História Secreto? Ou não? - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Escolar, Originais, Romance
Visualizações 5
Palavras 661
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Ooi! Bom, eu ñ sou uma autora de carteirinha (já q é minha primeira fic), mas em relação a ser leitora, sei fazer isso muito bem ^^
Eu estava com uma dúvida, escrevia ou não? Eu ñ tinha coragem o suficiente, principalmente com medo de não conseguir continuar a fic por falta de criatividade ou interesse, por isso vou começar aos pouquinhos ^^
Me desculpe, a qualquer ser q esteja lendo isso (até pq podem ser unicórnios... isso está parecendo um bilhete antes da morte ) por qualquer erro e se a fic ñ está mt bem estruturada...
Eu ñ sabia se fazia, a cada capítulo 2.000 e poucas palavras, mas pela minha incapacidade de fazer isso tudo, dividi o q tinha começado em dois... Claro q vou continuar... Bom, depende se eu estiver à vontade para isso mas enfim... Ignore a minha necessidade de colocar vírgula em todo canto, tenho trauma de infância (as professoras de redação não perdoavam) e...
Boa leitura!

Capítulo 1 - Capítulo 1


Oque que eu poderia fazer se ele não me ama? Aliás, ele nem sequer sabe que eu o amo... É infantil da minha parte? Eu nunca me apaixonei verdadeiramente por alguém, mas com ele é diferente, sinto como se meu coração fosse explodir de tanto bater em meu peito, meu rosto queimar,me sentir nervosa como nunca me senti antes... Isso é amar alguém? Se for, o amor é uma doença, na qual você carrega uma grande esperança de ter seu amado ao seu lado para que você o proteja, para que seu lindo sorriso e seu jeito próprio não se perca com o tempo e com os abismos da vida, que teimam em nos perseguir... Ou será que nós mesmos corremos atrás deles? A minha teimosia em não me confessar à ele me deixa reclusa em meu próprio mundo, na minha mente, será que estou caindo em um abismo? Parece que eu não espero só estar ao seu lado, mas também que ele me tire dessa borda, antes que seja tarde demais.
Então por que seria uma doença? Porque se não for correspondido, imagino que meu coração apertaria e sentiria um vazio, uma consequência de uma doce ilusão.
Eu já disse, ficar pensando nele é praticamente um passatempo durante as aulas...
E...
*SINAL ESCOLAR*
- Huh - suspiro - Será que eu conseguirei?

- Koral! Venha comer! Se a gente não se apressar, a fila vai acabar ficando enorme! - dizia a ruiva de olhos dourados que sempre me acompanhara desde que éramos pequenas e que, apesar de não termos as mesmas cores de cabelo e olhos, todos os alunos dessa nova escola nos consideravam irmãs - Koral? Está viajando em seus desvaneios outra vez? Se apresse!

- Certo, certo - disse enquanto me levantava da cadeira.

Na cantina...
- Droga Koral! O que que você tinha na cabeça, literalmente, enquanto eu te chamava?

- Hum? Nada de especial Waru-chan - reviro os olhos em direção á grande janela ao lado da cantina, que, por ser ao lado da escada, iluminava até seu final, virando uma ótima vista á tarde, revelando um pouco das árvores laterais que ficam em volta da quadra.

- Tem alguma coisa de especial sim, você está tão 'na lua' que me lembra o seu primeiro dia na escola, você não ouvia nada do que o professor falava! Pode até ser que tem notas boas, mas você deveria prestar mais atenção ás coisas! - apontava-me acusadoramente.

- Você não está na posição de falar em atenção, sua desatenta! - brinquei rindo de sua cara envergonhada, logo recebendo alguns olhares do recinto - É estranho, por que que toda vez que eu rio as pessoas olham pra mim? - sussurrei para que ninguém ouvisse.

- Eu lá vou saber! Deve ser porque você está sempre com essa cara de tédio da vida.

- Eu não tenho cara de tédio!

- Próximo! - gritou a atendente, apesar de ser muito divertida, estava sem paciência naquele momento. Me pergunto o que deve ter acontecido com ela.

Compramos nossos lanches e fomos nos sentar num banco fora da escola. Era embaixo de uma linda árvore, então valia a pena andar por toda a escola e descer todas as escadas para lanchar lá; apesar da má companhia.

- E aí gatinhas! Como está a vida? Agitada com a beleza de vocês? Devem receber muitos elogios desses caras por aí - e lá vem o Lyhan com a gangue dele, garotos totalmente sem noção, se acham os tais, acabando por serem rebeldes sem limites, saindo da sala a hora que querem, desrespeitando os professores e na grande maioria das vezes nem prestando atenção na aula. Mas por serem ricos, acabam sendo educados devidamente, então nota boa é algo que não lhes faltam.

- Não recebemos, e estamos muito bem assim! - Walky, minha amiga, fala, arrancando risadas maliciosas dos garotos.

- Que tal receberem agora? - Lyhan se aproxima, mas é interrompido por...


Notas Finais


E é isso... provavelmente vou postar o outro cap amanhã, ou hoje mesmo, sou muito ansiosa 😅


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...