História Secret Assassins - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Big Bang, EXO, Got7
Personagens Chanyeol, G-Dragon, Jackson, JB, Jeon Jeongguk (Jungkook), Kim Namjoon (RM), Kim Taehyung (V), Mark, Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Sehun
Tags G. Dragon, Jackson, J-hope, Jikook, Jimin, Jin, Jungkook, Mark Tuan, Namjoon, Sehun, Suga
Visualizações 3
Palavras 1.994
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Ficção Adolescente, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 8 - Mais que sorte


Fanfic / Fanfiction Secret Assassins - Capítulo 8 - Mais que sorte

Acordei com batidas na porta e abri lentamente os olhos ainda embargada pelo sono. As batidas voltaram, mas o ser atrás dela nem esperou que eu autorizasse sua entrada e invadiu meu quarto me assustando. 

_ Está atrasada.

_ Bom dia pra você também Jungkook. - Me sentei prendendo o cabelo enquanto ele fechava a porta. 

_ Eu disse que treinaríamos cedo. - Ele me olhava sério. Minha vontade era mandar ele se foder e voltar a dormir, mas em vez disso apenas suspirei e me levantei indo ao closet. 

_ Parece que ja melhorou de ontem, não é? 

_ Você não devia ter visto aquilo, eu estava bêbado, esquece isso. - Jungkook disse e logo depois saiu do quarto batendo a porta. 

Parece um assunto que deixa ele realmente sensível. Minha curiosidade gritava, mas com certeza não tiraria nada dele, Jimin teria bastante a me explicar porque não é possível que apenas uma noitada faça aquilo com o Jeon. 

Com a roupa em mãos fui ao banheiro, tomando um banho rápido. Com minha higienes feitas vesti uma calça preta simples e uma blusa branca de manga. Prendi meu cabelo em um rabo de cavalo alto e passei um gloss, apenas por passar mesmo. Saí do quarto e desci as escadas rápido indo até a cozinha onde encontrei Jin que jogou uma maçã em minha direção assim que me viu.

_ Jungkook ta esperando você. - Ele disse apontando com a cabeça para o mais novo que me olhava impaciente. Eu o encarei e ele virou as costas indo na direção de seu escritório. - Olha, eu não sei o que você fez, mas ele ta estranho desde que acordou e não parou de perguntar por você até ir te acordar. 

_ Acho que o pequeno Jeon ta precisando de um pouco de carinho. - pisquei pra Jin que riu 

_ Você não tem amor a sua vida garota. 

_ Vai por mim, eu sei onde to pisando. Senhor Kim, se me der licença, eu tenho um alvo pra acertar. - O comprimentei com a cabeça e dei as costas indo ao escritório de Jungkook.

Seul / South Korea - 8:47am

_ Seis meses, não é possível que ela não tenha conseguido nada.

_ Jiyoung, não a subestime, ela sabe o que ta fazendo. - Sehun dizia com os olhos em mim. - E nós sabemos que enfiar ela naquela casa foi idéia sua.

_ Obrigado por me lembrar. 

_ Disponha. - Revirei os olhos com o deboche. 

Eu andava de um lado pro outro pelo escritório, o chão parecia se abrir sob meus pés. A mais de dois meses que eu não recebo notícias de Sunbin e a cada minuto a possibilidade de ter acontecido algo a ela acaba comigo. 

A última notícia que tive dela foi que Namjoon tinha parado de procura-la o que me deu um certo alívio, mas eu não duvido que ele ainda desconfie de sua existência. Será que ela está bem? 

Da última vez que nos vimos, eu a mandei embora, fui um completo babaca. Meu ego machucado falou mais alto naquela noite, mais alto que meu amor e agora estou aqui morrendo de preocupação. 

_ Eu preciso saber como ela está.

Busan / South Korea - 9:00am

Chegando ao escritório de Jeon, eu entrei sem me dar o trabalho de bater. Como esperado ele tava esperando com uma cara nada boa, que eu resolvi ignorar. Jungkook apenas revirou os olhos e foi até um armário grande e velho no canto da sala, e pra minha surpresa havia uma espécie de passagem, era uma escada que levava ao que eu pensava ser o porão.

_ Vai ficar só olhando ou vai entrar logo? - disse apontando pro "armário"

Com uma leve carga de suspeita eu desci as escadas, que se tornaram puro breu depois das portas serem fechadas. Quase caí ao chegar e assim que Jungkook ligou as luzes meus olhos brilharam. 

Era um espaço relativamente grande, havia alvos em forma de homens ao fundo em diferentes posições, duas cabines de tiro, na parede à esquerda havia armas de todos os tipos, à minha direita um outro cômodo, que não esperei em adentrar. Era a área de luta. Dois sacos de pancada, uma parede repleta de objetos como facas, soco inglês, luvas de box, pequenos canivetes, um tatami e um espelho, por onde pude ver Jungkook me olhando da porta. 

_ Gostou? - ele perguntou com um sorriso singelo

_ Se eu gostei? Eu to amando isso aqui. - me virei pra ele 

_ Eu não sabia que prostitutas gostavam de armas, achei que tinham medo delas. - Andei até Jungkook encarando seus olhos, que me fitavam de maneira superior.

_ Eu não sou uma prostituta. Você sabe disso. 

_ Sério? - ele riu soprado - Engraçado... Eu me lembro de ter comprado você e, por acaso, numa casa de prostituição.

_ O que eu te fiz? - virei voltando a sala de tiro

_ Nada. - Jungkook deu de ombros, me deixando ainda mais irritada.

Uma coisa que eu ainda não tinha visto na sala era uma mesa de madeira com algumas pistolas sobre ela. Caminhei até ela pegando uma .40 pequena, uma das minhas favoritas por ser mais discreta, conferi se a arma estava carregada e apontei pro alvo mais distante. 

_ Se eu acertar, o que eu ganho? - Perguntei sem tirar os olhos do alvo. Jungkook se apoiou na mesa de braços cruzados e me olhou sorrindo, era claro que ele não acreditava em mim. 

_ Se você não acertar a parede, nós podemos entrar em acordo.

_ Você duvida tanto assim de mim? - O encarei de canto de olho.

_ Nunca. - O deboche em sua voz era claro, apertei o metal frio botando o dedo no gatilho. - Façamos uma aposta, se você acertar três tiros no alvo pode me perguntar o que quiser hoje, caso contrário o mesmo. 

_ Fechado. - Sorri pra ele e voltando ao alvo, dei o primeiro tiro que acertou o terceiro círculo do centro.

Vi os olhos de Jungkook se arregalarem de primeira e sorri satisfeita com aquilo. Disparei mais duas vezes e na última acertei o centro do alvo. Como os filmes antigos soprei a ponta do cano da arma sorrindo de lado. 

_ Sorte de principiante. - revirou os olhos tirando a pistola de minhas mãos o que arrancou uma risada alta de mim. 

_ Vamos as perguntas Jeon Jungkook. 

_ Acaba logo com isso. 

_ Como vocês cresceram tanto? Quero dizer, todos sabem do poder de G-Dragon e agora você, um garoto, tomando espaço nessa vida. - dei impulso sentando na mesa e fitei Jungkook mirando no mesmo alvo que eu, sua postura ereta passava elegância e mesmo com uma arma em punho, seu charme não era deixado de lado.

_ De primeira eu não queria entrar nessa vida. - ele deu o primeiro tiro acertando direto no centro. - Mas meu pai me obrigou a isso. Então eu conheci Namjoon, ele é um gênio em todos os sentido, é um dos principais motivos de sermos tão grandes. Todos nós temos alguma conta a ser acertada com aquelas duas famílias. Então nós fizemos o que fomos ensinados, planejar, aliar, esconder e atacar. 

_ E como fazem isso?

_ Começamos com alguns pequenos bairros insignificantes, assim tomamos espaço até chegarmos ao Mark. Ele era um dos maiores clientes deles e por um certo tempo foi meu informante la dentro. - Então foi ele... Filho da mãe. - Mark me deu informações preciosas e algumas nem tanto, como uma suposta irmã de Sehun. - Senti um arrepio subir por minha espinha, Mark nunca foi confiável, mas eu não imaginava que seria tão grave. 

_ E por que essa informação é tão dispensável?

_ Porque não conseguimos nem se quer provar a existência dela, mas ela não importa pra mim. - Jungkook se sentou ao meu lado e depois de um suspiro continuou a falar. - Eu vou derrubar eles, custe o que custar. Grave isso Yeerim.

Jungkook agora me encarava, seus olhos escuros passavam uma energia tão profunda. Ele era um mistério a ser desvendado e sua mágoa por minha família parecia de grande tamanho. Confesso que achei que seria mais difícil arrancar informações dele, mas agradeço ao universo por faze-lo desmanchar um pouco a barreira que tem a sua volta. 

_ Eles devem ter feito algo muito ruim pra tanta raiva. - quebrei o contato visual brincando com meus dedos.

_ Sim. Mas a pose deles vai cair. Todos nós nessa casa sofremos por culpa deles, eu... - Jungkook fez uma pausa, parecia se reprimir. - Eu vou fazer pagarem por cada vida acabada em suas mãos. 

O silêncio tomou toda a sala. Eu simplesmente não sabia o que dizer, Jungkook está convicto de seu objetivo, e seja la o que for, é uma ótima motivação pra ele.

------- Quebra de tempo -------

_ Foco no seu objetivo Yeerim! - Jungkook está a umas duas horas gritando comigo, cada coisa fira de seu padrão era um tormento pros meus ouvidos.

_ Jungkook pega leve com ela. - ouvi a voz de Taehyung se aproximar de mim. 

Me joguei no chão procurando por ar. Jungkook me obrigou a fazer um treino, que particularmente, não vi necessidade, mas agora estou aqui largada e toda suada. 

Vi o rosto sorridente de Tae assim que abri meus olhos, ele esticou a mão pra mim e eu a segurei levantando do chão. 

_ Ta satisfeito? Ou sua sessão de tortura ainda não terminou? - perguntei a Jungkook que apenas riu junto a V.

_ Para de drama. Eu peguei leve com você. 

_ Leve? Jungkook eu to a duas horas fazendo um esforço desnecessário! - revirei os olhos e Taehyung me abraçou rindo ainda. 

_ Você precisa de um banho. - Tae disse e eu dei um tapa no braço dele. - E de comida, o almoço ta quase pronto. 

_ Eu preciso de um corpo novo porque esse aqui morreu. - ele sorriu e me pegou fazendo minhas pernas ficarem em sua cintura. V era muito mais alto que eu, então não foi um grande sacrifício. 

_ Espero que não se comam aqui dentro. - Jungkook deu as costas deixando a sala e ouvi seus passos ao subir as escadas.

_ Seu próximo treino é comigo. - a voz grave de V soou em meus ouvidos. - Espero que seja uma boa aluna. 

_ Eu não sou de decepcionar. - sorri pra ele antes do mesmo me dar um rápido selar. 

Não demorou muito pra sairmos dali. Taehyung não deixou que eu saísse de seu colo, então me levou até o quarto e saiu logo depois. Eu tomei um banho longo tirando todos os gritos de Jungkook do meu corpo. Vesti um short e uma blusa qualquer quando acabei, sequei meu cabelo e prendi num coque alto e solto. Desci as escadas me arrastando até a sala onde estava Jimin e Yoongi. Deitei no sofá com a cabeça apoiada no colo de Jimin e o mesmo começou a acareciar meu cabelo, o que estava começando a me deixar sonolenta. 

_ Nós precisamos conversar. - falei baixo sem abrir os olhos.

_ Você não pode apenas ignorar o que viu? 

_ Não. E eu espero que isso explique a mudança repentina do comportamento do Jeon. - abri um olho vendo o olhar cabisbaixo de Jimin. - Vamos falar sobre essa sua carinha também.

_ Não vai me deixar ne?

_ Não mesmo. - sorri ouvindo-o rir soprado. - Eu te espero a noite.

Seul / South Korea - 02:00pm

_ Mandou me chamar?

_ Claro, sente-se. Eu preciso de um favor seu. 

_ E no que eu posso ajudar? - o jovem sentou-se a frente do maior. 

_ Informações. Quero tudo que possa encontrar sobre Im Yeerim atualmente. Quero localização, com quem anda, o que faz, preciso de tudo sobre ela. - um pagarreio surgiu para disfarçar o desespero presente em sua voz.

_ Eu trago o que quer em uma semana. 

_ Eu não esperava menos de você.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...