1. Spirit Fanfics >
  2. Scorose - A not so forbidden love. >
  3. The trip (última parte)

História Scorose - A not so forbidden love. - Capítulo 28



Notas do Autor


Roi!
Li o capítulo anterior. Quase matei a Stella – @amoumpoucodetudo – kkkkkkk

Enfim... boa leitura!!!
Ps: não revisei o capítulo

Capítulo 28 - The trip (última parte)


Fanfic / Fanfiction Scorose - A not so forbidden love. - Capítulo 28 - The trip (última parte)

  Cheryl DiLaurentis

 

  Dia 01/01/2024

 

  Assim que chegamos em casa e deixamos nossas malas eu fui na casa da Laura Hastings pegar o nosso cachorrinho, o Almofadinhas.

 

  Eu descobri que os Potter, há mais ou menos 15 anos tiveram um cachorrinho igual e com o mesmo nome. O meu chama Almofadinhas por causa de eu ter lido todos os livros da história do tio Potter e ter realmente virado fã dos Sirius. Agora, eu chamo o tio Potter assim por ter crescido com Draco Malfoy, porque parece que o tio Draco só chamava o tio Potter de Potter, então eu acostumei e cresci assim. 

 

  – Alô. – ouvi a Brina dizer ao atender o telefone, assim que chegamos em casa. – Ok. Foi boa. Tá. Certo. Também te amo, mãe. Tchau. 

 

  – Era sua mãe? – perguntei 

 

  – Era. Ela soube que chegamos mais cedo e perguntou como foi a viagem e disse que amanhã viria aqui com o  meu pai. 

 

  – Entendi. Vou avisar a minha mãe e ver o que ela quer. 

 

  Chat on

 

Eu:  

Mãe

 

Chamei ela uma vez e nada

 

Eu:

M  

à  

E  

Hilary De Luca Moonmeier  

H  

I  

L  

A  

R  

Y  

 

Mããããããeeeee  

 

MÃE  

 

Hilary  

 

De Luca  

 

Moonmeier  

 

  Mammina:

  

  O que foi, criatura de Deus? 

  

  Eu tava ocupada

  

  Já chegou? 

 

  Eu:  

  Já  

Eu e a Brina acabamos de chegar.   

 

  Mammina: 

  

  Ok.

  

  Daqui a pouco eu, o David e a Bianca estamos aí

 

  Eu:  

  

  Quem diabos é Bianca?   

 

  Mammina:

  

  Sua cunhada. 

  

  Quem mais seria? 

 

    Eu:

  

  Ah  

 

Uai

  

Vivem dizendo que eu sou uma caxinha de  surpresas e minha família não é diferente 

Chat off

 

  Eu jurava que o nome da mulher era Verônica ou Isabelle, mas acabou que era Bianca. 

 

  Bianca (sei lá o que) Moonmeier. 

 

  Quero ver o que isso vai dar. Meu pai não vai vir. Ele deve estar trabalhando. 

 

  Eu e a Brina ficamos conversando e vendo Gilmore Girls, no nosso quarto, até que ouvimos a campainha.  

 

  Descemos lá em baixo e abrimos a porta. Lá estava a Bianca, o David e minha querida mãe. 

 

  – Dessa vez vocês podem entrar. – eu disse dando passagem. 

 

  – Eu tô me sentido no clipe de Black Space. – a Bianca disse 

 

  – Me senti da mesma forma assim que botei os pés aqui. – Brina falou. 

 

  – Vamos para o lado de fora então. – eu disse. 

 

  Fomos para o lado de fora e sentamos nos sofás que tinha lá. 

 

  – Então... do que precisam? 

 

  – Eu queria me desculpar. – minha cunhada disse. – Eu não estava bem naqueles dias. Eu tinha brigado com a minha melhor amiga, não tinha me resolvido com ela e descontei em você. 

 

  – E aquele “Ela tá na fase que acha que é lésbica?”

 

  – A minha melhor amiga teve uma fase assim e acabou que ela ficou com depressão por um tempo, mas se soou com nojo, não foi a minha intenção. – cadê a tia Gina nesse momento, para saber se o que ela tá mentindo ou não?

 

  – Sua vez. – olhei para o meu irmão.

 

  – Depressão?! – foi a única coisa que ele conseguiu dizer. 

 

  – A amiga da sua esposa também teve. Nem venha reclamar. 

 

– Olha, Cheryl, eu não sei porquê fiz isso. Eu tinha notado que você era bruxa, já naquela época e simplesmente parei de falar com você. 

 

  – Ahhhh pronto! Meu irmão virou Petunia Dursley.

 

  – Quem? – ele perguntou e eu fiz um sinal de “deixa” – Você tinha todo o direito de ficar brava. 

 

  – Claro que eu tinha, meu irmão me abandonou. 

 

  – Eu sei. Só... me desculpa. 

 

  – Você me desculparia? – perguntei arqueando a sobrancelha. – Olha no fundo dos meus olhos e me responde – ele não respondeu. – Uhm, foi o que eu pensei. – eu disse e levantei. – Vou arrumar a mesa. 

 

  – Pra...? – minha mãe perguntou. ¬

 

  – Pra gente comer, talvez? 

 

  – Vai lá. – mamãe disse. 

 

  – Eu vou com você. – Brina falou. 

 

  Fomos para a cozinha e deixamos eles lá. Tem coisa nisso “A minha melhor amiga teve uma fase assim e acabou que ela ficou com depressão por um tempo, mas se soou com nojo, não foi a minha intenção”, desde quando alguém dá isso como desculpa? A mulher nem me conhecia por ter medo por mim. Tem gente que eu não entendo. 

 

  ===

 

  Rose Weasley. 

 

  Dia 02/01/2024

 

  O que eu vou fazer agora? Arrumar mala, mas antes preciso ligar pra Cheryl, ou falar com a Domi (Notas da autora: Gente, sou eu, Stella. Eu vou escrever só essa parte da Rose, mas o resto vai ser inteiramente da Clara. Ela disse pra escrever a parte que seria “importante”, então cá estou eu). 

 

  – Cheryl. – disse assim que ela atendeu o telefone. 

 

  – Digas. – ela falou, aparentemente mexendo em alguma coisa

 

  – Tá ocupada? 

 

  – Arrumando mesa, porquê? 

 

  – Nada. Preciso de um favor. 

 

  – Prossiga – fui para um canto mais afastado.

 

  – Poção.

 

  – Anticonceptiva? – ela perguntou, eu não disse nada e ela caiu na gargalhada. – Quando

 

  – Ontem. – murmurei e ela continuou rindo. – Tá rindo por quê?

 

  – Sua vergonha ao dizer que perdeu a virgindade. 

 

  – Me deixa. – murmurei novamente. – Tem ou não? 

 

  – Tenho umas que ainda não perderam a data. Se quiser, passa aqui em casa assim que chegar. 

 

  – Ok. Obrigada. 

 

  – De nada. – ela respondeu e desligou. 

 

  ===

 

  Cheryl DiLaurentis

 

  Dia 01/01/2024

 

  (Notas da autora: Sou eu, a Clara de novo hihihi)

 

  Depois que terminamos de comer, comigo ainda desconfiando dessa história, eu disse:

 

  – Qual a noticia? 

 

  – Bom – minha mãe começou. –, você vai ser tia, Cheryl. – a Brina deitou com a cabeça na mesa, colocou uma mão sobre a minha, sabendo exatamente o que eu estava pensando. 

 

  O que eu estava pensando? ELES VIERAM COM AQUELAS DESCULPAS ESFARRAPADAS PORQUE EU VOU SER TIA DA CRIANÇA DELES

 

  Como eles querem que eu me sinta? Legal? Minha cunhada aparece na minha casa no natal, não vai com a minha cara e depois simplesmente aparece dizendo que quer conversar comigo e a minha namorada. Querem que eu saia gritando que eu vou ser tia? Que eu me orgulho de ter uma cunhada que disse que eu ter a minha namorada como amor da minha vida era uma fase? 

 

  Só sei que eu levantei e subi pro meu quarto. Não fui rapidamente. A última imagem que veio na minha cabeça foi o rosto da minha mãe. Saí daquela mesa realmente em choque e subi, sem olhar pra nada, nem ninguém. 

 

  Sentei na cama e fiquei lá tentando engolir aquela informação. A Brina chegou e sentou do meu lado e deitou a minha cabeça no ombro dela, enquanto fazia carinho em mim. Eu só via os três na minha frente me encarando, enquanto eu estava com a cabeça no mesmo lugar.

 

  – Ei, olha pra mim. – Brina sussurrou pegando a minha cabeça entre as mãos dela. – Tá tudo bem, ok? Imagina um pequeno ou uma pequena, brincando e chamando a tia Cheryl pra ir junto. Vai que a criança um dia consegue um priminho ou uma priminha. Você vai poder mimar a criança e eu também. Uhm? Não é tão ruim assim, é?

 

  – Não, não é. – eu disse e abri um sorriso fraco. 

 

  – Viu? 

 

  – Mas aquelas desculpas deles não enganam ninguém. – apontei para o casal.

 

  – Tem razão – Bianca falou. –, foram bem esfarrapadas, mas demos elas porque queríamos que vocês estivessem presentes na vida do nosso filho ou filha. 

 

  – Dissessem antes que eu aceitava. Iria ficam em choque? Sim, mas a Brina iria falar comigo. 

 

  – Alguém mais direta que ela é difícil de encontrar. – minha namorada falou. 

 

  – Engraçadinha. – eu disse irônica. 

 

  – Tô mentindo? – ela perguntou e eu neguei. – Viu só? 

 

  ===

 

  Rose Weasley. 

 

  Dia 02/02/2024 

 

  Finalmente, minha casa, na verdade a casa dos Granger-Weasley. Como é bom entrar aqui. Eu disse pra mamãe que eu tinha que devolver uma maquiagem que a Cheryl me emprestou e eu esqueci de devolver. Na verdade só peguei a minha base extra e disse que era dela. 

 

  Fui na casa delas e a mesma me deu a poção, eu tomei, perguntei sobre o negocio que ela disse estar organizando para o plano. “Mas nós já sabemos o plano. Vocês vão viajar no tempo.” Certeza disso? 

 

  Enfim... depois fui pra casa, sem a base, porque deixei na casa dela e disse pra me devolver quando voltarmos pra Hogwarts. Inclusive amanhã tenho que arrumar o meu malão.

 

  Depois passamos um tempo em família e ficamos assim por um bom tempo. 

 

  ...

 

  Alguns dias depois. 

 

  – Brina, viu a sua namorada? 

 

  – Achei que ela estava com você. 

 

  “Me erra” ouvimos a voz da ruiva e fomos correndo em direção da fonte do som.


Notas Finais


Foi isso!!!
Beijos!!!
Até domingo que vem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...