1. Spirit Fanfics >
  2. Second Chance >
  3. Nossa garotinha

História Second Chance - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Desculpem a demora, era pro capítulo sair mais cedo, porém eu passei mal (agora to melhor) e acabei cochilando... Sem mais enrolações, boa leitura... :D

Capítulo 8 - Nossa garotinha


Na cidade Yi, onde os recém casados aproveitavam sua lua de mel sem qualquer tipo de preocupação, as coisas estavam na mais pura e genuína paz. Acordando tarde naquele dia, aproveitavam o calor do corpo uns dos outros para permanecerem na cama por mais tempo que o habitual, onde quem mais parecia gostar era Xue Yang, que se via no meio dos dois maridos enquanto recebia afagos de ambos os lados. Precisavam de um bom banho, e precisavam também se alimentar, mas nenhum deles parecia querer sair de onde estavam.

Xue Yang já havia fechado os olhos novamente ouvindo a barriga roncar denunciando sua fome tão descaradamente, fazendo Song Lan rir baixo ao seu lado, enquanto que Xiao XingChen já levantava, o corpo nu manchado em tantos lugares pelas marcas de amor e prazer que vivenciara na noite anterior lhe pintando a pele como se fosse a mais bela arte, atraindo os olhares dos outros dois, que levantaram no mesmo instante, vendo-o vestir somente a roupa de baixo. Estava de tão bom humor, que pouco importava-se com sua aparência.

Xiao XingChen, "Vão tomar banho!", anunciou enquanto virava-se em direção à porta que dava para a cozinha, "Eu vou preparar algo para comermos...", o sorriso brilhava adornando os lábios bonitos e delicados, enquanto amarrava os fios de qualquer jeito apenas para que não lhe atrapalhassem ao preparar o café - quase almoço - deles.

Como o bom manhoso que era, Xue Yang foi logo se aproximando e abraçando o rapaz pela cintura, apoiando o rosto em suas costas, "E você? Deveria vir conosco também, amor... Nós podemos fazer algo para comermos depois, o que acha?", XingChen não podia ver o sorrisinho sacana nos lábios do Yang, mas podia notar a leve mudança em sua entonação, balançando a cabeça, "Aff, tudo bem, nós já voltamos, ok?"

Xiao XingChen, "Ok, bom banho...", sentia-se pegajoso desde a hora em que finalmente resolveram dormir na noite passada - mesmo que já estivesse quase amanhecendo quando isso aconteceu -, mas a vontade de dar-lhes um momento a sós era muito maior que seu desejo por um bom banho frio nas águas do rio.

Lado a lado, com as mãos entrelaçadas, Xue Yang e Song Lan caminhavam até o rio em questão, seguindo um pouco mais para os fundos onde haviam pedras maiores que naquele momento eram aquecidas pelos raios de sol. Tirando as roupas de baixo, Xue Yang foi o primeiro a entrar, estremecendo levemente com a diferença entre as temperaturas, mais atrás, observando-o com tamanha devoção, Song Lan se aproximava, puxando-o pela cintura e beijando-lhe os lábios, sendo retribuído.

ZiChen marcava a cintura delgada do outro com sentimento de posse, mesmo que ninguém visse aquelas marcas além dele e de XingChen, ele queria deixar bem claro que o garoto tinha dono, que não estava sozinho, enquanto que ChengMei tinha as mãos em sua nuca, puxando-o para um beijo mais profundo, sentindo-se ficar excitado com tão pouco. Caminhava para trás, esperando chocar-se com uma das pedras que havia ali, deitando-se sem quebrar o contato dos lábios, abrindo as pernas para acomodar melhor o marido entre elas.

Song Lan, "Sabe que viemos aqui para tomar banho, não sabe?", a voz rouca e entrecortada denunciava - junto com o membro já semi ereto - a enorme vontade que sentia por possuí-lo ali mesmo, ao ar livre, "Você é mesmo insaciável, ChengMei... O que faço com você, hm?"

Xue Yang mantinha um sorriso ainda maior e pervertido em sua face, deslizando as pontas dos dedos entre o braço de Song Lan e seguindo por entre o peito, passando lentamente pela barriga até chegar naquilo que ele tanto queria desde que acordara. Amava estar com XingChen também, mas, seu lado passivo dominava-o totalmente naquele momento e tudo o que ele queria, era sentir Song Lan afundando-se sem dó contra ele, "Você sabe bem o que fazer, ZiChen, só está se fazendo de desentendido porque quer me ouvir dizer em alto e bom som, mas tudo bem, eu faço isso por você..."

"..."

Virava de costas, erguendo um pouco o quadril tendo o cuidado com os joelhos e apoiando-se em um dos braços, enquanto o outro ia até suas nádegas separando-as de um lado, ao enviar seu olhar mais safado para o marido, que sentia a boca salivar de desejo e o pau latejar implorando para ser aliviado dentro daquela cavidade tão quente e apertada, Xue Yang, "Me fode, Song ZiChen!"

Jogando-se por cima do corpo pequeno, Song Lan direcionou o pau na entrada convidativa, enterrando-se de uma vez enquanto deixava escapar um gemido alto, mordendo a pele alheia. Os movimentos rápidos e certeiros, causando gemidos cada vez mais altos vindos de Xue Yang, pareciam-lhe a mais bela sinfonia que seus ouvidos já ouviram, instigando-o a acertar sua próstata repetidas vezes, cada vez mais forte do jeito que gostavam.

Mudando a posição, ZiChen agora estava sentado onde antes Xue Yang estivera de quatro, com as pernas afastadas enquanto entre elas, Yang lhe chupava com maestria, colocando todo o pau inchado na boca, fazendo bom uso da língua ao circundar toda circunferência do membro, passando-a lentamente sobre a fenda na glande, arrancando espasmos e gemidos do mais velho., que ditava o ritmo do boquete com uma mão em seus cabelos.

Song Lan, "Che-ChengMei, pa-pare... Eu...", conforme mais falava, mais o outro lhe chupava, acelerando o ritmo da masturbação junto ao boquete, fazendo-o perder o controle que insistia em manter por um tempo e gozar em sua boca, a porra quente descendo-lhe pela garganta. Quando terminou de engolir, Xue Yang ainda teve a cara de pau de dar uma nova lambida como se não quisesse desperdiçar nenhuma gota, sorrindo travesso ao se afastar e só então tomar seu banho.

A mesa estava posta, porém XingChen não os esperava ali. Pelo contrário, quando chegaram ao pátio da casa-caixão, eles não o encontraram em lugar algum. Até um gemido vir de dentro da casa. Entreolharam-se por um breve segundo, seguindo a direção do som e encontrando seu precioso marido suado, ofegante e com a mão no pau, masturbando-se com vontade, murmurando palavras desconexas. Se aproximaram, substituindo a mão delicada pela boca de Song Lan, enquanto Xue Yang murmura-lhe palavras sacanas em seu ouvido, arrepiando-o inteiro.

XingChen sentia inúmeras sensações ao mesmo tempo, mas nada se comparava a ter as duas línguas em seu pau, dividindo o mesmo espaço em busca do prazer que logo chegaria, saciando-os por aquela hora. Prestes a gozar, ele ficou de pé, sentindo os maridos ajoelhados em sua frente, acariciando-lhe as coxas, bolas, períneo, tudo ao mesmo tempo, e quando não aguentou, ele gozou, acertando as bocas abertas com a língua levemente para fora, que esperavam ansiosos por aquilo.

Ofegante e com as pernas bambas, XingChen falou com certa dificuldade, "Va-Vamos omer!"

Mais tarde ainda naquele dia, os três estavam fazendo pequenos reparos na casa, quando escutaram passos apressados do lado de fora dos portões, saindo para o pátio bem a tempo de ver A-Qing aparecer correndo com o rosto inchado, os olhinhos vermelhos e fungando. Algo acontecera e eles não sabiam o que poderia tê-la deixado daquele jeito. Mais atrás, Wei Wuxian a seguia preocupado e chamando por seu nome, e atrás dele, Jiang Cheng também parecia transtornado, ofegante pela corrida até ali e um pouco desarrumado.

"A-QING!", Jiang Cheng gritava-lhe, tentando alcança-la porém sendo impedido por Xue Yang que o encarava com uma expressão assustadora.

Song Lan, "Jovem Mestre Wei, o que houve com A-Qing?", perguntou se aproximando dos rapazes, nunca viram a garota daquele jeito antes e se tem uma coisa que eles não gostariam de ver, era ela naquele estado, "Pensamos que ela só voltaria em alguns dias, aconteceu alguma coisa no Píer Lótus?"

O silêncio de Wuxian seguido pelo olhar na direção do irmão já lhes diziam tudo, ou quase tudo. O Jovem Mestre Jiang estava metido no problema. Sentindo o clima ficar tenso entre os rapazes, XingChen se aproximou também, ficando de frente para Jiang Cheng que parecia cada vez mais nervoso. XingChen, "Jovem Mestre Jiang, o que aconteceu exatamente com a nossa garotinha?", pouco importava-se se parecia um velho ao falar daquele jeito, ela era sim, a garotinha deles, e nada e nem ninguém a machucaria.

Jiang Cheng engolia em seco, olhando para todos os lados na tentativa de procurar as palavras certas e tentar se explicar, mas nada saía e isso o frustrava ainda mais. Wei Wuxian revirou os olhos diante a lerdeza do irmão, colocando-se ao lado do mesmo e respondendo em seu lugar, "Tio XingChen, Song ZiChen, Xue Yang... O que aconteceu foi..."

"Por favor, seja direto, Wuxian...", Xue Yang estava impaciente, encarado de cima a baixo o rapaz ao seu lado.

Jiang Cheng, "Eu...", respirou fundo umas três vezes, contando até 10 em todas elas, olhando-os seriamente, "Eu a beijei! me desculpem!"


Notas Finais


Obrigada a quem leu até aqui, espero que tenham gostado do capítulo de hoje :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...