1. Spirit Fanfics >
  2. Séculos >
  3. Sentimento recíproco, à séculos

História Séculos - Capítulo 5


Escrita por:


Capítulo 5 - Sentimento recíproco, à séculos


Haechan convidou seu convidado para entrar; bons modos não faziam mal a ninguém; falta faziam, de certeza. Mark passou pela porta de sua casa, trémulo e atônico. Não sabia o que fazer, não sabia se podia sentar no sofá — só iria tomar essa liberdade se Hyuck permiti-se; não sabia o que falar. Havia muitas coisas para serem ditas, mas a coragem ainda fazia falta. O silêncio incomodava muito, ambos pensavam sobre o que conversar para quebrar o clima constrangedor. Principalmente para Haechan, já que ter seu crush há sua frente na sua casa era estranho, mas legal ao mesmo tempo.


  — Pode sentar-se no sofá, Mark... — Hae orientou Lee, encanto mexia nos seus dedos fininhos, sentando-se em frente de Minhyung — Não quero parecer ser arrogante, nem algo do género, mas... — brincou com as mangas de sua camisola — Como você sabe... onde eu moro...?


  — Ah... "longa" história... — Mark sorriu desajeitado enquanto coçava sua nuca. Não sabia se contava para Hyuck como havia conseguido seu endereço — Sua casa é bonita e aconchegante — elogiou olhando ao seu redor, tentando quebrar o clima tenso. 


  — Ah... obrigado — Hae sorriu envergonhado baixando sua cabeça. 


  — Estás bem? — perguntou do nada.


  — Estou...?


  — Ligaste para o Senhor Choi a dizer que não ias cantar hoje... Por estares doente. Mas, para mim, — deixou sua cabeça ir para o lado esquerdo — Você me parece muito bem... — Hyuck permaneceu com o seu olhar abaixado pela vergonha — Por causa de ontem? — Mark decidiu soltar a bomba de uma vez. Não suportava mais se segurar por medo, queria avançar, provavelmente iria tomar o primeiro passo — Foi por causa de ontem, não foi? Por quê?


  Lee ficou atônico diante de tantas revelações e perguntas. Era tudo verdade, só não sabia como responder a isso. Queria mentir, mas sua boca não emitia som algum. Também não queria dizer que o amava assim do nada, não tinha essa coragem. Mark estava diferente aos olhos de Lee naquele momento, Minhyung estava diferente, mais... intimidante? 


  — É que... eu estou doente sim! — fingiu tosse seca, fazendo Mark sorrir assoprado — Não sei qual é a graça. Estou doente! Você não 'tá vendo? 


  — Ya! Lee Donghyuck! — Mark chamou-o alto e bom som, fazendo o Lee mais novo se assustar — Pode parar com esses filmes! Eu sei que foi por causa de ontem, não precisa mentir — sorriu de lado. Sua coragem estava crescendo aos poucos, vendo Hyuck envergonhado. Lee não iria avançar se Mark não desse o primeiro passo.


  — Mas é verdade! Não estou mentindo! — Hyuck tentou mais uma vez parecer confiante.


  Mark levantou-se de onde estava, ficando em pé de frente para Hae.


  — Lee... Você a mim não me engana! — o menor se levantou, irritado por não conseguir fazer Mark acreditar nas suas palavras.


  — Já disse que não estou mentindo... — disse baixo, tentando parecer irritadinho. O que ele não sabia, era que Mark estava gostando demais da sua postura de "grandão".


  — Para quê mentir, hein? — Mark chegou mais perto de Hae, ficando poucos centímetros de seu rosto. O coração de ambos batia demais, não sabiam como que não conseguiam ouvir os batimentos cardíacos um do outro.


  Lee Donghyuck estava irritado, tão irritado que já não ligava aos seus sentimentos a Mark, nem de suas ações. Empurrou Lee mais velho para o sofá, da qual caiu de cu no sofá macio. Hyuck subiu no seu colo, deixando uma perna de cada lado da cintura de Minhyung.


  — Quem você pensa que é para dizer o que é mentira ou não? Hm? — Mark conseguia ouvir a pequena fúria que Hyuck demonstrava nas suas pequenas palavras. Lee estava adorando aquele momento, até demais.


  Mark percorreu o corpo de Hae com suas mãos firmes, parando na cintura, arrepiando Hyuck da cabeça aos pés. Aquela sensação era estranha, ao mesmo tempo, maravilhosa. O mais novo então, só se deu conta onde estava sentado depois disso. Tentou sair do colo de Mark, mas fora impedido no mesmo instante. 


  — Onde você pensa que vai? — perguntou Mark completamente atônico pelas sensações. Não iria-se controlar — Você pensa que vou deixar ir embora assim? Sem deixar eu terminar o que vim realmente fazer aqui? — ditou tudo de uma vez.


  — Do que você 'tá falando?


  — Ontem. Eu iria te beijar. Minha coragem não foi o suficiente para conseguir fazer isso, nem sua resposta com outra pergunta me permitiu — Hyuck estava com o coração nas mãos. Não acreditava no que estava ouvindo. O seu amor sempre fora recíproco? Como que ele nunca soube? — Sua ousadia... me deixou maluco, porra — Mark ditou com a voz manhosa.


  O olhar de Hyuck permanecia somente nos lábios de Lee. Conduziu suas mãos até suas bochechas, aconchegando-se ainda mais no colo de Lee, sentindo seu membro debaixo de si, vendo Mark morder seu lábio inferior nada discreto.


  — Hyuck...


  — Cala a boca e me beije — dito isso, Dong juntou seus lábios aos de Mark. Minhyung pela surpresa e pelo susto, deixou seus olhos arregalados, depois de uns minutos, relaxando e fechando-os. Aproveitou o momento, por finalmente puder sentir os lábios de Lee nos seus. Parecia que estavam num sonho magnífico, da qual não queriam acordar nunca. 


  — Dong...


  — Xiu... — juntou de novo seus lábios aos de Mark. Não queria perder nenhum momento sem beijar aqueles lindos e maravilhosos lábios. O que mais queriam estava acontecendo. O que mais desejavam à séculos estava se concretizando. Hyuck não queria perder nenhum momento, até os de safadeza, se mexendo um pouco no colo de Mark.


  — Hae... — suspirou contra seus lábios, depois de se separar por falta de fôlego — Não faça isso...


  — Por quê? — mexeu-se — Você não gosta? — continuou se mexendo, falando contra os lábios de Mark, manhosamente. 


  — Porra... Hyuck! — Mark deixou sua cabeça cair para trás. Hae sem perder a oportunidade, construiu um caminho de beijos e leves mordidas pelo pescoço de Mark, ouvindo-o gemer rouco. Hyuck queria aproveitar muito bem daquele momento, não queria desperdiçar nenhum segundo.


  — Markkie... — chamou-o manhoso, recebendo um olhar cheio de desejo que estava sendo contido à muito tempo, retirou sua camisola, deixando seu peitoral amostra — Vamo-nos divertir um pouco? 


  Mark sorriu. Sorriu e permitiu-se rir. Estava amando de todas as formas ver Hyuck libertando-se aos poucos da timidez. Obviamente que queria divertir-se com seu amado, mas antes, queria dizer o que estava trancado à muito tempo.


  — É claro que eu quero, Hyuckie... — viu Lee sorrir — Mas antes, quero dizer uma coisa — Donghyuck ficou tenso e nervoso — Quero te dizer que eu te amo. Te amo à muito tempo, te amo à séculos, meu bem. Por isso, que — aproximou seus rostos — Vou aproveitar cada momento, segundos, minutos, horas, dias... Todos somente com você. Entendeu? — recebeu com um aceno de cabeça e um rebolar de Hyuck — Porra... como você me deixa maluco, babe... 


  — Eu também te amo muito, Markkie — sorriu feliz por seu sentimento ser recíproco — Obrigado por conseguir retribuir meu sentimento, hyung — Haechan sorriu largamente, Mark foi contagiado pelo seu sorriso lindo.


  — Obrigado eu, por conseguir concretizar o meu maior desejo, por séculos... — deixou um breve selar nos lábios de seu amado, o abraçando.


  Duas pessoas que se amavam de longe, que se olhavam de longe, que se apreciavam de longe, hoje, e agora, estavam juntos. O maior desejo de ambos havia-se concretizado, não podiam estar mais felizes do que poderiam estar no momento.


  Ter Lee Donghyuck nos seus braços, era o seu maior desejo.


  Ter Mark Lee nos seus braços, era o seu maior desejo. 


  Ambos amavam-se, e amar-se-am, para sempre.


Por séculos.





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...