História Segredos - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Encurralado...


Fanfic / Fanfiction Segredos - Capítulo 4 - Encurralado...

Hamburgo 1960

-O que .... O que você está fazendo?! perguntou Paul em total confusão.

-O que parece que eu estou fazendo? respondeu Brian ao mesmo tempo que ele empurrava o rapaz entre o seu corpo alto e a parede de tijolos do beco.

Paul engoliu a sua saliva.

-Você é um bicha?! Você não parece bicha.

Brian riu como um lobo o encarando.

- Me diga como um bicha se parece? Muitas pessoas me disseram e dizem isso... “ Você não parece um homossexual " Eles me falam como fosse um elogio. Me diga como um homossexual deveria se parecer? Eu deveria carregar uma bolsinha ou usar um cachecol roxo? Não seja ingênuo Paul. Você sabe muito bem como um homossexual parece só precisa se olhar no espelho e olhe para o seu amigo John também do mesmo jeito Paulie.

Paul segurou o seu fôlego.

-O que você quer dizer com isso? Eu não tenho a menor ideia do que você está falando!!

Brian continuava esfregando o membro do Paul através da sua calça, e sem mesmo ele perceber pelo estado agitado da descoberta da sua relação com o John, Brian foi se aproveitando para devagar abrir os botões da calça dele , puxar o zíper para baixo e tentar chegar devagar ao membro do mais novo.

-Você e o seu namorado John, vocês já treparam? Vocês podem enganar os outros rapazes, mais nunca alguém como eu.

-Nós nunca! gritou Paul- Não, não realmente... Nós só...

-Só tocou punheta um com o outro? Foi isso que aconteceu Paul? -Brian riu - Mas eu aposto que vocês querem fazer muito mais não é verdade Paulie? Qual é o medo? Qual dos dois é o covarde? Aposto que é o seu amigo Johnny que é muito medroso pra chegar ao último passo. Só de assistir o seu ato de machão no clube eu desconfiei que ele tem problemas com a sexualidade dele, de deixar de ser como um “verdadeiro” homem, na frente de todo mundo. Já você é muito sensual Paul do jeito que você se move no palco, do jeito que você toca sua guitarra e morde as suas unhas e lábios, Deus aí está um rapaz que gosta de sexo.

Estava muito frio no beco, mas Paul estava suando profusamente. Ele sentiu o homem abrindo o zíper da sua calça, contudo ao mesmo tempo que ele queria que ele parasse, ao mesmo tempo queria que ele continuasse , fazendo de sua cabeça uma grande confusão. Ele não sabia que estava sobre os efeitos da maconha sendo a primeira vez que a usava e mais os efeitos do álcool, das pílulas e da barriga vazia. E também claro dos efeitos sensuais causados por Brian um homem bastante atraente e um amante altamente famoso na putaria, pela sua técnica sexual no mundo homossexual e também no hétero .

Brian chegou perto dele e se esfregou contra ele, arranhado o seus quadris contra os dele de uma maneira forte.

-Você gosta disso, não gosta? O seu namorado, tem medo de fazer isso? Ele é medroso e portanto não te dá o que você quer. Mas eu não tenho esse medo. Sim, eu sou um grande bicha, Paulie. Eu sou um grande homossexual. E eu sei o que eu quero . E eu vou atrás do que eu quero meu lindo.

-Mas... Mas aqueles poemas! - Paul perguntou - Que você escreve. Sobre sexo, todas essas mulheres lindas que você escreve sobre! Como você.... Como?”

-Foi você que assumiu que a maioria eram mulheres. Eu nunca te disse que todos os meus poemas eram sobre mulheres, apesar de ter gostado de umas poucas e vivido com uma por uns anos e escrito poemas para ela e também gosto de ter sexo de vez enquanto com elas. Mas a maioria dos meus poemas que eu escrevo e escrevi são sobre as minhas relações com HOMENS. São sobre ter relações com lindos e atraentes homens. E esses poemas são o que eu sou especialmente famoso e são esses poemas que me fizeram milionário e são os que me fazem ser convidado ao redor do mundo para dar leituras.

-Você lê poemas sobre... Foder outros homens em fronte de uma audiência? - Paul estava tremendo, mas não porquê estava sentindo frio - E você não é preso por isso?

-Oh! No início, eu fui preso, mas agora existe uma revolução sexual rapaz - falou Brian tranquilamente. Isso nunca me desaminou. Eu também fui preso por ter sexo em público e isso nunca me desanimou e me parou também. Nada me para quando eu quero e quando eu vou em busca de alguma coisa que eu desejo. E este é o segredo do meu sucesso.

Brian tinha agora o pau do rapaz em sua mão. Era completamente liso sem nenhum caroço, formado lindamente e para a melhor surpresa era circuncisado, sabendo Brian que a maioria dos europeus não era ao contrário dos americanos que era e ele preferia por causa de higiene.

-Por favor pare com isso qualquer amigo da banda pode vir a me procurar a qualquer momento - implorou Paul.

-Ok! Respondeu Brian , deixando que ele fechasse as calças, mais ao mesmo tempo o puxando pelo o braço, o carregando de volta para a rua principal, onde avistou a sua limusine Mercedes, com o seu motorista particular fornecido pela universidade estacionada do outro lado do clube Kaiserkeller. Abriu a porta do carro, empurrou o Paul e gritou para o motorista, vamos para o meu Hotel.

-Onde você vai!?! perguntou Paul com receio.

-Nós vamos para o meu hotel, claro - Brian explicou.

-Não, você vai pra o seu hotel e eu vou ter que voltar para o clube e tocar de novo com a minha Banda, o intervalo está prestes a terminar logo. E eles já devem estar me procurando!

-Foda-se a Banda, falou Brian. E foda-se o John. Ele teve a chance dele e nunca aproveitou . E eu não vou perder a minha oportunidade. Como eu te disse, este é o segredo do meu sucesso. Eu nunca perco a minha chance de tomar o que eu quero e eu estou começando a acreditar que você vai ser o sujeito dos meus próximos poemas. Talvez você seja a estrela da minha próxima leitura de poesias, nunca fiquei tão empolgado com uma pessoa assim logo de cara.

O pobre do Paul não conseguia dizer sequer uma palavra em todo esse redemoinho que eram os seus pensamentos e as vontades de Brian Kinney, na verdade ele só gostaria não pensar nele ou no John e se enrolar numa cama e ter uma boa noite de sono.

A cabeça de John doía e girava um pouco. Ele sabia que ele tinha bebido em excesso, ele sabia que o problema era que ele tinha misturado cerveja e uísque em quantidades estrondosas. Mas ele não poderia evitar de beber aquele uísque verdadeiro e antigo, poderia ele? Então foda-se.

A banda do Rory e os Hurricanes com o Ringo como Baterista, que tocava no intervalo deles terminaram o seu set e agora era a vez dos Beatles.

-Vamos, vamos rapazes - chamava John - nossa hora de botar pra quebrar com nosso Rock ‘n’ Roll! Paul, dá pra você afinar minha guitarra? Estou um pouco tonto.

John buscou por ele, olhando em volta do clube mas Paul não estava

-Macca!?

Lennon fechou a cara. Ele estava tão acostumado a virar o rosto e encontrar o Paul do seu lado sempre, que isso era tão natural e sagrado e não questionado. Paul sempre esperando por ele em qualquer situação ou lugar. Os dois sempre viveram em cima um do outro desde que eram adolescentes com seus 15 anos, tocando guitarra e compondo músicas, indo aos clubes, as festas, namorando juntos e outra situações íntimas que eles não discutiam muito entre eles.

Mas dessa vez o seu Macca não estava lá...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...