História Secretária - Temporada 2 - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Capitão América, Os Vingadores (The Avengers)
Personagens Bucky, Clint Barton (Gavião Arqueiro), Feiticeira Escarlate (Wanda Maximoff), Laura Barton, Maria Hill, Natasha Romanoff, Nick Fury, Personagens Originais, Steve Rogers, Visão, Wade Willson (Deadpool)
Tags Romanogers
Visualizações 56
Palavras 1.706
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Então... Segue mais um capítulo pra vcs, sei que ele vai parecer enchimento de linguiça, mas prometo que terá conexão mais na frente rsrs

Comentem!!!

Capítulo 9 - Só um jantar.


Fanfic / Fanfiction Secretária - Temporada 2 - Capítulo 9 - Só um jantar.

- Me desculpe se estou te sufocando, mas com a morte de papai eu sinto que conhecer você e poder fazer parte da sua vida é o que eu precisava. - Diz Natalie tentando convencer Natasha a deixá-la ir a um jantar na casa da mãe de Steve.

Natasha não sabia o que dizer, coçou a cabeça e ponderou.

- Sabe que nós apenas vamos aprovar e provar as opções para o bolo do casamento? Quer dizer... Não vai ter nada interessante pra você lá, mas se quer tanto ir tudo bem!

- Você é a melhor sabia? – Natalie bate palmas animada e então Natasha sorri maliciosamente. - O que foi?

- Isso não tem nada a ver com Pietro tem?

- Não! - Natalie responde assustada com a ideia, até se sentia atraída por Pietro e todo seu charme, mas já possuía sua cota de envolvimento com homens descompromissados e não queria envolver ele nesta bagunça. – Não que eu não queira, eu só não posso me envolver com seu cunhado.

- Eu sabia que vocês dois tinham uma química escondida! – Diz Natasha vitoriosa. Desde aquele dia que o fiz vir te buscar pra ir no bar que insiste em ir comigo na casa da Sara e considerando que com certeza não é pela companhia de Sara ou pela prova do bolo...

- Não seja boba! – Natalie cora fortemente.

- Tudo bem, só me prometa ajudar a escolher o bolo! – Se distraem com o trabalho por um minuto e Natasha pergunta. - Ei… Quando será aquela prova que me falou? Pra uma bolsa de pesquisa da faculdade?

- Semana que vem! - Ela responde metodicamente tentando disfarçar a mentira contada, Natasha tomou sua reação como nervosismo e pegou a mão dela por cima da mesa lotada de papeis.

- Não se preocupe tanto, você vai conseguir essa bolsa e logo se verá livre de trabalho burocrático comigo! - Natalie força um sorriso e desvia o olhar de Natasha.   

- Tem alguma coisa te incomodando ultimamente não tem? – Natalie continuou em silencio. - Sabe que pode me dizer qualquer coisa e... - O celular de Natasha começa a vibrar interrompendo o momento.

- Atenda, pode ser cliente! – Diz Natalie aproveitando a oportunidade para se desvencilhar de Natasha ao levantar e se ocupar com uma gaveta de arquivos que Natasha havia instalado na sala que agora mais parecia um arquivo morto.

- Alô? Há! Oi Steve! Cadê seu celular? – Diz Natasha na ligação.

- Meu celular sumiu, liguei justamente pra saber se não deixei ai. – Ela ouve a resposta.

- Onde está seu minion? Coloque ela para procurar seu celular no rastreador de fábrica. – Diz Natasha se referindo a estagiária o que provoca em Natalie uma risada.

- Para de implicar com ela Nat, ela nem fica mais com a Vanessa! Tá ajudando o bucky ultimamente, mas voltando ao que interessa, olha pra mim se deixei o celular ai?

- Espera… - Natasha olha ao redor e avista um volume sob uma pilha de papeis, encontra o celular bem no meio dos papeis. – Você não tem jeito em Steve! Vive deixando as coisas soltas por ai!

- Quer dizer que não estavam no meio da sua bagunça de papel que ocupa de forma permanente nossa sala?

- Desculpe! Temos que agilizar o processo da compra da casa porque daqui a pouco vou perder você no meio de tantos papeis! – Steve ri do outro lado da ligação.

- Pelo menos é um pretexto pra te ver no meio do expediente já que agora só te vejo a noite!

- Só você Rogers! Um romântico incorrigível...

- Almoço! – Lembra Natalie.

- Poderia nós trazer almoço? Estamos cansadas da comida da esquina!

- Ok! Vou ver o que acho de diferente.

- Ótimo e a propósito, preciso te ensinar a rastrear esse celular!

- Ok! Até mais tarde!  - Se despedem. 

...

Steve fez como prometeu e apareceu em casa por volta do meio dia com duas refeições.

- Não vou poder ficar porque terei que almoçar com Tony para fecharmos os últimos detalhes do contrato. – Natasha sorriu animada com a noticia.

- Isso é ótimo! – O beija rapidamente e lhe entrega o celular. – Ativei o rastreador dele ok? Depois te ensino como usa!

- Quer dizer que agora vai ficar me monitorando? - Brinca Steve.

- Não é uma má ideia, mas se serve de consolo o meu também tem isso então não fique ressentido! - Steve ri.

- Tenho que voltar agora! - Ele anuncia.

- Ele está muito ocupado hoje à noite? Poderíamos comemorar o sucesso do contrato...

- Sério? Faz um tempo que não saímos juntos, eu acho uma boa ideia... Só nós dois em um jantar... – Natalie aparece atrás de Natasha com dois pratos e talheres.

- Não precisam se preocupar comigo! Tenho que estudar para meu teste e acho que vocês dois estão precisando de uma folga mesmo! – Ela os incentiva.

- Ok! – Steve decide, mas antes de sair começam a se beijar.

- Ei! Deixem essas obscenidades para mais tarde!

O casal riu e se despediu com o hora e lugar marcado para se encontrarem e jantar juntos enquanto supostamente Natalie passaria a noite trancada no quarto estudando para seu teste.

Uma vez as duas sozinhas novamente, sentaram-se a mesa com o almoço já colocado por Natalie e começaram a refeição em silencio.

- Então, voltando ao assunto que falávamos mais cedo...

- Por que está insistindo nisso? – Natalie pergunta interrompendo Natasha no meio da frase. – Eu realmente agradeço tudo que tem feito, mas preciso de alguma privacidade.

Aquela havia sido a primeira vez que Natalie se impôs contra Natasha.

- Sei que sim, mas também sei que está com algum problema que vem te deixando evasiva. - Natalie empalideceu imediatamente.

- Não sei do que está falando! – Diz Natalie séria, Natasha solta o garfo delicadamente como se seus movimentos estivessem sendo calculados para não explodir uma bomba.

- Eu sei que sai praticamente todas as noites depois que eu e Steve nos recolhemos e volta em algum momento da madrugada. – Natalie arregala os olhos assustada e Natasha ergue a mão pedindo a ela que aguarde. - Não estou querendo me meter na sua vida nem nada, mas me preocupo com você. Posso te ajudar, mas pra isso tem que confiar em mim, então o que está acontecendo de verdade?

- E eu achando que era esperta. - Brinca Natalie, mas Natasha não pareceu no ânimo.

- Eu queria que confiasse em mim como eu confio em você Natalie!

- Eu tenho um namorado! – Natalie meio que vomita as palavras, após alguns minutos Natasha finalmente acha a voz.

- Ele é daqui? Quer dizer... Americano?

- É! – Natalie enche a boca com a comida.

- É o rapaz do motel?

- Humrum... – Natasha observava a irmã tentando saber se aquilo era tudo ou não.

- Tudo bem… Eu só precisava saber! – Diz Natasha sentindo que a conversa não iria mais longe do que aquilo.

- Estou farta! Vou adiantar alguma coisa enquanto termina seu almoço, mais tarde você tem um encontro!!! – Natalie se levanta da mesa e deixa Natasha sozinha.

- Obrigada! – Diz Natasha para a mesa vazia se sentindo ainda mais insegura sobre a irmã.

...

Steve foi buscar Natasha em casa, e depois seguiram para o restaurante onde Sam trabalha que como sempre era o único lugar onde conseguiriam reservas sem antecedência.

- Tinha que ver a cara do Bucky quando eu mostrei pra ele o projeto do Tony, ele ficou desesperado alegando que aquilo era pura loucura. – Steve passou o jantar inteiro tagarelando do projeto e Natasha apenas com seus “Hanram”, “é mesmo?”, “não credito”.

- Então vocês estão se dando bem? Você e o Tony? – Ela pergunta.

- Sim, mas ele consegue tirar qualquer um do sério quando quer! - Natasha ri lembrando da quantidade de vezes que teve vontade de torcer o pescoço de Tony e segundos depois estavam gargalhando de alguma bobagem.

- Fico feliz em saber que estão se dando bem! - Responde Natasha sorrindo, ela estava feliz como a muito não estava. O casamento estava praticamente todo arranjado, Steve havia conseguido um negócio para salvar sua empresa, seu próprio negócio de consultoria estava indo bem e o principal, seu relacionamento com Natalie estava progredindo, mesmo que lentamente.

- E você? Sei que estou tagarelando bastante, então o que você tem de novo para me contar?

- Estou preocupada com a Natalie...

- Como assim? Pensei que estavam se dando bem!

- E estamos, mas ultimamente tenho achado que ela não me fala tudo que se passa. – Uma pausa se faz e Natasha continua. - Quando vim pra cá achava que não tinha nada a perder, apostei todas as minhas fichinhas na proposta de Tony, mas não estava preparada para morar sozinha em um país onde não tinha fluência na língua mãe. Lembro que ligava para Pepper pelas coisas mais bobas, tipo comprar pão. – A lembrança a faz rir.

- Queria ter conhecido você antes, parece ser alguém diferente hoje! - Natasha sorri e acaricia a mão dele.

- Tony e Pepper fizeram de tudo por mim e nunca me deixaram na mão, mas ao fim do dia eu chegava no pequeno apartamento que eles me ajudaram a encontrar e só tinham paredes brancas à minha espera. Não podia ligar para os meus pais devido ao fuso-horário, e Clint tinha uma própria família pra cuidar. Foi um perídio meio solitário.

- Então quando chegava em casa ficava falando Russo com as paredes? - Steve brinca a fazendo rir.

- Pior que eu cheguei a fazer isso algumas vezes… - Ri novamente. - Eu chegava em casa irada por conta de algum cliente ou qualquer bobagem que me tirava do sério então ficava xingando em Russo sozinha! 

- Esse tipo de coisa que me faz lamentar não ter te conhecido mais cedo.

- Nós nos conhecemos no tempo certo, passei muito tempo acreditando que a ideia de um relacionamento estável era conto de fadas, que todos os homens eram cafajestes e que os poucos que tinham alguma decência eram meu melhor amigo e meu pai! - Steve dá um sorriso de lado e se inclina para trocarem um selinho demorado.


Notas Finais


Então? O que acharam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...