1. Spirit Fanfics >
  2. Secrets of a Passion (Jeon Jungkook - Bts) >
  3. Capítulo 9 - Vergonha

História Secrets of a Passion (Jeon Jungkook - Bts) - Capítulo 9


Escrita por:


Capítulo 9 - Capítulo 9 - Vergonha


Fanfic / Fanfiction Secrets of a Passion (Jeon Jungkook - Bts) - Capítulo 9 - Capítulo 9 - Vergonha

Simplesmente não podia acreditar no que havia acontecido. Eu transei com meu melhor amigo que até um tempo atrás só o via como meu dongsaeng. Como poderia imaginar que o garoto já tinha se tornado um homem feito e tão talentoso assim.

-Noona, posso falar uma coisa? – Jungkook falou, interrompendo meus pensamentos.

-Diga, Kook.

-Noona, estava com medo de como ia reagir. Já estava esperando uma tapa.

Era um medo compreensível diante da minha personalidade às vezes um pouco agressiva. Depois que terminamos, fomos tomar um banho e fizemos novamente, então foi que nos vestimos e fui ver que meu sofá tinha ficado com uma mancha razoavelmente grande.

-Bem... Eu não tive muito tempo para pensar, não é. – Falei e ele concordou. - Mas eu acho que no fundo eu também queria aquilo, eu precisava. – Pareceu contente com minha resposta. – Agora me ajuda a limpar isto.

Estava com o aspirador em mãos e Jungkook estava assistindo televisão, o resto do filme. Terminou de assistir e limpamos mais ou menos o sofá, já que Mi Cha estava perto de voltar para casa, fizemos o que podemos para diminuir o máximo possível, mas não ficou tão bem feito assim.

Quando terminamos de limpar o sofá - pelo menos achávamos que tínhamos feito direito, mas na verdade ainda tinha ficado bem manchado - fomos comprar uns cafés, caso Mi Cha chegasse e não visse Jungkook, pelo menos não pensaria nada perto do que aconteceu.

Saímos do prédio e caminhamos para alanchonete de sempre, talvez um bom chá gelado distraia minha mente do recente acontecimento que não sai da minha cabeça, e creio que da de Jungkook também não.

-Noona.

-Hum? – O olhei de soslaio.

-Noona, pode falar alguma coisa? Estou ficando sem graça.

-Como assim, Kook?

-Do que aconteceu. Você sempre gosta de falar sobre essas coisas, mas está calada. – Paramos e o olhei bem no rosto.

-Eu só estava concentrada nos meus pensamentos, pois o que aconteceu não sai da minha cabeça. Foi maravilhoso. – Confessei e vi suas bochechas ruborizar. – Foi algo inusitado e que eu estava precisando.

-Você não sabe o quanto eu queria, até planejei todos os detalhes.

-Como assim? Planejou?

-Ah Noona, claro que eu planejei. Não estávamos nem nos falando direito e depois fizemos as pazes e você me chama para sua casa?! Eu já até planejei para acontecer o que aconteceu.

-As armys não fazem ideia do quão safado você é, se soubessem, bem provável que ficassem mais loucas ainda.

Começamos a rir e caminhamos para dentro do café, sentando o mais escondido possível, o café está cheio hoje, o que é algo um pouco inédito e mais perigoso que o reconheçam. Kook foi sentar no canto mais escondido possível e eu fiz os pedidos.

-Kook, foi incrível o que aconteceu. Como falei, eu estava precisando, e você fez isso. Muito obrigada. Mas não pode se repetir. – Falei assim que sentei a sua frente.

-Noona, mas...

-Kook, eu não sei como seria aceito isso entre a gente e o mais importante, você tem namorada. Parece que você esqueceu-se desse ponto muito importante.

-Noona, eu já ia terminar com ela.

-Mas você ainda não terminou e o que fizemos foi muito errado, não vai acontecer de novo. Entendeu?

-Sim, noona.

-Ouvir sobres suas transas era uma coisa, mas se tornar uma é algo diferente, nunca imaginei que transaria com meu dongsaeng.

-Nossa, noona. Não fala assim, porque o seu irmãozinho não estava sendo tão irmãozinho antes.

-Ok! Mas não sabia que era tão talentoso. Bem... – Parei quando a garçonete trouxe nossos pedidos. Agradeci e ela se retirou. – Só foi inusitado. Acho que você cresceu, não é. – Ele riu.

-Bem, noona, faz tempo que eu cresci. – Rimos mais.

-É! Agora coma. Essas máscaras deveriam ter uma abertura pequena para colocar canudo. – Rimos de novo.

Ficamos em silêncio e comemos, depois ficamos conversando, até Mi Cha ligar.

Ligação On

-Oi, Mi Cha.

-Unni, onde você está?

-Estou na cafeteria. Por quê?

-É que eu cheguei e vi uma mancha estranha no sofá. Derramou alguma coisa?

-Sim. Estava tomando vinho de arroz e derramei sem querer.

-Eu sou a desastrada da casa e você faz isso?! Sei não, viu.

-Acidentes acontecem, Mi Cha. Era isso?

-Sim. Trás um Chá mate de limão.

-Certo. Tchau.

-Tchau.

Ligação Off

-Ela perguntou. – Jungkook falou assim que desliguei a ligação.

-Claro que ela perguntou e claro que ela aceitou o que falei.

Pagamos e fomos para casa. O resto do dia passou até rápido e Jungkook foi para a empresa, pois precisava ensaiar com os meninos. Já eu fiquei em casa com Mi Cha enchendo-me de novidades, as novidades da nova universidade.

Pela manhã já acordo com meu telefone tocando desesperado, deveria o apelidar de Mi Cha, enche minha paciência igualmente. Atendo o telefone ainda com os olhos fechados.

Ligação On

-Noona! Acorda, noona.

-O que foi, Tae? – Respondi ainda sonolenta.

-Mi Jee-ah, vamos para Jeju gravar um programa, vamos conosco. – Telefone foi trocado de mãos.

-Que horas, Jin-oppa?

-Vamos partir em uma hora e meia. Nós nos encontraremos no saguão?

-Certo. Vou me ajeitar.

-E Mi Cha, noona? – O aparelho voltou para as mãos de Taehyung.

-Umas amigas dela vêm para , vão passar o dia fazendo bagunça.

-Que chato, deveria ficar e conhecer essas amigas.

-Deixe de ser tão safado. – Falei e ri. – Essas armys são muito inocentes, não sabem nada do que são de verdade. O que elas imaginam não passam de suposições.

-É melhor eu ir me ajeitar, noona. Estão me chamando.

-Está bem. Também vou.

-Até , noona.

-Até , Tae.

Ligação Off

Deixei o celular sobre a cama e levantei para tomar um banho. Fiquei pronta antes do esperado. Tomei um café da manhã simples e como ainda faltava uma meia hora, fui para o apartamento dos meninos.

Mi Cha não acordaria tão cedo, então vou esperar que acorde para que me ligue e só então poder avisar onde estou. Saí do elevador e caminhei para a porta dos meninos, como sempre dava para ouvir suas vozes do lado de fora. Apertei a campainha ao lado da porta e um Jimim-shi todo sorridente abriu a porta para mim.

-Noona, pensei que nos esperaria lá embaixo.

-Fiquei pronta antes do esperado e resolvi vir ver a bagunça que deveria estar. – O pequeno de sorriso fofo deu passagem para que entrasse no apartamento.

-Olá, baixinha.

-Hobi. Onde estão os outros? – A casa parecia calma.

O que aconteceu?! Nesse minuto estava um caos e foi só entrar que tudo se acalmou.

-Só Jimin-shi e eu ficamos prontos primeiro. Acho que Jungkook ainda está deitado. Porque não vai lá tentar acordá-lo?

Acenei com a cabeça e me encaminhei para seu quarto. Passei pelo corredor onde ficavam as portas dos outros quartos. Cheguei à porta do quarto de Jungkook e bati, mas não obtive nenhuma resposta. Abri a porta que para minha surpresa não estava trancada e vi o quarto escuro, quando ia me aproximando da sua cama - após fechar a porta – a porta do banheiro se abre e Jungkook aparece completamente pelado. Peladinho. Como veio ao mundo.

Certo! Não é como se não tivesse visto antes, mas bem, não prestei tanta atenção assim, estava ocupada com outras coisas.

-Vendo-o assim faz-me pensar que não poderei cumprir minha promessa.

-Que promessa?

Só quando ouvi sua voz rouca foi que percebi que tinha dito aquilo em voz alta e ainda estava parada e encarando seu corpinho inteiro. INTEIRO.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...