1. Spirit Fanfics >
  2. Scorpius >
  3. Prólogo

História Scorpius - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Estava com sdds!!
Espero que gostem.

Capítulo 1 - Prólogo



Eu ia matá-lo! 


Sempre se vangloriando de como era perfeitamente pontual e no dia do meu casamento, ele sendo meu padrinho, esse cretino atrasa.

- Mas que droga Malfoy! Cadê você?

Harry Potter estava imperventilando, estava prestes a se casar e realizar seu sonho de ter uma família, contrariando todas as expectativas que o destino lançou sobre si, mas ele perdeu muito em sua trajetória, mais do que achou possível aguentar e por muito tempo realmente não conseguiu lembrar que não havia morrido com todos os que amava.

...Cedrico, Sirius, Dumbledore, Tonks, Remus, Rony, Fred... pensou que não seria capaz de continuar depois de perder tanto, mas nem tempo de sofrer teve pois a guerra não havia acabado; e naquele momento em que segurou a varinha das varinhas, ouvindo aquele silêncio no pátio de Hogwarts, sua casa que fora destruída por aquele maníaco, achou que enfim poderia tirar um descanso.

Harry havia acordado uma semana depois no St. Mungus rodeado de rostos familiares, com sorrisos cansados e expressões abatidas porém aliviadas, Hermione, Gina e Molly insistiram para que ficasse n'A Toca, que não era saudável ficar sozinho naquele momento, mas o moreno recusou e foi se exilar na antiga mansão dos Black, a qual Sirius deixara para si.

Nem coragem de ir ver seu afilhado Teddy Lupin, Harry teve...olhar aquele bebê e ter que admitir que havia falhado com seus pais,.que mais um bebê iria crescer sem o amor dos pais por sua culpa...Ele simplesmente...Nao dava.
E é nesse momento em que Draco Malfoy entra na história; Harry havia se afundado em culpa e desespero por tudo o que aconteceu e por todos os que haviam morrido, não saia de casa para nada,recebia visitas apenas de Mione e Gina, e as vezes de Molly também.

Se obrigou a sair ao menos para dar seu depoimento a favor dos Malfoy no julgamento, pensou em mandar uma carta, mas nao teria tanta credibilidade quanto ele em pessoa, Malfoy era claramente uma vítima com escolhas ruins baseadas no medo e em uma educação deturpada e Narcisa além de lhe ajudar num momento crucial, era apenas a fiel esposa; conseguiu que Draco e Narcisa fossem inocentados,o mesmo não podia dizer de Lucius, esse não tinha como defender.

Nenhum dos dois, quando questionados, sabe precisar como aconteceu exatamente, mas 8 meses depois de Harry ter se isolado em sua fossa, Draco engoliu o orgulho e tomou coragem de bater na sua porta para lhe agradecer, e ao ver o estado que o tão perfeitinho Potter se encontrava tomou como missão de vida tirá-lo disso, e estariam quites; então depois do dia em que agradeceu Draco voltou, Harry sentiu -se extremamente desconfortável, exposto, brigou e gritou para que ele saísse, mas o loiro não falou nada, não tentou puxar conversa, arrumou algumas coisas, comprou alguns alimentos, sentou ao lado dele na sala e ficou lendo uma das apostilas de medimagia, quando o relógio bateu 17h da tarde ele foi embora. No dia seguinte fez a mesma coisa, e no seguinte a esse também, e ficou nisso por uma semana e meia até o moreno questionar o por que, e o loiro responder:

- Porque eu entendo. Você não precisa que te papariquem perguntando o que você tem ou se está bem, precisa saber que alguém está ali por você; e como estou com a agenda livre, estou aqui.


Neste momento Harry sai de seus devaneios ouvindo o barulho da porta do quarto se abrir e Draco passar por ela com seu sorriso arrogante, olhos tempestuosos, cabelos platinado ao natural e curtos e um smoking clássico com uma gravata borboleta verde, é claro.

- Não me olhe com essa cara, tenho meus problemas pra resolver também Potter, o mundo não para só porque o menino de ouro vai casar e...- mas Draco é interrompido por um forte abraço da parte do moreno.

- Eu já te disse obrigada hoje?

- Você precisa ser específico Harry , sou um cara com muitos feitos de caridade.

- Por estar aqui.

Então o entendimento passou pelos olhos do platinado e ele abraçou o moreno de volta de uma forma tão terna que jamais pensou em fazer e plantou um rápido beijo em seus cabelos; era engraçada a forma como adquiriram essa intimidade de quase irmãos, esse cuidado e proteção, era um estranho bom.

- Certo certo, deixa as lágrimas para Ginevra sim? Podemos? Sua forca te espera.

Harry sorriu e se afastou ajeitando a roupa, respirou fundo olhando uma última vez para o quarto em que foi designado para que se arrumasse para a cerimônia,olhou pela janela o jardim d'A Toca todo arrumado, com inumeras cadeiras, o burburinho dos convidados... em alguns minutos Harry Potter se tornaria marido de Gina Weasley, sua vida finalmente estaria começando com ele decidindo o que fazer dela. Estava tudo perfeito, não tinha nada para dar errado.


Notas Finais


Como vai a quarentena de vcs?
Estão se cuidando direitinho?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...