História Se cuida - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Boruto Uzumaki, Hanabi Hyuuga, Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Kiba Inuzuka, Kushina Uzumaki, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara
Tags Amizade, Amor, Anime, Naruhina, Naruto, Romance, Se Cuida
Visualizações 350
Palavras 2.961
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


HEY

14 comentários no cap passado. Todos metendo o pau na Ino e no Kiba, só tenho uma coisa a dizer: o ódio une as pessoas.

Espero que gostem, vejo vcs nos comentários!

Bjs

Capítulo 7 - Segundas chances.



Por favor, me deixe entrar, oh eu acredito em segundas chances

Eu não vou te abandonar, eu não vou te decepcionar

Naruto

Seus olhos não deixaram as costas dela e, mesmo quando desapareceu, ele continuou olhando para a porta fechada.

Conseguia agradecer por ela não ter chorado.

De onde estava sentado pode perceber o tremor em seus ombros e ouvir suas tentativas falhas de se desculpar, mesmo recebendo xingamentos e ofensas, ela tentava reverter a situação. Naruto só queria ter condições físicas e psicológicas para levantar do sofá, colocar ela em seus ombros e sair do apartamento.

No fundo sabia que ainda podia defende-la, gritar mais alto que Ino e dizer que aquilo era uma discussão fútil e que ela não tinha o direito de tratar ninguém daquela forma, mas não fez isso.

Ouvia os murmúrios de seus convidados e a voz alta de Ino se sobressaindo sobre eles, ela agora contava o que havia acontecido para Gaara, seu noivo, dono da SunaPersonal e chefe de Naruto. Sua mente pintou o rosto de três colegas de trabalho que foram demitidos por diferentes motivos, mas com um denominador comum, Ino.

Em seu íntimo tinha consciência de que fora isso que o levara a não tomar partido naquela briga, pedindo com os olhos que Temari, que por ser da família de Gaara era a única pessoa que podia falar de igual para igual com Ino, intercedesse por Hinata.

Sentiu vergonha desse pedido mudo, que mostrava claramente a sua falta de lealdade com uma pessoa que havia parado sua vida para tomar conta dele e, quando Ino lhe dirigiu a palavra, o seu único desejo era retirar Hinata daquele lugar o mais rápido possível.

Então pediu que ela partisse.

Seu corpo parecia pesado no sofá, olhava concentrado para a mesa de centro tentando encontrar em que momento da sua vida havia se transformado naquele tipo de homem.

O tipo que abandona os amigos, ou melhor dizendo, sua única amiga.

-Isso foi tenso...- ficou grato pelo tom de Kiba ter sido respeitoso em relação ao que acabara de acontecer, ergueu os olhos para o homem e viu que ele coçava a nuca em sinal de nervosismo. Sua atenção caiu em Ino e Gaara, o ruivo acalmava a noiva e parecia sério, a loira choramingava e murmurou algo que fez com que Temari saísse de perto dele e voltasse para o sofá.

-Foi desnecessário- Shikamaru comentou, observava a esposa se acomodar do seu lado com uma expressão de poucos amigos.

-Todos vocês são ridículos, espero que saibam disso- a mulher ralhou- Deixaram a garota sozinha, se mais alguém apoiasse a situação não teria chegado naquele ponto.

-Não é todo mundo que tem metade das ações da empresa- seu marido apontou- Todos aqui ainda querem trabalhar na segunda...

-Não justifica, é como se todos que ficaram calados concordassem com o que a Ino disse- Temari o corta, lançando um olhar sugestivo para Naruto e Kiba.

Depois disso o clima festivo morreu, as pessoas começaram a ir embora e Naruto agradeceu por isso. Não se preocupou em se despedir de ninguém, apenas ficou sentado no sofá. Com o tempo não viu o apartamento se esvaziar, se sentia cansado, mas sabia que se fosse para a cama não conseguiria dormir.

-Acha que ela vai ficar bem?- a voz o desperta e faz com que ele olhe para a porta do cozinha. Lá estava Kiba, com um saco de lixo em uma mão e uma vassoura na outra, Naruto olhou para o chão do apartamento e percebeu que ele já havia começado a limpeza, não existiam vestígios de macarrão e molho de tomate e o espaço já estava quase que completamente arrumado.

-Você ficaria?- era uma pergunta séria. Naruto tentava ver a situação de sua própria perspectiva, se colocando no lugar de Hinata e decidindo a partir daí os sentimentos dela em relação a ele. Mas sabia que não era uma ciência exata.

Hinata era uma pessoa melhor do que ele, nunca a ouviu falar nada de ruim e pessimista, sempre gentil e caridosa, sem esperar nada de ninguém. Ele era o perfeito oposto, nunca mais olharia na cara de alguém que o traísse daquela forma, mas não sabia se iria respeitar o desejo dela se esse fosse o desfecho daquela situação toda. Isso só mostrava o quanto era egoísta.

-Acho que vou falar com ela- Kiba murmura, atraindo novamente a atenção de Naruto.

-Não precisa falar com ela, vocês não são nada um pro outro...- é curto e grosso com sua declaração. Kiba lhe lança um sorriso de canto e começa a recolher alguns copos que estavam espalhados pela casa antes de começar a falar.

-E vocês são, não é?- ele lança debochado- Foi por isso que que você não levantou a bunda do sofá para ajudá-la?- pergunta, sem parar de varrer a casa.

-Não ouvi a sua voz também.

Os dois se encaram.

-Não estou dizendo que me orgulho disso...- Kiba começa, deixando a vassoura de lado-... Eu gosto dela, não é o tipo de pessoa que a gente tem contato, ela diferente, não sei...- seus ombros cedem e ele passa a mão pelo cabelo.

Naruto entendia o que ele queria dizer, poucas pessoas tinham a sorte de conhecer alguém como Hinata. Saber disso só o deixava pior.

-Está tarde agora- começa um pouco mais calmo- Vou esperar amanhecer para explicar a situação 'pra ela, digo que você sente muito também- era o melhor que ele podia fazer pelo colega.

-Sabe que eu não preciso da sua permissão 'pra falar com ela, certo?- Kiba continuava a limpeza e Naruto estava quase pedindo que ele deixasse as coisas do jeito que estavam e fosse embora.

-Eu nunca disse isso, mas é obvio que ela não vem aqui por sua causa.- solta sem paciência, sua máscara de falsa simpatia já havia caído há muito tempo- Eu preciso resolver isso, ela deveria poder contar comigo- como eu posso contar com ela, completou mentalmente.

-Acho que isso piora tudo, hein?- Kiba diz distraído recolhendo os sacos de lixo e os fechando- Saber que ela nunca faria isso com você.

-Sim- Naruto concordou se afundando no sofá- Isso piora tudo.

------

Sempre achou que sabia ler as pessoas.

Ele a observava desde que abriu a porta e a encontrou ali, parada com uma pequena sacola e um sorriso gentil nos lábios. Seus olhos perolados não encontraram os seus e ela seguiu para a cozinha sem dizer nada. Ele chegou abrir a boca para falar, mas não sabia ao certo o que dizer.

Pensou em tocar no assunto na hora do almoço, mas ela saiu do apartamento logo depois de colocar um prato de comida no seu colo. Ele esperava que ela parasse por um minuto para que ele puxasse o fôlego para falar, mas ela parecia ocupada demais, entrando e saindo pela porta, era um comportamento estranho.

Quando ela saiu novamente decidiu que a chamaria assim que voltasse, pediria que se sentasse ao seu lado no sofá e conversariam sobre o que aconteceu na noite anterior. Precisava pedir desculpas, explicar o inexplicável e agradecer a ela por tudo o que tinha feito por ele até aquele momento.

Era um bastardo na maior parte do tempo, mas tinha a impressão de que se arrependeria pelo resto da vida se não conseguisse com que ela entendesse o seu lado.

Ouviu quando a porta do apartamento foi aberta e se virou para encontrá-la, tentando montar o seu discurso de pedido de desculpas.

Os olhos perolados o encararam, com um misto de curiosidade e diversão.

-Quem é você?- Naruto se obrigou a perguntar, observando a jovem de cabelos castanhos e olhos idênticos aos de Hinata.

-Sou Hanabi- sorri para ele enquanto se aproxima- E você é o Naruto- afirma.

-Sim.- concorda confuso, vendo a garota se movimentar pelo apartamento e sumir pela porta da cozinha, como se já estivesse estado  ali antes. Esperou que voltasse para recomeçar sua fala- Ham, então, você é a Hanabi...

-Irmã da Hinata- completa, atravessando o apartamento e se jogando do lado dele no sofá. Era incrível como ambas se sentiam confortáveis ali.- Estou surpresa que ela não tenha falado de mim, sou o amor da vida dela...

-Ela falou de você- era a verdade- Mas não falou muito.

-Ela é bem fechada em relação a vida dos outros- Hanabi parece pensar um pouco- E em relação a vida dela também, Hinata não é boa com pessoas- dá de ombros.

Naruto já sabia disso.

-Mas ela parece se sentir confortável com você- Hanabi continua, erguendo as pernas e se esticando até conseguir colocá-las em cima da mesa de centro- Pediu que eu viesse aqui e te impedisse de levantar do sofá.

-Onde ela foi?- perguntou, sem conseguir disfarçar seu interesse.

-Na galeria, chamaram ela hoje de manhã.

-Aconteceu alguma coisa?- Hanabi o encara, sendo pega de surpresa pelo tom preocupado dele. A questão é que Naruto havia se lembrado da pintura que ela havia feito de seus olhos, esperava que tivesse conseguido um bom retorno com ela.

-Realmente não sei- a menina faz uma pausa- Mas ela parecia alegre depois do telefonema, então acho que é uma coisa boa.- conclui.

-Ela estava bem hoje de manhã?- não consegue segurar a pergunta.

-Sim, ué- Hanabi o olha com as sobrancelhas erguidas.- Tinha motivos para não estar?

Naruto se surpreendeu com a resposta, percebendo que Hinata não havia falado com ninguém sobre os acontecimentos da noite passada.

-Ela vai demorar muito?- ignorou a pergunta da menina propositalmente, não se sentindo corajoso o suficiente para contar o que havia acontecido.

-Você parece agitado.- diz desconfiada.

Ela era muito diferente da irmã, mas ambas tinham a mesma perspicácia.

-Acho que você está certa- sorri minimamente. Não usaria a palavra "agitado" para se descrever.

-Ela veio aqui ontem, não veio?- perguntou, sem dar espaço para uma resposta- Saiu correndo com uma marmita, acredito que fosse para você- ela coça o queixo, parecendo juntar as peças- Só me disse que estava te ajudando hoje de manhã, quando me pediu para vir...

-Sua irmã está com raiva de mim- Naruto confessa rapidamente, esperando que o peso das palavras caísse sobre Hanabi. Não é possível descrever a sua surpresa quando a vê rindo.

-Não está não- a menina fala- Não é da natureza de Hinata sentir raiva, independente do que você fez.

-Não tem como você ter certeza disso.

-Acredite, eu tenho- ela sorri mais uma vez, mas o gesto não chega aos olhos- Hinata tem todos os motivos do mundo para não ser uma pessoa boa, mas ela é. A melhor pessoa que eu conheço, a melhor pessoa que você conhece- diz com convicção- Ela é a melhor pessoa. Não importa o que você faça, infelizmente ou felizmente, ela continua boa.- suspira antes de continuar- Não sei o que você fez, mas se o nosso pai não conseguiu despertar o pior lado dela, ninguém mais consegue.

Hinata

-Uma exposição?- questionou com os olhos arregalados, sua expressão fez com que Toneri sorrisse.

-Sim, não acha fantástico?

Ela achava, realmente achava.

-Mas, c-como isso aconteceu?- pergunta estupefata. Estava sentada em uma das cadeiras da sala de avaliação, Toneri estava acomodado na sua frente, sendo paciente com a descrença da garota.

-Acontece que você é boa no que faz- o sorriso dele aumenta ao ver as bochechas rosadas- Sua última tela foi vendida depois de algumas horas, os donos acham que seria uma boa idéia preparar uma pequena exposição com coisas parecidas com aquela ou melhores, pode ser a sua grande chance.- conclui.

Hinata estudou a situação. Vendia suas obras para a galeria há quase dois anos, não era conhecida no mundo da arte e procurava por seu espaço desde os dezoito anos.

-Eu teria quanto tempo?- pergunta, a animação tomando o lugar do nervosismo.

-Dois meses para cinco telas, consegue?

-Sim- respondeu decidida- Eu consigo.

-----

Entrou em seu apartamento e encontrou Konohamaru deitado no sofá tirando um cochilo. Conseguiu sorrir para cena e deixou as suas coisas na bancada da cozinha sem querer atrapalha-lo.

Não sabia como criaria cinco telas em tão pouco tempo, sentia que precisava começar a trabalhar naquele exato minuto, mas seu corpo se inclinou para o apartamento do vizinho e ela não teve forças para se segurar. 

Se preocupar com Naruto ainda era um costume, fazia isso sem pensar muito a respeito.

Não se incomodou em bater na porta ou tocar a campainha, apenas entrou, encontrando seu vizinho assistindo televisão com uma Hanabi desacordada do lado. Havia passado o dia se dividindo entre as visitas na sua casa e Naruto, a correria a fazendo esquecer um pouco os seus sentimentos sobre a noite de sexta.

-Hinata- o loiro chamou, percebendo a entrada dela. A ansiedade que emanava dele desde de manhã ainda estava ali- Precisamos conversar- ele estava muito sério, não deixaria que continuasse fugindo.

Ela acenou com a cabeça e ergueu a mão para ele, pedindo que lhe desse um minuto. Se aproximou do sofá e balançou levemente o ombro da irmã.

Demorou um pouco para que Hanabi abrisse os olhos perolados, ela os focou na irmã antes de se espreguiçar.

-Obrigada por ficar de olho nele - tenta não sorrir para a cara de sono da irmã.

-De nada- a mais nova murmura, sem perceber o sarcasmo na voz doce de Hinata.- Konohamaru?- pergunta assim que desperta um pouco mais.

-No sofá lá de casa, dormindo.

-Já vou então- ela se levanta, provavelmente ansiosa para acompanhar o namorado em um cochilo, dá um pulo descuidado por cima  da perna esticada e engessada de Naruto, fazendo Hianta arfar.- Tchau, Naruto!- ela acena já da porta, saindo e a fechando com um baque surdo.

Quando ficaram sozinhos, Hinata se sentiu desconfortável. Naruto não tirava os olhos dela, o que fez com que se sentasse já que suas pernas tremiam.

-Hinata, me desculpe...

-Não, não- ela balança a cabeça com certo desespero- Esquece isso, por favor...

-Não vou esquecer.- ele diz firme- Não vamos deixar 'pra lá, vamos conversar sobre isso- ela percebeu que não haveria escapatória e se afundou no sofá.

Odiava reviver momentos ruins, odiava falar sobre eles. Preferia esquecer que tinham acontecido, lidar com as lembranças sozinha até que elas perdessem a força e ficassem distantes.

-Eu sinto muito- mantém os olhos nela- Deveria ter te defendido ontem, eu só pensei no meu trabalho e isso não foi certo com você...

-Está tudo bem, eu te desculpo...- ela diz o cortando, querendo que aquilo acabasse logo.

-Hinata- ele fecha os olhos e suspira, como se buscasse por uma força interior- Eu não quero que aceite as minhas desculpas assim, foi ruim o que eu fiz ontem, eu te deixei enfrentar aquela mulher sozinha, não te ajudei ou defendi, nem ouse me perdoar com essa facilidade toda!- ele quase gritou para ela. Hinata piscou, completamente confusa.

-Não quer que eu te perdoe?- questiona, os olhos se afastando da intensidade do mar azul dele.

-Claro que quero!- ele diz rapidamente, virando-se da melhor forma para poder encara-la de frente- Eu fui um escroto ontem, todos fomos, ninguém te ajudou, mas eles não te conheciam, eu sim!- os olhos de Hinata voltam para ele- Eu não me perdoei ainda, agradeço por você ter me perdoado, mas eu ainda não esqueci, também não quero que você esqueça...

-Naruto...

-Escuta- ele pede, o rosto moreno estava vermelho e ela se obrigou a ficar quieta- Você não tem nenhuma dívida comigo, eu que tenho com você e... Você é boa demais para estar aqui, numa festa com aquele pessoas, boa demais para ficar no mesmo cômodo que a Ino, boa demais para cuidar de mim...

-Vamos esquecer isso, sim?- ela quase suplica, conseguia ver a sinceridade dele e não lembrava de alguém ter se esforçado tanto para conseguir seu perdão, pelo menos não depois dela já ter dado.

-Eu só quero que você entenda...-ainda parecia nervoso- Que o seu perdão é algo importante, você é uma pessoa importante, não deveria perder tempo com gente ruim, gente como eu...

-Você não é ruim- ela o defende, o rosto com uma careta.

-Mas também não sou bom, não como você- o modo que ele diz isso deixava claro que não deveria haver questionamentos.

-Pessoas são diferentes umas das outras, você não é pior do que eu e eu não sou melhor que você.- tentou mesmo assim.

-Personalidade é diferente de caráter.

-Você tem caráter!

Ele suspira e começa a se mover no sofá, se aproximando dela da melhor forma que conseguia, mesmo com o gesso na perna, se virou ainda sentado, pegando o rosto dela e o segurando com as duas mãos. Hinata arfou com o toque frio e sentiu suas bochechas queimarem, nunca haviam ficado tão próximos, ficou muda vendo a obstinação nos olhos de Naruto

- Você precisa entender uma coisa, quero que preste atenção, tudo bem?- ela apenas pisca, não ousando se mexer- Você não precisa me perdoar só por querer ser boa- diz pausadamente- Eu fui um babaca com você, ninguém vai te julgar se você nunca mais olhar na minha cara, se você não quiser mais falar comigo, está tudo bem...

-Naruto, eu disse que está tudo bem.

-Eu sei- ele concorda, sem a soltar.

-Eu te perdoo- ela repete.

-Eu sei.

Ele continua segurando o rosto dela, encarando de perto os olhos de um azul incomum, as bochechas estavam quentes ao seu toque e os lábios em formato de coração faziam um biquinho por causa do aperto dele.

Ela encarava os olhos azuis, eram da cor de um céu limpo, se sentia quente olhando para eles, como se estivesse olhando diretamente para o sol. Ele tinha marcas nas duas bochechas, linhas tão finas que ela só conseguia percebe-las agora. A boca estava franzida e ele respirava devagar.

Ela imaginou como seria bom ser beijada por ele.

Ele a beijou.


Notas Finais


Cap q vem tem o desenrolar dessa fofura.

Música do começo: Imagine Dragons - Second Chances


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...