História Segredos - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias O Senhor dos Anéis (The Lord of the Rings)
Personagens Legolas, Personagens Originais, Thranduil
Tags Legolas, O Hobbit, Rei Thranduil, Thranduil
Visualizações 54
Palavras 1.063
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 13 - Não fuja


Fanfic / Fanfiction Segredos - Capítulo 13 - Não fuja

Lagoriel despertou sentindo a parte de trás da cabeça doer e latejar, estava de volta ao quarto no topo da montanha, ela gemeu frustrada e cansada seus olhos se encheram de lagrimas, e ela chorou, o sentimento amargo consumindo seu corpo.

- Ele me traiu – ela gemeu, seus olhos doloridos, ela voltou a deitar na cama deixando as lagrimas fluírem em seu rosto, pensando em tudo que aconteceu.

Ela ouviu alguém destrancar a porta, era um soldado com uma bandeja de comida na mão, ela gesticulou para o soldado, como um bom servo ele se aproximou querendo agradar sua rainha.

- Olhe minha cabeça, acho que me machuquei – ela suspirou.

- Sim, senhora – ele respondeu mudando-se para olha-la, a rainha o puxou dando lhe um golpe em seu rosto, o garoto caiu desmaiado.

A porta ainda estava aberta, lentamente a rainha caminhou, com as pontas dos dedos rastreava a parede tentando esconder-se, nas pontas dos pés ela caminhou até sua câmara privada, silenciosamente abriu a porta, não havia ninguém, ela trocou de roupa, vestindo suas calças de couro, pegou sua aljava e sua flecha, uma espada na cintura e uma mochila com coisas que precisaria para ela e o filho. Lagoriel rastejou até o jardim, escondida na varanda ela observou Legolas brincar com Tauriel enquanto uma das servas os olhava, o menino olhou para ela, sorrindo ela levou o dedo aos lábios avisando-o para não fazer barulho, ela chamou o menino que correu até ela.

- Onde você estava nana? – ele sussurrou.

- Não importa – ela sorriu – venha querido, nós vamos viajar, somente nos dois.

Legolas olhou para trás e depois para sua mãe e concordou. A rainha o pegou no colo acomodando em sua cintura, e caminhou entre os corredores evitando os guardas, até chegar aos imensos portões, os dois guardas da frente voltaram para ela com suas espadas em punho.

- Lagoriel – Thranduil chamou.

Ela virou-se para ele, que não estava sozinho, dois guardas estavam ao seu lado, ela apertou Legolas contra seu corpo.

- Se deseja partir, eu não a impedirei – ele disse – mas Legolas ficará comigo, isso não é uma negociação.

A rainha ficou boquiaberta, e respirou um conteúdo antes de voltar a olhar para os portões.

- Nana – Legolas choramingou.

Ela o apertou ainda mais contra o peito esfregando suas costas, ela voltou a olhar para o rei que mantinha um sorriso vitorioso crescendo em seus lábios.

- Nana! – o príncipe chorou apertando o rosto contra o pescoço de sua mãe.

- Está tudo bem, meu amor – ela sussurrou.

Lagoriel deixou sua bolsa e seu arco caírem no chão, e voltou pelo caminho que tinha vindo, seus olhos cheios de lagrimas, Thranduil não iria permitir sua saída. Ela depositou o príncipe sobre a cama, e secou suas lagrimas, e sorriu para reconfortar o garoto.

- Venha – Thranduil chamou da porta.

- Eu te amo querido – ela sussurrou plantando um beijo suave no menino. O rei a agarrou pelo braço, apertando-a com força, ela gemeu com raiva.

- Sua decisão – ele murmurou guiando para o quarto superior.

- Minha decisão? – ela rosnou – você sabe que Legolas é tudo para mim, sabe que eu morreria por ele, que viveria minha eternidade trancada aqui por causa dele!

O rei a deixou dentro do quarto dando lhe uma última olhada.

- Eu o odeio – ela rosnou, sentando-se na cama.

- Eu amo você –

**

Lagoriel apertou o travesseiro contra o corpo, não conseguia entender o que Thranduil pretendia, o por que dizia que a amava se continuava a ficar com Thawel. Alguém abriu a porta novamente, entrando para dentro, dando um passo de cada vez, a rainha fechou os olhos.

- Está pronta para conversar agora? – o rei questionou.

- Me deixe em paz – ela murmurou enterrando o rosto nas almofadas tentando sufocar seu choro.

- Querida – ele suspirou – eu quero explicar.

- Eu não quero ouvir, eu quero partir, só me deixe ir embora – ela gemeu.

- Não! Eu a amo, não posso viver sem você –

- Mas pode viver comigo trancada como um animal! – ela gritou arremessando uma das almofadas nele.

- Lagoriel, se você prometer não fugir... –

- Eu não quero estar com você! Você me deixa infeliz! – ela chorou.

Thranduil sentiu seu próprio ser corromper-se, ele a amava, por mais que tivesse errado, ele a amava, e ouvi-la dizer que ele é o motivo de sua infelicidade era o mesmo que golpeá-lo no coração com uma adaga.

- Eu vou dizer mesmo que você não queira me ouvir – ele suspirou, a rainha mudou-se deitando de costas para ele, o rosto pressionado contra almofada, ele não podia ver seu rosto.

- Eu a conhecia a muito tempo, Thawel era minha melhor amiga – ele suspirou sentando-se na cama.

- Ela disse que era sua amante, pra mim é tudo que eu deveria saber, não quero que conte sobre suas aventuras sexuais –

- Ela não é minha amante, nós ficamos uma vez, eu nem me lembro, estava tão bêbedo que não sei o que fiz –

- Não me importo, nós já estávamos noivos na época, você me traiu e escondeu isso de mim –

- Por favor querida, eu a amo, por isso não te contei, não queria te perder, e depois que você trouxe Tauriel para casa, eu não sabia como reagir, o que fazer, eu não consegui tocar em você sabendo tudo que estava escondendo –

- Pare de chamar de “querida” – ela chorou – eu não quero estar com você, deixe-me sozinha.

- Eu te amo Lagoriel –

- Então por que não me deixa ir? –

- Eu não posso, eu não consigo –

- Prefere me ver infeliz do que se sentir infeliz, e ainda diz que me ama, você não consegue amar nada além de si mesmo – ela chorou – você abandonou sua filha, Tauriel não tem culpa de nada, ela não pediu para nascer e, no entanto, você a deixou, por que é egoísta, e eu não quero mais isso para mim, não quero você perto do meu filho, eu não quero ama-lo.

- Eu espero que possa me perdoar –

- Eu prefiro morrer, a estar com você novamente –

O rei suspirou levantando-se, ele agarrou a maçaneta da porta e virou-se para ela.

- Celebrían foi encontrada – ele disse – os gêmeos a encontraram, ela foi torturada, mas está bem.

- Eu não posso vê-la? – ela questionou.

- Você sabe a resposta –



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...