesse momento.

- Denúncia?

Sakura se desesperou a minha frente.

- Sim. Alguém denunciou a boate por estar fornecendo bebidas a menores de idade. Vários dos amigos de vocês estão aqui, mas não achei Naruto de jeito nenhum, então como você e Sakura não estão aqui deduzi que estavam juntos. Pelo menos vocês conseguiram se livrar.

- Sim. – Falei pensando sobre quem tanto poderia estar na delegacia.

Será que Ino estava lá?

- Quando ele acordar diga para voltar para casa, já chega de incomodar sua família essa semana. Obrigada, Sasuke.

- Por nada.

- Vou desligar agora, tenho que falar com o policial. Obrigada, Sasuke.

- Tudo bem. Tchau.

- O que aconteceu? – Sakura perguntou imediatamente após eu desligar o celular.

- Alguém denunciou a festa. Aparentemente todos que ainda estavam por lá foram parar na delegacia.

Sakura levou as duas mãos a boca parecendo ainda mais assustada.

- E agora?

- Provavelmente vai fica tudo bem, mas vão ligar para todos os responsáveis. – Disse correndo os olhos pela minha lista de contatos procurando pelo nome de Naruto.

- Se você realmente acha isso, então por que parece preocupado?

Olhei para a menina enquanto esperava que ele atendesse.

- Naruto não estava entre as pessoas. Kushina ligou procurando por ele.

- Merda! – Ela gritou. – Tinha me esquecido completamente. – Disse também começando uma ligação. – Eu estava atrás dele antes de... Hina!

Caixa de mensagens. Não me surpreendi, com certeza Kushina havia ligado para ele inúmeras vezes antes de ligar para mim. Mandei mensagens informando a ele a mentira que havia contado à Kushina e pedindo que ele fosse para a minha casa. E em seguida mandei mensagem para Ino, checando se estava tudo bem com ela.

- Eu sei... eu sei... Eu já tinha ido embora, estou de boa. – Sakura falou dando as costas para mim e se distanciando um pouco. – Preciso que você me diga se encontrou com o Naruto. Você viu ele alguma vez desde que nos separamos?

Iniciei outra ligação.

- Diga! – Kiba respondeu animado e eu logo percebi que ele ainda estava bêbado.

- Kiba, você está com o Naruto?

- Nope. Já disse a Kushina, eu estava com ele até uns vinte minutos antes da polícia aparecer. Fui ao banheiro e ele sumiu.

- Fala baixo! – Escutei uma voz feminina reclamar no fundo.

- Eu estou falando baixo! – Kiba gritou.

- Se você continuar gritando, eu vou bater o carro e matar nós dois!

Desliguei o celular e liguei para Neji. Ele não atendeu, mas quase em seguida recebi uma mensagem dele.

 

Não sei do Naruto.

 

- E aí?

- Ninguém o viu. Ele não está na delegacia, não está em casa, não está com o Kiba, nem com o Neji. Não sei mais onde ele poderia estar. – Disse mordendo meu lábio inferior enquanto pensava em mais possibilidades.

- Talvez ele tenha ido para casa ou para sua casa.

- Espero que para a minha casa, caso contrário Kushina vai saber que eu estava mentindo. – Disse mordendo meu lábio inferior. – Mas é estranho que ele não está atendendo o celular e ele recebeu as mensagens, portanto não está sem bateria. – Disse caminhando em direção a moto.

- Quem sabe ele perdeu na confusão. – Sakura deu de ombros tentando passar tranquilidade, mas ela parecia tensa. – De qualquer forma, melhor voltarmos para casa.

- Sim.

Ao chegar à moto, eu rapidamente coloquei o capacete em Sakura. Dirigi ainda mais rápido que havia dirigido para chegar até aqui. A cada curva fechada, Sakura apertava mais os braços ao meu redor. Era uma sensação relaxante, embora eu estivesse com bastante adrenalina, tanto pela direção quanto por Naruto. Parei em frente ao portão da casa dela e a ajudei descer. Logo estava sentado na moto novamente.

- Hã... O que eu faço com isso? – Ela perguntou com o capacete nas mãos.

- Fica.

- Não acho que vai ser muito útil para mim. – Sakura franziu o cenho daquela forma adorável que só ela conseguia fazer.

- Eu tenho certeza de que vai ser útil. – Sorri e abaixei meu capacete para seguir para casa.

- Sasuke. – A voz de Sakura estava séria e eu me senti obrigado a encará-la novamente, abrindo o visor.

Não era exagero dizer que eu achava os olhos de Sakura os mais lindos que eu já tinha visto, mas particularmente nesse momento, nessa noite, eles estavam ainda mais brilhantes realçando mais e mais sobre a pele alva. A maquiagem forte provavelmente ajudava.

- Sakura. – Chamei no mesmo tom quando percebi que ela não iria continuar sem um incentivo.

- Obrigada. Por me salvar. – O vento agradável da primavera correu pela rua vazia balançando os cabelos rosados. – E por não fazer perguntas.

Demorei pelo menos uns dois minutos para me livrar das garras do olhar verde em tom perfeito para combinar com a estação.

- Sempre ao seu serviço. – Disse por fim e não esperei por uma resposta.

Não queria o risco de perder mais alguns minutos aprisionado pelo olhar meigo.

Sakura morava a seis ruas de distância de mim, portanto não demorei nem dez minutos para chegar em casa. Não me surpreendi por Naruto não estar lá, mas fiquei ainda mais nervoso. Onde ele havia se metido? Mais uma ligação na caixa de mensagens. Mais mensagens ignoradas. Nem Ino havia respondido.

Grunhindo de raiva, desisti da atividade improdutiva e resolvi subir para tomar um banho e talvez melhorar meu humor. Funcionou parcialmente, mas ainda estava incomodado com a ausência de respostas vindo do idiota. Isso não era nada normal.

Deitei na cama para dormir e apesar do cansaço, tudo que consegui foi ficar girando de um lado para o outro, até desistir de vez e ligar a tv para assistir the witcher. Em um intervalo entre quatro e cinco da manhã apaguei.

- UCHIHA SASUKE!

Pulei da cama sentando rapidamente.

- Mãe! Você quer me matar? – Perguntei tentando acalmar meu coração que parecia querer saltar do peito.

- Você que quer me matar. Como você ousa pegar as chaves que eu escondi e sair naquela... Coisa! – Olhei para o relógio ao lado da cama. Sentia que tinha fechado os olhos por alguns segundos e logo ela havia invadido meu quarto. Mas me enganei. 9h23. – Não avisa para onde vai, ignora minhas mensagens. Eu não consegui dormir até você voltar. Chega dessa sua rebeldia, você não pode fazer o que quer quando bem entender. – Disse puxando o cobertor quando tentei voltar para cama. – Você está de castigo, está me ouvindo? Castigo!

- Tudo bem. Acho que mereço. – Falei desistindo da ideia de voltar a dormir e procurando meu celular pela cama.

Achei embaixo de um dos travesseiros. Várias mensagens, várias notificações, mas nenhuma de Naruto.

- É claro que merece. – Disse cruzando os braços.

Observei a mulher em frente em a minha cama. Minha mãe parecia mais nova do que muita adolescente por aí. Os cabelos negros estavam soltos e ela usava brincos de pérolas. O vestido creme com um decote sugestivo, embora comportado ia até os joelhos. Como sempre ela estava impecável e ainda que fosse nove horas da manhã, ela já tinha um salto de modelo nos pés. A expressão irritada definitivamente não lhe caia bem, sequer combinava.

- Mamãe. – Chamei observando atentamente a feição brava se tranquilizar conforme a pose ia sumindo. – Eu sinto falta das suas panquecas.

Vi quase em câmera lenta a Uchiha a minha frente engolir em seco e desviar o olhar.

- Você não está merecendo.

- Mãe, eu só peguei a moto para distrair a Sakura um pouco. Ela estava muito triste ontem à noite. – Falei me movendo lentamente para mais perto dela, sem sair da cama.

- Você saiu sozinho com a Sakura? – Ela me olhou assustada. – Mas e a Ino?

- Ino e eu não estamos muito bem. Acho que vamos terminar. – Fiz uma expressão triste.

Ino e eu provavelmente já estávamos perto de terminar, portanto era melhor preparar minha família para a notícia.

- Por quê? Não, não. Eu gosto tanto dela.

- Acho que ela está me traindo. – Disse olhando para o chão.

Minha mãe arfou de surpresa e se apressou para me abraçar.

- Ah, meu amor. Eu sinto muito. – Ela passou uns cinco minutos me abraçando e eu não reclamei. Na verdade, estava confortável nos braços de mamãe, até havia esquecido de Naruto. – Vamos fazer o seguinte, você vai se lavar, vestir uma roupa e quando você descer, terá um banquete de panquecas lhe esperando. Que tal? – Disse segurando meu rosto entre suas mãos delicadas para olhar em meus olhos e eu assenti. Ela depositou um beijo em minha testa antes de me deixar sozinho no quarto.

Chequei o celular mais uma vez antes de obedecê-la, Ino havia respondido a mensagem dizendo que já tinha saído da festa quando polícia chegou e Sakura havia me mandando alguns links de sites que haviam noticiado a operação policial na affair, fui marcado em algumas postagens no instagram e facebook, mas não havia nada que ligasse o escândalo a mim.

Duas horas depois, quando eu estava na esteira, recebi uma mensagem de Naruto dizendo que estava tudo bem, mas ele ignorou todas as minhas ligações e perguntas, o que me fez ter certeza de que ele não estava bem.

 

~~~

 

Segunda, 08:10 – Konoha Private School

 

Eu havia tentando me atualizar sobre as consequências da festa que havia terminado de maneira complicada pelos sites, mas devido ao fato de se tratar de menores de idade, não haviam nomes e isso era exatamente o que eu queria saber. Tudo que havia sido informado era o nome do clube que seria fechado indeterminadamente devido ao fornecimento de bebidas a menores de idade. O fato de que se tratava de um ambiente frequentado por pessoas economicamente favorecidas também foi citado em diversas reportagens.

O PrivatEye citou alguns nomes, mas nenhum deles foi surpresa para mim. Inuzuka Kiba, Hyuuga Neji, Hyuuga Hinata, Hyuuga Hanabi, Uzumaki Karin, Otsutsuki Toneri, Mitsashi Tente, Aburame Shino... Eles também postaram uma montagem com fotos de mim, Ino, Sakura e Naruto comentando que não estávamos entre os levados à delegacia.

Mas só ao chegar no colégio, notei o impacto das notícias, os alunos estavam eufóricos e animados, apontando e sorrindo de notícias e postagens em seus celulares, pequenas panelinhas foram formadas apenas para a fofoca.

Aproveitei os momentos que tinha antes que os olhares caíssem sobre mim como de costume para observar toda a movimentação atípica. Até agora nada havia sido comentado sobre quem havia organizado toda a festa, mas acho que estava bem claro que seja lá quem fosse, provavelmente foi a mesma pessoa que denunciou o evento. E o motivo era consideravelmente óbvio. Virar os alunos da escola quanto a aqueles que sempre tiveram a atenção de todos.

Até semana passada todos estavam comentando sobre a roupa da Ino, as botas de Sakura, sobre como Kiba havia sido fofo com a Hinata e principalmente, todos queriam ser um dos poucos que receberam o convite negro. Hoje todos estavam aliviados por não terem ganhado nenhum convite e principalmente, estavam comentando sobre como é vergonhoso esse escândalo e como mancha a reputação do colégio, como se eles não fossem fazer o mesmo na primeira oportunidade.

Tch. Quanta hipocrisia.

Andando pelos corredores até a sala e finalmente chamando a atenção rotineira, não pude deixar de escutar comentários como “ele com certeza deve ter pagados milhões para que não deixasse escapar o nome”... “Sim e a Ino ainda mais para não danificar a aparência dela de namoradinha do Japão.”

Respirei fundo ignorando os comentários e subi as escadas encarando feio todos que ousassem olhar em meus olhos e hoje as pessoas estavam particularmente mais audaciosas. Devo confessar que quem arquitetou todo esse plano merecia parabéns. Havia funcionado.

Ao chegar no corredor do segundo ano, vi um Naruto desanimado escolhendo dentre os livros em seu armário.

- Ei, tá tudo bem? – Perguntei me aproximando e assim que o primeiro som saiu pela minha boca Naruto ficou tenso e travou no lugar me olhando assustado.

- Claro, por que não estaria? – Perguntou com um sorriso amarelo e enfiando a cara no armário.

- Você meio que sumiu... Por horas...

- Ah, aquilo, não foi nada. Tava com... Uns amigos... Não estava prestando atenção no celular.

Mentira. Naruto era péssimo em mentir, especialmente para mim. Mas mais do que isso, Naruto não mentia. Ele sempre falava a verdade, ainda que fosse uma verdade que não o favorecesse e que ninguém quisesse escutar. Fazia parte de sua natureza.

- Então tá. – Disse desistindo e sabendo que mesmo sem que eu insistisse ele provavelmente se sentiria mal demais para continuar com a mentira por muito mais tempo e provavelmente viria falar comigo eventualmente.

- Hey! – Hinata falou animada ficando ao meu lado e embora eu soubesse que o hey havia sido para nós dois, ela olhava somente para Naruto.

A Hyuuga tinha um sorriso amigável no rosto e segurava as alças da mochila roxa demonstrando certa animação e pela maneira como sua mão subia e descia pela alça, ela provavelmente também estava nervosa.

Havia acontecido alguma coisa entre eles dois?

Quando Naruto paralisou ao vê-la, a morena experimentou se aproximar dele e tocar em seu ombro.

- Tudo bem? – Perguntou ainda sorrindo e a reposta de Naruto foi deixar a mochila onde antes ele colocava os livros ir de encontro ao chão, acertando os próprios pés.

O loiro ficou levemente vermelho e logo abaixou-se para pegar o material e Hinata o ajudou enquanto eu olhei ao meu redor envergonhado com aquela espécie de interação social que claramente não estava indo muito bem. Quando os dois se levantaram novamente a Hyuuga tentar novamente.

- Então... – A Hyuuga começou nervosa e isso pareceu deixar Naruto extremamente desconfortável já que ele começou a procurar por nada dentro de seu armário. – Eu queria conversar com você rapidinho. – Disse carinhosa.

Mas mesmo com o tom adorável, ela agiu “errado” já que a reação de Naruto foi apoiar-se no divisor superior do armário que virou deixando tudo que ele suportava cair em cima do loiro e seguindo para ao chão.

Por sorte não era muita coisa e não demorou muito para que o Uzumaki jogasse o casaco e os dois livros de literatura de volta no armário, bem como o suporte e o fechasse rapidamente em seguida.

- Quando você abrir novamente vai cair tudo. – Hinata falou preocupada com o barulho das coisas se apoiando na porta.

- Tu-tudo bem. – Naruto falou sorrindo sem graça. Ele estava incrivelmente vermelho. – Então você quer falar comigo? Claro, vamos tomar um café, eu pago. Vamos, vem Sasuke. – Ele disse rapidamente se afastando em passos largos demais para alguém que estava andando de costas. – Vamos.

Hinata e eu trocamos olhares apreensivos e depois nos viramos ao loiro novamente.

- Naruto... – Tentei avisá-lo, mas era tarde demais.

- Ai.

- Des... – Ele começou, mas parou assim que viu de quem se tratava. – Hanabi. – Ela virou-se para nós novamente. – Hinata. Uau, vocês são mesmo irmãs, não tem nem como negar.

- Naruto, vamos tomar café juntos. – Hanabi disse animada e começou a puxá-lo pelo braço em direção à cafeteria.

 Ao contrário das outras vezes, dessa vez ela não usou o tom de pedido, apesar de delicado, a frase havia soado mais como uma ordem.

- O que foi isso? – Perguntei confuso quando ele apenas cedeu como se não estivesse falando sobre conversar com Hinata alguns segundos antes.

- Eu não sei. – Hinata respondeu baixinho. – Mas seja lá o que for, não deve ser bom.

Duvidei que estivéssemos falando sobre a mesma coisa, portanto deixei de lado, até porque justo nesse momento, o barulho do salto de Ino conta o chão soou por todo o corredor devido a velocidade e intensidade dos passos.

Adiantei-me para acompanhar a loira que parecia uma pilha de nervos.

- Ei.

- Sem tempo. – Ela disse simplesmente e pelo tom usado eu sabia que ela estava bastante irritada.

- E posso saber o motivo de toda essa pressa?

Ela me olhou rapidamente, a maquiagem que ela usava parecia mais forte que o normal. Apesar do olhar, a Yamanaka me ignorou e apenas seguiu o caminho na mesma velocidade. Curioso para saber para onde ela iria eu a acompanhei. Me surpreendi quando notei que o destino era a sala da diretora. Ino abriu as portas sem cerimônia. E logo passou pela sala de esperas, passando pela porta de vidro sem o menor pudor.

- Eu quero que você volte atrás na expulsão da Tenten. – Disse autoritária cruzando os braços em frente à mesa da diretora.

A Senju olhou para a menina abismada com a ousadia.

- Desculpe, surgiu uma emergência. – Tsunade falou para a pessoa com quem conversava do outro lado da linha.

- Tenten foi expulsa? – Perguntei baixinho para a Ino que me ignorou.

- Yamanaka Ino, em primeiro lugar, você não pode adentrar minha sala dessa forma. – Disse irritada levantando-se de sua cadeira.

- Claro que posso, eu que pago por esse luxo todo. – Fez um gesto indicando um ambiente. – Ou você acha que eu não sei que foi meu pai que pagou pela reforma da sua sala, que aliás, ficou ótima, parabéns.

- Yamanaka, minha paciência com você já está no final.

- Tudo bem, você me garante que vai deixar Tenten voltar e eu saio daqui nesse exato minuto.

- Isso não é uma opção.

- Como não é uma opção?

- Mitsashi Tenten é uma estudante bolsista que teve que mover um professor em horário fora de trabalho para uma delegacia por ter sido encontrada em uma boate noturna sobre o afeito bebidas alcoólicas e outras drogas, portanto por motivos justos ela foi retirada do corpo discente do colégio Konoha Private School.

- Isso é um absurdo. Inuzuka Kiba estava na mesma situação, por que só Tenten é punida?

- Eu não tenho porquê ou motivos para lhe justificar minhas decisões sobre outros estudantes, portanto nossa conversa acabou. Saia daqui imediatamente.

- Eu só saio daqui se... – Ino avançou para a diretora, mas achei melhor intervir segurando a loira pela cintura.

- Ok, calma. – Disse para Ino que se acalmou levemente, porém ainda dirigia um olhar raivoso a Senju.

- Acho que o que Ino quer dizer é que parece injusto que apenas uma aluna bolsista seja prejudicada por situações que ocorreram em horários livres e em ambiente não escolar.

- O comportamento fora da escola também reflete na imagem que passamos. E a questão é que alunos bolsistas não estão na mesma posição em que alunos não bolsistas, pois o colégio está fornecendo um ajuda e não prestando um serviço.

- Tsunade, - sorri tentando fazer uma inquieta Ino sentar-se na cadeira a frente da diretora – nós sabemos que não são assim que as coisas funcionam. – Sentei-me ao lado de Ino segurando a mão dela, pois temia que ela pudesse fazer alguma besteira. – Qual é a real situação para que possamos achar uma situação que melhor agrade a ambos os lados?

A mulher me encarou por breves segundos antes de virar-se para se sentar em sua cadeira bufando.

- Pois bem. Todo o incidente envolvendo a affair club prejudicou bastante a imagem do colégio como vocês podem imaginar e com isso prejudicou também as ações, portanto os donos e acionistas do Konoha estão bastantes irritados com a minha gestão. Eu estou correndo o risco de perder meu emprego e, destarte, tenho que demonstrar que estou lidando com a situação de forma eficiente. Por isso, Tenten, uma aluna em condição de bolsista e abrigada pelo alojamento da escola teve de ser expulsa. Estudantes como Kiba e Shino serão suspensos por uma semana, pois essa não é a primeira vez que eles aprontam. Karin, por sua vez, prestará serviços a escola, pois Minato é o melhor professor de física de Tóquio que ministra aula a escolas e ele ameaçou sair do colégio caso ela fosse expulsa. Como não posso perdê-lo, fiz essa concessão. Sua amiga não se encaixa em nenhuma dessas opções e por isso, não há formas de ela retornar.

Engoli em seco antecipando uma reação ruim de Ino, mas isso não aconteceu, ela permaneceu imóvel ao meu lado. Apenas seu peito se mexia conforme ela respirava. Depois de alguns minutos assim, ela finalmente levantou-se em sua posição de superioridade que lhe era tão natural quanto respirar.

- Ela vai voltar. Ou eu não me chamo Yamanaka Ino. – Dito isso, a loira saiu em passos largos sem se importar com a porta que bateu sacudindo toda a parede de vidro a qual era presa.

Sorri para Tsunade, fiz uma pequena reverência e sai do ambiente.

 

~~~

 

16:40 – Cafeteria, KPS

 

Meiji Shrine

Museu de Fotografia

Senso-Ji

Skytree

Ueno

 

Naruto sentou na cadeira à minha frente fazendo excessivo barulho e virou-se para mim.

- O que você está fazendo? – Perguntou e eu levantei meu olhar sobre os óculos que eu usava.

Observando-o mais de perto, notei que ele estava com olheiras e isso era bastante estranho considerando que Naruto precisava de poucas horas de sono para acordar bem, então provavelmente ele não dormiu quase nada na noite anterior. O cabelo loiro estava espalhado de qualquer forma e ele pareceu tentar acalmá-los com presilhas laranjas para que não caísse sobre os olhos. Além disso, ele usava óculos de grau vermelho que ele quase nunca usava desde que conseguiu as lentes de contato. Naruto não usava o uniforme escolar formal, ele usava o casaco do time completamente fechado e segurava o apoio da cadeira com as duas mãos com uma força claramente desnecessária.

- Nada demais. – Falei fechando a pequena agendinha que comprei hoje na loja do outro lado da rua.

Na verdade, eu estava fazendo uma lista dos principais pontos turísticos para levar Sakura para conhecer Tóquio, mas durante todo o dia Naruto estava apreensivo e tenso. Claramente queria me falar algo, mas até agora não havia criado coragem, embora durante as aulas tivesse passado um bom tempo me encarando enquanto eu fingia não perceber – como se fosse possível não perceber. Além disso, ele completamente sumiu durante o intervalo.

Guardei os óculos e observei o loiro. Hoje ele não usava o uniforme escolar e sim a jaqueta do time e uma calça jeans. Ele balançava as pernas freneticamente fazendo com que a mesa se mexesse de leve. Infelizmente, para a minha agonia, ele havia feito isso durante todas as aulas.

- Eu preciso dizer uma coisa. – Falou, mas logo sua atenção foi voltada para o celular vibrando em sua mão. Ele respondeu a mensagem e jogou o aparelho celular sobre a mesa. Naruto virou-se para mim se aproximou de mim olhando ao redor. Abaixei a cabeça quando ele fez um gesto para que eu me aproximasse e observei ele umedecer os lábios nervoso. – Eu transei com a Hanabi. – Enacarei os olhos azuis procurando sinais de ser uma brincadeira. – Sasuke, fala alguma coisa. – Naruto pediu depois de eu ter passado aproximadamente uns três minutos apenas o encarando.

- Então... Você gosta dela?

- Não. – Naruto apertou os próprios ombros nervoso. – Piora.

- Como?

- Eu não lembro de nada. Absolutamente nada.

- Quê? Então como você sabe que vocês...

- Porque ontem eu acordei na cama dela. Com ela. Completamente pelado. – Minha expressão devia estar o cúmulo da incredulidade. – Piora.

- Como? – Perguntei de novo temendo a resposta.

- Você sabia que o quarto da Hanabi fica de frente para o da Hinata? Então adivinha quem me viu tentando sair de fininho depois de ter passado a noite com a irmã dela?

- Como você ainda está vivo?

- Neji me salvou da fúria dos Hyuugas dizendo que eu fui lá para falar com ele. Como eu não morri de vergonha depois de ver a Hinata hoje? Minha mente ainda está trabalhando nisso.

A vibração do celular de Naruto ecoou pelo ambiente, mais alto do que o normal, por estar sobre a mesa de madeira. Ele pegou olhando do que se tratava e jogou o celular em cima da mesa de novo após checar a notificação e passou as mãos nos cabelos loiros assanhando e puxando os fios.

- E agora a Hanabi age como se estivéssemos namorando e eu não consigo fazer nada a respeito. Ela tentou me beijar umas cinco vezes hoje, inclusive na frente da Hinata. O que eu faço?

- Fala a verdade?

- Ah claro, com certeza vão acreditar em mim.

- Fala a verdade para a Hanabi. Deixa claro que você não quer nada com ela.

- Como eu posso falar isso depois de sábado à noite? Eu sempre achei que a primeira vez seria ruim, mas nunca imaginei que eu não lembraria de nada.

Involuntariamente, bati na mesa.

- Qual a sua última memória?

Naruto pensou um pouco.

- Beber com o Kiba... Não... Dançar com a Hanabi. Ela estava muito bêbada e eu queria tirá-la da festa. Estava com medo dela passar mal.

- Você estava bêbado?

- Definitivamente. Muito.

- Naruto, você, por acaso, cogitou a possibilidade de nada ter acontecido?

- Não. Hanabi se lembra.

- E se ela estiver mentindo?

- Por que ela faria isso?

- Para você ser obrigado a namorar com ela.

- Por favor, Sasuke. Ela é a menina mais bonita do primeiro ano, ela tem praticamente um fã-clube na escola. Por que ela iria querer namorar comigo? Além disso, ela já tinha deixado bem claro que ela gosta de caras ricos como você. – Disse com bastante certeza. – E esse claramente não é meu caso, todo mundo sabe disso.

- Tem algo de estranho nessa história. –  Disse levantando-me rapidamente levando a caneta e a agenda comigo. – Vem.

Segui rapidamente para a quadra de tênis com Naruto na minha cola. Sakura estava na terceira quadra, jogando contra Toneri.

- Uau! – Naruto falou depois de uma jogada belíssima de Sakura.

- Por que estamos aqui? – Naruto perguntou quando prendi meus dedos na grade da quadra.

- Você vai saber. – Disse sem tirar meus olhos da menina.

Sakura se movia com agilidade e delicadeza. Eu não tinha ideia do quão talentosa ela era no tênis.

Logo que nos viu, ela pediu um tempo.

- Fica aqui. – Falei e entrei na quadra indo até Sakura que se secava em uma toalha branca.

- Você fica ainda mais linda do que eu esperava nesse uniforme. – Comentei sorrindo enquanto me aproximava. – Posso falar com você? Em particular? – Disse olhando para Toneri atrás dela que apenas deu de ombros e se afastou.

- Que foi?

- Você disse que o Gaara te drogou para que você dormisse. Quanto tempo você passou desacordada?

- Eu não sei. – Respondeu desconfortável. – Não muito, acordei na mesma noite.

- Como ele fez isso? – Sakura me encarou irritada. – Por favor, é importante.

- Ele batizou a minha bebida. Foi muito rápido para bater o efeito.

- O que você acha que era?

- Não sei. São muitas opções.

- Você acha que dois dias depois seria detectável em um exame toxicológico?

- Provavelmente. Quero dizer, depende da dosagem, obviamente. Mas a maioria das drogas desse tipo são detectáveis em até mais quarenta e oito horas. Sasuke, por que essas perguntas? O que está acontecendo?

- Acho que Naruto foi drogado na festa. – Disse voltando até o loiro que ainda esperava no mesmo lugar. – Por isso ele desapareceu sem responder nada.

- Quê? – Sakura gritou correndo para acompanhar meus passos apressados.

- Vamos! – Disse puxando Naruto em direção a saída da escola.

- Para onde? Temos treino em vinte minutos.

- Não mais. Manda mensagem avisando.

- Sasuke, para onde estamos indo?

- Para o hospital.

 

~~~

 

18:05 – St. James Hospital, Tóquio

 

- Isso é ridículo. – Naruto reclamou pela quinta vez enquanto Izumi se preparava para tirar o sangue dele.

- Será que você pode parar de reclamar por pelo menos cinco minutos? – Falei observando o laboratório em que nos encontrávamos.

- Sasuke, você sabe que isso é um favor que estou lhe fazendo, não é minha função e tem vários outros funcionários a disposição da sua família.

- Precisamente o ponto de eu ter lhe procurado. Gostaria que minha família não soubesse de nada disso. – Disse sentando na cadeira giratória que provavelmente era a cadeira dela.

Vi que a terceira gaveta da mesa tinha uma trava, porém a chave estava na própria fechadura.

- Por que não? – Escutei Izumi perguntar de costas para mim e desviei o olhar para ela brevemente.

- Ah, você os conhece, sabe como eles são insuportáveis e controladores. – Disse abrindo a gaveta.

A minha frente vi Sakura mover a boca em uma pergunta silenciosa.

“O que você está fazendo? ”

Apenas sorri e logo voltei a olhar para dentro da gaveta.

Vários papeis desinteressantes... E então uma foto amassada.

Na foto Itachi beijava os cabelos castanhos de Izumi e ela sorriu alegremente e eu sabia muito bem que a foto havia sido tirada quando Izumi dava aulas particulares para Itachi – como se algum dia ele tivesse precisado. Ela era cinco anos mais velha que ele e eu sabia que eles tinham tido um caso, pois tinha visto eles se beijando quando entrei sem avisar no quarto do meu irmão.

Então ela ainda gostava dele?

Fechei a gaveta rapidamente quando escutei ela retirando o elástico que fazia pressão ao braço de Naruto.

- Mas afinal, qual o motivo desse exame toxicológico?

- Talvez ele tenha sido drogado. – Sakura respondeu folheando uma revista de medicina que estava sobre a mesa. – Você não é nova demais para ser médica?

- Ainda não conclui o curso. – Izumi comentou guardando os materiais que havia utilizado. – Mas já estou praticando, com supervisão. Por isso, isso aqui – ela levantou a pequena ampola de sangue – nunca existiu, ok? Se alguém descobrir, eu estou morta.

- Segredo. – Sakura falou rapidamente.

- Absoluto. – Concordei.

- Quanto tempo para ficar pronto? – Perguntei observando ela abrir a porta para que saíssemos.

- Quatro dias. Eu te ligo. – Disse trancando a sala quando passamos.

- Tudo bem, muito obrigada, Izumi.

- Espero que você nunca mais me peça esse tipo de favor. – Disse e por um instante achei que ela fosse me perguntar algo, mas desistiu, pois apenas se distanciou em passos largos.

 

~~~

 

Terça, 02:18 – Mansão Uchiha, Denenchofu

 

- Sakura! – Naruto gritou por ajuda.

- Tô chegando, aguenta aí.

- Caralho, por que você não tira essa skin? – Perguntei escondendo meu personagem para que tomasse um pouco do suco de limão a minha frente.

- Eu gosto dela. – Naruto desviou brevemente o olhar para mim e me deu língua.

- Então não passa na minha frente quando eu estiver atirando.

- Pronto. Vamos.

- Agora é chefão. – Disse me ajeitando na cadeira para melhor concentração.

- Deixa só meu escudo terminar de carregar... Pronto, bora.

- É o Pyro né? Eu adoro ficar farmando nele. – Sakura comentou enquanto esperávamos pela cena de abertura dele.

Não demorou para que já estivéssemos atirando.

- Naruto, usa os exploits.

- Nossa, já foi tudo isso de vida dele? Facinho.

- Sim, acho que é um dos boss mais fáceis do jogo todo. – Disse usando meu especial em seguida.

- É, mas o loot dele vale a pena.

- O que ele dropa?

- Lendário.

- Massa. Deixa o último hit para... Porra, Sasuke.

- Foi mal, foi mal, eu já tinha jogado quando você falou.

Sakura bocejou alto colocando o controle sobre a mesa do computador após sairmos do jogo e Naruto a imitou.

- Que sono, que horas são? – Disse levantando-se da cadeira e se jogando no sofá onde estava seu celular. – Já são duas e meia da manhã? – Perguntou exasperada. – Que ótimo. – Bufou. – Tenho três horas de sono.

- Então você deveria aproveitar. – Disse me levantando e puxando os braços dela para que ela se levantar do sofá.

- Não, não, não... – Sakura falou manhosa. – Eu vou dormir aqui no sofá.

- Não mesmo. Depois minha mãe descobre que um de vocês dormiu no sofá e me mata. – Disse em mais uma tentativa de puxá-la.

- Quando o casalzinho aí se decidir já vou estar no meu terceiro sono. – Naruto disse se levantando e seguindo para o meu quarto que era separado do cômodo que estávamos apenas por uma porta dupla.

Eu tinha um quarto de jogos, não muito grande, porém muito querido pelo seu dono – eu. A ideia havia sido de Itachi e por isso o quarto ficava entre meu quarto e o dele, porém há muito ele não usava esse ambiente e agora quase todos os pertences do quarto haviam sido escolhidos e comprados por mim.

- Sakura, se você não se levantar em três segundos, eu vou te levar a força. – Em resposta, ela apenas fechou os olhos.

Peguei a menina no colo e segui pelas portas que Naruto havia deixado abertas quando passou para se jogar de qualquer jeito na minha cama. Coloquei Sakura sobre a cama e fui para o meu banheiro fazer minhas necessidades e escovar os dentes.

Quando voltei para o quarto alguns minutos depois as luzes já estavam apagadas e os dois já estavam acomodados confortavelmente sobre as cobertas com o ar condicionado ligado e as cortinas fechadas.

Na casa haviam quartos para colocá-los, mas Naruto nunca dormiu em outro quarto que não o meu, enquanto Sakura ficava chateada por ter que dormir sozinha, por isso sempre acabávamos dormindo todos juntos na minha cama que era grande o suficiente para que tivéssemos espaço ainda assim.

Observei os dois, eles já estavam dormindo, acho que eu também deveria estar considerando que amanhã tem aula, mas eles pareciam tão confortáveis que eu não estava com muita vontade de mexer na cama e acabar acordando eles. Naruto estava com o corpo virado para a cima, enquanto Sakura estava de lado virada para ele com o rosto apoiado no braço do loiro.

Cuidadosamente, me juntei a eles, ao lado de Sakura que resmungou e virou-se para mim ainda com os olhos fechados quando a cama se moveu e o edredom que usava foi levantado para que eu entrasse embaixo dele.

Observei o rosto sereno da Haruno, ela era bonita demais, do tipo que chama atenção em qualquer lugar, parecia que todos os seus traços eram planejados para que ela fosse bela. Querendo admirar melhor sua beleza, retirei uma pequena mecha rosa que caia sobre seu rosto.

Suspirei quando lembrei de suas palavras. Ela sabia de alguma coisa sobre Ino, algo importante que por algum motivo não quis me falar. Sakura não era muito fã da Yamanaka, portanto, eu deduzi que era algo sério e importante. Provavelmente eu realmente deveria seguir seu conselho de terminar essa farsa de vez antes que não possamos colocar um fim que não seja humilhante. Virei-me para encarar o teto do quarto. Não é como se eu não tivesse chegado a essa conclusão sozinho anteriormente.

Só vou esperar o jogo e o desfile passar e então vou conversar com a Yamanaka.

 

~~~

 

Terça (Duas semanas depois), 15:30 – Jardim, KPS

 

- E aí? Como vocês foram? - Sakura perguntou animada se aproximando de mim e Naruto.

Nós estávamos sentados nos banquinhos protegidos pela sombra das arvores na área livre do colégio. Naruto adorava aproveitar todo o tempo do ano que podíamos ficar nessa área da escola antes que as temperaturas caíssem tornando incrivelmente difícil ficar parado em lugares abertos com frequentes correntes de ventos.

Agora mesmo ele estava com os olhos fechados deitado com a cabeça sobre os próprios braços com um pé apoiado no banco enquanto o pendia.

- Um desastre. – Respondeu sem animação.

- Bem. – Falei guardando meu celular que eu estava usando para ler Hajime no Ippo.

- Como você foi um desastre? Nós estudamos tanto. – Sakura falou se sentando no chão na frente do loiro.

- Sendo bem sincero, mal li as questões. – Naruto falou ainda na mesma posição.

Sakura fez um pequeno biquinho e começou a fazer cafuné em Naruto.

- Poxa, mas tenho certeza que você vai conseguir recuperar.

O Uzumaki suspirou alto, mas essa foi toda a reação que conseguiu ter. Sakura continuou a fazer carinho com a mão esquerda, mas também segurou a mão dele com sua mão livre enquanto apoiava sua cabeça na dele.

Não sei o que me fez morder meu lábio inferior, mas quando vi já estava fazendo e eu não entendi o porquê se eu não tinha esse costume.

- Você está tão chateado assim? – Escutei a voz abafada de Sakura perguntar baixinho. – Você não costuma se importar tanto com notas baixas.

- Isso é só mais uma chateação. – Naruto resmungou apertando a mão de Sakura e passou um razoável tempo calado. – Nem sei qual foi a última vez que falei com Shikamaru. Eu sinto falta dele. Sinto falta do nosso grupo completo. Agora Neji está sempre ocupado. Tenten foi expulsa e nem sabemos se ela vai poder voltar. Isso sem citar as merdas maiores que vocês já sabem quais são. Enfim, são coisas demais acontecendo. Demais.

- Chega! – Disse me levantando. – Se você não pode resolver, do que adianta ficar remoendo. Vamos, levanta. Vamos sair.

Naruto abriu um dos olhos se protegendo do brilho intenso do sol com a mão que Sakura não segurava e me encarou sobre os cabelos rosados.

- Sair para onde?

- Qualquer lugar que nos distraia. Acabamos de sair de uma prova, precisamos relaxar um pouco.

- Ele está certo. – Sakura falou encarando Naruto.

O Uzumaki suspirou e sentou-se no banco e eu achei que ele iria dizer sim como de costume, porém, Naruto pegou o celular na mochila ao lado do banco e viu alguma coisa que o fez mudar de opinião. Sua expressão corporal mudou completamente, agora ele estava animado. Até demais. Talvez fosse melhor dizer que ele estava eufórico.

- Hoje não vai dar. Mas deveríamos sair para nos divertir, só temos saído para estudar. – Naruto falou ajeitando o uniforme e saindo rapidamente. – Até mais. – Disse quando já estava correndo.

Sakura me encarou confusa e eu dei de ombros.

- Parece que somos só nós dois. – Disse por fim.

- Sim. De qualquer forma, o lugar que eu tenho em mente era mais para você mesmo. – Disse sorrindo e pegando minha mochila e ajudando Sakura a se levantar.

Observei ela bater a sujeira da roupa e nos adiantamos para a saída do colégio.

- Mas afinal, para onde vamos? – Perguntou assim que chegamos ao corredor que nos levaria a saída, após termos passado em nossos armários para nos livrar dos materiais e para que eu pegasse o capacete extra.

Me inclinei para me aproximar mais dela.

- Que tal você descobrir só quando chegarmos? – Sorri.

Observei com atenção os músculos faciais da menina se moverem para formar um sorriso. Eu adorava o pequeno barulhinho que ela fazia cada vez que ela fazia esse sorriso e por isso fiquei bastante irritado quando esbarraram em mim e eu desviei minha atenção.

- O que foi? – Sakura perguntou olhando na mesma direção que eu olhava após eu ter parado no meio do corredor e ter começado a encarar a direção oposta para que seguíamos.

- Nada. – Falei sorrindo para a Haruno.

Mas ainda assim lancei um último olhar ao menino que havia esbarrado levemente e brevemente em mim. Algo na maneira como ele se andava me era familiar, mas o mais estranho é que ele não parecia estudar aqui ou pelo menos, ele não estava usando uniforme. Não havia sequer uma parte do seu corpo que não estivesse coberta com roupas escuras, até o cabelo estava completamente escondido pelo capuz negro.

Desisti de tentar identificar o motivo da familiaridade quando Sakura segurou minha mão chamando minha atenção para o fato de que já estávamos saindo do colégio, quando ela fez menção de seguir para a área em que costumávamos ser buscados pelos motoristas eu a puxei pelo estacionamento que devido ao tamanho da escola, gerava uma razoável caminhada.

- Qual era o seu plano para o caso de o Naruto ter vindo conosco? – Perguntou colocando a jaqueta que roubei do guarda-roupa da minha mãe.

- Nesse caso iríamos de carro e eu mandaria alguém vir buscar a motor e deixar na minha casa. – Disse subindo na moto.

- Você é muito prevenido. – Sakura falou e seguida colocou seus braços ao meu redor.


Notas Finais


Por mais queridinhos que me deixam comentários construtivos:
+ KaliiOliveira
+ saituki
+ Everest612
+ SrtaPatinhas
+ N_DirtyMind
+ GiovannaRiddle
+ DannSara
+ Gabitch17

Muito obrigada, de verdade.

Beijinhos, meow meow <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...