1. Spirit Fanfics >
  2. Se você soubesse como é ser eu (Jikook - ABO) >
  3. Seria uma longa noite.

História Se você soubesse como é ser eu (Jikook - ABO) - Capítulo 19


Escrita por: MinYukki

Notas do Autor


Annyonghaseyo bolinhos de arroz❤

Eu sei, eu sei que sumi e me perdoem... Eu estava bastante desanimada em relação a tudo na minha vida, estava muito mal mesmo... Mas vou ficar bem :)

Boa leitura e lavem as mãos✨

Capítulo 19 - Seria uma longa noite.


Fanfic / Fanfiction Se você soubesse como é ser eu (Jikook - ABO) - Capítulo 19 - Seria uma longa noite.

Yoongi sorriu quando um beijo molhado foi deixado em sua nuca e bufou quando, pela terceira vez, errou o corte da cebola. Malditas mãos.

— Deixa que eu corto, babe. — o ruivo se aproximou novamente lhe tomando a faca.

— Desculpa.

— Não se desculpe, você não tem culpa, gatinho.

O mais novo assentiu, mas não era isso que ele pensava. Em sua cabeça, ele era defeituoso.

— Príncipe, onde está seu desodorante? — com uma toalha enrolada na cintura, Taehyung surgiu em meio a cozinha.

— Ah... — sua fala morreu ao que ele fixou seu olhar no corpo semi nu do moreno. Os fios úmidos, as goticulas de água escorregando pela linha do abdômen, os braços fortes e cheios de tatuagens, e, para completar, o desenho de um tigre laranja englobada no peito e ombro esquerdo. A favorita do Min.

— Yoongi?

— S-sim? — piscou algumas vezes, acordando de seu transe

— O desodorante. — o alfa riu, acompanhado pelo ruivo.

— Ah, sim! É... O outro acabou, e tem um novinho no armário do banheiro! — falou rapidamente tirando mais um sorriso dos dois alfas ali.

— Fofo. — declarou antes de voltar a caminhar para o quarto.

Já era noite, e a lua cheia brilhava no céu que estava completamente sem estrelas. Hoseok havia chegado no fim da tarde, acabando por atrapalhar os estudos dos namorados por estar totalmente suado e exalando seu cheiro fortemente. Yoongi foi o primeiro a parar de estudar por falta de concentração, sendo seguido por Taehyung. E quando o verdinho se deu conta de que finalmente teria um tempo a sós com seus alfas, ele decidiu que faria pizza caseira.

— Não acho que vai ficar bom... Eu não sei conzinhar. — confessou mirando a massa no forno.

— Vai ficar uma delícia, Yoonie. — Hobi o abraçou por trás. — Como você está?

— Bem.

— Está mesmo? — esfregou o nariz na bochecha alheia, aspirando o cheiro de morango. — Não pense que eu não escutei você se chamando de inútil quando não conseguiu cortar a cebola de primeira.

— Hobi... Eu-

— O que teremos para jantar? — o Kim cantarolou entrando no cômodo. Estava vestido em eu fardamento que se resumia a uma calça social preta com uma camisa também social de cor azul claro e mangas dobradas até perto dos cotovelos, juntamente a coturnos pretos e uma bandana vermelha amarrada em seu pescoço. Ele trabalhava de barista em uma casa noturna.

— Vamos comer pizza, Taehyung-ah! — exclamou mostrando um sorriso vendo o namorado também sorrir, assentindo.

— Que tal abrirmos uma garrafa de vinho? — o Jung questionou sugestivo ao mesmo que soltava o ômega e ia até a pequena adega ali mesmo, na cozinha.

— Não gosto de álcool. — fez biquinho.

— Não se preocupe, babe, eu bebo todo o seu estoque por você. — deu-lhe uma piscadela ao que segurava a garrafa de vinho branco e pegava uma taça.

O verdinho assentiu e olhou para trás, avistando Taehyung do outro lado da sala, proximo a sacada. Ele segurava um cigarro entre os lábios, procurava o isqueiro, e quando o achou acendeu, então, aquilo que destruia seus pulmões e tragou forte, se entorpecendo.

— Não devia está fumando... — murmurou baixinho chegando perto.

— E você não deveria ter me olhado como se quisesse que repetíssemos aquilo denovo. — retrucou após soltar a fumaça, sacana.

O ômega sentiu suas bochechas queimarem.

— Não fala assim! — estapeou-lhe o braço.

— Por que não? — seus lábios se curvaram em um pequeno.

— Você sabe o porquê... O Hobi. — olhou para trás vendo o ruivo encher a taça que tinha encontrado com o líquido transparente.

— Não se preocupe, gatinho. Ele não vai ficar chateado com isso.

— Não sei não... — resmungou se sentindo culpado. Não queria que Hoseok achasse que estava sendo postao de lado.

— Sobre o que estamos falando? — o alfa lúpus indagou se aproximando de ambos.

— Sobre o Yoongi ficar implicando o tempo todo com o meu cigarro. — foi rápido em disfarçar, tragando mais uma vez.

— Você sabe que não vai adiantar nada, gatinho. 

O Min não disse nada, apenas deixou-se embreagar pelo cheiro de café e chocolate que adentrava em suas narinas, lhe confortando. Sorrindo sem perceper, sendo observado pelos dois alfas ali. 

— Vamos brinca de twister? 

— Gatinho, eu vou sair em meia hora para o trabalho.

— Mas eu queria... — abaixou o olhar fazendo a chantagem de sempre, sabendo que os alfas cederiam. — Por favor.

 Tae rolou os olhos, tragando um última vez antes de dizer: — Tá bom, vamos.


[...]


— Onde você está? — Namjoon perguntou ao namorado do outro lado da linha, deitado em cima de sua cama King com o celular no ouvido.

— Indo para casa.

— Toma cuidado, por favor. — rolou na cama passando a mirar no relógio em sua bancada de estudos. Uma e meia noite e meia. — Está tarde.

— Eu vou tomar, anjo. Agora tenho que desligar, tudo bem? Tenho que atravessar algumas avenidas.

— Certo. — suspirou. —Queria que viesse para cá.

— Sabe que não posso. Se eu for para ai você vai querer que eu ter der atenção, que eu cuide de você e eu não vou conseguir. Não é que eu não queira, você sabe.

— Tudo bem. — corformou-se, frustrado.

— Me desculpa por ser assim. — a voz saia cansada.

— Não quero que se desculpe, Seokjin. Entendo suas questões, mas quero que saiba que eu não aguento mais ficar assim. Precisamos conversar.

— Eu sei. — o suspirou na linha — Pode ser na sexta? A noite? Vou tentar tirar uma folga e...

— Pode.

— Certo, na sexta então.

— Ótimo.

— Vou desligar... Eu te amo, anjo.

— Eu... Também. — e desligou. 

Agoniado, ele jogou o celular em qualquer canto da cama. Estava morrendo de saudades do namorado, o ter longe por tanto tempo estava deixando seu lobo entristecido, carente. Esfregou o rosto tentando fazer as lágrimas que insistiam em descer pararem, mas não conseguia. Aquela sensação era horrível. Sentia-se abandonado, negligenciado. Sentia que definharia até não sobrar mais nada.


[...]


Após brincar de twister e comer o jantar, Taehyung se despediu de seus namorados e saiu rumo ao trabalho. Ele sabia que Yoongi odiava ficar sozinho mas estava aliviado por saber que o Jung estava com ele.

Sentado sobre o sofá macio, Hoseok acarinhava as costas do ômega encolhido em seu colo. Na mesinha de centro existiam restos da pizza, como cascas que o Kim tirava todas as vezes que comia o lanche e as azeitonas que Yoongi odiava, juntamente a copos vazios.

— Hobi... Preciso te contar uma coisa. — resmungou o pequenino.

— O que, gatinho? — observou o verdinho se sentar de forma ereta sobre suas coxas.

— Promete não ficar bravo?

As sobracelhas franzidas e biquinho formado mostravam sua apreensão em contar. Yoongi era tão doce.

— Prometo. — confirmou levando a mão até o rosto do garoto, fazendo um carinho ali.

— E-eu... Eu e o Tae... Nós, hm... Eu... Chupei ele, e... Ele me chupou. — confessou se encolhendo. Estava com medo de que o namorado o julgasse por isso.

— Não vejo problema algum nisso. — foi sincero continuando o carinho. Ele realmente não via.

— Não?

— Não. — negou com a cabeça — Fico feliz que você tenha se deixado desfrutar de uma nova sensação com o Tae.

— Não está chateado porque não foi com você?

— Não. — o ruivo sorriu. — Babe, eu amo você e amo o Taehyung. O fato de vocês se beijarem ou transarem não vai me fazer amar menos, pelo contrário, só vai fazer eu me sentir o homem mais sortudo do mundo ainda mais.

O Min não soube como responder a aquilo, estava tão preocupado com o fato de Hoseok ficar bravo, que nem ao menos pensou na possibilidade dele ficar feliz por ele rstar conseguido se abrir a aqurla nova área de sua vida. A área sexual. Porque diferente da maioria de seus amigos e amigas que perderam a virgindade ainda na adolescência, Yoongi resolveu esperar, então sempre passava seus cios dopado. 

Aliviado, ele sorriu contente por saber que amava o homem certo.

— Então... Eu quero denovo.

— Como? — o alfa não entendeu.

— Quero fazer denovo Hobi-ah, só que com você agora.


[...]


Jungkook se encontrava dentro de seu quarto, confuso sobre as sensações que o rondavam. Aquilo não era normal. Se sentir triste com ofensas não era normal. Ter necessidade de estar entre os braços de alguém não era normal. Não era.

Mas o maldito lobo dentro de si insistia em sentir todos aqueles sentimentos, insistia em faze-lo querer estar perto, em fazê-lo querer chorar. Por que? Não tinha resposta.

Puxou os fios dourados se afundando na própria cama, debaixo dos lençóis, odiando gostar tanto de sentir o próprio cheiro, que agora, era o cheiro de Jimin. E foi ali, em meio aos odor arrebatador de menta, que ele pegou no sono.

Na sala, Jimin tinha um copo de álcool na mão. Era seu segundo, e não seria o último daquela noite. Seu lobo estava deprimido, deprimido por ter sido rejeitado pelo Jeon, este que o empurrou e saiu em disparada para o quarto. Aquilo o estava o enlouquecendo! Tanto aquela situação de troca de corpo, quanto o fato de lidar com Jungkook sendo um ômega.

Engoliu tudo o líquido de uma vez passando a encher novamente o copo.

 É, seria uma longa noite.


Notas Finais


Roi :)

Viram que eu foquei tbm nos Namjin r Taeyoonseok né? Pois bem, a fic vai ficar sendo dividida assim. A partir de agora a história vai andar mais rápido.

Obg pelos favoritos!!!💜

Beijos do Jin pra vcs😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...