História Secrets In The Shadows - Choni - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias O Mundo Sombrio de Sabrina (Chilling Adventures of Sabrina), Riverdale
Personagens Antoinette "Toni" Topaz, Archibald "Archie" Andrews, Cheryl Blossom, Elizabeth "Betty" Cooper, Forsythe Pendleton "Jughead" Jones III, Jason Blossom, Nicholas Scratch, Personagens Originais, Sabrina Spellman, Veronica "Ronnie" Lodge
Tags Beronica, Choni, Jarchie
Visualizações 119
Palavras 2.076
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Fluffy, Harem, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Vooooooooooooltei depois de mil anos kkk

desculpem a demora, espero ainda ter leitores kkkkkk

Capítulo 12 - O que tá acontecendo?


POV. Narradora
Campus do IRTS - 02:45H AM 
Waldo Weatherbee, além de um poderoso bruxo ele também é o diretor do IRTS, dizem que foi o próprio Conselho Bruxo que o escolheu para esse cargo, ele amava o que fazia e visava o melhor futuro possível para seus alunos.

-São eles? - o homem perguntou pegando os papéis em cima da mesa do diretor -Mas só tem três.

-Eu não vi indícios de um quarto elemento - Weatherbee falou.

-Certo, me fale sobre eles - o homem pediu aparentemente feliz com o que tinha em mãos.

-Tudo bem... - o diretor suspirou antes de começar -Archibald Andrews, um lobisomem de porte médio, ótimo com lutas marciais, seu familiar é Jughead Jones, ele tem o espírito da pantera, nunca o vi lutando, mas sei que é forte - falou tudo apontando para o arquivo -Veronica Lodge, uma meio vampira, ótima lutadora, sua familiar é Elizabeth Cooper com o espírito da coruja, boa com estratégias, mas nem tanto na luta. E por último temos Cheryl Blossom, bruxa especialidade com fogo e manipulação de armas de longo alcance, sua familiar é Antoinette Topaz, ela tem o espírito da raposa, mas não sabe usa-lo ainda. 

-Isso é ótimo, vamos começar os testes.

-Mas não é muito cedo? Nem todos estão unidos, além das complicações que temos que evitar ao máximo.

-Waldo, eu mando em você e se eu digo que vamos começar, é porque nós vamos começar! - o homem deu um soco na mesa fazendo-a rachar ao meio.

-Sim, Senhor.


POV. Jughead 
Eu estava me sentindo péssimo, parecia que todos estavam me olhando, eu estava mais que desconfortável.

-Jug? -Archie chamou -Você está bem? Parece tenso.

-É que... - eu abaixei a cabeça fitando o chão -Parece que todos estão me olhando, eu odeio atrair atenção.

-Desculpa, isso meio que é minha culpa - o ruivo falou envergonhado -Mas se quiser podemos sair daqui.

-Seria bom...

-Vem - ele pegou minha mão e me guiou para fora de lá.

Passamos por alguns corredores e chegamos a o que parecia ser um outro salão de festas, mas estava desarrumado e empoeirado.

-O que viemos fazer aqui? - perguntei.

-É só esperar - ele disse sorrindo. De repente todo o local escureceu e vultos luminosos começaram a se mover sobre nós.

-São... fantasmas? 

-Sim, olhe com atenção - fiz o que ele falou, os vultos ganharam forma e dava pra ver que realmente eram pessoas, eles dançavam em pares como se estivessem em seu próprio baile.

-Isso é incrível - tirei meu bloquinho de notas do bolço e comecei a anotar tudo sobre aquilo.

-O que é isso? - Archie perguntou rindo.

-É só meu bloquinho de notas, sempre o levo comigo - respondi sem jeito -Antes disso tudo, do instituto e os treinos, eu sonhava ser escritor.

-Não quer mais?

-Eu sou um familiar, devo ir a onde meu mestre vai e lutar com ele. É o meu dever - respondi guardando o bloquinho novamente em meu bolso.

-Eu sou o seu mestre e... - o ruivo se aproximou e colou seu corpo ao meu, ele tinha um sorriso gentil nos lábios -Eu jamais te privaria do seu sonho, você não precisa desistir de nada - apoiei minhas mãos em seus braços e por instinto aproximei nossos rostos.

-Archie eu...

-Shhh... só relaxa - então ele o fez, acabando completamente com a distância entre nós, ele me beijou, seus lábios eram macios e tinham gosto de hortelã, quando senti sua língua em contato com a minha foi como sair do chão. Eu não era idiota, sabia da possibilidade de ser só mais um para Archie Andrews, mas naquele momento eu não estava nem aí.

POV. Veronica.

-Que você realmente não era o que eu esperava, mas... - ela se aproximou -Mas você é o que eu quero...

Se antes meu coração já batia de forma lenta, agora ele parou.

-Você...

-Eu sei que sou confusa - a loira deu uma risada sem humor -Mas tenta me entender, você me tirou da minha zona de conforto e eu ainda estou aprendendo a lidar com tudo.

-Eu entendo e, me desculpa, eu reagi mal sem ao menos ouvir a sua versão - segurei suas mãos, estávamos muito próximas, não consegui me controlar e me aproximei mais, estávamos prestes a nos beijar, mas ela abaixou a cabeça e eu acabei beijando sua testa.

-D-desculpa - Betty disse extremamente corada.

Na hora eu não entendi, mas logo em seguida me veio o pensamento de clareza. Aquele com certeza seria o primeiro beijo dela e estávamos no meio de um monte de gente.

-Tudo bem - eu sorri -Eu posso esperar até você estar pronta.

-Obrigada - ela disse um tanto envergonhada.

-Você é tão fofa, Cooper - dei um beijo em sua bochecha -Vem, vamos dançar.

POV.Toni

-Você está tensa - eu afirmei vendo que Cheryl não parava de olhar para os lados. Estávamos próximas a mesa de bebidas.

-Não, impressão sua - ela falou de forma distraída.

-Cheryl - levei uma de minhas mãos ao rosto da ruiva fazendo-a olhar para mim -Tá tudo bem - ela sorriu.

-Desculpa, essa deveria ser uma noite animada, mas eu só consigo pensar que a qualquer momento esse lugar pode explodir e... - a calei com beijo, foi só um selar de lábios e eu me afastei rápido sentindo meu rosto queimar. 

-D-desculpa, é q-que...

Cheryl segurou minha cintura e colou nossos corpos, senti algo cair,ah foi a minha pressão.

-Não se desculpe - ela sorriu de leve e aproximou seu rosto do meu -Você pode me beijar quando quiser - tentei ignorar totalmente o meu nervosismo e cortei completamente a pequena distância que nos separava, nossos lábios tinham um encaixar perfeito, mais uma vez foi apenas um selar de lábios, mas o suficiente para me fazer ficar sem ar, me afastei devagar vendo a reação da ruiva.

-Você é tão doce - ela me roubou um selinho -Desculpa se estou fazendo a noite ser um tédio.

-Não está sendo um tédio, é a primeira vez que eu saio do campus - confessei.

-Sério? - ela pareceu surpresa.

-Sim, até a Betty já saiu, mas eu... - pensei por alguns segundos -Acho que eu nunca tive um real motivo para sair.

-Entendo, na verdade o baile da clareira foi feito para isso. Nós somos obrigados a entrar no instituto e nem nos dão liberdade - a ruiva se virou para a mesa de bebidas e pegou um copo com um líquido azul -Toma, é cerveja de blue barry, tem álcool, mas é muito fraco.

-Parece bom - peguei o copo de sua mão e tomei um gole do líquido, tinha um gosto muito doce, mas era amargo no fim -Nossa, isso é bom - Cheryl riu.

-Eu acho muito doce, prefiro coisas mais fortes - ela pegou uma garrafinha transparente com um líquido verde dentro -Só não exagere, cerveja de blue barry faz mal em excesso.

Enquanto conversamos, um cara parou ao nosso lado e olhou diretamente para a ruiva, ele era auto, tinha cabelo escuro e olhos claros.

-Preciso falar com você - ele disse, sua voz era fria e seu rosto praticamente sem emoção alguma.

-Claro - Cheryl respondeu no mesmo tom que ele -Toni, pode me esperar aqui? Eu já volto.

-Tudo bem...

POV.Cheryl 

Paramos no canto mais afastado da casa.

-Então, conseguiu o que eu pedi? - perguntei.

-Claro - ele mostrou um sorrisinho presunçoso -E você tem o que eu pedi?

Tirei um pequeno frasco do bolso do meu vestido.

-Aqui está - dei o frasco para ele.

-Onde você conseguiu lágrimas de sereia? Elas são extremamente raras - ele disse analisando o frasco.

-Assim como você, eu tenho meus contatos - falei -Sua vez, St.Clair.

-Eu pesquisei a fundo e cheguei a um endereço, fica em londres - ele fez uma pausa -Tem uma mulher o nome dela é Penny Peabody, ela pode te levar a quem quiser.

-Obrigada, foi ótimo fazer negócios com você - fale e lhe dei as costas saindo do local.

Voltei para a mesa de bebidas, Toni ainda estava lá, Veronica e Betty estavam com ela 

-Voltei - falei parando ao lado de Toni.

-Não devia deixar sua garota sozinha, Blossom - Veronica debochou.

-Idiota - revirei os olhos e as três riram.

Um tempo depois Archie e Jughead se juntaram à nós, ambos estavam muito vermelhos, com certeza havia acontecido algo. Vez ou outra algum aluno de outro instituto vinha nos cumprimentar, mas nada que incomodasse, o clima estava bom e eu finalmente consegui relaxar... bom, foi o que eu pensei...

Do nada todo o salão da mansão ficou escuro, uma labareda de fogo surgiu no centro e um homem loiro todo vestido de branco saiu do meio do fogo.

-Parabéns - ele começou a bater palmas de forma lenta -Eu estou realmente admirado com a falta de noção de vocês.

Eu, Archie e Chuck tomamos a frente. Mesma próxima, não consegui sentir nada naquele cara, parecia que ele não tinha magia, mas ele havia saído do fogo, impossível dele ser humano.

-E quem é você? - Chuck perguntou debochado.

-Edgar Evernever, sou o novo diretor do IRTS - o homem disse olhando diretamente para o moreno -E como diretor, exijo que voltem ao campus imediatamente! E paras demais alunos de outros campus, fiquem sabendo que os seus diretores serão informados sobre isso! - disse e por fim sumiu no fogo novamente.
...
Voltamos para o campus e fomos direto aos dormitórios.

-Acha que houve algo com o Weatherbee? - Archie perguntou.

-Acho que não, vamos dormir, prevejo muitos problemas para amanhã.
No outro dia, o campus todo parecia mais silencioso e só se ouvia burburinhos, Archie e eu seguimos o fluxo de alunos até o auditório.

-Bom dia, alunos - o mesmo homem da noite passada -Eu sou Edgar Evernever, alguns já me conheceram, mas para quem ainda não sabe, eu serei seu novo diretor - alguns burburinhos baixos foram ouvidos -E espero ser respeitado como tal, de agora em diante está sob nova direção e novas regras. Vamos começar.
...
Dava pra ver na cara dos alunos que todos odiaram as novas regras e principalmente o novo diretor.
Muitas perguntas me vieram a mente. O que havia acontecido com o diretor? Porque tantas regras? E como vai ser daqui pra frente?
Olhei para Toni, ela tinha a mesma expressão que eu.

-Eu odiei esse cara! - Archie esbravejou se sentando à mesa. Estávamos reunidos no refeitório.

-Realmente, esse lance de uniforme é um exagero! - Veronica falou.

-Só eu estou com um mal pressentimento? - Jughead perguntou.

-Não... na festa, eu não consegui sentir a aura mágica dele - falei -Tem algo de muito errado acontecendo, basta ligar as coisas, primeiro os ataques e agora isso...

-Cheryl tem razão, algo grande está para acontecer... - Toni se pronunciou pela primeira vez na conversa.

De alguma forma eu podia sentir a sua preocupação, era quase como se já tivéssemos passado por aquilo, não só eu e ela, mas sim todos nós, mas falta algo ou... alguém?

POV. Veronica

-Está calada - falei enquanto caminhava pelos corredores em direção a biblioteca junto de Betty.

-Apenas pensando... eu tive um sonho estranho essa noite... - sua voz estava distante -Mas não consigo me lembrar muito bem... 
Segurei sua mão vendo que a mesma estava começando a ficar nervosa.

-As coisas estão estranhas, mas vamos dar um jeito.

-Sim, vamos - ela deu um leve sorriso e continuamos andando.

Vimos algumas coisas na biblioteca, mas nada de muito relevante. Haviam alguns guardas por toda o campus, eram uns caras enormes usando mascaras pretas que cobriam todo o seu rosto.

Parecia que estávamos em confinamento e por algum motivo eu me sentia vigiada.

POV. Jughead 

Eu estava no vestiário me trocando depois do treinamento de corrida, normalmente eu conseguia fugir, mas hoje não teve como.
Enquanto eu terminava de colocar meus sapatos escutei alguns sons vindo da quadra. Andei discretamente até o local e me escondi para ver o que era, num canto eu vi o babaca do Reggie, ele parecia estar muito mal, o mesmo não parava de tropeçar e se bater.
Resolvi, perguntar se ele estava bem, mais antes que eu pudesse fazer qualquer coisa, alguém tapou meu rosto com algo que parecia ser um saco de pano, não vi mais nada depois disso.


Notas Finais


E foi isso gente em breve voltarei com mais um capitulo, tenham paciência kkkkkk
Provavelmente tem erro no cap, mas eu concerto depois kkk
Beijos e até logo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...