História Se eu não te odiasse tanto assim. - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias My Boss My Hero
Visualizações 3
Palavras 425
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Literatura Feminina, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Unindo forças.


Aquilo só podia ser brincadeira. Eu não conseguia acreditar. Eu não sabia se eu sentia raiva, ódio ou vontade de tacar um vaso de flor na cabeça dele.

- Naomi, quero conversar com você. 

- Pois eu não quero.

- Sra Miura poderia emprestar a sua sala para nós conversamos?

Minha claramente mãe nem pensou em exitar, já me puxou pelo braço me forçando a subir as escadas e mostrando o caminho para Daichi.

- Se sinta a vontade, se precisar de algo me chame. Naomi por favor escute o que o moço tem a dizer e seja gentil.

Ela rapidamente saiu da sala nos deixando a sós, coitada, não fazia ideia do quão odioso ele era, e acho que mesmo que soubesse não deixaria de casar sua filha por dinheiro.

- Vamos conversar.

- Eu não tenho o que conversar com você.

- Meu avô esteve aqui e eu soube que você negou o pedido dele.

- A começar que não foi nem um pedido, ele afirmou que eu me casaria com você.

- Deixa eu te explicar melhor, sua família precisa de dinheiro e eu preciso de um cargo na empresa da família.

- E o que eu tenho a ver com você precisar de um cargo?

- Dentro de 1 ano meu avô estará se aposentando e vai passar a presidência para algum de seus filhos e eu quero estar nessa briga. Eu não poderia por ser o mais novo, mas semana passada meu avô me chamou pra conversar e disse que se eu o ajudasse a cumprir uma promessa eu poderia herdar a presidência. 

- Meu Deus, eu já sabia que você era indecente mas chegar a esse ponto. Você quer se casar por interesse?

- Naomi, vamos fazer um contrato. Só fingimos ser um casal de verdade, você vai ajudar sua família e eu a conseguir a presidência. Dentro de um ano você terá seu divórcio. 

Aquilo era muito pra mim, eu não conseguirei fingir um casamento. Mas olhar pelo lado bom, não seríamos um casal de verdade então não precisaria fazer coisas de casal. Era só por um ano, eu poderia aguentar. 

- Eu aceito.

Ele tirou de seu bolso uma caixinha pequena e vermelha, era um lindo anel de pérola, talvez o mais lindo que eu já vi. Ele pegou minha mão delicadamente e o colocou no meu dedo, por um momento me senti um noiva de verdade. 

- Você deve usar esse anel sempre, e não pode falar para ninguém sobre o nosso acordo. Até mais porquinho. 

Porquinho!? De novo isso não! Será que eu realmente consigo aguentar por um ano?






Notas Finais


Na época de escola Naomi estava correndo da chuva quando caiu no chão e ficou toda suja de lama, quem apareceu para ajudar ( ou não ) foi Daichi, desde então ele a chama de porquinho.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...