História School Of Mutants. - Capítulo 54


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Escola De Mutantes, Mutantes
Visualizações 4
Palavras 1.033
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Sci-Fi, Seinen, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


TÁ DE VOLTA O REI CARAI

desculpa a demora pra postar, bloqueio criativo é foda ;-;;

Capítulo 54 - Treinamento dos Yanamoto.


                                                  = Autor POV =

 

Horas se passaram após o ataque do clã Toki e os moradores da vila Yanamoto estavam um pouco mais calmos, nenhuma vida foi tirada durante o incidente. Enquanto isso na casa dos pais de Katsuo, todos estavam em volta da mesa de jantar, conversando. A tal ponto, os Yanamoto já sabiam do falecimento de Takashi, e por esse motivo, o clima na casa estava com um tanto quanto pesado e triste.

 

-Bom, Katsuo... – Hizumo tentou puxar assunto, enquanto Michiko, a mãe de Katsuo, preparava o jantar junto de Samy. – Por que a visita tão repentina?

 

-Eu preciso da sua ajuda. – A feição do ruivo estava séria, o que deixou seu pai um pouco preocupado. – Você já deve saber sobre o ataque da escola…eu poderia ter sido mais útil se fosse mais forte, por isso, vim pedir a sua ajuda.

 

-Você quer um treino, é isso? – O grisalho abriu um sorrisinho, enquanto se ajeitava na cadeira. – Como nos velhos tempos...

 

-Nós não temos muito tempo, pai, eu preciso treinar pelo menos por uma semana ou menos.

 

-Por qual motivo, exatamente? – Desta vez, Hizumo mantinha uma expressão curiosa em seu rosto.

 

-Vamos ressuscitar o Takashi na Noruega. – Aquela frase fez seu pai arregalar os olhos, e é claro, sua mãe também ouviu, e todos perceberam depois de Samy e ela pararem de conversar imediatamente.

 

-C-Como...? – O líder Yanamoto abriu um sorriso forçado, com a testa franzida. – Na Noruega?

 

-Sim...algum problema? – Perguntou o mais novo, enquanto ajeitava seu cachecol apurpurado.

 

-Eu não estou dizendo que você é fraco, mas.... – Hizumo desfez o sorriso e sua voz estava mais séria do que antes. – Lá vocês vão encontrar pessoas com poderes monstruosos, então é bom que treinemos intensamente para você chegar ao nível deles, e isso serve para os seus amigos também.

 

-Entendo... – Katsuo abaixou a cabeça por um momento, mas logo a levantou novamente. – Então vamos ficar aqui por um mês.

 

-Hora de comer! – Disse a mãe de Katsuo, enquanto colocava as coisas na mesa. – Katsuo, vai pegar o resto com o Hayato.

 

-Certo... – O ruivo se levantou preguiçosamente, indo até a cozinha.

 

Durante a refeição, o clima mudou totalmente, todos riam e conversavam tranquilamente.

 

-Então, Katsuo e Samy...! – Hizumo chamou dos dois jovens ruivos. – Quando vocês vão nos dar netos?

 

Ao ouvir aquilo, Katsuo quase se engasgou com a comida. Já Samy, apenas ficou em silencio, tão vermelha quanto o seu cabelo.

 

-P-Pai...eu já falei pra não dizer esse tipo de coisa na mesa... – Katsuo desviou o olhar, enquanto tentava esconder seu constrangimento.

 

-Eu to brincando! – Ria ele, enquanto batia na mesa. – Bem, de qualquer forma, é muito bom saber que meu filho finalmente tomou coragem e conseguiu uma namorada!

 

-Se casem logo, hein. – A mãe de Katsuo também entrou na brincadeira, deixando tudo ainda mais cômico. – Vocês são o casal perfeito!

 

-Tá, eu concordo e tudo mais...mas dá pra pararem...? – Até certo ponto, o jovem demônio já queria enfiar sua cabeça em um buraco.

 

 

                                        = Katsuo Pov - No dia seguinte... =

 

-Levantem, seus vagabundos, hora de treinar! – Meu pai gritava no corredor, acordando a todos.

 

-Seu pai tá empolgado.... – E é claro, ele acordou a ruiva que dormia tranquilamente ao meu lado.

 

-É... – Eu soltei uma risada abafada, enquanto abria os olhos lentamente, me deparando com aquele belo rosto, iluminado pela luz do sol. – Bom dia.

 

-Dia... – Ela bocejou, enquanto se levantava.

 

-Vai aonde? – Perguntei com curiosidade.

 

-Vou pra cidade com a Hina e a sua mãe. – Respondeu ela, indo até o banheiro.

 

-Saquei... – Preguiçosamente, me inclinei para agarrar minha regata, que estava pendurada no cabide atrás da velha porta de madeira. Após vesti-la, fui até o banheiro, onde Samy estava se arrumando.  – Bom...eu vou treinar, bom passeio.

 

Me despedi da ruiva, lhe dando um selinho, e assim, fui até o campo de treinamento. Quando cheguei lá, estavam meu pai, Hayato, e meu tio, lado a lado.

 

-Onde estão os outros...? – Arqueei a sobrancelha direita, enquanto me alongava.

 

-Eu mandei uns amigos para treina-los, espero que não se importe. – Respondeu meu pai.

 

-Ah, tá de boa. – Olhei brevemente para o céu, e depois voltei a fita-los. – Talvez seja até melhor assim...

 

-Bom...podemos começar? – Meu tio perguntou com um sorriso de canto. Eu assenti com a cabeça, prontíssimo. – Hayato me disse que você perdeu uma batalha e quase morreu porque se deixou levar pelo ódio...estou correto?

 

-Infelizmente sim, tio Gintoki.

 

-Pelo visto, seu oponente foi mais inteligente que você e te desestabilizou... – Meu pai se intrometeu, enquanto se aproximava.  – Numa batalha, nunca perca a calma...o ódio pode te levar à derrota.

 

-Vamos começar logo, seus velhotes...! – Hayato sacou sua espada e avançou contra mim. Rapidamente, invoquei a minha espada, iniciando um árduo duelo. – Vamos lá, Katsuo! Você não quer ressuscitar seu irmão?!

 

Eu tentei manter a calma naquele momento para não fazer besteira e perder logo de começo.

 

-Eu não vou perder pra você, Hayato! – Com minha perna direita, chutei suas partes baixas sem que ele esperasse, e em seguida, chutei seu rosto com a esquerda, o lançando contra algumas árvores.

 

Assim que o chutei, alguém me agarrou pela cabeça e me levou ao chão, me eletrocutando. Pela silhueta, pude perceber que era o meu tio, ele era chamado de Senhor do Trovão por todos da vila, de tao habilidoso. Depois de minutos, a descarga elétrica foi encerrada.

 

-Hizumo! – De repente, meu pai veio de cima, socando meu abdômen com muita força. – Não pense que iremos pegar leve, moleque.

 

-Não adianta ter muitas transformações se você mal consegue derrotar um alemão em sua forma original, aprenda isso! – Gritou meu pai, enquanto eu era misteriosamente pressionado no chão, criando uma cratera.

 

-E-Eu...eu desisto!!! – Me rendi sem pensar duas vezes, mais um pouco e eu podia morrer.

 

-Que decepção... – Gintoki, meu tio, murmurou. – Só por causa disso…iremos puni-lo, apesar de que essa punição irá fortalece-lo.

 

-Você fará 100 flexões, 100 abdominais, 100 agachamentos e correr 10km por dia. – Explicou meu pai, com um sorriso em seu rosto. – Você vai fazer isso todos os dias até conseguir derrotar nós três em um duelo!

 

Ali, eu percebi que eu tava completamente fodido.


Notas Finais


esse cap foi mais calmo, mas o próximo eu prometo que vai ta monstro.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...