História SeeSaw (Park Jisung - NCT) - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Loona, Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Chenle, Choerry, Chuu, Doyoung, GoWon, Haechan, Hansol, HaSeul, HeeJin, HyunJin, Jaehyun, Jaemin, Jeno, JinSoul, Jisung, Johnny, Jungwoo, Kim Lip, Kun, Lucas, Mark, Olivia Hye, Personagens Originais, RenJun, Taeil, Taeyong, Ten, ViVi, Winwin, Yeojin, Yuta, Yves
Tags Jisung, Jisung Park, Loona, Nct, Nct Dream, Romantico, Você
Visualizações 179
Palavras 1.947
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, LGBT, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii crias da minha Life, tudo bem?/


Trago aqui mais um capitulo de SS, e ele está grande. Batam palmas🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏 *pah*


Atingimos mais de 100 fav, palmas novamente 🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏 *pah*
Amoh vcs demais, a cada dia, a vontade de escrever esta história cresce. Espero que continue assim até o fim.


Bom já enrolei demais, vão ler e depois digam o que acharam. Até daqui a pouco crias~ (o´ω`o)ノ

Capítulo 12 - Sem querer.


Continuação...

Vou andando depressa até o meu lugar. Sento-me na cadeira ainda meio tímida, todos da sala acompanham meu passos com os olhos. Isso é um tanto constrangedor.


Ponho somente um livro de romance em cima da mesa, para me distrair enquanto Chen Le não chega, pelo menos eu acho que ele vá chegar. Não sei qual será a aula de hoje, parece que não vamos usar material. Ninguém da sala está com cadernos ou apostilas em cima da mesa.


Começo a ler o livro tentando não ficar com receio por estar sozinha. Depois de uns cinco minutos uma mulher entra pela porta. A mesma está usando um jaleco branco. Deve ser a professora de química! A mesma fala algo para a turma e sai da sala. Provavelmente disse para nós irmos para outra sala.


O pessoal da turma começou a sair ao poucos da sala. Antes de sair também, guardo meu livro na bolsa, e sigo por último atrás de todos até a sala. Paramos em frente a uma porta. A professora abre a porta dando a visão de um laboratório. Várias bancadas distribuídas pela sala em três colunas com 12 bancadas em cada. Isso era dividido em duplas, Chen Le não chegou nessa aula, eu vou ficar sozinha. E aparentemente ninguém quer fazer isso comigo.


Caminho meio cabisbaixa até uma das primeiras bancadas, colocando minha bolsa em um meio que "armário" que tem embaixo dessas bancadas. Ainda meio receosa, fico em pé ao lado da cadeira, igual à todo mundo, esperando a professora parar de anotar algo no quadro negro.


A mulher se vira para a sala quando termina de escrever e rola os olhos por todo mundo.


— Você! — apontou na minha direção. Começou a desgraça.


— E-eu? — gaguejei nervosa com a situação.


— Sim, eu nunca lhe vi por aqui, deve ser nova. Venha se apresentar. — a mesma sai de frente da lousa como se fosse para eu estar lá. Ela quer que eu me apresente? Não, não, não, não!


Vou andando devagar até a frente da sala. Minhas pernas estão tremendo, estou quase para cair no chão. Paro em frente a mesa da professora.


— An-anyeongha-haseyo. — Vamos lá (S/n ) você consegue, vamos lá! — Meu nome é-é, Son (S/n) e sou bra-brasileira.


Antes que eu pudesse falar mais alguma coisa, alguém bate na porta interrompendo a minha fala. Graças à deus!


— Licença, me desculpa Sra. Woom pelo atraso não vai se repetir novamente. — uma menina de cabeça baixa entra pela porta.


— Tudo bem Hyeju, mas me espere no final da aula. — eu escutei, Hyeju, será que é aquela menina do vôlei? A garota levanta a cabeça, fazendo os meus pensamentos estarem corretos.


A Hyeju entra totalmente na sala e fica parada ao meu lado. Quando percebe que sou eu quem está a fazendo companhia ali na frente, abre um sorriso na minha direção. Retribui da mesma forma.


— Bom (S/n), queria te conhecer mais, só que ainda preciso terminar a minha aula. Quem sabe outro dia né? — a professora me olha sugestiva.


— Kamsahabnida? — agradeço meio confusa com o que a moça disse. Ela gargalhou alto.


— Você é engraçada. Ok, ok, Hyeju pode se sentar junto com a Srta. (S/n), podem ir ao seus lugares. — a mulher a minha frente sai do meu campo de visão. Fico parada vendo Hyeju indo até o lugar em que eu estava. — (S/n)?


A professora me chama para a realidade, apontando em direção ao assento em que estava a minha bolsa. A sala toda está com vontade de rir, eu tenho certeza!


— Oh, Ne! — quando disse isso todos riram. Merda!


Fui para o lugar de cabeça baixa pela vergonha. Aish, se o Chen Le estivesse aqui, eu escaparia dessa? Humf, claro que não.


Ao longo da conversa da professora sobre a matéria, a aula ia ficando cada vez mais chata. Eu só queria estar na minha cama nesse momento. Apesar de que não ia adiantar nada, as garotas vão fazer mais barulho do que hoje cedo. Em algum momento, Hyeju me cutuca, fazendo-me assustar de leve. Ela me entrega um papel, quer dizer, um bilhete. Abro o papel e leio o que está escrito baixo. Está em inglês.


" Me espere do lado de fora da sala quando a aula acabar :) "


Sorrio para a menina do meu lado, assentindo positivamente. Pelo menos vou ter uma companhia até o final dessa aula.


Quando menos todos esperavam o sinal avisando que a aula de química havia acabado tocou. Um tumulto de pessoas saíram correndo da sala. É acho que não sou só eu que acho essa aula chata. Guardo meus pertences e saio para esperar a Hyeju do lado de fora da sala, como o combinado. Fico ali durante uns 3 minutos, até a menina de cabelos negros sair. Sorriu novamente, dessa vez parecendo agradecida por eu ter a esperado.


— Ah, achei que tinha ido embora! — ela começa a falar inglês comigo. Será que ela é fluente igual à mim?


— Ah que nada, eu fico agradecida por ter ficado em dupla comigo na aula de química. - sorrio para a morena.


— Tudo bem, quase ninguém faz comigo dupla ou grupo em casos como esse. — explica meio cabisbaixa.


— Por quê? Você é muito legal! — tiro outro sorriso dela. Fofura pura!


— Eu não sei, mas você também é muito legal. — sorri mais ainda. — Amigas? — ergue os braços como se fosse me abraçar.


— Amigas! — nos abraçamos.


Nos separamos quando percebemos que o corredor estava esvaziando. A aula! Já era para estarmos na aula!


— Vamos, eu não quero ter mais um castigo. — sai me puxando pelos corredores da escola.


A sala só tinham alunos. O professor ou professora ainda não chegou. Sorte! Hye e eu fomos até duas mesas perto da janela, Hye se sentou atrás de mim. Eu observava o fluxo de pessoas na sala. Chen Le ainda não chegou. Será que é permitido entrar na terceira aula?


— (S/n), posso passar o intervalo com você? — Hye me cutuca.


— Claro. Será uma boa ter companhia. — sorri para ela.

:-:-:-:-:-:-:-:-:-:-:

Depois de longas três aulas, finalmente o intervalo chegou. Hye e eu guardamos os materiais e saímos dali. Fomos em silêncio até o refeitório da escola. Aqui é muito cheio! Hye apontou pra' uma mesa meio no fundo, fiz um joinha com a mão, como se dissesse "Ótima escolha!".


Fomos até o objeto e nos sentamos lá. Eu preciso comprar um lanche. Mas não sei o que falar. Se a Hye e eu sairmos daqui, alguém pode pegar nossas bolsas.


— Fala assim: " Me dê um sanduíche de peito de peru por favor". Repete agora. — Hye me ajuda a falar o necessário.


— Me de um sandaisse de peitu de fanju. — repeti meio embolada com as palavras.


— Esquece. Eu vou pedir, você quer este mesmo? — assenti e a garota sai da mesa para comprar os lanches no meu lugar.


Enquanto a morena não volta, pego meu livro de romance. Sinto uma presença sentar na mesa no momento em que eu começo a ler. Não olho para a pessoa, deve ser a Hye. A menina me cutuca e eu não olho somente vou conversando.


— Quanto estava o lanche? — dessa vez olho para a menina... — Jisung?


— Noona quanto tempo né? — o mais novo me pergunta.


— An-an tempo? — ai que vergonha. Eu vou ficar lembrando daquele sonho para o resto da minha vida!


— É, tempo. — aponta para o relógio de braço. Ah, ele disse tempo. Não (S/n) ele disse relógio e está apontando porque você é burra, e não entende.


O pior subconsciente que alguém poderia ter é o meu.


— E ai, o hyung não pode vir por conta do machucado de ontem. Parece que ele está sentindo algumas dores, e não vai poder vir. - só assenti a tudo o que ele disse.


— (S/n), voltei com o... — Hye para no meio do caminho quando vê Jisung. — Uau, você por aqui!


— Quem diria que você fosse amiga da minha noona! — Jisung e a morena se comprimentam.


Acho que os dois perceberam a confusão na minha cara. Se entre olharam e voltaram a atenção para mim.


— (S/n) eu e Jisung somos primos de segundo grau. — eu escutei primos?


— Uau! — fico chocada com a "revelação".


— Não somos parecidos, sabemos disso. — Jisung sorri para mim. Que bonitinho ele sorrindo. Claro que ele fica bonito assim de qualquer jeito, mas sorrindo é de matar.


Que pensamentos são esses (S/n)?


— Ah, primos... — sorrio meio desconfiada.


— Noona, Chen Le hyung disse que quer te ver depois que eu for embora da aula. Quer me acompanhar? — olho para Hye sem entender uma palavra que o garoto disse, a não ser Chen Le. Hye parecia surpresa com algo.


— Ele quer que você vá até a casa dele ver o Chen Le. — arregalei os olhos surpresa.


— Não, não posso. — nego várias vezes fazendo o mais novo ficar confuso.


— Por quê não? — ele pergunta.


— É-é, eu não avisei a minha prima, ela vai ficar preocupada. — digo em inglês para que Hye traduza.


— Ah, não tem problema. Quer que eu fale com ela? Só passar o número. — olho para Hye. Quando a menina traduz fico surpresa com a insistência do garoto. Não sabia que os coreanos eram assim.


— Não precisa, eu ligo para ela do meu. Licenciado, vou fazer isso agora que é melhor. — enquanto sua prima traduz o que eu disse, saio dali.


Como eu vou falar para EunJin que vou na casa de um garoto? Não posso dizer que ele faz parte do grupo de Le, se não ela vai querer ur atrás de mim. Convenhamos não será uma das melhores reações né?


Paro de pensar, vejo Jisung se levantar da mesa, talvez me procurando. Ele me viu meio pensativa em veio em minha direção.


— Conseguiu falar com a sua prima? — me lança a pergunta assim que chega ao meu lado.


— Hm. É... I don't speak Korean language. — esse menino só sabe rir da minha cara, num é possível.


— Noona, você é muito engraçada. — começo a ficar emburrada já. Esse pessoal daqui é estranho demais. — Oh, me desculpe te irritei. Vamos para a mesa. — me puxa de volta para o lugar, onde Hye estava sozinha.


— Voltaram, que bom! Não é muito legal ficar sozinha. — Hye começa a conversar comigo. Jisung só tentava entender, igual à mim, quando todos começam a falar em coreano.


Quando Chen Le vai se recuperar e me ajudar nas aulas hein?


— Vamos (S/n), precisamos ir para a sala. Mas antes me espere aqui, eu vou no banheiro. — Ju sai da mesa me deixando sozinha com o Jisung. Me lembra outro dia.


Aquele dia na quadra eu tentava fazer mímica para o smurf entender o que eu queria dizer. Os papéis inverteram. Agora é o Smurf que está tentando fazer algo.


— Esquece só vamos! — novamente ele me puxa pela mão. Fomos até a frente do corredor onde várias pessoas iam devagar até suas salas, mas são muitas, então imagine o tumulto que é?!


O mais novo vai me guiando até o canto do corredor. Quando estávamos no meio de chegar, algum infeliz esbarra em mim, fazendo o meu celular cair. Me abaixo para pegar, e não percebo que Jisung fez o mesmo ato. Quando levantamos nossas cabeças, sem querer elas se bateram, resultando em um selinho.


Encarei Jisung vermelha, o sonho. Num creio que aconteceu na vida real. O garoto a minha frente parece envergonhado igual a eu, mas nem tanto, parece também um pouco relaxado.


Eu dei um selinho no Jisung!

Eu definitivamente vou morrer.


Notas Finais


Bom crias foi isso, espero que tenham gostado do capítulo grande. Deu um pouquinho de trabalho, nada de mais, consegui.

•Kamsahabnida ou 감사합니다, é um agradecimento ou um obrigado, dito mais formalmente para os coreanos.

•komawoyo ou 고마워요, também é um agradecimento, para alguns um pouco informal na hora.


Foi esse o dia, espero que estejam gostando. Comentem o que acharam ok?

Vejo vcs amanhã bbs, até mais crias. ~(^з^)-♡
2Bjs da Omma 💋💋


Perfil: @Giih_armyguinha


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...