História Secreto? Ou não? - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Escolar, Originais, Romance
Visualizações 3
Palavras 729
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Ansiedade ñ deixa esperar 😅

Capítulo 2 - Capítulo 2


Uma garota chegava do portão principal, onde todos os alunos entravam na escola. Por conta da luz direta contra ela, só conseguimos decifrar seu rosto quando se aproximou. Eu nunca havia a visto na vida; se aproximando de nós, empurra Lyhan pra longe.

- Não veem que elas não estão confortáveis aos seus lados, trio de problemáticos? - a garota de longas tranças dianteiras platinadas se pronuncia.

- Kéh - Lyhan resmunga algo incompreensível e se afasta de nós com seus amigos, restando apenas Walky, eu e a garota.

- Erm, obrigada por afastar eles, moça! - a ruiva agradece.

- Hum? Ah, denada! - sorri para nós.

- Walky, nós precisamos nos apressar, ou então o sinal vai- *PIIIIIIIIIIII*

- Parece que está na hora da aula... Vocês poderiam me ajudar a encontrar a sala 3-B ?

- Claro! Agora vamos, definitivamente não podemos nos atrasar agora!

- Por que exatamente nessa hora não podemos nos atrasar? - perguntei enquanto Walky nos puxava desesperadamente.

- Por que? POR QUE?! Você está perdendo seus miolos de vez, Koral?! A próxima aula é de Geometria, e o professor Taike não gosta de atrasos!

Ignorando a primeira parte e me alertando na segunda frase, corri como se não houvesse amanhã em direção á sala, puxando as duas e empurrando todos os que ainda estavam nos corredores, também desesperados com seus atrasos em suas aulas, mas não tanto quanto nós.

Quando chegamos, recebemos o olhar de reprovação do professor, nos calando rapidamente e indo em direção aos nossos lugares, mas sem antes apresentar a platinada ao professor da sala, descobrindo que ela era uma nova aluna transferida de uma escola no estrangeiro, assim como nós. Enquanto a maioria da sala tinha cores de cabelo escuras e pele clara, nós tinhamos aparências 'exóticas' para a sala. Tenho fios loiros e cabelo curto, acompanhando os olhos verdes-azulados, Walky tem fios laranja-avermelhados e olhos dourados, enquanto Aldriel tem fios platinados e olhos negros. Por alguma razão ela me lembrou a atendente da cantina...

- Então senhorita Aldriel, sente-se para começar minha aula.

Longos 50 minutos numa aula do Taike.. E o que fazer não é mesmo? Talvez pensar na vida? Mas é claro... que não! E mais uma vez minha cabeça volta para o mesmo assunto de antes.
Eu o conheci na rua, quando tinha acabado de chegar no Japão. Eu estava totalmente perdida enquanto procurava Walky, que tinha se perdido no meio de tanta gente. Eu havia parado em uma cafeteria para descansar um pouco, e ele estava em uma outra mesa lendo um livro que eu reconheci... Mas como aquele tipo de livro poderia estar ali? Ele foi publicado onde eu nasci, no Brasil, como poderia estar no Japão se nem tinha sido vendido ao exterior? E foi então que eu percebi, o garoto não tinha uma aparência de japonês e o livro também não era traduzido. Devia ser brasileiro também. Eu fiquei lá o admirando enquanto aproveitava o bolo que tinha comprado.
Quando tinha parado de ler para pagar a conta da comida, se viu perdido e envergonhado sem dinheiro por ter esquecido a carteira em casa. Num impulso, me aproximei e paguei sua conta. Eu não sabia exatamente o porque, mas vê-lo naquela situação me fez querer ajudá-lo.
No meu primeiro dia de aula, com os horários definidos e caixas da mudança arrumadas, o encontrei em frente ao portão. Quando me viu, agradeceu pelo ocorrido. Eu praticamente não conhecia ninguém, então continuei a conversar com ele e alguns amigos seus. Acabei descobrindo seu nome, já que não tínhamos nos apresentado devidamente; Diego.
Depois de alguns dias, eu entrei em um clube de luta, e adivinha! Diego também fazia parte do clube. Eu era uma iniciante de carteirinha, não entendia nada e nem sabia do mínimo do que uma luta seria pessoalmente, de corpo a corpo. Mas apesar disso, todos tiveram paciência comigo, então eu deveria retribuir de alguma forma, e os deixando orgulhosos de seu trabalho foi a única forma que pensei então eu treinei bastante, o suficiente para me reconhecerem. E atualmente, continuo frequentando o clube, mas agora não como uma iniciante.
Na maioria das vezes, quando ele podia, ele me ajudava com as minhas dúvidas, era e é um cara realmente gentil. Eu já disse que ele é da mesma série em que estou? Só de turmas diferentes.
E...


Notas Finais


E é isso... Hm, ñ sei o que falar


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...