História Secrets - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Vera Farmiga
Personagens Personagens Originais, Vera Farmiga
Tags Parmiga, Patrick Wilson, The Commuter, Vera Farmiga
Visualizações 50
Palavras 1.529
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi mores espero que gostem e desculpem a demora essa semana eu tô meio ocupada

Capítulo 16 - XVI


Sarah encarava a loira a sua frente intensamente, seu olhar misterioso lhe causava arrepios e não entendia o que uma mulher como ela poderia querer de si a ponto de falar sobre "negócios".

- Eu não estou compreendendo, quem é você? E o que eu posso ter que seja do seu interesse... - a morena dizia colocando a pasta contra seu ventre.

- Digamos que eu conheça intimamente o Alex para saber o que você anda fazendo... - Joanna dizia fazendo a mulher a sua frente arregalar os olhos e ajeitar os óculos sobre a sua face - eu sei como é ter o ego ferido, mas ele ama os filhos e eu estou disposta a entrar em um acordo com você... - a loira dizia pegando um cartão em sua bolsa - eu preciso de um lugar em Las Vegas para abrir um cassino, você precisa vender casas e terrenos... digamos que sua comissão seja bem agradável... mas em troca você tem que deixar o Alex de quinze em quinze dias sair com os filhos. - ela pegou o cartão e entregou a morena que estava indiguinada ouvindo cada palavra da mulher. - não é nada contra lei, ele tem direito, é o pai.

- Então agora o Alex manda a puta que ele tá transando me chantagear? - ela disse pegando o cartão e rasgando a nervosamente enquanto Joanna mantinha a postura com um leve sorriso irônico nos lábios.

- Não precisava ser tão vulgar, estou aqui te oferecendo um negócio, você é uma mulher inteligente e não precisamos começar uma competição aqui em quem tá ou não transando com o Alex... - ela disse ajeitando os fios loiros e se aproximando da morena, olhando fixamente seus olhos verdes, suas maçãs estavam mais avermelhadas por conta da raiva e sua respiração acelerada - Sarah você sabe por que homens lideram o mundo dos negócios? Porque quando eles vêem uma boa oportunidade eles não ligam com quem estão negociando... mas nós somos muito mais inteligentes, deixa o emocional e o ego ferido de lado... - ela se aproximou da mulher e diminuiu o tom de voz - se você quer se vingar de um homem mostre que você é superior e mais foda que ele - ela encarava Sarah com um sorriso de lado - enquanto a gente ficar se xingando e competindo tem um engravatado rindo e aplaudindo no topo - ela abriu a bolsa novamente e lhe entregou novamente o cartão - me liga, quando pensar com mais calma, você só tem o que ganhar...

Sarah engoliu seco enquanto segurou o cartão em mãos, observando Joanna colocar os óculos escuros sobre a face e sorrir para ela, enquanto se afastava fazendo que o barulho dos saltos ecoassem pelo local, deixando a morena sozinha na grande sala vazia.

Ela olhou para o cartão que letras brancas estavam escrito Joanna Thompson, seguido de um número de telefone, ainda sentindo seu sangue correr forte pelas veias, jogou o cartão dentro da bolsa, saindo em seguida.


(...)


Após o experiente Alex estava sentado na mesma bancada do bar que sempre frequentava, bancada qual a poucas semanas havia conhecido a mulher que estava mexendo com seu corpo e mente de todas as maneiras possíveis, tomava um grande copo de cerveja acompanhado de Michael, onde conversavam sobre alguns casos mas a mente do detetive estava em Joanna que havia marcado com ele e estava atrasada.

- Acho que sua namorada resolveu te da um bolo - Michael dizia rindo enquanto o homem encarava o relógio.

- Ela não faria isso, Joanna é diferente de todas as mulheres que eu já conheci - ele dizia levando o copo aos lábios - tenho receio de ter acontecido alguma coisa.

- Relaxa ganharão, ela só deve tá presa no trânsito... - Michael levou o copo aos lábios também, tomando um longo gole da cerveja - nunca te vi desse jeito... nem quando era casado com a Sarah.

- Eu nunca me senti assim... a gente ver tanta coisa no trabalho, acaba perdendo a fé na humanidade... mas a Joanna só me desperta coisas boas... quando eu olho pra ela parece que tudo vai ficar bem... eu não sei explicar mas sempre que ela sorrir eu penso que mataria e morreria por aquele sorriso...

- Que profundo, você deve fazer um sucesso com essa lábia meu amigo - ele disse rindo enquanto o homem levou novamente o copo aos lábios, tendo os olhos tapados por duas mãos femininas, o perfume doce era inconfundível para o homem e mesmo sem dizer uma palavra ele sabia que era Joanna atrás de si.

- Advinha quem é detetive - ela disse irônica arrancando um sorriso do homem que segurou as mãos dela.

- Não faço ideia, quantas pessoas me chamam de "detetive"? - ele disse rindo e ela retirou as mãos, dando um leve tapa em seu ombro, seus olhos se encontravam e ela sorriu, com seus lábios grossos marcados em um batom marrom e seus olhos azuis brilhando intensamente, Joanna colou rapidamente os lábios no do homem e o abraçou na altura do peitoral, encarando Michael em seguida.

- Você já conhece meu parceiro? Michael essa é a Joanna - Alex dizia passando a mão pelo braço da mulher que se aproximou do homem e lhe apertou a mão, o olhando fixamente.

- Prazer Michael, mas a gente se conheceu na delegacia - ela sorriu de leve - mas é bom te encontrar sem tá sendo interrogada - ela disse arrancando um sorriso dos homens.

- Um gim - Alex disse olhando para o barman e fazendo a mulher erguer a sobrancelha.

- Sabe minha bebida favorita, quem diria em detetive - ela o olhou com um leve sorriso nos lábios e Michael se levantará.

- Vou deixar os pombinhos sozinhos... amanhã a gente se ver Alex... - ele passou a mão pelo ombro de Joanna com um sorriso nos lábios - cuida dele pra mim - sorriu simpático e Joanna retribuiu o sorriso, deixando a mostra suas covinhas em cada bochecha.

A mulher se sentou ao lado de Alex e cruzou as pernas, seu vestido azul cobriu as grossas coxas enquanto ela ajeitava as alças sobre seus ombros.

- Achei que você tinha me abandonado - ele disse irônico lhe entregando o drink e ela gargalhou.

- Não querido, eu tive que fazer umas cobranças mas não foram bem sucedidas... - ela disse dando um longo gole no drink - o braço direito do governador me deve um dinheiro alto e está a alguns meses atrasados, tive que pessoalmente ir cobrar ele mas ele fingiu que não estava na sala dele - ela terminou o drink e apontou para o corpo pedindo outro em seguida - mas pelo lado bom hoje de manhã acho que dei um avanço sobre abrir uma franquia em Las Vegas... - ela sorriu e o homem segurou sua mão, acariciando o dorso enquanto a olhava fixamente. - e seu dia como foi?

- Complicado, um caso difícil de assassinato seguido de suicídio... - ele disse levando o copo aos lábios - mas agora não precisamos falar de coisas ruins né? - ele sorriu de lado a mulher se aproximou dele, selando seus lábios calmamente, sentindo a boca do homem se encaixando na sua perfeitamente.

A língua dele pediu passagem logo consentida pela loira, fazendo suas línguas se encontrarem sem pressa, apenas aproveitando os sabores de ambos.

Alex levou a mão a altura do pescoço da mulher e segurou seu rosto, enquanto seus lábios se movimentavam em seu próprio ritmo.

Terminaram o beijo com um selinho enquanto a mulher levantou o olhar de encontro ao dele, sorrindo de leve e sendo retribuída com um sorriso do homem.

- Aqui estamos nós no mesmo bar... - ela disse enquanto o homem colocava uma mecha de cabelo dela para trás de sua orelha.

- Você mexeu comigo no momento em que eu vi seus olhos - ele acariciou a maçã do rosto dela com o polegar, fitando cada traço do rosto da loira, cada linha que fazia quando ela sorria.

Ela segurou a mão dela a mantendo sobre seu rosto e fechou os olhos, sentindo os leves toques do homem que lhe traziam uma paz que a muito a mulher não sentia, naquele momento baixou completamente suas guardas, deixando-se aproveitar cada segundo daquelas carícias.

- Eu quero te levar a um lugar... - ele disse sorrindo e ela abriu os olhos, fitando o rosto do detetive, seus olhos verdes lhe fitavam intensamente, sua barba por fazer era quase imperceptível por conta do tom aloirado, vestirá seu jeans rotineiro e uma camiseta branca com uma jaqueta de couro marrom sobre seu corpo.

- Da última vez eu precisei beber mais para ir pro seu apartamento detetive. - ela ironizou rindo e ele segurou a sua mão.

- Não é para meu apartamento... - disse despertando a curiosidade da loira - quero te levar para um lugar especial...

- Sequestro é crime, você devia conhecer as leis... - ela acariciará a mão do homem entrelaçando seus dedos em seguida - posso saber para onde você quer me levar?

- É uma surpresa - Alex sorriu e encarou a mulher, seus olhos brilhavam em contato com os da loira, ele acariciou novamente a mão dela - vamos? 


Notas Finais


Beijinhos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...