1. Spirit Fanfics >
  2. Second Chance - DRARRY >
  3. Estou de volta, família...

História Second Chance - DRARRY - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá.
Tudo bem?

Essa é a minha primeira fanfic Drarry depois de tantas tentativas fracassadas de fazer uma fanfic do universo de Harry Potter, me desculpem qualquer erro, seja ele o mais simples que for. Espero que gostem. Boa Leitura!

Ah, só para perguntar:
Já tomaram suas águas hoje?
Se hidratem, faz bem.
rsrsrsrs.

Capítulo 1 - Estou de volta, família...


CAPÍTULO 01

 

O dia amanhece radiante, e aqui estou eu mais uma vez o vendo subir no céu por passar a noite toda acordado. Depois da guerra e o depoimento que dei em defesa dos Malfoy, resolvi me afastar. Precisava de um tempo para me recuperar de tudo. Dos traumas, da culpa, e de todos que perdi. Prometi aos Weasley que iriam ser algumas semanas.

Pois é, semanas que viraram um ano e meio.

Recebi cartas de Hogwarts, informando que logo a escola iria voltar ás atividades e que nos esperariam ansiosamente até ano que vem. Não sei se fiquei feliz por voltar aos estudos, ou com medo de não ter a mínima ideia do que fazer. Talvez, seja hora de voltar. Admito que vacilei bastante com Mione e Ron por ter mandado tão poucas cartas, devem ter muitas perguntas sobre onde estive, por que sumi, ou simplesmente vontade de baterem.

 

- Íris, acho que está na hora de conhecer os Weasley – Digo a pequena fada que descansa em meus cabelos. Ela sempre faz isso quando saio do banho – Você vai adorá-los. Bichento... Nem tanto, mas é só você não ficar muito longe de mim– Ouço batidas á porta, e logo permito a entrada – Bom dia tia, precisa de algo?

- Bom dia Harry, na verdade vim perguntar se queria algo para comer. Duda me avisou que vai voltar mais tarde da casa do pai dele, e você ainda não comeu nada, além de mal ter saído do quarto ontem.

- Está tudo bem, não estou com fome. Íris, talvez. Está com fome? – Pergunto e ouço o seu sino alegre, concordando. Petúnia sorriu. Não é algo que eu esperaria dela quando eu ainda morava com eles, mas depois do divórcio, ela virou outra pessoa – Pode ir com a tia Petúnia.

- Acho que ainda há alguns cachos de uvas na geladeira, se for da sua preferência Íris – Num rápido vôo, a fada de pele lilás-clara foi até ela, arrancando risos de nós dois – Está bem, vamos lá. Harry, precisar de algo é só chamar.

- Sim tia, eu chamo – A mesma deixa o quarto. Aproveito o momento e com um movimento de varinha, arrumo minha mala e a cama bagunçada. Petúnia tem se sentido bem solitária desde que se separou de Valter e Duda preferir passar mais tempo com ele, a única companhia que tem é a pequena Daisy, uma gata de rua que simplesmente apareceu em sua casa enquanto voltava das compras.

 

Decido sair um pouco do quarto, realmente ontem eu havia passado o dia todo quase nele. Levo a mala comigo e a deixo perto da poltrona, logo vendo a gata cheirar, curiosa. Ando até a cozinha e sorrio com a cena que me deparo. Uma Petúnia alegre e risonha com a pequena criatura devorando as uvas com certo desespero.

 

- Vá com calma! Irá se engasgar se continuar assim! – Disse entre gargalhadas, enquanto lavava as louças.

- Ela é bem esfomeada apesar de pequena, devia ter avisado sobre isso – Me aproximei delas.

- Que nada Harry, ela é adorável! – Terminou uma última louça e secou as mãos em um pano que se encontrava em seu ombro – Acabei de tirar alguns biscoitos do forno... Se quiser, ponho alguns em um pote para a viajem – Disse um pouco cabisbaixa vendo a mala já pronta.

-Eu aceito alguns biscoitos tia – Concordei cabisbaixo também – Vou deixar a covardia de lado, e voltar á casa dos Weasley. Devo um tanto de explicações a eles sobre meu sumiço – A de cabelos médios sorriu.

- E como deve. Desculpe Harry, é tão solitário ficar aqui. Não consigo não me apegar com visitas, e dessa vez, a sua foi bem curta para o meu gosto.

- Desculpe tia, prometo mandar cartas sempre que puder. Se quiser passar um tempo comigo e com os Weasley, eles irão a receber de braços abertos. Sempre há espaço para mais um.

- Estou bem, obrigada. Planejo uma viagem à Alemanha no natal, Duda preferiu ir com pescar com Valter – Revirou os olhos divertida, me arrancando um riso - Tenha paciência, nem parece mais que esse garoto mora aqui.

- Pois é – Rimos.

 

...

 

Eu queria ir embora cedo para chegar perto da hora do almoço, mas Petúnia me persuadiu a ficar até mais tarde e acabamos tendo momentos realmente divertidos e que sinceramente serão inesquecíveis. Agora aqui estou em um Noitibus, indo até o Ottery St. Catchpole. Poderia aparatar, mas não estou a fim de passar o resto da noite enjoado e perder o delicioso jantar de Molly. Com sorte, acho que poderei chegar lá antes mesmo de escurecer.

 

...

 

O sol começava a se pôr, e em poucos minutos de caminhada já estava em frente á casa que estava em constante movimentação, como sempre. Tive um sentimento bom de estar ali novamente. Tantas boas e más lembranças. Realmente sentia falta de tudo ali. O cheiro da comida, o vento fresco, toda a calma e de repente-.

 

- RONALD WEASLEY! ­– A gritaria. Íris tomou um susto se escondendo em minha jaqueta e não pude conter uma gargalhada, e comecei a me aproximar mais da porta – QUANTAS VEZES EU TEREI QUE PEDIR PARA IR ESPANTAR OS GNOMOS DO JARDIM?

- JÁ ESTOU INDO MÃE! – Ron gritou um pouco mais alto e abriu a porta de uma vez quando eu estava prestes a bater. Sua feição mudou de raiva para uma surpresa, que sinceramente me assustou um pouco -...

-...

-...

-... É... Oi?

- SEU MALDITO! – O mesmo gritou em felicidade e me abraçou, me assustando mais ainda. Pelo aperto, percebi que andou malhando bastante, alguns segundos foram suficientes para deixar minha cara vermelha. Do nada fui largado e empurrado com força, mas agora sua expressão era de raiva – SEU MALDITO! COMO PODE SUMIR POR TANTO TEMPO SEM FALAR NADA? SABE O QUANTO QUE NOS PREOCUPAMOS? MEU PAI JÁ ESTAVA QUASE CONVOCANDO O MINISTÉRIO PARA TE PROCURAR!

- Me desculpa Ron... E-Eu-.

- “E-Eu” ESTÁ ESPERANDO UM CONVITE? ENTRE LOGO, ESTÁ UM GELO AÍ FORA! – Ele me pegou pelo colarinho e me puxou para dentro de casa. Logo uma Molly chegou furiosa.

- O QUE É ESTA GRITARIA TODA? –Chegou praticamente batendo os pés no chão – Oh, Merlin! Harry meu querido – Disse com aquela voz manhosa que sempre fazia quando vinha me cumprimentar. Beijou minhas bochechas e me abraçou apertado – Que saudades! Pensei que nunca mais iria voltar!

- Também senti saudades Sra.Weasley, uma hora eu teria que voltar não é mesmo? – Um sininho irritado tocou entre nós, e enfim lembrei que a fada havia se escondido em minhas roupas – Oh, me desculpe Íris! – Me afastei de Molly, vendo a pequena voar rápido para recuperar o ar. A mesma cintilava fortemente e seu sino não parava de tocar – Eu pedi para ficar do meu lado, não para se esconder!

- Por Merlin! Eu nunca havia visto uma fada assim! Que adorável! Oh, Harry por que não se senta? O jantar está quase pronto, Arthur logo chega do ministério. Ficamos realmente preocupados com você meu amor, onde esteve? – A ruiva se senta ao meu lado fazendo carícias em meus cabelos. Confesso que senti saudade do carinho materno dela.

- Fiquei simplesmente vagando por aí, tentando esquecer tudo. Passei uns bons tempos também com minha tia agora que ela se divorciou, estamos reconstruindo tudo juntos, até me chamou para voltar quando meu primo se mudar. Fiquei em casa de amigos trouxas, um pouco no Caldeirão Furado, simplificando tudo, virei um andarilho – Ri baixo com a minha própria descrição.

- Oh Harry... A guerra abalou todos nós, entendo você tirar um tempo para pensar. Porém se quiser sumir, ao menos mande uma coruja antes está bem? – Rimos juntos, logo ganhei mais um beijo seu.

- Ainda bem que voltou, essa mulher finalmente poderá acalmar os nervos! Acredita que ela atirou uma xícara na minha cabeça essas semanas atrás porque eu não sabia onde estava o vestido que ela havia ganhado da mãe de Malfoy? – Ron diz me deixando um pouco surpreso – Ainda bem que era de louça fajuta!

- Ora, seu moleque dramático! VÁ LOGO FAZER O QUE PEDI! QUER QUE EU JOGUE OUTRA XÍCARA EM SUA CABEÇA?

 

...

 

O jantar foi incrível. Arthur como sempre animado, me perguntando sobre o mundo trouxa e minhas viagens. Molly somente ria de minhas histórias e me fazia afagos no cabelo, parecia bem curiosa sobre Íris. Gina e eu trocamos alguns olhares, não sei se ela estava feliz ou muito desapontada comigo. George, apesar de parecer estar melhorando, ficou bem mal quando Arthur sem querer começou a falar da guerra, até se retirou da mesa mais cedo. Ron só sabia me repreender.

Acho que quando decidi me afastar, não sabia a saudade que iria sentir dessa família. Eles sempre dão o máximo de si para me fazer sentir parte deles, me fazem esquecer do passado escuro que carrego em minhas costas. Talvez eu nunca teria aprendido o significado de amor sem os Weasley.

Eles não sabem o quanto sou grato por tê-los como minha família.

 

...


Notas Finais


Yeah, tope tope.
Beijos, até o próximo capítulo (ou não, quem sabe? Pessimismo sempre é bom rsrs)
Tchau!
Se cuidem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...