História Se cuida - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Boruto Uzumaki, Hanabi Hyuuga, Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Kiba Inuzuka, Kushina Uzumaki, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara
Tags Amizade, Amor, Anime, Naruhina, Naruto, Romance, Se Cuida
Visualizações 335
Palavras 2.631
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


HELLO!

Então, eu tô tentando manter a personalidade da Hinata, por isso o perdão veio já no gatilho. Ela é assim gente, pelo menos eu acho que seja.

Vai ter REVENGE com a Ino, pode guardar o ódio que vcs tão sentindo que ele ainda vai ser utilizado, prometo.

Espero que gostem, vejo vocês nos comentários!

Bjss ❤️

PS- Escrevi pelo celular, tá sem revisão! Mas postei logo, pra não atrasar minha grade, mais tarde eu volto pra consertar os possíveis erros.

Capítulo 8 - Compensar.


Naruto

No ínicio foi apenas um encontro de lábios, Naruto permaneceu parado temendo que ela não quisesse aquilo como ele queria. Mas logo sentiu os dedos finos no seu pescoço, subindo para o seu cabelo e isso foi o que o levou a aprofundar o beijo.

Parecia certo.

Ter os lábios de Hinata junto aos seus, sentir o gosto dela. Incrivelmente doce. Não conseguiu impedir que sua língua pedisse passagem para encontrar a dela, logo os dois estavam em um duelo calmo e gentil, um retrato perfeito da mulher que estava beijando. Uma de suas mãos desceu para o pescoço fino e a sentiu tremer com a pressão que colocou ali. Apesar de não conhecer os limites de Hinata, sabia que sempre iria respeitá-los, mas mesmo com essa certeza ele relutou um pouco quando ela começou a se afastar.

Sua cabeça retrocedeu e ele pôde ter uma visão melhor do rosto em formato de coração. Para a sua não surpresa, ela estava incrivelmente corada, os lábios entreabertos e mais vermelhos que o normal, Naruto sentiu vontade de beijá-la de novo, felizmente se controlou quando os olhos perolados o encararam de uma maneira estranha.

-Não precisava ter feito isso, eu já tinha perdoado você...- ela murmurou.

Naruto piscou algumas vezes, não entendendo completamente a frase. Em seu íntimo esperava que ela o questionasse depois do beijo, perguntasse o que o levou a tomar aquela atitude, onde o relacionamento deles estaria depois da iniciativa dele, o que fariam em relação a todo resto. A verdade é que ele não tinha uma resposta para nenhuma das perguntas que poderiam vir dela, mas ainda assim as esperava. Só não esperava aquilo.

- Hinata, o que você está dizendo?

-Eu já tinha te perdoado- ela repete, os olhos fugindo para o outro lado da sala- Com ou sem beijo, estava tudo bem, não precisava fazer isso...- suas últimas palavras são tão baixas que Naruto não teria as ouvido se estivesse centímetros mais longe.

Ele abre e fecha a boca algumas vezes, ficar sem palavras quando o assunto era ela havia se tornado algo vergonhosamente costumeiro.

-Acha que eu te beijei ‘pra que você me desculpasse?- fica feliz com o que consegue formular, mas o silêncio que recebe como resposta o faz ficar novamente confuso.- Hinata, não foi por isso- responde por ela.

-Então porquê?- os olhos dela voltam para ele.

-Não sei- responde de forma rápida e sincera- Realmente não sei, mas não foi pelo seu perdão.

Estava convicto disso, não sabia o que fazia com que Hinata fosse aquele tipo único de pessoa, que perdoava antes mesmo que houvesse um pedido de desculpas, poderia beija-la de gratidão por ter um espírito tão puro, mas não foi isso que o levou a romper o espaço entre eles.

O que Naruto estava sentindo ainda não tinha nome e não podia ser descrito, porém era real e estava ali, só não era suficiente para ser oferecido para alguém como ela.

-Acho que não foi numa boa hora- ele continua. Os olhos dela ainda estavam nele, analíticos e pacientes.- Sinto muito- conclui, puxando o ar com força e se afastando, deixando as costas caírem no encosto do sofá.

-Eu não sinto.- os dois se encaram, Hinata estava vermelha depois de sua afirmação, mas ainda assim parecia certa de suas palavras.

-Que bom- ele solta o ar que estava prendendo e sorri- Eu também não.

Hinata

Segurou um gritinho quando a faca que segurava escorregou e ela quase decepou a ponta do seu dedo indicador.

Era a terceira vez que quase cortava fora um dos seus membros, estava distraída demais e isso afetava tudo ao seu redor. Sem querer havia queimado a torta que seria o jantar, derrubou todos os potes da geladeira quando tentou encontrar outra coisa para cozinhar e sua roupa estava completamente estragada, já que se sujou mais naquela noite do que quando tinha quatro anos e a colocavam para comer sozinha.

Travou o maxilar e colocou toda a sua atenção no que estava fazendo, cortou os pedaços de carne com uma precisão cirúrgica e só quando acabou se permitiu pensar um pouco no que havia acontecido, um sorriso bobo despontando dos lábios rosados antes que ela pudesse se recriminar.

Já havia beijado outros homens, como nunca se sentira assim?

Sentia-se quente por dentro, como se Naruto tivesse quebrado ou consertado alguma coisa. Era muito cedo para dizer, eles não tiveram nada de significativo. As pessoas beijam umas as outras sem compromisso ou sentimento, o mundo funcionava assim e ela nunca se importou muito com esse fato, mas agora lhe parecia um costume ruim. Queria que ele lhe desse um motivo para tê-la beijado, que explicasse o que ele sentia para que ela, a partir dessa informação, pudesse se situar e organizar seus próprios sentimentos. Iria até onde ele quisesse que ela fosse.

Mas ele não dizia nada e isso a deixava perdida.

-Hinata?

Virou-se com o coração na garganta, havia se assustado com o tom urgente de Naruto.

- Está tudo bem?- ele parecia preocupado com ela, que ainda segurava uma faca na mão direita e parecia ofegante- Eu já vou voltar para o sofá...- ele garante de forma estranha-... é que o seu celular está tocando...

Só então ouve o barulho insistente, o aparelho estava em cima da bancada da cozinha e gritava como um louco. Não sabia como havia se distraído ao ponto de não ouvi-lo tocar.

O pegou rapidamente e colocou no ouvido sem se concentrar no visor.

Um som estranho encheu seus ouvidos e ela franziu o cenho, afastou o celular e viu de quem era a ligação.

-Hanabi?- chama, mas o barulho continua e ela se pergunta se é algum problema de interferência. Estava quase desligando para poder retornar quando escuta uma voz.

-Você ouviu?- Hanabi parecia ter acabado de se recuperar de uma crise de choro.

-O que aconteceu?!

-Não prestou atenção?- Hinata se acalma quando escuta o tom brincalhão da irmã- É o coração do seu sobrinho ou sobrinha...

Hinata abre e fecha a boca algumas vezes sobre o olhar confuso e preocupado de Naruto, ele não havia voltado para o sofá como prometera.

-Posso ouvir de novo?- pede com um sussurro, já conseguia sentir as lágrimas se acumulando nos seus olhos. Ouviu a movimentação de Hanabi do outro lado da linha e se aproximou de Naruto, colocando o celular no viva voz.

Ele a encarou pronto para perguntar o que estavam esperando ouvir, mas se calou no primeiro batimento.

Era rápido e isso assustou os dois.

-O coração do meu sobrinho- sussurrou para ele, o rosto banhado de lagrimas e um sorriso largo no rosto.

Ele sorriu também, um de seus maiores e mais verdadeiros sorrisos.

Naruto

Depois de ouvir o coração do bebê, ele não sentiu vontade de voltar para o sofá. O que foi bom por vários motivos, um deles era que nunca havia reparado que Hinata transformava-se em um furacão na cozinha, atrapalhada ao extremo, precisou que ele a chamasse algumas vezes antes que as comidas nas panelas- ou eles dois- queimassem. Ás 20h o jantar estava pronto e ela havia saído para tomar um banho.

Naruto estava sentado em uma das cadeiras da mesa, distraído lendo alguns e-mails de seu trabalho e mensagens de clientes desejando melhoras, procurou responder a todas com o intuito de preservar aquelas ligações. Haviam conversas com seus colegas de trabalho também, uma de Temari e outra de Kiba, as duas com um assunto em comum, queriam saber se Hinata estava bem depois do dia anterior.

Conversar com Temari foi fácil, ele disse que Hinata estava bem e que já haviam conversado, a mulher mandou que ele aprendesse com a situação e deixasse de ser escroto, depois disso não ficou mais online no aplicativo.

O problema estava na sua conversa com Kiba. Em sua defesa, já havia dito que Hinata estava bem e que eles já haviam conversado, mandara para ele exatamente o mesmo texto que usara com Temari, mas diferente da loira, KIba continuava online e digitando, questionando como fora a conversa e querendo saber o que haviam falado sobre ele.

Naruto esquecera completamente do pedido de desculpas de Kiba, mas no fundo sabia que não era algo tão grave assim, já que Hinata com certeza perdoaria o homem. O que poderia ser um problema, já que KIba continuaria vindo até a sua casa apenas pelo prazer de ser invasivo.

Releu a última mensagem do companheiro de trabalho, onde ele perguntava se o jantar já estava pronto, analisando os prós e os contras da sua próxima decisão.

Não precisou pensar muito, apenas escreveu a mensagem da forma mais convincente que pôde e bloqueou o celular.

-----

-Que bom que o seu braço melhorou- ela comenta com os olhos sobre ele.

Estavam sentados á mesa, comendo em silêncio até aquele momento.

-É um alivio- ele diz sincero, erguendo o braço que outrora esteve engessado.- Já me sinto melhor com a situação toda- abana o próprio corpo.

-Agora só falta a perna.- aponta com um sorriso pequeno no rosto, não sabia dizer com certeza, mas ela parecia triste. Antes que possa questiona-la sobre isso, Hinata ergue uma travessa de arroz e oferece para ele.

-Onde aprendeu a cozinhar?- estava se servindo pela segunda vez da comida simples e bem temperada.

-Não sei, acho que foi por tentativa e erro.- ela dá de ombros, parecendo distraída com a sua própria comida.

-Precisou se virar sozinha?- tenta adivinhar e chamar a atenção dela ao mesmo tempo, gostava quando os olhos azuis perolados se fixavam nele.

-Mais ou menos- ela o olha com o nariz franzido- Hanabi cuspia a comida que as empregadas faziam, ela só comia o que eu cozinhava- explica.

-Empregadas? No plural?-questiona divertido.

-Minha casa era cheia delas- ela espeta alguns pedaços de carne com o garfo, o biquinho que se formou nos lábios dela quase fez que ele se inclinasse para beija-la - Meu pai precisava que alguém tomasse conta da gente, não tinha tempo... O mesmo drama dos ricos- conclui, colocando a carne na boca.

-Não diminua algo que te fez mal, sei que essas coisas são difíceis.- ele já havia percebido uma áurea refinada sobre ela, suspeitava da condição das irmãs, mas isso não importava. Sabia que era doloroso ter pais ausentes, estivessem eles mortos ou não.

Ambos ficaram em silêncio depois disso.

Hinata

Mesmo com seus protestos, Naruto insistiu em ajudar com a louça, pulando pela cozinha e distribuindo os pratos e panelas pelos armários. De alguma forma a ajuda dele atrasou ainda mais o trabalho, mas ela não ousou reclamar e correr o risco de ofende-lo. Quando acabaram o loiro insistiu que vissem um filme qualquer na televisão, Hinata aceitou, não vendo nada de muito grave naquilo. Claro que se arrependeu depois um tempo.

Com a escuridão da sala e a manta que dividiam, nem mesmo o filme sangrento poderia amenizar o clima que acabou se formando.

Eles apenas se beijaram, não precisava fazer um drama ao redor disso, certo?

Queria que suas bochechas parassem de corar toda vez que lembrava da sensação de tê-lo tão perto. A barba raspando no seu rosto, as mãos quentes perto da sua clavícula. Queria virar e tomar a iniciativa, beija-lo de novo ou pelo menos deixar bem claro que era isso que desejava.

Queria.

Queria.

Se afundou no sofá, sentindo-se frustrada consigo mesma. Quando deixaria de lado suas inseguranças da adolescência? Quando começaria a viver sua vida do jeito que imaginava? Sem medos ou arrependimentos...

Um barulho na porta a despertou de seus devaneios, seus olhos foram direto para Naruto, que a encarava com o mesmo ponto de interrogação nos olhos. Estava tarde demais para se fazer visitas ou recebê-las.

Levantou do sofá e andou silenciosamente até a porta, se inclinando sobre ela e observando pelo olho mágico.

-É o Kiba- informa já abrindo a porta, não prestando atenção no protesto que Naruto soltava do sofá.

Era uma visão e tanto.

Kiba estava de terno e gravata, segurando um enorme buquê de rosas em uma mão e um balão azul flutuante na outra, apesar de sua surpresa, Hinata conseguiu ver que nele estava gravada a palavra “Sorry”.

-Hinata?- ele chama com as sobrancelhas arqueadas.- O que você 'tá fazendo aí?- a confusão dele a confunde.

- Cuidando do Naruto- ela aponta para dentro do apartamento e abre espaço para ele- Quer entrar?- o homem a encara e ela sorri para ele.

-Quero sim, com licença- ele passa por ela como uma flecha, entrando no apartamento e ficando em frente ao sofá, os olhos faiscando para Naruto.- É esse tipo de distância que ela quer, seu puto?!- ele grita, largando o buquê em cima da mesa e deixando o balão livre para subir até o teto do apartamento.

Hinata foi para perto da porta da cozinha, curiosa para entender a conversa dos dois. De onde estava conseguia ver a expressão entediada de Naruto.

-Cara, você já viu as horas?- o loiro esfrega as duas mãos no rosto.

- Pra quê que você mentiu? Qual o teu problema?!- Kiba questiona com raiva e Naruto o encara da mesma forma, pronto para revidar, mas a atenção do moreno não estava mais nele- Hinata, ele disse que você não queria mais me ver!- gritou apontando para o amigo. Hinata se sentiu como a mãe de alguém.

-Tem certeza que não entendeu errado?- arriscou quando viu que a atenção estava toda nela. Kiba apenas balançou a cabeça e pegou o celular de um dos bolsos do terno, se aproximando em seguida.

-Olha isso- ele estendeu o celular, o visor mostrava uma conversa com Naruto, ele marcou a última mensagem e ela leu em voz alta:

“Hinata perdoou nós dois, mas pediu que a gente se mantivesse distante, ela quer espaço. Não está magoada, só não quer manter contato, pode respeitar isso?”

-Você obviamente não sabe respeitar isso- Naruto alfineta.

-Você é um babaca, quem você acha que é...?

-Kiba..- Hinata chama, na esperança que ele se acalmasse.

-...Eu comprei flores pra ela, fiquei horas tocando a campainha e quando venho aqui pra conversar com você, descubro que você mentiu, que merda de amigo é você?!

-Você só tinha que ficar longe e não somos amigos- Naruto diz calmamente, não melhorando em nada a situação.

Kiba estava possesso. Hinata entra na sua frente e segura seus ombros quando percebe sua intenção de pular em Naruto.

-Hey, tudo bem.- murmura pra ele, de costas para o sofá.- O que ele fez não foi certo- faz com que os olhos castanhos se concentrem nos seus- Mas já está tudo bem, eu não estou chateada, vamos esquecer isso...

-Mas ele mentiu na cara dura!- reclama e Hinata precisa morder o lábio para não rir do seu tom infantil.

-Eu sei, querido- se imaginava falando com Hanabi.- Mas agora já foi, certo? Está tarde, não precisamos continuar com isso, sim?- dá dois tapinhas na bochecha dele e sorri. Consegue ouvir Naruto bufar, mas o ignora.

-Sim...- ele murmura contrariado- Você não está com raiva de mim?- o sorriso dele havia voltado em uma rapidez impressionante.

-Não, passado é passado.- garante, já se afastando dele e se virando para Naruto, que se encolhe minimamente sobre o seu olhar.

Iria ter uma conversa séria com ele, mas primeiro precisava fazer com que Kiba fosse embora.

Encontrou o moreno novamente e se surpreendeu quando viu que ele lhe estendia o buquê de rosas. Nunca havia ganhado nada parecido e corou agradecendo o presente.

-Janta comigo amanhã?

A pergunta fez com que ela engolisse a seco, assustada com a espontaneidade.

-Não seja ridículo, claro que não!

A resposta não vem dela, Hinata encara Naruto com as sobrancelhas arqueadas e suspira, já sabendo como resolver aquela situação toda.

-Kiba, amanhã às 19h é bom 'pra você?


Notas Finais


TRABALHANDO COM A SINCERIDADE AGORA, O KIBA FOI BURITINHO, não foi?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...