1. Spirit Fanfics >
  2. Segredos >
  3. Perjúrio da Verdade.

História Segredos - Capítulo 10


Escrita por:


Capítulo 10 - Perjúrio da Verdade.


Fanfic / Fanfiction Segredos - Capítulo 10 - Perjúrio da Verdade.

 

As vezes esquecemos que a maior arma que temos é aquela que menos esperamos. Foi assim que Jacqueline foi manipulada. A menina tinha ficado sozinha com a mãe. Marcelo foi até a cafeteria e a deixou ali. Ela estava bem e jogando no celular quando alguém entrou. Um médico de máscara e com os olhos suaves a encarou. Ele carregava nas mãos uma seringa pequena. 

 

M/ Boa noite, Jacque. — Como sabe meu nome? — Indagou ao largar o celular. — Seu pai me contou. — Qual deles? — O Sergio, meu anjinho. — Ah! Você é amigo dele? — Muito amigo. — E veio fazer o que aqui? — Ajudar a tua mãe a acordar, quer me ajudar? — Sério? O que a gente vai fazer? — Indagou animada, ela se levantou e ficou próxima de Giovanna. — A gente vai pegar essa seringa com a ponta com a agulha, cuidado. — Deu na mão dela e mostrou onde ela deveria colocar. — Daí você aperta aqui e isso vai acordar a tua mãe. — Tem certeza? — Sim! Pode confiar. — Isso é estranho, vamo esperar o Celo. — Mas, o Sergio disse que ia resolver as coisas, lembra? — A menina pensou por alguns segundos e concordou. Colocou a adrenalina na mãe sem saber. — Agora, eu vou ir falar com o teu pai! Fica com a mamãe. — Ela concordou e ele saiu rapidamente dali. 

 

Marcelo voltou e tudo aquilo aconteceu. O médico misterioso ficou acompanhando de longe, para assim ver se seu plano teria dado certo, mas ele não contou com uma coisa, crianças podem não ser muito inteligentes de imediato, mas são muito ardilosas. A menina sabia como era a voz dele. Sabia de alguma forma quem era. E ela teve certeza quando ouviu ele falar na tribuna. 

 

P/ Senhor, Zinedine Zidane. — Eu mesmo. — Disse ao arrumar seu terno. Rodrygo carregava um sorriso nos lábios. Clarice estava ao lado de Marcelo, cuidando de Maria. Ele estava feliz por ter uma amiga tão importante agora. Cristiano estava com Dybala ali. Eles estavam apoiando Marcelo, o atacante ainda estava se recuperando da cirurgia, e Dybala estava tendo problemas com o clube, mas que seria resolvidos no tribunal também, afinal, Cuadrado e Douglas estavam sendo acusados de diversos crimes envolvendo o nome de Paulo. Ele teria de responder por isso, não teria como fugir. Além de tudo isso, a ex de Cristiano permanecia na espreita de tudo. 

 

J.V/ Pai. — Disse ao puxar o braço de Marcelo. — O que foi, filha? — Ele se abaixou, pois ela pediu para que ele se aproximasse, colocou a mão na orelha dele e disse o que se lembrava daquele dia. — Tem certeza que era ele, filha? — Aham. — Disse animada. Ela ainda não tinha entendido o que ele fizera, pois a mãe dela de fato acordou, mas não do jeito que deveria. Marcelo tinha acabado de ouvir que a pessoa que pode ter matado Giovanna, era… Zidane?

 

P/ O Senhor e o meu cliente são muito amigos. — Com toda a certeza, nos conhecemos fazem anos. — Então sabe como é a índole dele. — Sim, ele é um pai de família impecável. Nunca faria algo desse tipo. — E como o senhor tem tanta certeza disso. — Bom, quem acompanhou as pastas, sabe que eu estive lá aquela noite, até porque estou passando por um momento complicado de família e ele me acolheu. A esposa dele estava fora para visitar uma irmã que veio de longe a ver. Então, eu sabia do caso dos dois, não negaremos isso. — Prossiga. — Ele me pediu para lhes dar espaço, como eu estou lá de favor, não neguei. Fiquei no quarto mais afastado da casa. — E o que o senhor ouviu? — Assim que ele Indagou isso, Zidane encarou Florentino e alguns segundos depois, a mãe de Vini. — Nada. — Protesto! No depoimento dele, Zidane disse que ouviu diversos gritos vindo do quarto de Florentino. — Aceito, se explique. — Eu ouvi gritos que casais têm, nada demais. — Certo, o senhor apenas ouviu meu cliente com seu companheiro? — Sim, nada além disso. — Sem mais perguntas. 

 

J/ Acusação? Se prontifique. — Rodrygo ficou um tanto apreensivo. A Juíza lia os papéis com atenção. Marcelo encarava Clarice trocando diversas mensagens. Pilar estava igual, mas não parecia suspeito. As duas sempre fizeram isso no tempo livre comum. 

 

P/ Senhor Zidane. — Sim. — O Senhor sabia que o réu acusado tinha um relacionamento extraconjugal e não fez nada a respeito? — Isso não tinha nada a ver comigo. — Sim, mas… há alguns dias atrás o senhor recebeu uma quantia alta na sua conta. — Sim, eu tenho meus negócios. — Que envolvem o senhor Oscar Grau? O CEO do Barcelona? — Sim, nós temos nossos assuntos. — E isso envolve o acobertamento do réu no assassinato de seu amante? — Protesto! — Negado, prossiga. — É verdade que o senhor recebeu uma proposta irrecusável para ir treinar o clube que é o maior rival do seu time atual? — Sim. — Florentino parecia surpreso. — Mas, o senhor recebeu um aumento de Florentino essa semana. — Sim, eu citei que sairia se ele não aumentasse meu salário. — Tem certeza que isso não foi por que você ajudou o seu amigo de longa data a levar o corpo para o local do assassinato e ainda recebeu dinheiro para ficar quieto?  — Eu nunca faria algo tipo. — Você não, mas e ele senhor Zidane? Seu amigo está te colocando em uma posição onde precisa mentir para ajudá-lo! — Protesto. — Onde o senhor pode ir para cadeia por ser cúmplice! — Protesto, excelência! — Senhor promotor. — Retiro. Apenas quero entender o que é proteção para o senhor, é se queimar por um assassino? — Senhor promotor! Pare. — A juíza disse de modo alto ao bater o martelo. A acusação ia sair, mas Zidane pediu um segundo de atenção. 

 

Z.Z/ Eu sei que isso tudo foi um grande perjúrio e eu posso ser preso por isso. — Excelência, a acusação já teve seu momento. — Eu dou mais dois minutos senhor Zidane. — Mas eu vi o Florentino aplicando a seringa no Vinícius. Os dois estavam rindo e conversando como algo normal. E depois eu subi para meu quarto, alguns minutos depois eu desci e encontrei Rodrygo gritando por ajuda e Florentino tinha sumido dali. — Todos ficaram surpresos. — E como pode provar isso? — Rodrygo viu comigo toda aquela cena. — Os dois estavam juntos? — Sim. — Ele disse isso e a Juíza encarou Rodrygo. 

 

J/ Isso é verdade? — Ele assentiu. — Senhores promotores venham até aqui. Senhor Zidane pode descer. Florentino apenas encarou seu amigo de longa data descendo com um sorriso de canto no rosto. Marcelo o acompanhou na saída. 

 

M.V/ Fica aqui filha, o papai já volta. — Jacque assentiu indo ficar com Dybala e Cristiano, ela não gostava de Clarice. Marcelo seguiu Zidane até o banheiro e fechou a porta. Ouviu a risada do treinador ao ir até ele. O lateral não conseguiu confirmar se tinha mais alguém ali, apenas iniciou a conversa ao fechar seus punhos. Zidane apenas ria daquela tentativa de pose superiora. 

 

Z.Z/ O "aborto" te contou o que aconteceu? — Indagou ao o encarar com um olhar vitorioso. — Sabe, Zizou. Eu fiquei sabendo que quem fez aquilo com Vini foi o Rodrygo. — O sorriso antes estampado se desfez. Zidane respirou fundo. Marcelo deu um sorriso de canto e coçou a sua barba recém feita. — A cocaína veio de você. E o estupro, também. — Não pode provar isso. — Disse ao fechar seu paletó. O lateral se viu feliz com isso. — Então, isso aconteceu? Você não negou. — Marcelo disse aquilo em um tom sombrio. Se aproximou e o empurrou até a parede com força, o prendendo ali e rindo da hipocrisia carregada naquele indivíduo. 

 

M.V/ Você matou a minha esposa. — Tecnicamente, foi a Jacqueline. — Disse com deboche e recebeu um soco de esquerda forte o suficiente para o deixar no chão com a boca sangrando. — Você nem nega! — Gritou e ele riu. — Eu recebi um valor alto pra matar aquela sua prostituta! — Se levantou para levar mais socos e os dois começaram a brigar feio. Um barulho os fez parar. Ramos estava dentro de uma das cabines e saiu com os punhos fechados. — Ramos, não! — No tempo disso o capitão foi para cima do técnico com toda a força que podia. Marcelo o puxou para longe de Zidane, Ramos mataria ele sem nem pensar duas vezes.

 

S.R/ Eu não acredito que matou a Gio por conta do valor que Oscar te deu! — Oscar? Foi ele quem me disse o que fazer, Clarice apenas me disse que eu receberia o valor durante essa semana, vindo dele. — Espera. Foi a Clarice que te mandou matar a Giovanna? — Ramos Indagou ao encarar Zidane se limpando. — Sim, ela e Oscar planejaram isso há meses. Cuadrado derrubaria Cristiano. Isco foi mandado por ela com Vázquez pra fuder com a minha vida. — Marcelo não estava acreditando no que acabara de ouvir. 

 

M.V/ Você deveria ter medo de mim, Zidane. — Disse em um tom nada amigável e ele apenas riu, se direcionou apenas para Ramos, assim ignorando Marcelo. Ramos o impediu Marcelo de aproximar de Zidane. 

 

Z.Z/ Eu matei a esposa do Marcelo pra me vingar da Clarice, era o único jeito. Depois, Oscar disse que me pagaria se eu mentisse sobre o Florentino e ainda matasse o Vinícius, assim ele colocaria um dos seus amigos lá de dentro na presidência. — Zidane disse aquilo de forma fria e empurrou os dois para sair. Marcelo encarou Ramos com surpresa e não sabia o que dizer. Mas, soube o que fazer. Afinal, para que serve um celular, não é mesmo? 

 

S.R/ Eu cuido da Clarice. — Não. — O impediu de sair. — Eu vou mandar uma mensagem pro Cris tirar as crianças de lá. Vamos conversar com Cuadrado sobre isso. E o mais importante. Como você sabia que Oscar era o chefe disso tudo? — O elo mais fraco me contou. — Quem? — Marcelo estava com uma raiva imensa. Ramos apenas respirou fundo. — Modrić. — Não é possível! — Disse ao bater com toda a sua força na parede. Ramos apenas aceitou aquilo. 

 

M.V/ Certo. — Se recompôs. — Você fala com Cuadrado sobre De Jong. — De Jong? — Eu o vi no hospital durante a semana da cirurgia do Cris. Ele ficou na espreita de tudo sobre ele, tenho certeza que tá metido nisso. Não fala com a Clarice. Eu tenho certeza que ela não é o centro, é só um pivô. Cadê a Pilar? — Indagou com um tom de acusação. — Não acha que ela faria isso? — Eu já não acho mais porra nenhuma! — Ela tá no tribunal com a… Clarice. — Marcelo apenas riu e puxou Ramos para irem até a saída. Cristiano ficou confuso, mas levou as meninas até Marcelo. 

 

P.D/ Eu não queria dizer nada, mas… o Cuadrado pagou a fiança. — Mas, ela foi negada. — Cris disse e Marcelo encarou Ramos. — É, e o Douglas também. — O que tá acontecendo, Marcelo? — A gente explica no caminho. — Marcelo negou. — Ramos, eu preciso que fique com a Pilar. Cuida das conversas dela com a Clarice. — Ele assentiu e todos foram para fora. 

 

C.A/ Cadê o Marcelo? — Indagou ao ver o zagueiro se sentando ao lado de Pilar. — Ele precisou levar a Maria no médico. Tá tudo bem, a mãe do Cris vai ajudar eles, ela veio passar esse final de semana aqui. — Por que Madrid? — Não sei, Clarice. — Disse com um ríspido e Pilar o encarou com uma cara nada boa. — Me empresta o teu celular Cla? A Pilar deixou o dela no carro e eu ligo pro Marcelo, preciso dizer pra ele que esqueceu uma coisa comigo também. — Ela hesitou ao ver a segunda intenção dele. — Tá sem bateria. Desculpa. — Mas, eu vi você usando agora pouco. — Isco disse ao se sentar ao lado dela. — E tava com a bateria cheia. — Me empresta então, Cla? — Ela ficou em um impasse. Tinha coisas importantes naquele celular. Francisco sabia e queria fazer sua chefe se dar mal, afinal, ele não iria renovar seu contrato. — Sim… — Ela o direcionou até ele, Ramos se levantou rapidamente e pediu a senha para ela. Clarice digitou sem ele ver. — Me mostra, sabe como eu sou, às vezes bloqueio sem perceber. — Ela não queria, mas os três estavam a encarando de forma acusatória. Ela apenas assentiu e mostrou a senha. Ramos foi saindo e esbarrou com uma mulher sem querer. 

 

S.R/ Desculpa, eu tô meio apressado. — Disse e mulher muito bem arrumada negou com a cabeça e esbanjou um sorriso enorme. Ramos sabia quem era, mas precisava fingir que não. Poucos sabiam que ela já fora um dos vários casos de uma noite de  Cristiano.

 

G.R/ Só toma mais cuidado na próxima vez. — Ela acenou para Clarice que retornou isso com uma felicidade explícita. — Tchau, lindo. — Disse ao passar por ele. Estranho, Ramos pensou. 

 

Um celular chave para tudo isso. Georgina na jogada. Marcelo precisava saber disso, Ramos ligou para ele ainda no carro e espelhou o celular de Clarice para ele. 

 

Segredos não param de ser revelados.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...