1. Spirit Fanfics >
  2. Secret Chronicles Vol. 2 - Secret and Lie >
  3. Capítulo 24 - Você está louco? Vão ver a gente

História Secret Chronicles Vol. 2 - Secret and Lie - Capítulo 25


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, lindos leitores. Dessa vez eu demorei mais do que as outras vezes, né? Mas cá estamos com mais um capítulo fresquinho. Espero que vocês gostem.

Capítulo 25 - Capítulo 24 - Você está louco? Vão ver a gente


— Olá, São Francisco! — O rapaz no centro do palco gritou no microfone em frente a ele e a plateia foi à loucura. Scott e Isaac estavam no meio da multidão, sentindo a vibração eufórica tomando conta de seus corpos. Os dois garotos estavam na pista de dança da Masonic, não muito longe do palco, cercados por uma multidão, que assim como eles,  gritavam, batiam palmas comemorando, ovacionando a banda que tinha acabado de entrar, pois o tempo que ficaram na fila esperando para poderem entrar e espera para que os quatro membros do Lost in Kostko subissem ao palco pareceu ser longo de mais. O lugar era enorme, a pista de dança, onde os meninos estavam estava lotada e acima dela, os camarotes, também lotados, rodeavam a pista de dança. Tinham três projetores de luzes pendurados no centro do lugar, um pouco acima dos camarotes. Eles iluminavam os quatro membros da banda, com uma luz branca. O Palco que eles estavam não era tão grande, mas não era pequeno. — Espero que estejam tão animados quanto nós! — Mais uma vez a plateia vibrou animada e o rapaz sorriu. — É assim que eu gosto! — O vocalista da banda, o que tinha saudado a cidade, aparentava ser um pouco mais velho que Lahey e McCall, mas não tanto, devia ter por volta dos vinte e cinco anos. Ele tinha cabelos pretos não tão curtos, porém não eram longos. Ele usava uma camiseta preta, uma calça marrom e um boné verde virado pra trás. Segurava uma guitarra vermelha, sendo suspensa por uma correia preta pendurada em seu ombro direito. Além dele, mais três rapazes da mesma faixa etária estavam no palco. À direita estava um rapaz latino de cabelos curtos, com um topete pequeno na franja, que também segurava uma guitarra, no entanto, a dele era preta e a correia que a sustentava era branca. Ele usava uma camisa preta de manga curta com gola v e uma calça jeans azul. À esquerda do vocalista estava um rapaz mais alto com cabelos pretos que iam até um pouco acima dos ombros. Ele segurava um baixo azul escuro sendo sustentado por uma correia também azul, usava uma camisa branca de manga, uma calça jeans preta e um boné preto virado pra trás. E um pouco atrás deles, sentado atrás de uma bateria, estava um rapaz, que usava óculos, vestia uma camisa de manga preta com listras cinzas e uma bermuda marrom. Atrás deles, tinha uma grande cortina vermelha, de onde eles tinham entrado no palco. — Nós somos o Lost in Kostko e vamos animar as coisas aqui. Estão prontos?

— Sim! — Scott e Isaac falaram ao mesmo tempo em um coro junto com todas as outras pessoas na plateia. O vocalista da banda olhou para os dois garotos aos seus lados, depois virou para trás e olhou para o baterista, que assentiu erguendo as baquetas.

— Um, dois, três quatro. — O baterista falou batendo uma baqueta na outra, cada vez que dizia um número e então os quatro membros começaram a tocar seus instrumentos em sincronia enquanto a plateia ovacionava e vibrava, e alguns até começaram a balançar a cabeça no ritmo agitado da música. Alguns celulares com flashs acesos foram erguidos e suas câmeras apontadas para os músicos para registrar o momento. Scott foi um dos que estava registrando aquilo. Ele pegou seu celular no bolso da calça, abriu a câmera depois de desbloqueá-lo e o ergueu, apontando para os quatro jovens no palco, mas sem deixar de olhar pra eles.

— This picture perfect charade. — O vocalista cantou os primeiros versos da música e logo um coro se instaurou na plateia.

— Has just faded away. — As pessoas cantaram também. Inclusive Scott, que estava completamente imerso. Ele cantava o mais alto que podia, com muita emoção, enquanto ainda gravava com seu celular. Ao seu lado, Lahey o observava sorrindo, a emoção do moreno o contagiava e ele começou a cantar também, porém mais contido, sem que sua voz se destacasse. O loiro estava mais concentrado em observar o namorado do que realmente assistir ao show. Se antes ele achava que aquele presente não chegava aos pés do que Scott planejou no dia dos namorados, agora o garoto tinha certeza que tinha acertado em cheio na escolha. E com aquele pensamento Isaac sorriu outra vez, ainda olhando o outro garoto. E quando notou que estava sendo observado, Scott olhou para o namorado, ainda cantando e sorriu pra ele também. O moreno interrompeu a gravação e abaixou seu braço, bloqueando o celular. Em seguida, ele aproximou sua boca do ouvido do outro, que se curvou um pouco para que Scott pudesse falar.

— Obrigado por ter comprado os ingressos! Melhor presente que eu poderia querer. — McCall falou alto, guardando novamente seu celular no bolso da calça e Isaac sorriu. O moreno se inclinou um pouco para o lado, aproximando sua boca da de Isaac e selou seus lábios, já adentrando com sua língua na boca do outro, que não hesitou em corresponder ao beijo. Os dois ficaram se beijando por alguns segundos antes do próprio Scott findá-lo com alguns selinhos e quando ele voltou a olhar para o palco, foi a vez de Lahey aproximar sua boca do ouvido do namorado, se curvando um pouco.

— De nada! — Isaac falou no mesmo tom que Scott tinha falado. Eles deram mais um beijo e então os dois voltaram a se concentrar no show. Os dois voltaram a cantar junto com as outras pessoas na plateia e dessa vez, Lahey cantou tão alto quanto o namorado. E quando a primeira música acabou, os dois garotos aplaudiram junto com os outros e Lahey até assobiou.

— Uau, vocês são demais. — O vocalista falou ao microfone. — Querem saber de uma coisa? São Francisco é muito importante pra nós, pois foi a cidade que fizemos nosso primeiro grande show há alguns anos. Depois dessa turnê, nós vamos dar um tempo. E abrir os shows da Califórnia aqui é bastante simbólico. Então vamos fazer desse show o melhor de todos. — Outra vez ele olhou para seus companheiros de banda e então começou a tocar alguns acordes na sua guitarra e logo outra melodia agitada começou. — This is not growing up I've never heard of this one, mom or dad can't help me this time.

— Essa é a minha música! — Isaac gritou para Scott, que sorriu.

— A música de todo mundo que tá crescendo, não é?  — Scott gritou em resposta, ainda sorrindo. E então voltou a cantar junto com as outras pessoas. — Who do I look to when things aren't alright? Everything is perfect don't run it for me. — Isaac também cantou e ambos balançaram suas cabeças e bateram os pés no ritmo da música e até arriscaram alguns movimentos de quadris. E eles cantaram a música junto com o vocalista e a multidão na plateia até o final, e quando acabou eles aplaudiram e ovacionaram a banda, que agradeceu. Todo o show seguiu a mesma vibe animada do início, guiada por muitos aplausos da plateia assim que os cantores terminavam de cantar as músicas, como o vocalista tinha prometido, ele faria daquele o melhor show de todos e ele foi para Scott e Isaac. Mas nada que é bom dura para sempre e logo o show chegou ao fim, no entanto, a euforia ainda emanava da banda, fazendo com que o show terminasse da mesma forma que começou, animado e vibrante.

— Obrigado, São Francisco! Vocês são incríveis demais! — O vocalista gritou ao concluir o show e a plateia mais uma vez aplaudiu o ovacionou a banda. Scott parou de aplaudir para erguer os braços, com os punhos cerrados e comemorar aquele momento.

— Uhul! — McCall gritou animado balançando agitadamente um dos braços no ar, enquanto Isaac também deixou de aplaudir e levou a mão direita até a boca, colocou o polegar e o indicador na boca e soltou um alto e assovio, antes de voltar a aplaudir, assim como o namorado.

Scott e Isaac, junto com as outras pessoas, continuaram a aplaudir a banda até que os quatro rapazes dessem as costas para a plateia e saíssem do palco pela cortina vermelha, levando seus instrumentos, com exceção do baterista, que obviamente levou apenas suas baquetas. E eles continuaram por mais alguns minutos até que a multidão começou a se dispersar. A maioria das pessoas na plateia foi seguindo para a saída, enquanto alguns poucos, que tinham acesso ao meet and great, seguiram para o local indicado. O que não era o caso de McCall e Lahey, que seguiram para a saída da casa de show junto com a multidão.

Por fora, a Masonic era um grande prédio branco de dois andares, que ocupava quase um quarteirão na California Street. A rua estava bem iluminada pelos postes de cada lado, deixando aquela noite bem clara. Em frente ao prédio, e por toda a rua, muitos carros estavam estacionados e seus donos seguiram em direção a eles. Scott e Isaac andavam de mãos dadas, com os dedos entrelaçados, em direção ao jipe, que estava estacionado um pouco distante do prédio.

— Cara, esse show foi simplesmente incrível. — Isaac comentou com um sorriso nos lábios.

— Sim. — Scott concordou olhando para o namorado, também sorrindo. — Bem que o Tyler disse que ia fazer o melhor show e ele foi lá e fez mesmo. Foi melhor que o primeiro show que a gente foi. Você lembra?

— Claro que eu lembro. Foi o primeiro show que nós fomos juntos. — Isaac respondeu também olhando pra Scott. — Foi o quê, há uns quatro anos?

— Sim. A gente nem tinha idade pra ir sozinhos e o Parrish teve que acompanhar a gente. — Scott falou rindo, lembrando-se do ocorrido.

— Porque ele era o único adulto jovem o bastante pra conhecer e curtir o Lost in Kostko. — Isaac riu também e então os dois começaram a gargalhar.

— Sim. — Scott falou recuperando o fôlego. E então sua voz ficou nostálgica. — Éramos tão novos.

— É, você tá bem velho agora. — O loiro levou sua mão livre para a cabeça do namorado e assanhou seus cabelos. — Já tem até cabelo branco. — Lahey voltou a gargalhar quando Scott revirou os olhos.

— Não tenho não. — O moreno soltou a mão do outro e envolveu o tronco dele em um abraço por trás, parou de andar e usou um pouco de força para erguer o corpo de Isaac do chão, que reclamou ainda sorrindo. — Isso é pra você aprender a não zombar da minha nostalgia. — McCall apertou a barriga de Isaac um pouco de mais.

— Me solta, isso tá doendo. — Isaac pediu ainda rindo e Scott o colocou no chão e eles ficaram de frente um para o outro e se olharam. Isaac tinha parado de rir.

— Desculpa, não queria te machucar. — Scott falou com um semblante um pouco triste.

— Não machucou. — Isaac sorriu. — Mas o que você falou foi engraçado mesmo. Parece até que somos dois velhos.

— Acho que é consequência de estar na faculdade. — Scott falou dando de ombros, sorrindo também. — Mas eu não tenho cabelo branco. — O moreno colocou a mão direita na cabeça e agarrou seus fios pretos. — Tenho?

— Não, amor. Eu só tava zoando. Não se preocupe com isso. — Isaac falou colocando a mão esquerda na bochecha do namorado. E então ele se curvou para dar um selinho no moreno.

— Não é que eu me preocupe com isso. — Scott voltou a entrelaçar seus dedos com os de Isaac e os dois voltaram a andar em direção ao jipe.

— Sei. — Isaac debochou.

— É sério, eu não me preocupo. — Scott falou. — Mas eu não tenho idade pra ter cabelo branco.

— Não tem nem cinco minutos que você tava aí falando como se fosse um ancião e agora é jovem demais pra ter cabelos brancos. — Isaac debochou outra vez, rindo. — Se decide, Scott. — Eles já estavam se aproximando do jipe.

— Engraçadinho. — Scott falou colocando sua mão livre no bolso da calça para pegar a chave do jipe. E quando a tirou do bolso, passaram a andar mais rápido. — Vamo comer alguma coisa antes de voltar para o campus.

— Vamos sim. — Isaac concordou.

— Aí, Scott! — Os dois garotos ouviram uma voz familiar e logo pararam de andar e se viraram para ver quem tinha chamado. Era Alec, que se aproximava deles, acompanhado de um rapaz, que Scott desconhecia, da mesma faixa etária que eles. McCall olhou confuso para o seu amigo.

— Alec? Oi! — Scott falou quando os garotos se aproximaram dele. — O que tá fazendo aqui?

— Vim para o show do Lost in Kostko. — Alec respondeu e cumprimentou com um aperto de mão seguido por um rápido abraço. — E aí, Isaac?

— Oi, Alec. — Isaac também apertou a mão de Alec e os dois se abraçaram rapidamente. 

— Você já usava óculos quando nos conhecemos? — Alec indagou com o cenho franzido.

— Não, eu passei a usar esses dias. — Isaac respondeu.

— Ah sim. Achei que eu tinha esquecido. — Alec falou e então se virou para o garoto ao seu lado. — Esse aqui é Sam, tá na minha turma. — Ele passou seu braço pelos ombros do outro garoto. Com a outra mão, ele apontou para McCall. — Esse é meu amigo, Scott, que tá no mesmo prédio de dormitório que eu. — Em seguida apontou para Lahey. — E esse é o namorado dele, Isaac.

— Oi, rapazes. — Sam falou estendendo a mão. Ele tinha cabelos loiros lisos curtos. Ele era mais alto que Alec e Scott, porém mais baixo que Isaac. Sua pele era branca. Seus lábios chamaram a atenção de Lahey e McCall, não que eles estivessem reparando, mas não tinha como deixar de notar quão grossos eram.

— Oi, Sam. — Foi Scott quem o cumprimentou primeiro. Ele estendeu sua mão e apertou a do outro. — É um prazer te conhecer.

— Igualmente. — O colega de Alec falou. E quando Scott soltou sua mão, Isaac também a apertou. — E aí?

— Oi. — Lahey falou antes de soltarem as mãos. — Vocês vão voltar pra Davis?

 — Vamos sim. — Sam respondeu.

— Na verdade a gente tava indo pra a estação de metrô quando eu vi vocês. Não podia deixar de cumprimentá-los. — Alec falou.

— Podemos dar uma carona pra vocês. — Scott sugeriu e os garotos a sua frente se entreolharam, antes de voltar a olhar para McCall e Lahey novamente.

— Eu não vou recusar. — Alec falou e Scott assentiu.

— Não podemos levá-los até Davis? — Isaac indagou olhando para Scott, que o olhou surpreso e não conseguiu esconder a preguiça que aquela sugestão tinha lhe causado.

— Não precisa, Isaac. Até a estação de metrô já tá bom. — Alec falou percebendo que Scott realmente não estava com muita vontade de fazer uma pequena viagem de quase uma hora e meia até Davis e depois levar mais uma hora e meia para voltar pra São Francisco. 

— Então vamos lá. — Scott falou dando as costas e rumou para o jipe, sendo seguido pelos outros. Ele se dirigiu para a porta do motorista, enquanto os outros três foram para a porta do carona. McCall colocou a chave naa porta, destravou, a abriu e entrou. Ele então se inclinou para destravar a porta do carona e enquanto voltava a posição normal, a porta foi aberta por Isaac, que ergueu o banco para que Alec e Sam pudessem entrar no banco de trás. Alec entrou primeiro e sentou atrás de Scott. Sam sentou atrás do banco do carona, que em seguida foi colocado no lugar por Isaac, que entrou e fechou a porta. Os quatro colocaram o cinto e Scott deu a partida no carro. No entanto, ele virou o pescoço para poder olhar para os garotos no banco de trás. — Vocês estão com muita pressa? Porque eu tava falando pra o Isaac que queria comer alguma coisa antes de voltar pra o campus. Imagino que vocês devem estar com fome também.

— Eu tô com fome mesmo. — Sam confessou olhando pra Scott e então olhou para Alec. — É uma boa ideia comer antes de pegar o metrô.

— É, vamos comer antes. — Alec concordou e Scott assentiu.

— Tem uma lanchonete mais na frente. — Isaac falou.

— Perfeito. — Scott falou. Ele deu a ré com o carro, para tirá-lo da vaga e então passou a conduzi-lo, olhando pra frente. Não demorou muito para que McCall avistasse a lanchonete que Isaac tinha mencionado e sem demora, estacionou o jipe em frente. 

A fachada era metade vemelha e metade azul. em frente a ela, a esquerda do jipe, tinha uma placa preta com as palavras “SUPER BURGUERS” escritas com neon, sendo a primeira azul e a primeira vermelha. Grandes janelas de vidro permitiam ver o interior. Lahey e McCall fecharam os vidros do jipe, os quatro desatacaram os cintos, desceram do carro, Scott e Isaac travaram as portas e seguiram junto dos outros dois para dentro do estabelecimento. No caminho, Isaac passou o braço pelos ombros de Scott e entraram. 

Por dentro as paredes eram cobertas de várias fotos de heróis e vilões de quadrinhos suas versões cinematográficas. Mesas retangulares estavam espalhadas com bancos de três lugares e muitas delas estavam ocupadas. Duas coisas chamaram a atenção dos garotos. A primeira foi o fato de que os sanduíches que as pessoas nas mesas comiam tinham os pães coloridos. Tinham pretos, azuis, vermelhos e até roxos. A segunda coisa era que os atendentes estavam fantasiados de heróis. Eles avistaram uma mesa vazia perto da porta e seguiram para ela. Scott e Isaac sentaram lado a lado, de costas para a porta e os outros dois sentaram em frente a eles, sendo Sam de frente para McCall e Alec de frente para Lahey.

— Lugar interessante. — Isaac comentou e os outros três assentiram concordando. Poucos segundos depois um garçom fantasiado de Ciclope de X-Men se aproximou da mesa deles segurando um bloco de notas com uma caneta e com dois cardápios em baixo do braço.

—Boa noite, rapazes. Bem-vindos ao Super Burguers. — O garçom falou entregando os cardápios para Scott e Sam, que estavam na ponta. — Primeira vez de vocês aqui?

— É sim. — Scott falou passando o cardápio para Isaac, que o abriu e  deu uma boa olhada, antes de voltar sua atenção para o garçom novamente.

— Todos os sanduíches têm nomes de heróis? — Lahey perguntou.

— Tem alguns que têm nomes de vilões também. — O garçom respondeu.

— Que legal. — Alec comentou olhando para o cardápio junto com Sam. Isaac e Scott fizeram o mesmo. E pouco tempo depois eles fizeram o pedido. Isaac optou por um "Capitão América", Scott pediu um "Deadpool", Alec um "Hulk" e Sam um "Batman". Eles também pediram duas porções de batatas fritas e milk shakes de chocolate pra cada um. O garçom anotou os pedidos e se afastou da mesa.  — O lugar é realmente bem interessante mesmo.

— Eu não sabia que você viria pra o show do Lost in Kostko. — Scott falou olhando para Alec. — Se eu soubesse a gente tinha combinado de se encontrar na fila e ficaríamos juntos.

— Eu também não sabia, na verdade. — Alec falou e Scott o olhou com o cenho franzido.

— O Alec ganhou os ingressos de um amigo. — Completou ao perceber a confusão de Scott e então olhou para o garoto ao seu lado. — Como é mesmo o nome dele?

— Sebastien. — Alec respondeu. — Foi o Sebastien que me deu os ingressos. Ele disse que não queria mais ir ao show, então me deu os ingressos e eu convidei o Sam.

— Hum. — Foi tudo que Scott disse. Ele tinha ficado.um pouco tenso com o que seu amigo tinha dito, pois aquilo confirmava sua suspeita da real intenção do francês.

— Que amigo legal e generoso. — Isaac comentou olhando para os garotos a sua frente, sem perceber a tensão do namorado. — Os que eu comprei foram bem difíceis de conseguir, tava quase tudo esgotado.

— Não acho que ele queria realmente ir ao show. Ele queria era outra coisa. — Alec falou e Scott ficou mais tenso ainda. Isaac o olhou confuso.

— E vocês curtiram o show? — McCall questionou mudando o foco do assunto rapidamente.

— Eu não conhecia essa banda, mas achei o som deles bem legal. — Sam comentou.

— Eu curti muito. — Alec respondeu. — Nunca tinha ido a um show deles.

— Nós já. — Isaac falou.

— Mas esse sem dúvida foi o melhor. — Scott completou. — Vocês estavam na pista? — Os garotos na frente de McCall assentiram. — Como foi que a gente não se viu lá dentro da casa de show?

— Tava lotado, amor. — Isaac falou.

— É. — Sam concordou assentindo. — A gente não tava muito perto do palco. — Alec assentiu também.

Scott se virou para Isaac e disse: 

— Tenho que ir no banheiro. — O garoto deu um selinho no namorado, se levantou e começou a se dirigir para o fundo da lanchonete, onde ele tinha visto uma placa do banheiro. Mas Alec o chamou.

— Vou contigo, também preciso tirar a água do joelho. — O cacheado falou se levantando também. Ele passou por cima das pernas de Sam e seguiu junto com Scott para o banheiro. Ao entrarem, os garotos perceberam que só tinha um box e uma pia em frente a ele. Scott foi o primeiro a se dirigir para dentro do box. Ele desabotoou sua calça, baixou o zíper e passou a urinar enquanto Alec aguardava encostado ao lado do box. — Você ficou meio tenso quando falamos do Sebastien, não foi?

— Você percebeu? — Scott indagou.

— Uhum. 

— É que eu ainda não contei pra o Isaac sobre as investidas dele. 

— Scott, tem que contar.

— Eu sei. — McCall falou após um suspiro. Ele terminou de urinar, ajeitou a cueca e a calça, saiu do box abotoando a calça e olhou pra Alec. — Eu vou contar. Amanhã. Só queria um pouco de tranquilidade hoje, porque o Isaac vai ficar com ciúmes, sabe? Mas eu vou contar sim.

— O cara tá caidinho por você. — Alec falou. — Nem conseguiu disfarçar a frustração que tava sentindo por você ter recusado o convite dele quando me deu os ingressos.

— Azar o dele. — Scott falou e se virou para ir até a pia, enquanto Alec entrava no box. Ele lavou as mãos enquanto o outro garoto urinava. — E você e esse Sam, tá rolando alguma coisa?

— Não, só o convidei pra vir ao show comigo. — Alec respondeu. Ele também terminou de urinar, ajeitou a calça e a cueca e foi lavar as mãos. — Mas quem sabe? Ele é gatinho. 

— Ele é mesmo. — Scott concordou sorrindo.

Na mesa, Isaac e Sam ficaram em um silêncio constrangedor por alguns segundos depois que os outros tinham saído, mas Lahey logo o quebrou ao perguntar. 

— E aí, Sam, o que você estuda?

— Estudo enfermagem como o Alec. — Sam respondeu

— Achei que ele estudasse veterinária como o Scott. — Isaac falou confuso. — Normalmente a gente faz mais amizade com o pessoal do nosso curso. Ou com os colegas de quarto. Se bem que o colega de quarto do Scott é um escroto. 

— Realmente, mas parece que eles estão no mesmo prédio de dormitório. — Sam comentou. 

— Estão sim. — Isaac assentiu.

— Vocês dois estão juntos há muito tempo? — Sam indagou.

— Quase um ano e meio, mas namorando oficialmente mesmo, fez um ano essa semana. — Isaac respondeu. — Mas nós somos amigos desde os oito anos.

— Que legal.

— O que é legal? — Alec questionou ao se aproximar da mesa novamente junto com Scott. 

— O Isaac tava contando que ele e Scott são amigos de infância e que essa semana fez um ano que eles estão namorando. — Sam falou passando para o lado, pra que Alec não tivesse que passar por cima de suas pernas novamente.

— Ah sim. — Alec falou sentando-se ao lado de Sam, enquanto Scott voltava ao seu lugar ao lado de Isaac também. — Começaram a namorar no dia dos namorados. Não é romântico? — Indagou olhando para o amigo ao seu lado.

— Sério? — Sam perguntou olhando para o casal.

— Sim. — Scott respondeu sorrindo. 

— Bem romântico mesmo. — Sam falou. — De onde vocês são?

— Daqui da Califórnia mesmo. — Isaac respondeu. 

— De uma cidade chamada Beacon Hills. — Scott completou. — E você?

— Sou de Lima, Ohio. — Sam respondeu.

— Antes que o Isaac pergunte, porque o Scott já sabe, eu sou do Texas. Odessa, o nome da minha cidade. — Alec comentou.

— Eu queria saber como você e o Scott se conheceram. Eu achava que vocês eram da mesma turma, mas acabei de descobrir que você tá estudando enfermagem. — Isaac falou olhando para Alec.

— Foi na semana do trote. — Scott falou.

— Estávamos juntos e aí conversamos pra aliviar a tensão. Depois descobrimos que estávamos no mesmo prédio de dormitório. — Alec continuou.

— O trote de vocês foi meio pesado, não foi? — Isaac indagou. — O Scott me falou.

— Nos obrigaram a ficar só de cueca e jogaram tinta vermelha em nós. — Sam falou.

— Parecia que eu tinha entrado em um mundo de Carrie, a estranha. — Scott falou.

— Não sei porque os veteranos sentem prazer em humilhar os novatos. Isso é tão sem graça. — Isaac falou e Scott concordou assentindo.

— A gente que o diga. — Sam falou. — E o seu trote, Isaac?

— Foi bem tranquilo. — Isaac respondeu. — Eu só tive que usar uma camisa com a frase “eu sou calouro” escrita.

— Foi tão tranquilo que ele tirou uma foto com a camisa e postou no Instagram com o maior orgulho. — Scott falou olhando rapidamente para o namorado, que olhou pra ele também. McCall sorriu e então voltou a olhar para os garotos à sua frente.

— Que inveja. — Alec falou.

— Pois é. — Sam concordou. — Aliás, o que você estuda, Isaac?

— Psicologia. — Isaac respondeu.

— Legal. Só o pessoal de saúde. Saúde normal, mental e animal. — Alec falou erguendo a mão direita em direção a Isaac, que correspondeu ao high five. O cacheado pegou seu celular no bolso da calça e olhou para Isaac. — Qual o seu Instagram pra eu seguir?

— @Islaheyaac. — Isaac respondeu e Alec logo abriu o Instagram e procurou, achando logo depois. Ele seguiu o perfil de Lahey e deu alguns likes nas primeiras fotos. O casal viu que o garçom vestido de Ciclope vinha em direção a mesa deles com uma bandeja na mão. — Depois eu te sigo de volta. E procuro o do Sam no seu.

Logo em seguida o garçom chegou com o pedido dos garotos. Ele colocou os milk-shakes em cima da mesa, em frente a cada um, depois colocou as batatas e por fim os sanduíches. Em frente à Isaac ele colocou um sanduíche com os pães azuis e gergelins vermelhos e brancos em cima. Em frente a Scott, colocou um sanduíche com os pães vermelhos com gergelins pretos. Em frente a Alec ele colocou um sanduíche com os pães verde-escuros e em frente a Sam, um com os pães pretos e os gergelins amarelos.

— Bom apetite. — O garçom falou e os garotos agradeceram. E então ele se afastou e os quatro começaram a comer.

Enquanto comiam, eles conversaram animadamente sobre várias coisas. Elogiaram os sanduíches, tanto o sabor, quanto a peculiaridade deles. Falaram sobre seus heróis e filmes de heróis favoritos e também sobre suas experiências nas faculdades. As coisas boas e as dificuldades. Quando acabaram, os quatro dividiram a conta, pagaram e saíram da lanchonete. Eles voltaram para o carro e mais uma vez Scott sentou no banco do motorista, Isaac no do carona e Sam e Alec no banco de trás, o primeiro atrás de Lahey e o segundo atrás de McCall.

— Scott, deixa eles na Montgomery Street Station, que é mais perto pra eles e também mais perto do campus. — Isaac falou atacando o cinto.

— Ok. — Scott assentiu dando a partida no carro.

— Sabe o caminho, não é? — Isaac questionou olhando para o namorado, que começou a dirigir atentamente o jipe. — Você tem que virar na próxima, à esquerda.

— Eu sei o caminho! — Scott falou com convicção. Ele virou à esquerda como indicado por Isaac e continuou guiando o jipe.

— Não pode me culpar por questionar. Quarta passada você também sabia o caminho do restaurante e deu no que deu. — Isaac falou dando de ombros.

— Você tá muito engraçadinho hoje. — Scott falou. Alec e Sam apenas observavam, porém Alec não ia perder uma oportunidade de zoar seu amigo.

— Então foi por isso que vocês chegaram atrasados no restaurante e perderam a reserva? Porque o Scott se perdeu? — O garoto questionou rindo.

— Eu te disse, eu cometi o erro de fazer a reserva uma hora mais cedo do que eu realmente queria. Não tinha como chegar na hora. Se fosse no horário certo, teríamos chegado a tempo sim. — Scott falou olhando para Alec pelo retrovisor, mas ele logo voltou a olhar pra estrada. — E eu não me perdi. Só errei um pouquinho o caminho.

Isaac virou seu corpo para olhar pra Alec e ergueu as mãos.

 — “Um pouquinho.” — Lahey zombou fazendo sinal de aspas com as mãos erguidas, rindo. Alec e Sam riram também.

— Se vão continuar debochando de mim, vocês podem fazer isso fora do jipe. — Scott falou revirando os olhos. — Vou encostar pra os três piadistas descerem.

— Ei, Scott. Eu não tenho nada a ver com isso. — Sam falou erguendo as mãos, num sinal de rendição. — Por favor, não me larga numa cidade desconhecida, acabamos de nos conhecer.

— Tá, só você pode continuar. — Scott falou.

— Você me deu o jipe no natal, lembra? — Isaac falou olhando para o namorado. — Ninguém aqui vai sair dele.

— Mas eu que tô dirigindo, então eu decido. — Scott olhou pra Isaac, que o olhou com um semblante de cachorrinho que caiu do caminhão de mudança e McCall não conseguiu mais carregar sua falsa irritação. — Tá, vocês ficam. Para de me olhar assim. — O moreno voltou a olhar pra estrada e Isaac sorriu.

— Você tem bom gosto, Scott. — Alec falou. — É um belo jipe.

— Era do Stiles. — Scott olhou para Alec pelo retrovisor, mas voltou a olhar pra estrada em seguida.

— Seu irmão? — Alec indagou.

— Não. — Isaac respondeu antes que Scott pudesse falar. — O Stiles é… — Mas ele não conseguiu terminar, pois Scott o interrompeu.

— É meu irmão, sim. — McCall falou. — Ele me deu quando nos formamos no ensino médio e então eu passei para o Isaac no natal, como ele disse. 

— Eu esqueci que vocês são irmãos. — Isaac falou.

— Como que você esqueceu que esse tal de Stiles e o seu namorado são irmãos? — Sam questionou genuinamente surpreso e confuso.

— Não somos irmãos de sangue. — Scott tomou a frente da explicação. — Minha mãe casou com o pai dele no mês passado. Ainda é meio estranho nos referirmos a ele como meu irmão, sabe? Não é nem porque a gente não se gosta, definitivamente não é o caso. Sempre fomos melhores amigos. Só é estranho mesmo.

— Entendi. — Sam falou. Poucos segundos depois, Scott estacionou o jipe em frente à estação do metrô. Os garotos desatacaram os cintos e desceram do carro. McCall arrodeou o veículo, indo para perto dos outros três, do outro lado do carro. — Obrigado pela carona, rapazes. Foi um prazer conhecê-los. — Ele falou com Isaac primeiro. Apertaram as mãos e deram um rápido abraço.

— Igualmente, Sam — Isaac falou ao se afastarem.  E então ele foi falar com Alec, enquanto Scott foi falar com Sam.

— Tchau, Sam. — Scott falou abraçando o garoto de lábios grossos. — A gente se esbarra em Davis, quando eu voltar.

— Tchau, Scott. — Sam falou quando se afastaram.

— Até mais, Isaac. — Alec falou apertando a mão de Lahey.

— Até. — Isaac falou dando um rápido abraço no outro e quando se afastaram, ele olhou para o cacheado. — Olha, a gente só não convidou vocês pra dormirem no meu quarto no campus porque…

— Relaxa, eu sei que vocês querem ficar sozinhos. — Alec falou, interrompendo Isaac. Ele olhou pra Scott e soltou uma piscadela cúmplice para o amigo, que sorriu e então foi abraçá-lo. — Tchau, Scott. Te vejo em Davis.

— Tchau, parceiro. — Scott falou e eles romperam o abraço. — Manda mensagem quando chegar lá pra eu saber que chegaram bem. Provavelmente estaremos acordados.

— Mando sim. — Alec falou sorrindo e então deu as costas junto com Sam e os dois se dirigiram para a estação. Mas antes de entrarem, o cacheado se virou e olhou para Scott e Isaac, que acenaram pra ele. — Aproveitem por mim. — Ele disse acenando de volta, antes de se virar pra frente novamente e começar a descer os degraus para a estação junto com Sam. 

Isaac e Scott voltaram para o jipe, o moreno deu a partida e conduziu  o veículo de volta para o campus.

— Gostei do Sam, ele é legal. — Scott comentou sem desviar os olhos da estrada.

— É sim. — Isaac concordou. Ele estava olhando para a cidade pela sua janela.

— Você sentiu algum clima entre eles? — Scott indagou curioso. Ele sentia compaixão pelo amigo e queria que ele se desse bem no amor.

— Não sei, talvez sim, talvez não. — Isaac respondeu olhando para o namorado. — Por quê?

— O Alec tá apaixonado por um amigo nosso, o Phil. E ele é hétero. Só quero que ele supere isso e encontre alguém legal. Garoto ou garota. — Scott explicou olhando rapidamente para o outro, antes de voltar a dar atenção para a estrada. — Ele é o amigo da faculdade que eu mais gosto. — O moreno confessou.

— Eu sei bem como ele se sente. — Isaac falou se compadecendo por Alec.

— Eu não sou hétero. — Scott falou olhando pra Isaac com o cenho franzido

— E não tem nem um ano e meio que eu e você descobrimos isso. — Isaac falou sorrindo.

— Tá, será que podemos não falar dessa época. Eu não gosto. — Scott falou com um tom um pouco melancólico. Mas ele não deixou isso tomar conta dele e logo voltou a ficar animado. — Você reparou em como os lábios do Sam são grossos?

— E tinha como não reparar? — Isaac respondeu rindo.

— Eu fiquei imaginando uma coisa. — Scott confessou.

— O que? — Isaac perguntou curioso.

— Nada de mais. — Scott falou.

— Agora você vai me dizer. — Isaac exigiu.

— Não quero que me entenda mal. — Scott falou.

— Me fala, talvez eu tenha imaginado a mesma coisa. — Isaac falou.

— Fiquei imaginando se são macios. — Scott admitiu.

— Pra beijar? — Isaac indagou.

— Pra chupar. — Scott falou não conseguindo segurar a gargalhada e Isaac fez o mesmo.

— Meu Deus, Scott. Você só pensa nisso. — Lahey falou ainda gargalhando.

— O que? Você imaginou a mesma coisa. — Scott falou olhando pra Isaac, mas logo voltou a olhar pra estrada.

— Justo. — Isaac falou dando de ombros. Ele voltou a observar a cidade pela janela, mas então uma ideia lhe ocorreu. O garoto voltou a olhar para o namorado e simplesmente perguntou. — Os meus lábios são macios?

Aquela pergunta abalou Scott, que olhou para o outro com um semblante surpreso e um pouco excitado. E quando ele notou que Isaac estava mordendo os lábios, McCall sentiu seu membro já dando sinal de vida. Ele pigarreou para tentar disfarçar.

— Seus lábios são o paraíso. — Scott respondeu com a voz um pouco rouca. E então voltou a olhar pra estrada. — Agora para de me distrair desse jeito, quero chegar vivo no seu quarto pra poder usufruir deles.

— Pra que esperar? — Isaac falou colocando sua mão esquerda entre as pernas de Scott. Sua voz também estava rouca. Ele apertou o membro do namorado por cima da calça, sentindo que ele estava começando a se animar.

— Babe, para. — Scott pediu nervoso, tentando se concentrar na direção. Mas ficou mais difícil quando ele sentiu Isaac desabotoar sua calça e abrir o zíper. — O que está fazendo?

— Atenção na estrada. — Isaac falou desatacando seu cinto. — Não vai causar um acidente, hein. — O loiro curvou o corpo, enquanto puxava a calça e a cueca de Scott, liberando seu membro, que pulou pra fora em toda sua glória ereta. Enquanto direcionava sua boca para o membro de Scott, Lahey ajeitou os óculos com o indicador direito.

— Tá meio duro me atentar a estrada com vo… Puta que pariu! — Scott praticamente gritou quando Lahey abocanhou de vez seu membro. Ele segurou o volante do carro com força e se controlou para não revirar os olhos. — Aaaah. Isaac, você tá louco? Vão ver a gente. Porra. 

Isaac movimentava sua cabeça para baixo e para cima, usando sua língua para lamber a glande e o comprimento do pênis de Scott, e uma das mãos para estimular os testículos do moreno, que tentava conter seus gemidos, sem muito sucesso. Com a outra mão, o loiro segurava os óculos, que insistiam em querer cair no colo de McCall. Por sorte, o moreno mantinha o jipe numa velocidade rápida o bastante para que ninguém na rua, ou as poucas pessoas nas calçadas ou nos outros carros na contramão pudessem reparar no que estava acontecendo. Porém, essa sorte foi embora, quando um semáforo ficou vermelho e Scott teve que frear o carro atrás de outro. 

O moreno achou que Isaac pararia o que estava fazendo e voltaria a se sentar normalmente, mas ele já conhecia o namorado há tempo o bastante pra saber que ele podia ser bem tímido em relação a isso, mas ele também podia se mostrar um safado que gostava do risco de ser visto. E naquele momento, era a segunda opção, como na vez em que transaram no banheiro do colégio. Isaac não parou com o sexo oral. 

Quando um carro parou do lado esquerdo do jipe, McCall ficou nervoso. Ele apoiou o cotovelo esquerdo na janela e cobriu sua boca com a mão, tentando parecer casual, enquanto sua outra mão foi parar na cabeça do namorado e a segurou quando o loiro estava com todo o seu membro na boca, impedindo-o de subir, para que o homem no carro ao lado não visse qualquer movimento. Isaac já estava começando a engasgar quando o semáforo ficou verde e Scott soltou sua cabeça e colocou a mão na marcha para mudá-la e voltar a conduzir o jipe. Lahey tirou o membro de Scott, completamente molhado de saliva, da boca e tossiu, enquanto sentava normalmente. Seus olhos estavam lacrimejando. O loiro tirou os óculos, os deixou em seu colo e enxugou as lágrimas com as duas mãos.

— Desculpa, mas o cara no carro ao lado podia ter nos visto. Você tá bem? — McCall indagou preocupado. 

— Tô. — Isaac respondeu passando o dorso da mão na barba, para limpar a saliva que tinha escapado por seus lábios. Ele já estava se recuperando do ataque de tosse. O garoto pegou os óculos em seu colo e os colocou no rosto novamente. — Tô pronto pra cair de boca de novo.

— A gente já tá chegando, Babe. Guarda um pouco dessa animação. — Scott pediu antes que Isaac abocanhasse seu membro novamente.

— Ah, não vai ser esse boquete, que vai tirar minha animação. Será que consigo te fazer gozar antes de chegarmos? — Isaac indagou olhando pra Scott com um semblante travesso.

— É um desafio. — Scott falou e Isaac sorriu antes de curvar seu corpo novamente e colocar o membro do namorado em sua boca outra vez. — É mesmo o paraíso. Aaaah. — McCall não podia negar que aquilo lhe excitava bastante. Era um novo fetiche que acabara de descobrir, pois eles nunca tinham feito aquilo. Já tinham feito sexo oral um no outro no carro sim, mas quando ele estava parado em um lugar onde não tinha ninguém que pudesse flagrá-los. Receber um boquete de Isaac enquanto dirigia, era incrível. Já o loiro, descobriu que gostava daquilo também, ele realmente curtia o risco de ser flagrado. Scott manteve uma das mãos no volante e a outra na cabeça do namorado, porém deixou que o loiro ditasse o ritmo, que começou devagar e logo foi ficando veloz, enquanto a mão de Lahey estimulava a base do pênis do moreno. — Isso, Isaac. Assim mesmo. — Scott  sentiu  que seu ápice logo viria e então puxou os cabelos de Isaac para que ele tirasse a boca de seu membro. — Tô perto. Você ganhou.

— Quero que goze na minha boca. — Isaac falou e abocanhou o membro de Scott com tudo novamente. 

— Porra, Isaac. Vou gozar. — Foi tudo que Scott conseguiu dizer antes de se derramar na boca do namorado. Ele tirou a mão da cabeça do loiro e a colocou no volante junto com a outra e o apertou. McCall gemeu alto e sua respiração ficou ofegante, mesmo se contorcendo de prazer, ele manteve o pé no acelerador e o ritmo do carro. Isaac tirou o pênis de Scott de sua boca e se ajeitou no banco do carona, enquanto engolia o sêmen do namorado e ajeitava os óculos em seu rosto. — Babe, uau. Só uau. — O moreno ainda estava ofegante.

— Droga, sujou um pouco minha barba. — Isaac falou ao perceber que um pouco de sêmen tinha escapado por seus lábios. Ele tentou limpar com o indicador e levou o dedo até os lábios de Scott, que colocou o dedo em sua boca e o chupou, sentindo seu gosto. Segundos depois? Eles pararam em outro semáforo.

— Me dá um beijo. — Scott pediu ao tirar o dedo de Isaac da boca, e o loiro se inclinou, aproximando seus lábios dos do outro e os selou, já adentrando com sua língua na boca dele. O beijo durou alguns segundos até que o carro de trás buzinasse anunciando que o semáforo tinha ficado verde. Os garotos romperam o beijo e Scott voltou a conduzir o jipe. — A gente tem que repetir isso, mas da próxima eu te chupo enquanto você dirige.

— Combinado. — Isaac concordou com um sorriso malicioso.

Não muito depois, eles chegaram ao campus e logo Scott estacionou em frente ao prédio do dormitório de Isaac. McCall desatacou o cinto, ajeitou sua cueca  e sua calça, fechou o zíper e a abotoou. Eles desceram do veículo, travaram as portas e seguiram apressadamente de mãos dadas para dentro do prédio.


Notas Finais


Então pessoal, é só isso por enquanto. Teria mais coisas no capítulo, mas decidi deixar para o próximo, que promete! Espero que tenham gostado. Vou tentar não demorar muito pra trazer o próximo, mas vocês sabem, se eu demorar, é porque eu quero fazer algo bem feito pra vocês. Até mais.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...