1. Spirit Fanfics >
  2. Sealed Memories >
  3. Chapter Three

História Sealed Memories - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


💞 | Obrigada pelos Favoritos:

× ZatannaBaril
× Luarina
× PrincessYokai
× Todoroki_Shoto_
× Slender720
× K-a-s-Y
× Anonima_Sorry
× Raquel5_Huuga


───────────────────

🥀; Hoy, hoy, caros leitores(a)! Como estão? Se estiverem bem, que bom! Mas caso estejam mal, desejo-lhes melhoras.

🥀; Bem, me desculpem mesmo pela demora, mas eu realmente não tava conseguindo escrever. As ideias estavam lá, porém eu não sabia elaborar e torná-las palavras. Contudo, eu finalmente consegui! E cá estou eu, me desculpando com vocês que gostam desta fanfic e pensaram que eu voltaria a continuar.

🥀; Mantenham algo em mente: eu continuarei essa fanfic até o final (mesmo que este ainda não esteja pronto)! A partir de hoje, vou dar o meu melhor para conseguir me organizar direitinho, já que minhas aulas acabaram ;-;, felizmente uma amiga minha me deu uma ideia de como continuar a ter ideias, o único problema é botar tudo em palavrinhas, mas isso eu dou um jeito! Eu vou tentar, mas tentar mesmo, postar capítulo bem mais cedo do que antes. TENTAREI, não é nada concreto.

🥀; Okay, só isso mesmo, hehe. Espero que gostem deste capítulo que dei o melhor de mim pra fazer e reli várias vezes! Tchau, tchau (●'▽'●)ゝ

ᴮᵒᵃ ˡᵉⁱᵗᵘʳᵃ ּ՛

Capítulo 4 - Chapter Three


Sadness in a Yellow Rose



Ali, naquele cômodo conhecido, Lucy observava o belo céu noturno, que naquela noite possuía demasiadas estrelas. Seu olhar continha um sutil brilho de admiração, este era quase ofuscado pela dor e tristeza que sentia.

Naquela manhã ensolarada, a Heartfilia havia acordado subitamente, como se tivesse acordado de um pesadelo. De primeira, seu cérebro captou o cenário estranho, para depois reconhecê-lo e o baque vier.

Estava em uma enfermaria, a qual passou muitas e muitas vezes no passado. No fundo sabia o que havia acontecido, porém seu coração insistia em continuar com aquela fina esperança de que o cômodo era apenas parecido.

Isso durou poucos segundos, o suficiente para uma bela mulher aparecer em sua frente com um sorriso caloroso. A verdade fora revelada e seu coração teve que aceitar que ali era o qual imaginava.

Naquela hora, seus sentimentos ficaram tão agitados que tinha certeza absoluta que fez tantas feições em um curto período de tempo que Wally provavelmente estranhou, ou ao menos se preocupou. Por sorte, tinha certa experiência em controlar suas próprias emoções e reações. Embora tenham sidos esquecidos com o tempo, a prática continuava impregnada em si, então fora – de certa forma – fácil.

Com o primeiro problema resolvido, ela partiu para seu momento de paz. Onde, basicamente, se deitou enquanto analisava a situação após dar uma desculpa de que estava cansada à Maga Médica.

Não se lembrava de nada a partir do momento em que Natsu e Happy haviam deixado todos para treinar logo após a batalha contra Tártaros. Tinha optado ter sido sequestrada, contudo foi descartada levando em conta o comportamento de Wally consigo e o fato de se encontrar exatamente ali.

A única opção viável e que lhe convenceu fora que Hiato tinha usado sua magia nela, mas por algum motivo ela não foi totalmente efetiva. A partir daí não foi difícil descobrir o que realmente aconteceu.

Os olhos castanhos rapidamente perderam seu brilho admirado, ficando perdidos e opacos. Tinha sido ingênua acreditando nas prováveis mentiras que ele lhe contou. A consequência de sua ilusão foi a perda das memórias de seus amigos e suas – embora perdidas pela metade.

Tinha cogitado fugir, mas doeria ainda mais ter que refazer suas amizades e encará-los quando eles não se lembravam de nada do que passaram juntos. Sua única opção era esperar. Esperar aquele homem que viria arrumar sua falha.

Seus olhos se focaram novamente no céu, observando mais atentamente as brilhantes estrelas.

Um sorriso fraco surgiu em seus lábios quase pálidos. Lucy poderia facilmente comparar aquelas estrelas à seus amigos.

Elas eram brilhantes, como eles. Estavam distantes, impossíveis de se alcançar... Como eles.

Queria chorar, derramar todas as lágrimas que estava segurando até agora. Contudo teria que esperar pois aquele culpado por suas dores tinha vindo mais cedo do que esperava.

Boa noite, Heartfilia.

E o silêncio desconfortável se instalou.

Ainda surpresa ela o observou. Sua postura relaxada enquanto se apoiava no batente da porta de braços cruzados, com aquele irritante sorriso divertido.

A loira desfez sua cara surpresa, abrindo um sorriso de canto enquanto seus olhos continham uma pequena diversão. Estava acabada, sofrendo, devastada, mas ainda assim queria se manter firme, escondendo suas emoções negativas bem no fundo de seu coração.

— Veio tão rápido, Hiato. Estava com tantas saudades que não conseguiu esperar até de manhã? — Ele sorriu ainda mais, fechando a porta antes de se aproximar.

— Quase isso.

Então o castanho e o preto se encararam mais uma vez. Enquanto os escuros eram indecifráveis, os castanhos revelavam os verdadeiros sentimentos sentidos, acabando com qualquer chance de mantê-los apenas para si mesma.

A Maga Celestial manteve o olhar por alguns instantes antes de fechá-los e suspirar, virando sua cabeça para o que tanto admirava outrora. O Blare seguiu seu movimento, passando a observar o céu junto dela em completo silêncio.

Eles pareciam amigos daquela forma, mas ambos sabiam que não era assim. Se conheciam há muito tempo, mas não havia sentimentos de amizade entre os dois. Era uma relação... Estranha.

Hiato precisava dela para completar o que os mestres antecessores queriam.

Já Lucy apenas seguia os comandos dos mestres, como lhe fora treinado.

Pelo menos era assim até aquele dia, onde a loira descobriu o que estava por trás da face de justiça do Conselho Mágico.

— Me diga, o que pensa ao ver essas estrelas, Hiato? — Perguntou de repente, ainda a admirá-las.

O moreno alternou o olhar entre ela e as citadas, pensando seriamente em uma resposta.

— Que elas são... Bonitas...? — Sua resposta havia soado como uma pergunta, mas a Heartfilia não se importou, apenas se permitiu soltar uma risadinha. — Por que a pergunta? — Agora ele a encarava, ignorando o belo azul escuro com pontinhos brancos.

— Nada em específico, apenas gostaria de saber o que alguém como você pensa ao olha-las. — Levantou um pouco suas pernas até os joelhos ficarem na altura de seu pescoço, apoiando seus braços ali. — Para mim, elas me lembram a Fairy Tail, brilhante e distante.

A expressão suave de Lucy se dissipou, dando lugar a seriedade, tal que sabia também estar na face do moreno.

Passando-se alguns segundos de silêncio absoluto, o Blare levou sua mão até o ombro da Maga Celestial, que nada fez, muito menos mudou sua expressão ou o olhou.

— Você não precisaria passar por isso se não tivesse fugido anos atrás.

Ela se virou para ele, negando com a cabeça sua afirmação. Sua face suavizou e logo um sorriso pequeno tomou conta de seus lábios finos.

— Está errado, eu precisava passar por tudo isso. — Suas palavras foram confusas e Hiato não conseguiu identificar o verdadeiro significado de tais.

Mesmo assim preferiu ignorar, começando a fazer o que tinha lhe levado até ali.

A mão no ombro da loira fora parar em sua testa, tocando-a apenas com o dedo indicador e médio. Ele suspirou antes de começar a recitar as palavras de língua desconhecida, que mesmo se Lucy se esforçasse não conseguiria identificá-las.

Sentiu suas pálpebras pesadas junto do sentimento de familiaridade, o que confirmava que tal magia havia sido usada antes em seu corpo. Hiato observou as íris achocolatadas se fecharem lentamente até estarem completamente fechadas, indicando que ela adormeceu.

Ajeitou ela na cama, cobrindo-a logo depois. Os orbes ônix encararam-na por mais alguns minutos antes de dar as costas em um suspiro. Seus olhos ficavam opacos a cada passo dado enquanto um sorriso ladino se formava. Ele tinha conseguido a peça mais importante de volta.


| . . . |


Andando a passos calmos pelo caminho de pedrinhas estava Suun Hyubran. O homem de aparência jovial admirava as belas flores plantadas por toda a parte, ele poderia claramente afirmar que ali era um de seus lugares preferidos na Mansão Secundária.

Sua cabeça estava cheia, principalmente após Lucy acordar depois de 1 mês adormecida. Nada melhor do que ir à um local calmo espairecer, e o jardim era perfeito para tal.

Parou de andar ao notar a presença de outro alguém mais à frente. Sentado em uma das cadeiras sob o coreto branco com o típico chá entre os dedos se encontrava Hiato, que definitivamente não parecia ter ficado um mês sem acordar apenas pela grande falta de poder mágico.

Antes que pudesse pensar em fazer qualquer coisa, o homem de olhos ônix já havia lhe percebido, chamando-o com a cabeça e um sorriso pequeno.

Suun suspirou antes de começar sua caminhada até o coreto.

— Como vai, Suun-chan? — Este perguntou, observando ele se sentar enquanto girava sutilmente a xícara.

— Bem, e pelo que vejo, você também. — Colocou o cotovelo na mesa, encostando sua bochecha nas costas de sua mão. — Dormir por um mês foi o suficiente para recuperar seu poder mágico?

O Blare sorriu, levando a xícara de porcelana aos lábios antes de responde-lo.

— 80% apenas. Sei como não gosta de tomar conta do meu cargo, e não há motivos para esperar chegar em 100%. Com o principal problema resolvido, não precisarei usar magia por um bom tempo, então posso espera-lo se recuperar enquanto fico acordado. — Deu um grande sorriso gabando-se antes de voltar à apreciar seu chá de tília.

— Espero que esteja certo. Não quero ter um novo problema tão cedo... — Suspirou, passando seu olhar para as rosas amareladas ao redor do coreto.

Hiato o observava atentamente, percebendo um brilho diferente do habitual nos olhos verdes. Algo o afligia, e o moreno não precisava pensar muito para saber exatamente o que.

— Preocupado com a Heartfilia? — Soltou despreocupado encarando seu reflexo no líquido amarelada, novamente chamando sua atenção.

O Hyubran suspirou, se levantando para apreciar melhor as belas rosas. Próximo à elas, ele pegou uma levando-a até seu nariz, sentindo seu cheiro. O silêncio tinha dominado eles, e por um momento o Blare pensou que seria ignorado. Iria bebericar mais um pouco do chá, mas parou na metade após Suun se pronunciar deixando-o atento.

— Parece que Lucy foi visitá-lo. — Girava a pequena flor em seus dedos pálidos admirando sua cor vívida. — Se você quiser continuar com isso, creio que seja melhor mantê-la ocupada. O futuro é imprevisível quando se trata daquele homem. — Encarou o moreno sentado de costas à si, notando a sutil tremida de suas mãos.

Hiato fechou os olhos, abaixando sua mão para encaixar perfeitamente a xícara no pires. Odiava quando o Mago Santo falava sobre aquele ser; existente apenas para o bem de seus planos. Seu ódio pelo dito cujo era imenso desde sua infância, e tal sentimento era recíproco. Eram inimigos que continuavam naquela farsa apenas para benefícios próprios, nada mais nada menos.

Os olhos escuros se abriram novamente, reparando em uma rosa amarela posta bem ao lado de seu chá. Não tinha percebido a movimentação do outro, e talvez se desse ao fato de que apenas ele existia quando tentava acalmar os nervos.

— Bem, se tratando de você não precisarei me preocupar com isso. — O sorriso de olhos fechados e braços cruzados faziam-no ficar confuso sobre suas reais intenções.

Aquela frase poderia claramente conter duplo sentido, ocultando seus verdadeiros significados. Mas quando se tratava do de cabelos castanhos era impossível saber.

Para alguém que sabia o que os outros pensavam apenas de olhar – como Hiato –, era inevitável o sentimento de frustação ao encarar o Hyubran. Ele revelava o nada, a pureza de que aquelas palavras tinham o significado que você queria.

Claro, tudo poderia ser apenas paranoia de seu cérebro e na verdade suas falas realmente tinham o significado que queria. Porém o pensamento de que era proposital nunca deixaria sua cabeça nem se quisesse.

E isso levava à apenas uma solução: tomar cuidado.

— Avise a Heartfilia que ela sairá em missão amanhã. — Foi tudo o que disse antes de beber o líquido restante e sair.

Os orbes verdes encaravam as costas do homem que se afastava antes desse sumir por completo. Inevitavelmente um sorriso se apossou de seus lábios ao ver uma pétala amarela fora de seu lugar.






Caramelle Rosse



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...