1. Spirit Fanfics >
  2. Seepage in the Mafia - NCT - HOT >
  3. O Baile - Parte 2

História Seepage in the Mafia - NCT - HOT - Capítulo 12



Notas do Autor


E ai gente linda. @AtaneSkyadrum dessa vez hehe

As coisas estão ficando tensas, galerinha. Preparem o core de vocês heuhe
Sem mais delongas, tenham uma ótima leitura ^^

Capítulo 12 - O Baile - Parte 2


Fanfic / Fanfiction Seepage in the Mafia - NCT - HOT - Capítulo 12 - O Baile - Parte 2

Naomi Yukimura

Mesmo que ele tenha dito que só me mostraria o que tinha dentro da capa depois, minha curiosidade falou mais alto.

- Por que não agora? Quer mesmo me deixar na curiosidade?- Brinco.

- Tudo bem. Vou lhe mostrar, já que insiste.- Yuta começou a descer o zíper da capa. Quando terminou, eu apenas pude ficar boquiaberta.

Era um vestido longo em crepe acetinado na cor vermelho. Possui um decote em V com alças cruzadas na frente, fenda frontal e forro longo em poliéster. Também havia um broche prateado entre as alças.

- Simplesmente lindo...- Eu sussurro com as mãos na minha boca, em completa surpresa.

- Gostou?- Ele sorriu.

- Sim.- Falo convicta.- Eu amei.- Digo maravilhada. Só que eu me lembro de algo.- Mas, porquê esse vestido será meu? Terá algum evento importante?- Questiono.

- Boa pergunta, Matsuoka.- Yuta sobe o zíper, pega a capa e me entrega. Eu pego com cuidado para não amarrotar e o vejo ir até sua cadeira, sentando na mesma.- Iremos ao um baile de máscaras. A Wayv Company nos convidou e recusar um convite seria desconfortável, não acha?- Ele me encara.

Wayv Company. Então eles realmente estão juntos. Porque não seria apenas uma reunião qualquer e tenho certeza que as meninas estão cientes disso.

- Sim, senhor.- Digo.- Quando será o baile?- Pergunto.

- Daqui alguns dias. Você também receberá uma máscara, já que, creio eu, que não tenha uma.- Ele comenta.

- De fato não. Na verdade, nem esperava por isso. Fui pega de surpresa.

- Imaginei.- Ele disse já olhando para os documentos em sua mesa.- Bom, Matsuoka. Pode se retirar e fazer o que bem entende.- Ele me encara por um momento e depois continua concentrado.

- Claro. Com licença.- Reverencio e saio da sala dele carregando o belo vestido.

Caramba. Me sinto ansiosa, animada e tensa sobre essa festa. Tenho que apenas aguardar e ver o que irá acontecer. Espero que possamos descobrir mais sobre o contrabando de armas e o tráfico de drogas. O que puder pegar dessa reunião, será de suma importância.

Saindo da sala, dou de cara com Jaehyun. Eu aceno para ele e vou para direita, só que ele vai na mesma direção que eu. Vou para a esquerda e ele também vai. O encaro arqueando as sobrancelhas.

- Está difícil passar?- Pergunto.

- Você quem está indo para o mesmo caminho que eu.- Ele disse dando de ombros.

- Então me desculpa, Alteza.- Debocho.

- Você agora pretende ficar agindo assim comigo?- Ele questiona.

- Como assim? Eu não mudei meu jeito com você. Até porque eu me lembro muito bem você ter dito que ainda desconfia de mim. Então eu posso muito bem continuar te tratando da mesma forma.- O encaro fixamente.

- É...eu lembro disso também.- Ele coça a nuca.- Olha, sei que você deve dizer que foi algo casual que tivemos...

- E foi.- Eu o interrompo.

- É.- Ele faz um pigarro.- Só que eu não desconfio mais de você, apenas estava te provocando. Claro que antes eu fiquei desconfiado.- Ele desviou o olhar.

- O que te fez mudar de ideia, então?- Indago.

Quando ele abriu a boca pra falar, Yuta aparece de repente, nos assustando.

- Por que estão em frente a minha porta?- Ele franziu as sobrancelhas.

- Nada demais, eu estava saindo.- Digo reverenciando e me retiro do local. Apenas escuto o Jaehyun dizer que queria falar com o Yuta.

O que será que ele queria dizer para mim?

Se ele sabe que aquilo foi algo casual, deveria entender que não teríamos nada juntos ou...será que ele quer algo?

Nada de pensar sobre isso. Foco sobre o baile que precisarei de informações.

》》•《《

Dias se passaram e já era o dia do baile. Eu soube que seria no mesmo hotel em que Taeyong, Mark e eu fomos no outro dia. O bom que olhando da última vez, deu para ver que o local é bem amplo. 

Jaehyun e eu estávamos em um momento complicado, apesar de não termos nada, agíamos como dois namorados que brigaram, chegava a ser engraçado. 

Como havia anoitecido, eu comecei a me arrumar. Ontem eu fui em uma loja e comprei um salto alto feita de camurça preta. É um modelo com uma tira única frontal e tira no tornozelo com fivela lateral de ajuste forrada em camurça. 

Coloco o salto primeiro, para depois vestir meu vestido. Quando eu me olhei no espelho, me surpreendi da forma que eu fiquei, nem parecia eu com meus habituais tênis e minhas roupas simples. Optei por uma maquiagem neutra, nada extravagante, tirando o batom, que coloquei em um tom carmesim.

Ajeito meu cabelo, o deixando solto mesmo e melhoro a minha franja, deixando ela um pouco na lateral. E agora sim eu estava melhor do que nunca. 

Ouço duas batidas na porta e quando abro, encontro com Jaehyun me encarando perplexo.

- Nossa...Harumi.- Ele deixou a boca entreaberta.

- Cuidado para não entrar mosca.- Coloquei meu dedo indicador em seu queixo, fechando sua boca.- Estou bonita?- Rodopio e sorrio.

- Está deslumbrante.- Ele sorriu.- Vim te entregar uma coisa.- Suas mãos se abrem e vejo brincos médios prateados, com um pequeno cristal, as destacando.

- Que lindo.- Eu disse.- Foi você quem comprou?- Pergunto.

- Não.- Ele riu soprado.- O chefe pediu para te entregar.

- Entendo.- Digo. Yuta realmente tem bom gosto.- Bom, obrigada por ter trazido mesmo assim.- Sorrio pegando os brincos e indo até o espelho, colocando os mesmos.- Como eu fiquei?- Me virei e o encarei.

- Ficou magnífica.- Ele fala me encarando o tempo todo.- E como eu fiquei?- Ele deu uma voltinha também. Jaehyun trajava um terno preto, uma blusa social branca com uma gravata cinza. Nada muito chamativo.

- Está fabuloso.- Comento. Nem parecíamos que estávamos estranhos um com outro antes.- Ei, Jaehyun...- Falo me aproximando dele e ficando de frente para o mesmo.

- Diga.- Ele sorri.

- O que você ia me dizer alguns dias atrás?- Pergunto ajeitando sua gravata distraidamente.

- Sobre o quê?- Ele fez uma expressão de dúvida.

- Sobre o fato de você ter mudado de ideia.- Ponho minhas mãos em seus ombros e sinto ele colocar as suas mãos em minha cintura, colando mais nossos corpos.

- Sinceramente...eu não sei.- Ele sussurra.

- Como assim?- Tombo a cabeça para o lado, não entendendo.

- Eu confesso que desconfiei de você desde que entrou aqui. De repente, uma guarda-costas que nem conhecemos, simplesmente ficará em nosso território sem mais nem menos? Eu queria te amedrontar, fazer com que você ficasse em alerta, pois não somos qualquer um.- Ele suspira.- Só que os dias foram se passando...e eu fui observando mais você, notando que você não é o terror que eu pensei que fosse. Tudo bem que não podemos confiar em ninguém tão rápido.

- Eu entendo.- Digo sorrindo.- Suspeitar é o que todos fazem. Agora sei que você não fez aquilo à toa.- Eu bati de leve em seu ombro.

- De fato.- Ele me surpreendeu pondo sua cabeça em meu pescoço e inspirando, me arrepiando.- Seu cheiro é tão bom.- E então ele se afasta.- Você está pronta?- Ele sorriu ladino.

- Eu...- Tinha ficado sem palavras.- Estou.- Digo por fim.

Saio do quarto, fechando a porta e desço com Jaehyun, saindo da mansão em seguida. Encontramos todos perto de dois carros, interagindo entre si e noto que a maioria está com o mesmo estilo de terno; menos Yuta, que está com um terno azul marinho, uma blusa social branco por baixo e ele não estava de gravata.

- Uau, Harumi. Você está linda.- Mark diz.

- Obrigada.- Sorrio ajeitando um pouco o vestido.

- Realmente o vermelho destaca bem uma pessoa.- Doyoung disse.

- Devo concordar.- Comento.

- Todos aqui?- Yuta pergunta após ver Jaehyun e eu já estarmos perto deles. Apenas acenamos e ele prosseguiu.- Certo. Estamos com dois carros, então iremos dividir da seguinte forma: No primeiro carro irão Jungwoo, Doyoung, Taeil e Taeyong.- Fiquei aliviada por não ficar junto do Tae.- No segundo irão Jaehyun, Harumi, Mark, Johnny e eu. Vamos pessoal, não podemos perder tempo.

- Sim, senhor.- Dissemos em uníssono e todos entraram nos carros que foram designados.

A viagem se seguiu tranquila e serena. Minha mente só conseguia pensar sobre o que acontecerá lá.

- Matsuoka.- Yuta me chama.

- Pois não?- Viro a cabeça encontrando seus olhos.

- Sua máscara será entregue quando chegarmos. Está bem?

- Claro.- Digo.

Após um tempo chegamos ao baile e realmente havia muita gente. Quando saímos do carro, Yuta me entregou a máscara e ela era muito linda. Eu coloco a máscara que é em um tom veneziano dourado. Apesar de parecer simples, ela é bem moderna e cheia de estilo. Ela proporciona um visual mais requintado, devido à máscara ser apenas dourada. Tem um leve desenho em relevo de arabescos vintage, a deixando diferente.

Os meninos que estavam dirigindo em cada carro: Taeil e Jungwoo, decidiram deixar os carros atrás do hotel, um pouco distante, para caso acontecesse algo, ele saíssem pela porta de emergência.

Meninos precavidos, impressionante.

E enfim todos nós entramos. Passamos pelos seguranças, que nem se quer perguntaram nossos nomes, pois eles sabiam que a Blue Tiger estaria ali com todos de máscara azul com detalhes em dourado. Certeza que foram informados pela Wayv.

Seguimos adiante e eu olho em volta, admirada com a vista. Fizeram um ótimo trabalho nas decorações. Haviam várias mesas com aperitivos. Um espaço para dança, onde todos festejavam e bebiam bastante. 

Eu sentia diversos olhares em mim, me deixando meio constrangida. Olhando em volta, acabo vendo Elisa e sei que ela me viu, pois acenou levemente. Então Lucy virá em breve.

- Está arrasando.- Johnny me cutucou com o braço.

- Eu nada. Bobo.- Digo pondo uma mecha atrás da orelha.

Quando eu vim aqui na primeira vez, parecia só um hotel qualquer, agora, estava incrível. Pena que não pude apreciar tanto, pois eles continuaram andando até ir à um corredor e pegar um elevador, para nos levar ao 2 andar. 

Saímos do elevador e continuamos seguindo em um corredor, encontrando o homem de cabelos tom de mel em frente a porta, provavelmente nos esperando.

- Senhores.- O homem acenou, abrindo a porta para dar passagem.

- Kun.- Yuta o chamou pelo nome, acenando a cabeça.- Matsuoka, você ficará aqui de vigia qualquer coisa, mantenha-se atenta.- Ele disse entrando com os outros. Kun, como era seu nome, fechou a porta. 

Pude notar antes da porta ser fechada, quem nem todos da Wayv estavam reunidos, o que significa que talvez algum integrante do grupo deles virá para cá ou não. Não sei dizer ao certo.

- Mais uma vez, vigia de porta. Que belo papel.- Murmuro. E de novo não posso ouvir nada do que eles falam. Realmente devem falar baixo.

- Desculpa perguntar, mas quem é você?- Um homem parou de frente a mim. Ele tem cabelos castanhos colocado todo pra trás devido ao uso de gel. Ele trajava um smoking vermelho e usava máscara da mesma cor.

- Eu sou guarda-costas da Blue Tiger.- Digo séria.- E desculpe minha intromissão, mas posso saber quem é o senhor?

- Claro.- Ele sorri sem mostrar os dentes.- Sou o dono da Wayv Company.- Meus olhos se arregalaram no mesmo instante.- Deu pra perceber que não sabia. Tudo bem, não é sua culpa.

- Sinto muito, senhor.- Me reverencio.

- Tudo bem.- Ele diz.- Guarda-costas da Blue Tiger, uh...- Fala pensativo.

- Algum problema quanto a isso?- Pergunto sem entender.

- Não, não.- Ele gesticulou.- Apenas achei curioso.- Riu soprado.

- Entendo...- Eu não sei mais o que dizer, então abro a porta para o mesmo e dou passagem. Ele acena pra mim e entra cumprimentando à todos e pedindo desculpas pelo atraso. Fecho a porta continuando na mesma posição que eu estava.

Por essa eu não esperava, encontrar logo o líder da Wayv de cara. Eu achei que ele tinha entrado antes da Blue Tiger aparecer.

Sei que depois de um tempo, apenas encarando a parede de cor creme desse corredor, escuto um barulho de alguém resmungar que está perdido. Olho para a direita e vejo Chenle vindo ao meu encontro todo alegre.

- Finalmente te achei.- Ele sussurrou.

- Cuidado.- Coloco o indicador nos lábios, para ele falar o mais baixo possível.- Tem algo pra mim?- Sussurro também.

- Ponto eletrônico.- Ele me entrega.- Só te ouvirão quando apertar o botão.- Explicou.

- Certo.- Digo pondo a escuta em meu ouvido.- Você tem que entregar a comida e a bebida no quarto deles mesmo?- Pergunto receosa.

- Sim.- Ele fez cara de choro.

- Certo. Não fale nada e não olhe para eles. Respira fundo e não deixem te intimidar.- Eu o vi respirar profundamente. Me virei para porta, dando duas batidas e abrindo a mesma.- Com licença, senhores. Os aperitivos que pediram, acabaram de chegar.

Chenle se aproxima deles e eu noto através da bandeja que ele está muito nervoso. Na bandeja tinha uma garrafa de vinho e duas tigelas, recheadas de bruschetta de gorgonzola.

Se acalme ou eles perceberão. 

Parece até que ele acabou lendo minha mente, pois melhorou a postura e conseguiu servi-los. Chenle pôs o vinho e as tigelas em uma mesa que havia no quarto e pediu licença, se retirando do quarto. 

Reparo neles e noto que todos possuíam um semblante sério quando entramos, todavia começaram a fazer algumas piadas, para disfarçarem do que realmente estavam conversando.

Eu fecho a porta e percebo que eu tinha prendido o ar que eu nem sabia que estava preso.

- Eles são sinistros.- Chenle se estremeceu.- Ainda bem que deu tudo certo, eu estava uma pilha de nervos.

- Sim.- Digo rindo.- Não só você.- Suspiro.- Acho melhor você ir. Até mais.- Sorrio.

- Até Na...Senhorita.- Ele percebeu que ia me chamar pelo nome.- A propósito, está um arraso.- Deu uma piscadela e saiu correndo. Esse menino, só rindo.

Eu começo a ouvir a conversa de todos e percebo que eles estavam no porão. Falavam algo relacionado ao painel elétrico e que precisavam da ajuda do Chenle, porém ele parecia desesperado sobre a tranca eletrônica. Como eu estive aqui da outra vez, resolvo ajudar.

- Acho que é no 2° corredor. Vira a esquerda; é a terceira porta.- Digo por fim.- Não posso falar muito pessoal, se um deles aparecer aqui, estou encrencada!- Sussurro.

- Olha só! Quem é vivo sempre aparece.- Elisa deu uma risada presunçosa. Apenas reviro os olhos, mesmo sabendo que ela não pode me ver.

Eu apenas continuei ouvindo atentamente a conversa. Chenle conseguiu acessar o quarto, contudo, Lucas começou a subir as escadas e tudo estava ficando intenso demais. Até que Jisung dispara os alarmes de incêndios e começa a maior gritaria e correria pelo que eu posso ouvir. 

Começou o caos. 

Abro a porta do quarto de forma abrupta, assustando os demais que estavam ali dentro.

- O que...- Yuta começa.

- Senhor, precisamos sair daqui imediatamente, o alarme de incêndio foi disparado e está um caos total no térreo.- Digo apressada.- Vamos logo.- Olho para o líder da Wayv rapidamente e percebo seus olhos se arregalarem com a minha notícia.

Ele apenas obedeceu e todos foram saindo também. Apenas olho para trás e vejo o grupo da Wayv descendo pelo elevador, enquanto descíamos pelas escadas e passávamos no saguão, para ir em direção a saída de emergência.

Os sprinklers foram ativados e molhavam todos pelo local, principalmente à nós. Saímos finalmente e vejo que só o hotel iluminava em volta, de resto, uma completa escuridão.

Todos da Blue Tiger estavam correndo. Eu aproveitei essa oportunidade que ninguém me via, e tirei o ponto eletrônico do meu ouvido, o jogando no chão e pisando no mesmo. Eu o pego do chão e corro até um pequeno rio que tem perto do hotel e arremesso o ponto eletrônico. Vejo ele sumindo do meu campo de visão depois que caiu na água e foi levado pela correnteza.

Olho para os lados e vejo que eles correram bastante. Eu tenho que me apressar se eu quiser alcançá-los. Eu percebo que consegui correr de salto até agora, mas decido tirar porque terei que correr ainda mais. E é o que eu faço, retiro meus saltos, começando a correr o máximo que posso, com meus cabelos e vestidos esvoaçando devido ao vento forte que havia nessa noite.

Eles deixaram os carros tão longe assim? Meu deus, eu achava que não podia ser pior.

A rua estava deserta e a brisa se tornava mais gélida. Após um tempo correndo, que eu não faço ideia quanto tempo se passou, finalmente encontro eles, arfando assim como eu.

- Por onde estava, Harumi? Achei que tivesse desaparecido.- Johnny diz enquanto recuperava o ar.

- A rua está um breu total.- Falo tentando controlar a respiração com as mãos no joelho.- Eu olhei para trás achando que tinha alguém nos seguindo, por precaução, e quando olho pra frente, vocês sumiram.- Eu minto.

- Porra! Isso foi um saco.- Mark disse irritado.

- Você está bem?- Jaehyun pergunta segurando meu braço e analisando se eu tinha me ferido no caminho ou não. 

- Estou, só tive que tirar os saltos.- Mostro pra ele os saltos em minhas mãos.

- Que bom.- Ele me encarou. Seu olhar parecia diferente, não sei dizer ao certo. Eu só espero que ele não se apaixone por mim. Não quero me envolver e não posso me envolver desse jeito, seria um caminho arriscado e difícil de se lidar.

- Todos para seus devidos carros. Agora!- Yuta gritou impaciente, me assustando e fazendo eu me despertar dos meus devaneios.

Pelo visto dá pra ser pior sim.

Entramos cada um nos respectivos carros da forma que viemos ao baile. Vejo Yuta com uma cara de poucos amigos, pronto pra matar alguém a qualquer instante. Engulo em seco e olho para a rua, pensando o que ele fará quando chegarmos na mansão.

Um tempo depois, Yuta ordenou que todos fossem se limpar devidamente, pois estávamos encharcados e mandou que fôssemos pra sala de reunião imediatamente, pois ele queria esclarecer algumas coisas.

Não quero nem imaginar o que ele perguntará, mas terei que estar preparada e firme em qualquer momento.

Eu subo rapidamente as escadas e entro no quarto trancando a porta, não quero imprevistos e no momento, estou muito nervosa.

Eu tiro o vestido e deixo em cima da mesa mesmo. Largo o salto em qualquer canto do quarto e vou em direção ao banheiro. Tomo uma ducha rápida, tento secar meus cabelos o máximo que posso e abro meu armário, pegando uma calça de moletom preta, uma blusa cinza e um tênis branco simples. Penteio meus longos cabelos e finalmente respiro fundo, saindo do quarto para a sala de reunião.

Chegando na sala, eu encontro todos em seus lugares, menos o líder. Eu apenas chego em passos calmos e sento em meu lugar, encarando minhas mãos pensando sobre o que ele falaria além do fiasco de hoje.

- Será que ficaremos encrencados?- Johnny diz baixo.

- Provável que não. Fizemos nada de errado.- Taeil comenta.

- Não faz sentido isso, como isso tudo começou?- Jungwoo indaga.

De repente, todos olham pra mim curiosos e desconfiados.

- O que foi?- Falo baixo.

- Por que você nos tirou de lá rapidamente? Você sabe o que aconteceu no saguão?- Taeyong quem menos fala, decidiu dizer algo agora.

- Porque apareceu um funcionário correndo em minha direção, já que eu era a única no corredor, ele disse que estava uma confusão no saguão e que era para eu sair de lá rapidamente. Então para evitar que acontecesse algo com vocês, eu apenas me adiantei e tirei vocês do hotel.- Minto. Não posso dizer que ouvi do ponto eletrônico os gritos e na mesma hora os tirei do quarto.

- Como não ouvimos nada?- Jaehyun indagou.

- Eu que estou surpresa por vocês não terem escutado o homem falar comigo.- Disse fingindo surpresa.

- Você...- Taeyong me encarou por um bom tempo e não terminou sua fala, pois Yuta chegou irritado. Todos se levantaram e ele apenas gesticulou para se assentarem.

- Quero entender algumas coisas que aconteceram hoje e eu exijo respostas, senhorita Matsuoka.- Yuta me encara raivoso.

- Sim, senhor Nakamoto.- Digo me levantando.- O que deseja saber?

- Que porra foi aquela que aconteceu no hotel? Aqueles gritos no saguão, a correria. Eu quero detalhes.- Yuta sentou e pôs o braço na mesa, apoiando a cabeça na mão.

- Nem eu posso te detalhar muito sobre isso, senhor.- Eu falo me mantendo séria.

- Então detalhe o que sabe, Matsuoka. Não quero enrolação, ainda mais que hoje eu teria um acordo muito importante que foi arruinado por essa merda de imprevisto.- Ele disse exasperado.

- Sinto muito por atrapalha-lo, senhor.- Me reverencio. Eu estou tentando o máximo enrolar para inventar desculpas, mas está cada vez mais difícil.

- Tudo bem, apenas diga o que aconteceu. Sabe o motivo daquela correria?- Ele indagou.

- Não.- Falo séria.- Como eu disse para os meninos aqui, um dos funcionários veio correndo ao meu encontro e me dissera que algo aconteceu no saguão. Ele não me especificou nada, apenas disse que estava um completo caos e que eu deveria retirar o máximo de pessoas que eu pudesse do segundo andar.- Dou uma pausa e respiro fundo.- E então, não hesitei em tirá-los do hotel, pois eu preservo a segurança de todos aqui.- Digo por fim. Espero que tenham acreditado.

Um longo silêncio se instalou no local e eu já suava frio de tão tensa que me sentia por dentro. Nem os membros daqui sabiam proferir alguma palavra. Deu pra perceber que quando o líder fica irritado, nem eles eram capazes de dizerem algo.

- Certo.- Yuta disse baixo. Sua franja tampava seus olhos, porque ele encarava apenas a mesa. 

- O que faremos, senhor?- Mark pergunta.

Yuta ergue a cabeça e me encara friamente, me arrepiando da cabeça aos pés.

- Terei que tomar medidas drásticas para que isso não aconteça mais.- Ele disse ainda não tirando os olhos de mim. Suas palavras eram frias e calmas, me fazendo ficar relutante e ansiosa.


Notas Finais


E esse baile gente, chocada com esses acontecimentos de uma vez. Estão gostando???

O Yuta ficou revolts gente, socorroney. O que sera que ele fará hein? Medo

Obrigada por acompanharem! Até a próxima pessoal <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...