História Secret Love - Capítulo 36


Escrita por: e _FlowerPuffGirl

Postado
Categorias Black Pink, EXO, Got7, Monsta X, Red Velvet, Seventeen
Personagens Baekhyun, BamBam, Boo Seungkwan, Chanyeol, Chen, D.O, Hansol "Vernon" Chwe, Hong Jisoo "Joshua", Hyung Won, I'M, Irene, Jackson, JB, Jennie, Jeon Wonwoo, Jinyoung, Jisoo, Joo Heon, Joy, Junghan "Jeonghan", Kai, Ki Hyun, Kim Mingyu, Kris Wu, Lay, Lee Chan "Dino", Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Lisa, Lu Han, Mark, Min Hyuk, Rosé, Sehun, Seulgi, Seungcheol "S.Coups", Soonyoung "Hoshi", Suho, Tao, Wen Junhui "JUN", Wendy, Won Ho, Xiumin, Xu Ming Hao "THE8", Yeri, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, 2won, Cheolsoo, Hunhan, Jihan, Jihancheol, Junhao, Markjinson, Meanie, Menção Chanbaek, Menção Changki, Menção Joohyuk, Menção Joyri, Menção Kaisoo, Menção Kristao, Menção Yugbam, Seulrene, Soonhoon, Sulay, Verkwan, Xiuchen
Visualizações 325
Palavras 1.850
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Sobrenatural, Suspense, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 36 - Thirty six


Jihoon estava indo a casa de Minghao. Fazia um tempo desde que não via o mais velho, então já sentiu uma pontada de saudades do chinês. Estava sozinho, pois Soonyoung teria que ficar no castelo para ajudar Jaebum em algo, Seungkwan estava muito ocupado cuidando de Jasmine, Jisoo havia saído com Jeonghan e com Seungcheol e todos os outros estavam ocupados com alguma coisa.

Depois de um tempinho, finalmente chegou a casa qual o Xu morava com sua família. Tocou a campainha, escutando um "Já vai!" de lá de dentro da casa. Depois de uns três minutos, Jun atendeu a porta, abrindo um sorriso ao ver Jihoon ali.

— Olha só se não é o meu dongsaeng prefererido. — Falou. — O que o trás aqui? — Deu espaço para o ômega entrar.

— Oi hyung. — Sorriu. — Eu só estava com saudade de conversar com vocês.

Entrou na casa, indo para a cozinha. Ao entrar na cozinha, viu Minghao sentado na bancada e Mei-Li brincando perto de onde o ômega estava. Ao ver Jihoon, Minghao sorriu.

— Oi Jihoonie! — Disse.

— Oi hyung... — Murmurou.

— Você está bem? Parece que não dorme a dias... — Falou, cruzando os braços.

— Estou bem. Eu já estou conseguindo dormir direito por conta de um enjôo horrível.

— Quantos dias tem isso? — Perguntou.

— Uns três. — Se sentou na bancada, apoiando sua cabeça na mesma. — Além de uma dor de cabeça infernal.

— Você deveria ficar em casa então. — Jun falou, passando as mãos pelos cabelos castanhos do ômega.

— Yah, lá estava um tédio... — Fez bico.

— Anda tendo muitos enjôos? — Viu o menor assentir. —  Eu sei o que é bom para enjôo... chá!

— Sério? Chá? — Fez cara de nojo.

— Sim. Vou fazer pra você.

— Não precisa, não gosto de chá. — Falou.

— Não perguntei se você gosta ou não, você vai tomar. — Jihoon bufou. — Aliás, você já pensou em ir no Seokmin? Sabe, ver se está tudo bem.

— Não tem necessidade... É um enjôo besta...— Murmurou.

Observou calado o Xu fazer o chá para si.

— E se não for um enjôo besta? — Jun perguntou.

— O que está insinuando com isso? — Jihoon olhou para o alfa.

— Nada... Só que pode não ser uma coisa besta, pode ser uma doença séria... Ou talvez nem seja uma doença...

Minghao olhou para Jun, entendendo o que o Wen estava querendo dizer.

— Concordo com o Jun... E se não for uma doença?

— Onde vocês querem chegar com isso? — Arqueou uma sobrancelha, realmente não entendendo o que os dois mais velhos estavam querendo dizer.

— Você é lento hein Jihoon... — Minghao bufou.

— Como vocês querem que eu entenda? Vocês estão falando por códigos! — Cruzou os braços.

— Sério que você não suspeita de nada? — O menor negou. — Você já teve o seu cio? — O ômega assentiu. — Passou ele sozinho?

— Com Soonyoung. — Corou.

Jun e Minghao se entreolharam.

— Entendi...

O menor observou o Xu colocar o chá em uma xícara de porcelana e entregar para si. O ômega olhou aquilo, meio receoso, mas deu um gole naquele líquido, fazendo uma cara de nojo logo em seguida.

— Que coisa horrível.

— Eu sei que é ruim, mas vai fazer você ficar melhor. — Disse.

— Hyung... — Chamou. — Você pode fazer uma coisinha para o seu dongsaeng prefererido?

— O quê?

— Eu quero chocolate.

— Vou fazer. — Sorriu.

(...)

Jihoon passou toda a tarde ali, na casa do Xu. Depois de quase ter acabado com a comida da casa do chinês, decidiu que já era hora de voltar para o castelo.

— Hao hyung, eu já estou indo... — Falou. — Já está tarde.

— Depois de ter acabado com a comida você vai embora, né seu safado? Você veio aqui só pra comer? — Fingiu irritação.

— Aigoo... — Riu. — Pare de reclamar! Seu dongsaeng está doente, precisa de todo carinho possível.

— Ah é? — Riu baixo. — Aliás, por falar em "doença"... Tenho uma coisa para te dar.

— O quê? — Perguntou.

— Espera...

Minghao foi até seu quarto, pegando alguma coisa na gaveta que lá havia. Voltou para onde Jihoon estava, lhe entregando uma sacolinha com uma caixinha dentro.

— O que é?

Tirou a caixinha da sacola, se assustando ao ver o que era.

— P-Por que você me deu um teste de gravidez? — Cruzou os braços.

— Faça ele.

— Mas...

— Yah, não custa nada fazê-lo.

— H-Hum... tá bom...

— Tchau, Ji. — Sorriu.

— Tchau, hyung....

Jihoon voltou para o castelo, pensando no porquê de Minghao tê-lo dado aquilo. Ele realmente achava que Jihoon estava grávido? O ômega riu.

— Que bobagem...

Ao chegar no castelo, foi para seu quarto. Fechou a porta, colocou a sacolinha em sua cômoda e se deitou de bruços em sua cama, abraçando seu travesseiro. Suspirou alto, fechando os olhos. Poucos minutos depois, a porta de seu quarto foi aberta.

— Quem é? — Murmurou com preguiça.

— O amor da tua vida. — Reconheceu a voz no mesmo instante.

— Oi comida.

— Yah! Que sem graça!

— Eu nunca disse que você era o amor da minha vida, Soonyoung. — Falou em tom de brincadeira.

— Malvado! — Fez bico.

O mais velho se aproximou, dando um estalado tapa na nádega direita do menor, assustando o mesmo.

O ômega se levantou, sentando na cama. 

— Por que fez isso? — Corou.

— Não aja como se eu nunca tivesse encostado aí. — Riu

— Tapado... — Bufou

— Mau humor? Se for, eu já vou indo embora.

— Não! Fica aqui comigo! — Disse manhoso.

— Você é bipolar... — Riu baixo.

— Não me chama de bipolar... — Fez bico, fazendo uma carinha de choro e cruzando os braços.

Soonyoung viu a pequena sacola na cômoda do namorado. Arqueou uma sobrancelha, pegando a sacola.

— O que é isso? — Perguntou, tirando a caixinha com o teste. — Hum? Por que comprou isso?

— Não comprei, Minghao hyung me deu. — Deu de ombros. — Não endenti o propósito, mas enfim...

— Vai fazê-lo?

— Claro que não. — Murmurou. — Eu sei o resultado então vou economizar tempo e não farei isso.

— Como pode ter certeza de que não está?

— É meio que o meu corpo... Eu sentiria se tivesse um ser dentro de mim. — Deu de ombros.

Soonyoung se aproximou de Jihoon, sentando ao lado do mesmo. Levou sua mão para a barriga do menor. O mesmo arqueou uma sobrancelha.

— O que está fazendo?

— Só checando...

— Yah, está ouvindo algo? — Revirou os olhos.

— Não... — Retirou a mão da barriga do outro. — Por um momento acreditei que sim...

Jihoon riu.

— Se eu disse que não é porque não, Soonyoung. — Murmurou.

— Um bebê traria problemas?

— Não é isso... Tudo tem seu tempo. Acho que não quero ter filhos agora.

— Nós praticamente já temos um. — Falou.

— A SooYoung não é verdadeiramente minha filha.

— Mas trata ela como se fosse. — Cruzou os braços.

— Mas... Aish... Você entendeu o que eu quis dizer. — Bufou. — Prefiro esperar um pouco mais. Por quê? Você quer ter filhos agora?

— Não acho que eu esteja pronto para cuidar de um bebê agora. Quem sabe no futuro...

— Talvez... — Sorriu, deitando a cabeça no ombro de Soonyoung. — Isto é, se ainda estivermos juntos.

— Vamos estar, tenho certeza. — Sorriu.

A porta do quarto foi aberta, para pouco depois, Lisa entrar no quarto. Diferente de todos os dias em que ela estava sorridente, dessa vez ela estava seria. Os dois arqueando uma sobrancelha e antes que qualquer um dissesse alguma coisa, a loira seriamente falou:

— Preciso falar com Soonyoung. É urgente.

— Hum... Certo... — Disse confuso.

O Im se levantou, sendo puxado pela tailandesa para fora do quarto. Lisa arrastou Soonyoung para fora do castelo, o soltando quanto finalmente achou que não haveria mais ninguém escutando a conversa. Suspirou, olhando nos olhos do mais alto.

— Se afaste do ômega. — Falou, se referindo a Jihoon.

— O quê? Por quê? — Perguntou confuso.

— Apenas se afaste dele.

— Não! — Disse.

— Não me faça ter que te obrigar a força. — Falou.

— Primeiro me fala o motivo. — Bufou, cruzando os braços.

— Lembra do que eu te falei? Que alguém iria morrer? Então... Ao que tudo indica, vai ser ou você ou Jihoon. Nós não sabemos direito quem é, mas chegamos a uma conclusão: Para isso não acontecer, você vai ter que se separar do Jihoon. Quer protegê-lo, não quer? Então faça o que eu disse.

— M-Mas... E sobre eu ter que contar a ele sobre o plano?

— Depois eu chamo ele para conversar sobre isso, já que você não tem coragem. — Revirou os olhos.

— Não é que eu não tenha coragem, é só...

— Você não tem coragem, Soonyoung, não tente  me enganar. Aliás, não serão apenas vocês dois, darei um jeito de separar Mingyu de Wonwoo e Jeonghan de Jisoo e Seungcheol.

— Não há outro jeito?

— Não... — Suspirou. — Eu sinto muito.

Soonyoung ficou em silêncio por alguns minutos.

— Isso não faz sentido... — Falou.

— Por favor... — Bufou irritada. — Não é você quem vê o futuro, é? Apenas faça o que eu estou dizendo! Aliás, se você continuar com ele, eu tenho certeza de que isso trará problemas a você.

Soonyoung suspirou.

— Eu não... Eu não posso fazer isso com ele... — Disse. — Ele... Eu não vou deixar ele!

— Quer mesmo arriscar? — Perguntou seriamente.

— Lisa, você tem certeza do que você vê? — Cruzou os braços. — Essas visões estão muito confusas ultimamente... Tem certeza do que está dizendo?

— Olha aqui... — Puxou o maior pela gola da camisa. — Se você não quiser fazer isso por bem, você fará por mal.

— O que quer dizer com isso?

— Se você não se afastar dele agora, eu vou apagar todas as memórias que você tem de vocês dois.

— Você não faria isso... — Se soltou das mãos da loira.

— Quer tentar a sorte? — Perguntou desafiadora. — Você sabe muito bem do que eu sou capaz.

Soonyoung bufou, vendo que a loira não ia desistir enquanto não aceitasse.

— Ao menos posso vir ver ele?

— Seria melhor se vocês não se vissem mais. — Olhou para o lado.

— Entendo... — Mordeu o lábio inferior. — Eu... Eu vou falar com ele. Já volto.

Soonyoung saiu, deixando Lisa sozinha no jardim. Foi até o quarto do namorado, abrindo a porta vagarosamente. Sorriu ao ver o mesmo deitado e brincando com um bichinho de pelúcia. O olhar do menor foi para o vampiro, sorrindo pequeno.

— Está tudo bem? Aconteceu algo?

— Não, nada demais. — Sorriu, indo para perto do menor. — Honey, eu vou ter que voltar para o castelo agora. Jaebum precisa de mim, sabe?

— Já? — Fez bico. — Vai voltar amanhã?

— H-hum... Não sei se vai dar... Mas eu vou tentar! — Sorriu falso, virando o rosto.

— Certeza que não aconteceu nada? — Perguntou.

— Sim. Ah, eu já vou. — Sorriu, deixando um selinho demorado nos lábios do ômega.

Jihoon suspirou, observando o maior sair de seu quarto.

Não sabia porquê, mas sentia que aquele era um beijo de adeus.


Notas Finais


Então... O que eu posso dizer sobre? Vai ter briga
Espero que tenham gostado
Desculpem qualquer erro

~Xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...