1. Spirit Fanfics >
  2. Secret love ;;jaeyong;; ;;2tae;; >
  3. Um sinal de interesse

História Secret love ;;jaeyong;; ;;2tae;; - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


att dupla, irra 🤠🤠🤠

Capítulo 13 - Um sinal de interesse


- Sério, eu tô indignado com isso! Esse garoto teve a audácia de me beijar, eu posso muito bem processá-lo, aliás, eu vou fazer isso - Taeyong dizia, enquanto voltava da cantina com Sicheng, que apenas escutava - Você vai me ajudar, né?

- Oi? Ajudar em quê?

- A processar ele - o coreano respondeu, como se fosse óbvio.

- Ah, é isso - Sicheng falou - Primeiro, você não vai conseguir processar o Jaehyun por causa disso. Segundo, pra isso você teria que contratar um advogado.

- Que ódio! - Taeyong cruzou os braços, bufando de raiva - Meu Deus, por que eu fui perder esse diário?

Voltaram para o pátio, e ficaram observando o movimento dos alunos. Vez ou outra, Taeyong olhava para o banco em que os meninos do time ficavam - na esperança de ver Taeil ali - mas não tinha ninguém. Suspirou, tocando os fios rosados, fazendo um bico fofo.

- Hoje é o aniversário do Yuta, vê se não esquece - Sicheng diz, notando que o amigo estava distraído.

- Não vou esquecer - o outro respondeu, ainda perdido em seus pensamentos.

O chinês notou a inquietude do melhor amigo, e sabia que tinha acontecido alguma coisa. Preferiu deixa-lo quietinho, logo ele iria contar o que tanto lhe atormentava. Enquanto isso, o Lee tentava tirar da sua mente o episódio do dia anterior - sendo mais específico, a parte do beijo. Eu não deveria ter correspondido, mas não foi culpa minha, ele que me provocou, pensava, sem notar o pequeno desespero do amigo ao seu lado, tentando chamar sua atenção.

- Tae, olha rápido! - bateu em seu braço disfarçadamente, que olhou para o amigo sem entender nada.

- O que foi? - Taeyong perguntou, mas não precisou de resposta para entender o que Sicheng queria dizer - Ai meu Deus do céu.

- Oi Sicheng, oi Taeyong - Taeil falou ao se aproximar - Eu terminei de ler o livro, lembra que eu ia te dizer o que eu achei quando terminasse?

- Ah, claro que eu lembro - Taeyong respondeu meio sem jeito, não esperava que ele fosse o procurar.

- Pois bem, aqui estou eu - sorriu, abaixando a cabeça envergonhado - Você ainda quer saber?

- Quero sim - o outro coreano respondeu, se esquecendo por um minuto que Sicheng estava ali.

Ao perceber que havia o deixado de lado, se desculpou com o mesmo, este que apenas sorriu e os deixou sozinhos. Assim que Taeyong se viu sozinho com o cara que amava, pedia mentalmente para o seu coração se acalmar, algo que não adiantou muito.

- E então, o que você achou? - o Lee perguntou, pensando no que ia dizer, já que nunca leu aquele livro em sua vida.

Empolgado, Taeil começou a contar sobre tudo, desde o começo até o fim. Contou das partes que mais gostou, e até sabia algumas falas decoradas. Taeyong apenas escutava, não prestava atenção na história, e sim, no quanto sua voz era linda, e que quando ele falava sobre algo que realmente fosse do seu interesse, seus olhos brilhavam, deixando-o mais perfeito do que já era.

Assim que o menor terminou de contar, Taeyong se recompôs, ajeitando a posição, pois percebeu que estava quase caindo no chão.

- Nossa, vejo que você realmente gostou do livro - ele diz, ficando curioso para saber o que Taeil estava tirando do bolso.

- Vai na festa do Yuta hoje a noite? - o acastanhado perguntou, e Taeyong assentiu - Toma, só lê quando eu sair.

O maior concordou, e assim que viu o Moon entrar na biblioteca, abriu e leu o bilhete.

''Quando chegar na festa, me manda mensagem, quero te ver. Meu número: (xx)xxxx-xxxxx''

Ao ler aquilo, sentiu seu coração quase sair pela boca, e uma alegria imensa tomar conta de si. Viu o melhor amigo conversando com Yuta, e sem pensar duas vezes, correu até eles.

- Oi Yuta, feliz aniversário! - abraçou o amigo, que agradeceu - Mais tarde eu te entrego o seu presente. Eu acho que o Sicheng nem precisou comprar, já que ele mesmo já é um presente e tanto.

- Taeyong! - Sicheng o repreendeu, batendo em seu ombro.

- É, de fato é, Taeyong tem toda razão - Yuta respondeu, deixando o chinês de bochechas coradas.

- Parem vocês dois, estão me deixando sem jeito! - o loiro pediu.

- Bem, eu preciso conversar em particular com o meu melhor amigo, até mais tarde - assim que disse isso, Taeyong puxou Sicheng até um lugar onde não tinha ninguém.

- Deixe-me adivinhar - o Dong fez cara de pensativo - Moon Taeil de novo?

- Sim!!!!! - o coreano diz, lhe mostrando um papelzinho - Ele me deu o número dele, e disse que queria me ver na festa hoje!

- Sério mesmo? - Sicheng perguntou, sem conseguir acreditar - Menino, você é muito sortudo, o seu crush te notou!

- Eu não tô conseguindo acreditar nisso, meu Deus do céu - abraçou Sicheng - Obrigado Cheng, mas calma, eu vou dar um passo de cada vez, não quero assustá-lo e fazer com que ele se afaste de mim.

- Você tem razão, mas eu só tenho uma pequena dúvida...

- É que, simplesmente do nada, ele se aproximou de você - Sicheng respondeu - Você não acha isso estranho?

Realmente, o que Sicheng disse tinha sentido, será que ele descobriu que eu gosto dele? Será se agora ele sabe sobre o diário? Taeyong pensava, mas resolveu pensar que era apenas coincidência. Apenas preferiu não responder, já que não sabia da resposta, e Sicheng entendeu isso.

Quando o sinal tocou, voltaram para a sala de aula. Era aula de matemática, e Taeyong estava - milagrosamente - prestando atenção. Já que, era a professora que ele gostava, e ela explicava a matéria super bem, melhor que o outro professor. Conseguiu resolver os exercícios sozinho, sem a ajuda de ninguém, e aquilo o deixou muito feliz.

No final das aulas, arrumou seus materiais e já se preparava para ir embora, quando sentiu alguém tocar seu ombro. Ao ver que era Jaehyun, respirou fundo, pensando que o garoto já queria algo.

- Já sei, você quer que eu faça alguma coisa - falou, como se fosse óbvio.

- Na verdade não - respondeu o outro - Eu só queria saber se você vai pra festa hoje a noite, apenas isso.

- Por quê? Vai querer que eu faça alguma coisa pra você?

- Nada disso, será se você poderia me responder? - falou Jaehyun, já irritado.

- Sim, eu vou - respondeu - Satisfeito?

- Você bem que poderia falar direito comigo, não é? - o moreno disse, fazendo Taeyong rir.

- E por acaso eu deveria? Pelo o que eu sei, você sempre me trata com arrogância, e eu que deveria falar direito? Por favor né Jaehyun, aprende a pedir desculpa pelos seus atos e se situa que o mundo não gira em torno de você - Taeyong responde, dizendo tudo o que estava preso em sua garganta.

Colocou a mochila no ombro, e saiu, deixando o garoto para trás, este que estava sem saber o que dizer. Aquelas palavras lhe atingiram em cheio, e como se tivesse levado um soco no estômago, sentiu o peso daquilo. Ele queria ter lhe pedido desculpas, mas era orgulhoso demais, e descontava tudo isso em atitudes que machucavam Taeyong, o que estava realmente fazendo.

E por mais que soubesse disso, para ele, era a única forma que havia para conseguir estar perto do garoto. Sabia que ele amava outro, e pelo o que viu naquela manhã no pátio, sabia que estava o perdendo, ele só não queria aceitar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...