História Se essa rua, fosse minha - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Amor, Bangtan Boys (BTS), Jikook, Jimin, Jimin Botton, Jungkook, Jungkook Top, Lemon, Lgbt, Namjoon, Raba Do Jimin, Sope, Taeseok, Terror, Universo Alternativo, Yaoi
Visualizações 54
Palavras 2.863
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Mistério, Orange, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - Capítulo 8


Fanfic / Fanfiction Se essa rua, fosse minha - Capítulo 9 - Capítulo 8

Votem🌟 e comentem 💬 é de graça e não custa nada.


Você não merece meu respeito, se não me respeitar”




O vendo estava frio aquela tarde, as árvores balançavam perfeitamente nas colinas, embaixo das enormes árvores criava uma linda chuva de folhas secas anunciando a chegada do outono, o distrito norte então pode suspirar aliviados, as chuvas parariam e só voltariam no próximo verão.

Jin estava sentado em sua cama, com apenas uma toalha de banho amarrada em sua cintura, seu corpo estava quente, outra vez, já fazia meses, cinco exatamente, que seu corpo esquentava com apenas a lembrança de como as mãos fortes daquele homem vinham em sua mente, a forma rude e ignorante a qual foi puxado e prensado contra a parede de madeira o faz arfar exitado, estava exausto e preocupado com o sumiço repentino de Jimin, seus nervos estavam a flor da pele, precisava se aliviar.

— Porra. — Praguejou assim que sentiu seu membro pulsar forte.

E como se seu seu cérebro perdesse total controle de seu corpo, ele levou sua mão até seu membro rígido e o apertou forte, apertou como aquele homem apertou seu braço, forte e doloroso, sem nem mesmo perceber Jin já estava se masturbando com agilidade, subia e descia a mão rapidamente, sua mão esquerda passava for seu peitoral, assim como barriga, mamilos, braços, a tesão era tanta que o menino chegou a revirar os olhos de deleite, a imagem daquele homem forte, de expressões duras, a boca malditamente linda.

— Merda. — Gemeu baixinho assim que levou um de seus dedos até sua entrada, a circulando ameaçando entrar, porém, não entrava.

Os olhos duros do homem alto de toques rudes vieram em sua mente outra vez, e foi automático sua mão o apertou forte, fazendo o garoto arquear as costas em um lindo arco, era uma cena magnífica, e com sua imaginação fértil as mãos do homem sairam dos seus braços e seguram para sua garganta a apertando forte, e esse foi o fim de SeokJin, gozando tão forte como todas as vezes que se tocava pensando naquele maldito homem, com a respiração acelerando se levantou da cama, mesmo suas pernas estando bambas caminhou fortemente até sua bacia de água e começou a se banhar, limpam o sêmen a qual saiu de seu corpo tão deliciosamente, e cada vez que o pano molhado era passando em seu corpo era impossível não se arrepiar, estava tão quente, e a água gelado.

— JIN! — Saiu do seu curto transe com a linda voz de sua mãe o chamando.

— Estou indo.

Se secou e colocou roupas limpas, colocando sua bota e passando a mãos nos cabelos para arrumá-los melhor, logo saindo de seu quarto e descendo para sala, onde encontrou sua mãe, Pai e claro, o príncipe Yoongi.

— Jin, estou procurando, seu irmão ainda não voltou. — Seu pai disse nervoso.

— Jimin deve esta assustado, não é todo dia que alguém vem pedir sua mão. — Jin falou calmo, sabia que seu irmão estava bem. — Ele só precisa pensar.

— Ele têm alguém? — Yoongi perguntou duro, o pensamento de que o coração de seu doce Jimin já estava ocupado o deixa raivoso. — Diga-me SeokJin!

— Jimin não me falou nada sobre esta com alguém. — Falou, mesmo não gostando do tom do príncipe. — Porém, avia me dito que avia se interessado por um homem, a qual não sei quem é. — Completou cansado, só queria descansar e então, quando Jimin voltasse o encheria de perguntas.

— Jimin mal sai, ele não gosta de sair de casa, normalmente ele só vai no lago, em frente ao... — E então Jack travou, seu olhar era tão perdido quanto sua mente.

— Ao bosque. — Rose sussurrou baixo, levando uma mão a boca.— Jack. — Chamou o marido desesperada.

— Meu príncipe, preços desculpas pelo que meu filho fez, porém, tenho que ir. — Jack falou nervoso. — Jin ira acompanhá-lo até o castelo.

E sem deixar que Yoongi perguntasse algo, Jack saiu de casa, era nítido que ele iria buscar Jimin, nunca que permitiria que aqueles animais do bosque tocassem em seu menino, ele quebrou aquele acordo a anos atrás, Jungin pagará com a vida se machucasse seu menino.

                             [...]

Jin suspirou alto assim que saiu de casa, o príncipe venho só, então porque não voltava também, estava exausto só queria sua cama e dormir até o sol sumir e a lua aparecer, somente isso, era pedir muito, Deus.

— Onde seu pai foi? — Yoongi perguntou rápido, queria saber onde Jimin estava.

— Me perdoe meu senhor, porém, eu ouvir tanto quanto você. — Falou simples. — Meu Pai não fala muito, ele só age, como pode presenciar.

— Estou preocupado com Jimin, SeokJin, não sabia que ele ia me recusar. — Yoongi assumiu um tom baixo, claramente estava chateado pela recusa de seu doce menino de cabelos negros.

— Eu também me preocupo com meu irmão, sei que foi errado ele ter fugido daquele jeito, porém, Jimin é um menino que nunca teve um contado com alguém nesse sentindo, você foi o único que ele deixou se aproximar tanto. — Jin sábia que seu irmão não era muito sociável, principalmente com seus pretendentes.

— Eu achei que ele também estava começando a ter sentimentos por mim, mas, não do jeito romântico pelo que posso ver. — A voz do príncipe era firme, porém, continham tristeza.

— Sinto muito. — A sinceridade era nítida no tom do Park, Jin sabia que o príncipe estava chateado, porém, não podia fazer nada, só sentia pena do mesmo.

— Não tenha pena de mim SeokJin! — A voz alterada de Yoongi fez Jin o olhar espantado. — Se seu irmão não me quis, isso não é o fim do mundo, então pare de sentir pena.

— Sinto muito alteza, não foi minha intenção ofendê-lo. — Jin piscou rápido, era uma mania dele, quando se sentia nervoso suas pálpebras se fechavam e se abriam rápido.

— Está tudo bem, porém, odeio que tenham pena de mim, o que acha de entrar e tomar um chá? — Convidou assim que a carruagem parrou.

— Sinto muito, mas, terei que recusar majestade, estou procurando com Jimin, e melhor que eu espere em casa com minha mãe. — Não era que não quisesse ficar e conversar com Yoongi, mas, tinha que voltar.

— Claro, tenha uma boa viagem de voltar, até mais SeokJin. — E com um dispendida pouco cortês Yoongi saiu da carruagem.

— Me levem de volta. — Pediu Jin ao cocheiro.

Tinha que ir para casa, seu corpo pedia por um descanso, os treinos de ontem a tarde acabaram com ele, podia sentir ainda o chute que uns dos soldados a qual treinava, que o desferiu com tanto vigor, agora o que restava era esperar seu irmão voltar.

                               [...]

Jimin estava encantado com tudo o que via, depois de cavalgar com Jungkook por todo o bosque e de soltar gargalhadas escandalosas todas as vezes que o cavalo pulava sobre um galho, depois de um tempo chegaram a um muro alto, que era repleto de plantas agarradas o que dava a impressão de uma muralha de plantas, assim que Jungkook desceu de seu cavalo ajudou Jimin em seguida.

— Você foi um bom garoto Zan. — Jungkook elogiou o cavalo negros.

— Ele é lindo, eu nunca tinha cavalgado antes. — Jimin falou passando a mão em Zan.

— Você ainda vai cavalgar muito, eu vou me garantir disso. — O sorriso sacana que Jungkook deixou escapar deixou Jimin curioso.

— Vai me dar um cavalo? — Perguntou inocente.

— Eu te dou tudo o que você me pedir, príncipe. — Jungkook falou abraçando Jimin. — Tudo o que você me pedir.

— Quero que me beije. — Sussurrou baixinho, a boca de Jungkook em seu pescoço não estava ajudando em nada.

— Tudo o que meu menino quiser.

Não dava para esconder o poder que Jimin tinha sobre o Jeon, se o menor pedisse para que Jungkook o desse o mundo o mais velho faria de tudo para conseguir nem que para isso tivesse que acabar com tudo e todos em sua frente, e como um escravo dos desejos de Jimin, Jungkook o beijou.

Segurando sua cintura com vigor, e uma força desnecessário, a língua atrevida de Jungkook fez o pequeno Jimin tremer, o modo gostoso e pecaminoso que Jungkook o beijava estava levando Jimin ao céu, poderia ficar ali para sente, as mãos fortes o apertando com tanta força ao ponto de o causar dor, uma dor exitante.

— Eu poderia devorar você agora mesmo, bem aqui. — Jungkook rosnou exitado. — Porém, eu fiz uma promessa a mim mesmo.

— Eu te amo. — Jimin confessou de olhos fechados. — Eu amo você Jungkook. — A voz chorosa de Jimin fez JungkooK o olhar.

— Porque você esta chorando amor, eu também amo você . — Jungkook falou sorrindo, porra, seu menino era tão fofo.

— E-eu só percebi agora. — A voz foi cortada por um soluço. — Antes eu não sabia o que sentia, estava com dúvida, mas, esse beijo, esse beijo foi tão bom, eu me senti em casa, eu, eu amo você. — O sorriso de Jimin era tão puro naquele momento, nada além do amor  que sentia pelo homem a sua frente passava em sua cabeça.

— Eu também amo você, príncipe. — Jungkook declarou o beijando. — Agora vamo entra antes que eu cometa alguma loucura.

— O que você faria? — A provocação na voz de Jimin era nítida, e ao perceber isso Jungkook sorriu maldoso

— Eu foderia você alí. — Apontou para um troco grande atrás de uma árvore. — Te apoiaria contra o tronco e te provaria em todos os lugares, depois eu te foderia forte e bruto.

— O que mais? — Jimin perguntou ofegante, Jungkook o olhava tão cheio de desejo que o Park podia jurar que sentia seu corpo queimar.

— Eu ia te fazer gozar bem gostoso na minha mão, e no final ia gozar dentro dessa bunda gostosa. — Jimin gemeu assim que Jungkook apertou sua bunda forte. — Eu posso ficar o dia todo falando o que quero fazer com você, posso te dizer tudo o que imaginei fazer com você, mais eu não  aguentaria somente falar.

— Jungkook.

— Então vamos entrar, vou te mostrar meu lar. — Jungkook finalizou deixando um pequeno selar nos lábios vermelhos e inchados de seu menino.

Jungkook foi até a parede e a empurrou revelando uma abertura, quando olhou para trás viu seu menino de cabeça baixa, sua mãos estava enfrente sua cintura, claramente tampando sua ereção, estava com tanta vergonha que não conseguia olhar para o Jeon, porra, seu menino era tão lindo.

— O que foi Jimin? — O cinismo era tão evidente na voz de Jungkook, Jimin apenas abaixou mais a cabeça.  — Olha para mim!

— Jungkook e-eu...

— Vêm. — O chamou lhe estendendo a mão, Jimin apenas negou com a cabeça. — Eu mandei você vim, Jimin.

— Não, e-eu n...

E com um puxão forte a fala do pequeno foi cortada, logo em seguida sentindo suas costas se chocando contra a parede de plantas, Jungkook prendeu as mãos pequenas a cima da cabeça do menor e colocou sua perna esquerda entre as pernas de jimin, para poder ter mais acesso.

— Quando eu falar para você vim até mim, você vem. — Jungkook disse seco, Jimin se arrepiou, era o mesmo tom que se lembrava quando criança.

Jimin não falou nada, não conseguia, Jungkook estava muito perto, muito quente, Jimin sentia seu pau pulsar dentro de suas roupas, o olhar devorador de Jungkook encima de si não ajudava em nada, seu corpo reagia aquele homem assim como uma abelha reagia a mel, Deus, JungkooK era o próprio pecado em pessoa.

— Jungkoo-Hummm — Jimin gemeu assim que sentiu uma mão apertou seu membro forte.

— Eu não deveria esta fazendo isso, não somos casados ainda, mas, eu não vou deixar você ficar com a porra de uma ereção fodidamente gostosa e não fazer nada. — Falou enquanto chupava o pescoço branquinha e imaculado de marcas.

— Huum.

— Você gosto não é? Gosta do fato de que eu posso ter você a hora que eu desejar. — Jungkook falou malicioso. — Isso é meu, amor. 

E sem mais cerimônias, Jimin teve sua calça violada pela grande mão de Jungkook que o pegou por inteiro, porra, era tão quente, seu menino estava tão quente e pulsante em sua mão que chegava a doer o fato de não poder o foder ali mesmo, e a única coisa que Jimin pode fazer foi jogar a cabeça para trás, deixando seu pescoço exposto para que seu homem fizesse o que desejar consigo.

— Jungkook. — Reclamou asssim que sentiu um aperto rude e doloroso em seu membro.

Era uma sensação maravilhosa, tão gostoso e melado, era assim que Jimin estava, molhado e gostoso, Jungkook nunca achou que o primeiro momento íntimo com Jimin seria assim, em frente ao muro de sua aldeia, com seu pequeno vermelho e gemendo baixinho em seu ouvido, estava sendo melhor do que qualquer fantasia que já tivera.

— Esta vindo algo. — Falou tão baixo que Jungkook mal pode ouvir.

— Estava vindo para mim, amor, mais já? Eu te deixo tão cheio te tesão que você já vai gozar? — Jungkook acelerou os movimentos com a mão, se deliciando com o gemido de Jimin.

— F-fala mais. — Pediu num gemido dengoso.

— Quer que eu fale mais, você só têm cara de anjo não é Jimin, no fundo você é uma putinha necessitada por mim, você quer seu homem, amor? — Jimin gemeu alto assim que Jungkook puxou seus cabelos com força e o olhou nos olhos. — Você me quer em você?

E com um aceno frenético Jimin gozou gemendo o nome de Jungkook manhoso, seu corpo estava em êxtase, dando solavancos de prazer toda vez que Jungkook o acariciava, e o Jeon pode se deliciar com a bela visão de seu menino de cabeça para trás, olhos fechados e um lindo sorriso de satisfação, Jungkook o amava tanto, tirando as mãos de Jimin, Jungkook se afastou um pouco.

— Eu te amo, Jimin. — Jungkook disse sério. — Sei o que fiz com você aqui foi um desrespeito, porém, eu não consegui resistir, quero que saiba que não quero somente seu corpo, ou o prazer que você pode me proporcionar, eu quero que você seja meu esposo, que seja meu de corpo e calma.

— Era isso que você queria de Minjoon?

— Como? — Jungkook perguntou sem entender o quê Jimin queria dizer com aquilo.

— Você queria só o prazer que ele podia te proporcionar, queria só o corpo dele. — Acusou, a mágoa era nítida em sua voz, ele não queria estragar o momento que estavam tendo, mas, o ressentimento falou mais alto que a ração.

— Era! era somente isso o que eu queria dele. — Sua a expressão era dura, não avia gostado do tom de Jimin. — Eu tirei a pureza dele, porém, deixei claro que não o amava, que eu era de outro, que eu era seu.

— Quando você tira a pureza de alguém, você têm que se casar com essa pessoa, isso não é certo. — Jimin disse raivoso. — Porque você não me esperou?

— Já conversamos sobre isso, você era uma crian....

— Mesmo assim, você pertence a mim, não deveria ter se deitado com ele. — Jimin gritou raivoso.

O ciúme o consumia pouco a pouco, somente o pensamento de seu Jungkook ter tocado outro alguém o deixava irado, saber que outra pessoa sentiu o mesmo que ele, que sentia a mão de Jungkook o tacando, de que fez seu Jungkook se excitar também o fez soluçar, e quando viu Jimin já estava chorando, o sentimento era tão intenção, que parecia que seu coração era de papel estava sendo amassado.

— Você também pertence a mim, e mesmo assim deixou aquele homem tocar em você. — Rugiu Jungkook, estava revoltado.

Jimin não falou mais nada, somente se virou e caminhou para longe de Jungkook, iria embora, e choraria em casa, não na frente do Jeon.

— Não vire as costas para mim, Jimin. — Avisou, porém, seu pequeno menino não parou. — Porra de menino teimoso. — Jungkook foi andando em passos largos até seu menino e o abraçou por trás.

Os dois ficaram assim por bons segundos, Jungkook esperou pacientemente seu menino se acalmar, e quando um soluço alto cortou o silêncio que avia entre os dois, Jimin se virou e abraço seu homem com força, e se permitiu chorar em seu peito.

— Acredite quando digo que me arrependo de ter tocado Minjoon, acredite quando digo que amo somente você. — Jungkook não estava mais aguentando ver seu menino soluçar em seu peito, então o pegou no colo e o mimou com beijos. — Não vamos mais brigar, bebê.

— LARGUE MEU FILHO AGORA SEU ANIMAL.



Notas Finais


Então eu aqui dando as caras de novo, como vocês estão?

Bom, primeiramente eu queria agradecer a todos que têm favoritado e comentado, isso me deixa mensalmente feliz, eu sempre leio os comentários de vocês, então obrigadão, Segundamente eu queria pedir desculpas pela demora, final de ano é sempre corrido então me perdoem pela demora.

Eu não revisei aínda, só irei revisar amanhã então se tiver qualquer erro me avisem.

Até mais meus pistoleiros🔫


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...