História Se for pra tudo dar errado - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, Personagens Originais, V
Tags Fluffy, Mfpf, Taekook, Time Lady, Vkook
Visualizações 94
Palavras 1.652
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção, Fluffy, Slash, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Preciso mesmo dizer que eu xônei no projeto? Não né?
Eu peguei o tema “marshmallow” (doces) e a primeira coisa que me veio a cabeça foi kid!au
Eu já solicitei a capa, mas eu não consegui me segurar pra postar, desculpa universo >.<
O nome da fanfic é o título de uma música do Tópaz, que eu vou deixar nas notas finais junto do link do projeto <33
Enfim, tenham uma boa leitura!

Capítulo 1 - Então que ao menos tenhamos marshmallows; único


Fanfic / Fanfiction Se for pra tudo dar errado - Capítulo 1 - Então que ao menos tenhamos marshmallows; único

Se for pra tudo dar errado
Então que ao menos tenhamos marshmallows; único

 

 Finalmente! Finalmente o dia tão aguardado havia chegado, Taehyung estava tão animado que se embolou nos cobertores e quase caiu da cama. Mas isso não o impediu, não mesmo, afastou os cobertores e saltou para o chão, certamente sendo escutado por todos na casa.

 Estremeceu quando sentiu o chão gelado em contato com os seus pézinhos desprotegidos, o obrigando a interromper seu trajeto e correr até a gaveta no armário cheia de meias de bichinho. Mal conseguia conter a sua animação, a prova disso era vestir as meias ao avesso, tirá-las e vesti-las de novo, só que ao contrário, nos pés errados. Quando finalmente conseguiu vesti-las corretamente, saltou da cama — de novo — e calçou as pantufas de gatinho que miava a cada passo.

 Pantufas essas que Loki, o cachorrinho de Taehyung, detestava. Naquela manhã não foi diferente, seguia seu dono latindo a cada passo que este dava. Certamente uma cena engraçadíssima para a mãe do pequeno, que já o esperava no pé da escada.

 Taehyung desceu degrau por degrau segurando firmemente no corrimão, como sua mamãe havia ensinado para que não caísse.

— Bom dia minha raposinha. — Taehyung moveu a cabeça em negação, sua mãe nunca iria entender que ele era um gatinho? — Dormiu bem? — o pequeno assentiu enquanto era carregado até a cozinha.

— Mamãe, a que horas o Kookie chega? — perguntou ficando em pé na cadeira, tentando ver no que a mãe tanto mexia, conhecia bem aquele cheirinho, eram panquecas.

— A cadeira foi feita pra se sentar, não para ficar em pé, senta aí. — disse fazendo aquela pose, com as mãos na cintura e um dos pés batendo no chão. Taehyung sabia que dali não poderia sair nada bom, então obedeceu. — Vocês só vão acampar a noite, ainda é cedo. — explicou retomando o sorriso que Taehyung acreditava ser o segundo mais bonito do mundo.

 Isso o deixou chateado, mas não por muito tempo, pois um prato com panquecas com calda de chocolate foi deixado na mesa a sua frente. Tinha acertado em cheio!

— Posso saber porque você quer tanto falar com Jeongguk? — ela perguntou enquanto recolhia o pratos e o copo que antes estava cheio de suco.

— É segredo. — disse com um sorrisinho que dizia que não estava se aguentando, queria tanto contar a alguém.

— E se eu prometer não contar a ninguém? — perguntou após se agachar na frente do filho.

— Promete de dedinho? — mostrou o dedo mindinho.

— De dedinho. — respondeu imitando o filho.

— Não conta pro Kookie, mas eu vou pedir pra ele ser o meu namoradinho. — sussurrou com o rosto perto do da mãe, podendo vê-la abrir um sorriso surpreso. — Por isso que eu pedi pra que você comprasse aqueles marshmallows coloridos, porque são os preferidos do Kookie, assim ele não vai ter como negar. — Mas é claro, da última vez que foram ao mercado Taehyung não parava de dizer que tinha de ser os marshmallows coloridinhos, nenhum outro. Lembrava de ouvi-lo dizendo que os outros não iriam funcionar…

— Você tem certeza disso querido? — perguntou, mesmo já sabendo da resposta.

— O hyung disse que nós pedimos em namoro que nós amamos, e eu amo o Jeonggukie um montão assim ó! — abriu os braços o máximo que pôde, sua mãe sorriu.

— Quando Namjoon disse isso?

— Quando eu perguntei pra ele o que era namorar, ele disse que amava o Yoongi hyung e é por isso que eles estão namorando. — explicou lembrando-se do dia. — Mamãe você acha que o Kookie me ama?

— Se eu acho? Eu tenho certeza que ele te ama mais do que a Marceline ama a Princesa Jujuba. — Bingo!, tinha acertado em cheio, Taehyung abriu um sorrisão meio banguela, pois lhe faltava um dos dentinhos da frente. — Por que não vai assistir desenho enquanto eu lavo a louça? — Taehyung assentiu antes de saltar da cadeira, aliás, primeiro abraçou a mãe o mais apertado que conseguiu, depois saltou da cadeira.

 Bom, até aí tudo bem certo? Mas aí começou o que poderia estragar todo o dia que Taehyung tinha planejado com tanto carinho. Uma neve chata e repentina começou a cair com certa força, tinha tudo para ser a maior nevasca do ano.

 Taehyung pode acampar outro dia não pode? Taehyung não pensava assim, pois no instante em que ouviu a mãe dizer que não poderiam montar a barraca no quintal, que não teria como acender uma fogueira pois o vento não deixaria ela ficar acesa por muito tempo, ele correu para o quarto.

  Correu pois sabia que aquilo significava não ver Jeongguk naquele dia.

— Tae abre a porta… Querido… — ouviu sua mãe dizer do outro lado da porta, mas apenas a ignorou. Seus lábios tremiam e algumas lágrimas já escorriam pelas bochechas, mas tentava limpá-las com as mangas do pijama do Woody. Sua mãe continuava a bater suavemente na porta, por isso apenas escondeu o rosto nos joelho e cobriu as orelhas com as mãos.

 Um dia, dois dias, passam voando para os adultos, mas parece ser uma eternidade para uma criança; principalmente uma com as mesmas intenções que Taehyung, que tinha planejado aquele dia, o que ele e Jeongguk iam comer, o que iam fazer, com tanto carinho.

 Foi pensando nisso que parou de tentar falar com filho e foi até a sala de estar, precisava fazer uma ligação.

 

~ ♡ ~

 

 Sentia-se decepcionado por inúmeros motivos, mas o principal era que Jeongguk não havia ligado. Ele sempre ligava, mesmo que fosse só pra dizer que havia feito um novo desenho dos dois, de uma borboleta ou de um sol. Poxa, já não bastava a neve não avisar que iria cair?

 Não chorava mais, mas sua caixa de risadas parecia ter quebrado. Nem mesmo Boo, o ursinho que um dia já havia sido de Jeongguk, parecia animá-lo. O jeito seria dormir até aquelas nuvens escuras irem embora e o sol voltar a brilhar. Esse era o plano...

— Tae Tae! — “Era”, todo o sono, preguiça ou tristeza sumiu quando ouviu a vozinha do amigo do outro lado da porta. Afastou as cobertas e deixou Boo sobre a cama, correndo (e quase caindo) até a porta, abrindo e dando de cara com um Jeongguk agasalhado da cabeça aos pés; exibia um par de bochechas coradas, a ponta do narizinho vermelha e os lábios tremendo, mas ainda assim tinha um sorrisão.

 Taehyung sorriu e abraçou o amigo, uma cena adorável para as duas mulheres que observavam da escada.

— Taehyung querido o que acha de ficarem na sala? Eu acendi a lareira, Jeongguk precisa se aquecer, se não vai ficar doente. — Taehyung assentiu, mas antes de fazer o que a mãe havia dito voltou correndo até a cama, pegando o Boo, para então ir até o amigo e ambos desceram as escadas, com uma ajudinha da Senhora mãe do Kookie.

 O pequeno Kim quase gritou quando viu a sala com todas as cortinas fechadas, sendo iluminada pelas chamas na lareira; no centro da sala os dois sofás haviam sido afastados e uma barraca feita com lençóis, almofadas e uma cordinha amarrada de uma ponta a outra pela sala. Jeongguk deu um pulinho ao seu lado.

— Eu ajudei a montar a barraca! — quase gritou para o amigo.

 Cada uma das mães ensinou seu respectivo filho a espetar os marshmallows nos gravetinhos e a assá-los, mas ainda ficariam de olho para não se machucarem, é claro. Duas canecas de chá ainda por fazer as esperava na cozinha, mas deixariam a porta da cozinha aberta para caso algo acontecesse.

— Mamãe disse que você tava’ chorando… — disse Jeongguk, concentrado em seu marshmallow, já com água na boca. — Você tava’ chorando mesmo?

— Não… — respondeu torcendo a boca. — Só bebês choram.

 Os dois ficaram em silêncio por um instante, sentindo o cheirinho dos doces.

— Bebezão. — Jeongguk disse finalmente. Taehyung fechou a cara, virando o rosto pronto para retrucar, mas não soube o que dizer, pois Jeongguk ria.

— Seu… Seu… Seu dente de coelho. — Jeongguk o encarou com confusão estampada em seu rosto.

— O que?

— Isso mesmo que você ouviu, seu dente de coelho. — Taehyung sorriu como se soubesse que tinha vencido aquela discussão, só não contava que o amigo largasse o espetinho e começasse a chorar, cobrindo o rosto com as mãozinhas. Ouviu sua mãe rir da cozinha e se perguntou como ela poderia estar rindo. — Ah Kookie me desculpa, por favor me desculpa, eu acho os seus dentinhos de coelho fofinhos. — falou desesperado, vendo os ombros de amigos tremerem.

— Você é tão bobo hyung. — disse Jeongguk descobrindo o rosto, mostrando que só estava fingindo. — Eu sei que você adora meus dentinhos de coelho. — Taehyung mostrou a língua.

— Kookie, você queimou seu marshmallow. — apontou para o doce, que mais parecia um carvãozinho. Jeongguk fez bico, olhando para o doce e Taehyung sorriu, levando o seu marshmallow azul para perto do amigo.

— Pode pegar. — Jeongguk sorriu e pegou o gravetinho, o outro o observou assoprar o marshmallow.

— Jeongguk — o chamou, recebendo um resmungo como resposta. — Quer ser meu namorado?

— Claro… — ambos ficaram em silêncio por alguns segundos, até Jeongguk perguntar. — O que é namorar?

— Eu não sei, Joonie hyung disse que é quando amamos muito uma pessoa. — encolheu os ombros.

— Ah… — colocou o marshmallow na boca. — Eu também amo você hyung. — falou com a boca cheia.

 Taehyung abriu um sorrisão e se inclinou para beijar a bochecha do amigo. Da cozinha sua mãe avisou que faria chocolate quente.

— Hyung, eu posso comer o resto?


Notas Finais


Projeto♡ https://spiritfanfics.com/perfil/fluffyporfavor
Música https://www.youtube.com/watch?v=pAEzsDaCk6A

A caixa de risadas eu tirei de Bob Esponja q >.<


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...