História Sea of Lost Love - Aurieta AU - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Orgulho e Paixão
Personagens Aurélio Cavalcante, Camilo Sampaio Bittencourt, Elisabeta Benedito, Ema Cavalcante, Julieta Sampaio Bittencourt "Rainha do Café", Personagens Originais
Tags Aurélio Cavalcante, Aurieta, Elisabeta Benedito, Gabriela Duarte, Julieta Bittencourt, Marcelo Faria, Olegário, Orgulho, Paixão
Visualizações 337
Palavras 1.560
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá!! Estou de volta!
Hoje as minhas Aurietinhas vão ter sorte! Hoje vão sair dois capítulos e com eles vêm duas personagens que nos são muito queridas, Olegário e Elisabeta. Vão ter mais enfoque no capítulo 4.
Preparem-se porque vão ser dois capítulos de grandes emoções.
Este capítulo serve de ligação para o capítulo seguinte.
Vou só deixar aqui as bios:

Olegário - colega de escola de Julieta e Aurélio, excelente colega, mas principalmente grande amigo e pessoa. Engenheiro de profissão é um cara divertido e honesto. Casou á poucos anos com uma mulher poucos anos mais nova que ele, mas pela qual se apaixonou perdidamente, Charlotte. Têm dois filhos pequenos e vivem uma vida feliz, como uma família exemplar que são!

Elisabeta - colega de escola de Julieta e Aurélio é também ela amiga de todo o mundo. Melhor amiga de Julieta em tempos de escola revê a amiga após algum tempo sem se verem. Defende os seus como ninguém! Mulher destemida é jornalista. Apaixonada pela vida ainda procura o amor.

Me acompanham nesta leitura? Vamos lá!

Capítulo 3 - Emoções


Fanfic / Fanfiction Sea of Lost Love - Aurieta AU - Capítulo 3 - Emoções


POV Aurélio
E mais uma vez a via ir embora, a sua Julieta!
Meu Deus como ela continuava linda e como ainda mexia tanto com ele!
Aurélio foi interrompido pelos seus pensamentos
- "Está tudo bem Aurélio? Quem era aquela?" - perguntava Adriana
Tentava disfarçar "Sim, sim! Era a mãe de Camilo! As crianças começaram a brincar juntas e estivemos a conversar um bocadinho"
- "E sabe mãe, a mãe de Camilo foi colega do papai na escola!" - interrompeu Ema.
- "Ai é?" - agora olhando para Aurélio Adriana questionava - "Quem era mesmo essa colega?"
Adriana mantinha o contacto visual com Aurélio e quando este ia responder Ema adiantou-se "Acho que era Julieta, não era mesmo papai?"
Os olhares entre Adriana e Aurélio intensificavam-se.
- "Sim, era Julieta mesmo" - respondia Aurélio prontamente.
Adriana mantinha uma postura calma, mas por dentro estava furiosa! Aquela mulher não podia voltar para suas vidas, não depois de ela a ter conseguido afastar á 20 anos
Década de 90 
Adriana e Aurélio estavam indo para casa depois das aulas. Ela amava-o, porém o seu pai e aquela mejera da Julieta não a deixavam viver o seu amor com Aurélio.
Iam os dois lado a lado, olhou para trás deles e, de soslaio viu Julieta no fundo da rua. Era mesmo aquele o momento ideal, aquele por que tanto ansiava.
Puxou Aurélio e beijou-o como se não houvesse amanhã. Para seu espanto ele também correspondeu, mas passado uns segundos a afastou:
- "Adriana, o que pensa que está fazendo?"
- "Você sabe muito bem dos sentimentos que nutro por você!"
- "Adriana..." - agarrando-lhe nas mãos diz-lhe: "Eu amo outra pessoa, sei que a pode magoar, mas é a verdade! Eu vejo-a como uma grande amiga, mas mais nada do que isso. Sei que me ama, mas eu não vou puder corresponder-lhe com o mesmo sentimento"
- "Não por agora..." - respondia Adriana misteriosamente olhando para o fundo da rua. Já não via Julieta, provavelmente devia estar a choramingar em qualquer canto.
- "Desculpe, não percebi..."
- "Nada, nada! Me desculpe a mim por este meu comportamento!"
E lá foram os dois para casa, mal Aurélio sabia que aquele mal entendido lhe iria mudar a sua vida para sempre.
Atualidade
Já era quase hora de jantar quando Julieta chegou a casa com Camilo. Foi calada o tempo todo completamente envolvida em seus pensamentos.
Chegados a casa deu banho a Camilo, jantaram e depois foram ver os desenhos animados preferidos do menino. Sentados no sofá enquanto Julieta mantinha os olhos fixos no televisor, Camilo observava-a.
- "Mamãe está tudo bem?" - perguntava Camilo olhando para a sua mãe que estava com os olhos vermelhos e com lágrimas nos olhos
- "Sim meu amor" - respondeu dando-lhe um beijo na testa e limpando a cara
- "Então porque chora?"
- "Você vai perceber mais tarde que ás vezes as mulheres ficam assim com as hormonas meias que descontroladas. - dizia tentando disfarçar. 
- "Ohh..."- dizia espantando, mas curioso pergunta - "Isso também afeta os meninos?"
Julieta deu uma gargalhada e respondeu: "Acho que não, as mulheres são mais emocionais, só isso!"
- "Ufa ainda bem! Não queria do nada ficar assim" - dizia Camilo inocente sem muito bem perceber o que realmente se estava a passar.
- "Você é demais Camilo e como eu o amo! Vem cá" - e com isto Julieta dá um abraço bem apertado a Camilo. Era ele o seu maior amor e orgulho. Era o único homem na sua vida que nunca a tinha desiludido.
Após alguns minutos assim Camilo diz:
- "Pronto mãe já chega, me largue agora. Eu não vou fugir tá?"
- "Ahaha...agora vai fugir, mas é para a cama. Vamos lá á minha frente"
E lá foram os dois até ao quarto do menino, Julieta deixou-o a dormir e regressou á sala. Sabia que necessitava daquele tempo sozinha só para ela. Foi á garrafeira, abriu uma garrafa de vinho branco, deitou
no copo e foi até á varanda. 
- "Credo, quanto clichê. Chorar por homem e ainda beber uma garrafa de vinho sozinha!" - falava para si mesma.
A verdade é que Julieta estava um caco. Tinha visto novamente ele. Nunca pensava que Aurélio ainda mexe-se tanto com ela! Foi quando estava perto dele que sentiu que ainda sentia tanta falta do seu toque, do seu carinho, da sua atenção. Meu Deus, o cheiro! Como o cheiro dele era o mesmo passados 20 anos, aquele perfume trazia-lhe lembranças, momentos únicos do tempo que passaram juntos.
Mas sentia agora frustração, tinha-o deixado ir para as mãos daquela mulher. De verdade nunca tinha gostado muito de Adriana, o seu ar superior, aquela arrogância e frieza eram detestáveis.
Mas a vida era assim, ela tinha ganho Aurélio e Julieta tinha-o perdido. Foi a sua escolha e tinha agora que encarar a vida que tinha escolhido.
Já estava quase a acabar a garrafa quando o seu celular tocou. Honestamente não sabia se tinha condições para se levantar e caminhar até á sala, mas fez o esforço porque afinal havia vida lá fora e muito ainda dependia dela.
Nem sequer olhou para o celular, atendeu apenas:
- "Alô?"
- "Alô mana, então tudo bem?" - era Olegário que lhe falava do outro lado.
- "Oi, então querido" - dizia Julieta com a voz meia que arrastada.
- "Me desculpe, a acordei?" - perguntava Olegário preocupado.
- "Estava a descansar um bocadinho, mas não tem mal" - mentia Julieta, dizendo que estava a dormir, quando na verdade a sua voz embargada se devia ao efeito da bebida.
- "Me desculpe mais uma vez por telefonar a esta hora, mas tinha que falar consigo. Olhe estou a planear uma festa amanhã para reunir a turma do último ano da escola" dizia Olegário entusiasmado
- "É mesmo? - Julieta passava a mão sobre os seus cabelos"
- "Sim! Já telefonei á maltinha e, em príncipio irá toda a gente, mas também queria saber se você pode ir. Já sei que é uma médica muito ocupada, mas estou tentando a minha sorte"
Julieta deitando-se agora no sofá responde "Parece que é mesmo um cara cheio de sorte! Esta semana estou de férias, por isso não haverá problema e poderei ir."
- "A sério! Boa!! Faz á algum tempo que não te vejo."
- "É verdade a vida dá muita volta e depois parece que a gente não tem tempo para nada..."
- "Amanhã envio-lhe uma mensagem com a morada. Até amanhã!"
- "Até amanhã querido, beijo."
E assim Julieta desligou o telefone, virou-se para o lado, fechou os olhos e adormeceu.
Já o sol estava alto quando Julieta se levantou, quase 11h da manhã. "Ai meu deus! Que tarde!" - consoante se levantou teve que se sentar outra vez - "Ai minha cabeça!"
Julieta ainda estava recuperando da noite anterior, deitou a garrafa fora, limpando assim, todos os indícios da noite anterior. Só agora se lembrava das consequências de ter aceite ir á festa. Aurélio e Adriana.
Mas bem isso ficaria para depois.Tratou de Camilo, almoçaram e mandou uma mensagem a Pedro para vir buscar o menino.
- "Camilo já tem tudo na sacola?"
- "Sim mamãe!"
- "O seu livro de banda desenhada?"
- "Ups....a caminho!!"
Nesse momento tocam á campainha. Era Pedro.
-"Ei" - Pedro inclina-se e dá um beijo na cara de Julieta, ficando assim encostado a ela por um bom tempo. Julieta se afasta e diz "Oi, entre! Camilo foi só lá dentro buscar o seu livro de banda desenhada"
Pedro entrou olhou Julieta e ali ficaram os dois frente a frente por uns momentos e eis que Pedro diz "Sinto a sua falta."
Julieta ficou meio desestabilizada, não sabia se ainda era o efeito do vinho. Fitava-o. Pedro era um galã, alto, moreno com uns olhos castanhos que pareciam que liam a sua alma, mas ela não podia ir outra
vez na cantiga dele, não podia! Então disse prontamente "Tivesse pensado nisso antes de se envolver com sua colega e eu os ter flagrado no restaurante!"
Pedro olhando para o chão aproxima-se dela, direciona-lhe o olhar e diz-lhe "Sei que cometi um erro e estou a pagar por ele. Mas não me diga como me devo ou não sentir. Fui estúpido, fui! Mas mais do que nada sou estupidamente apaixonado por você" - Pedro dizia sincero.
- "Não puxe a corda. Ainda estou muito magoada. São feridas que custam a sarar e, de verdade não sei se algum dia as nossas vão fechar" - Julieta dizia com alguma tristeza no olhar, afinal tinha sido o homem que tinha escolhido, era pai do seu filho e ele não lhe era completamente indiferente.
- "Percebo... - tentando amenizar o ambiente Pedro pergunta - Então disse-me na mensagem que tem hoje festa?"
- "É amigos da escola! Faz tanto tempo que não estamos todos juntos!"
- "Papai" - lá vinha Camilo numa correria para os braços do pai
Pegando nele ao colo diz "Então já tem tudo? Podemos ir?"
- "Agora sim!!"
- "Então dá lá um beijinho á mamãe" - inclinando - o para Julieta para despedir-se dela.
"Xau fica bem" - diz Pedro e pisca o olho a Julieta e assim se vão. Julieta fecha a porta e respirando fundo diz para si mesma "Vamos lá Julieta prepararmo-nos para esta festa!"
 


Notas Finais


Obrigada por lerem!
Se preparem porque o capítulo 4 promete!!! Pessoalmente, o meu preferido até agora!
Fiquem atentos!
Espero comentários vossos ❤❤❤
Beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...