1. Spirit Fanfics >
  2. Secrets >
  3. 09.02.2020

História Secrets - Capítulo 16


Escrita por:


Capítulo 16 - 09.02.2020



Conversando com minha psicologa chegamos juntas a conclusão de que fui abusada, nunca tinha pensado que oque aconteceu com meu ex foi um estupro, um abuso, nunca tinha visto dessa forma, parece tão feio, forte, sujo, falar isso, estupro, cada letra parece pesar, nunca havia visto dessa maneira porque em momento algum falei que não, não disse nenhuma palavra se quer, parece que congelei, travada, dura, cada músculo enrijecido, nenhuma palavra dita, não lembro completamente de tudo oque aconteceu, e todas vez que esse assunto e falado nos atendimentos, sinto náuseas e dores de cabeça. 
  O sexo hétero é tão normal, bem aceito por toda a sociedade, fomos feitos para fazer sexo, somos ensinados a isso, as musicas, praticamente todas insinuam sexo, os filmes e series, novelas, as conversas, tudo parece envolver sexo, estudiosos como Freud, o Pai da psicanalise diz que o neném sente prazer sexual ao se alimentar, exato, sente prazer ao mamar o seio da mãe, chama essa faze de faze oral, e fala de prazer sexual, bizarro não ? E continua o estudo falando sobre a faze anal, que é quando o bebe ou criança (depende do desenvolvimento de cada um) sente prazer anal no ato de controlar as fezes, controlar a vontade de ir ao banheiro, fazer ou não coco. Deus ! Parece que já nascemos monstros, condicionados a determinados hábitos. Na época de Freud, a homossexualidade era vista como doença, os homossexuais eram chamados de os invertidos, por apresentarem comportamentos diferentes dos heteronormativos, alguns chegavam a ser internados em manicômios, Freud também sita o complexo de édipo, quando o filho homem ainda criança, sente atração pela figura materna, isso mesmo, pela própria mãe, por isso os filhos homens possuem uma forte ligação com a mãe, e algumas vezes um ódio ao Pai. 
 Sou uma pessoa curiosa, e quanto mais estudo sobre a sexualidade humana, mais tenho medo do ser humano. Somos dignos de repulsa, todos nós, se for olhar o sexo em si, ato sexual, estranho não, se fomos mesmo criados por Deus, acho que ele fez com que sentissemos prazer no sexo, porque se não sentisse nada o ser humano simplesmente não faria sexo, e iriamos entrar em extinção. 
Depois dele não tive nenhum homem, e sinceramente só a ideia causava repulsa. Algo em mim fala que deveria tentar novamente, precisava de uma nova chance, um novo começo, precisava tentar, era algo certo, normal. Um amigo de anos me fez a proposta, um cara bacana, que sabia de alguns dos meus segredos (não todos), mas de certa forma me conhecia, e não era um estranho, alguém que me entenderia. Fomos para um motel, ele broxou,  isso exatamente isso, sem ereção, nada, decepcionante, resolvemos tentar de novo. Ele foi super paciente, comprou um espumante, bebemos pouco não queria estar alterada, queria apenas relaxar e me soltar um pouco, ele fez massagem nas minhas costas, carinho nos meus cabelos, me beijou, sua intenção era claramente me dar prazer, eu já sentia ele exitado, não conseguia ficar por baixo dele, me sentia sufocada, preza, fiz ele deitar, e fiquei por cima, deixei que ele entrasse,  não sei porque afinal já não era virgem, mas senti dor, permiti que continuasse, precisava tentar, ele me perguntava se estava bom, oque responder ? Bom não estava mas...Continuamos, ele queria ficar por sima de mim, e toda vez que fazia isso, me sentia sufocada, parecia que o ar se extinguia, ele me beijava, mas não era bom, sensação de estar fazendo algo errado, queria gostar dele, queria sentir prazer, mas não sentia, não conseguia olhar para o rosto dele, virava o rosto todas as vezes que ele estava por coma, e quando eu  estava por cima eu encarava o teto ou fechava os olhos, simplesmente não conseguia olhar. Ele gozou, sexo concluído, eu queria chorar, não sei ao certo porque, ele tinha gostado, queria me beijar, me tocar, eu queria ficar quieta olhando para o nada até dar a hora de sair do motel. Entramos na banheira, queria me lavar, ele me tocava, e falava que a minha cara estava de quem tinha ido para um enterro, me perguntava o porque, nem eu sabia. Chorei, comecei a chorar dentro da banheira, simplesmente não consegui para de chorar, ele me abraçou, tentou me acalmar, mas sentir seu corpo fazia com que as coisas piorassem, pedi para ir embora, ele me levou, foi super gentil, me mandou mensagens perguntando com eu estava, queria gostar dele, queria que o sexo fosse bom, mas só sentia que não era aquilo. Me sentia tão certa fazendo oque era considerado errado, e tão errada fazendo oque era considerado certo. Ele me perguntava inúmeras vezes se algo havia acontecido no meu passado, meu comportamento não era normal, afirmava que tinha algo errado,  eu negava, afirmava que não.
 Talvez eu mesma não queira ver, e assumir oque aconteceu, negar, ignorar é tão mais fácil, simplesmente fingir que nada aconteceu. 
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...