1. Spirit Fanfics >
  2. Segredos entre garotos - Jikook >
  3. 2 u

História Segredos entre garotos - Jikook - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - 2 u


Jimin era bonito e desde cedo atraíra muito atenção das garotas. Ele seria o típico garoto popular se ele gostasse daquilo. É, mas ele não gostava. Ele era tímido e odiava ser perseguido por suas 'admiradoras'.

Pra ele, não existia nada mais irritante que lidar com confissões de desconhecidas e era por isso que ele nunca namorara, já que nunca se interessara por ninguém o correspondia. Ele também não tinha tantos amigos, mas os que tinha nunca o forçaram a provar sua masculinidade com relacionamentos superficiais. E ele não precisava gastar nenhum neurônio atoa se preocupando com aquilo.

Era inverno ainda e o ano só tinha começado. Jimin já havia se acostumado a vida de idol iniciante e a viver com os outros membros. E gostava até, mesmo que vez ou outra estivesse se desentendendo com eles. Taehyung, que tinha sua mesma idade, era como um irmão gêmeo que ele nunca tivera e Hoseok era praticamente sua segunda mãe. Namjoon, nossa! Namjoon era a sua meta de futuro e o Yoongi era um tio resmungão, mas ainda assim amável. Jin-hyung era um pirralho preso num corpo de adulto, a melhor pessoa do grupo, com certeza.

E também tinha Jungkook, o mais novo. As vezes ele era um neném, outras vezes um moleque irritante. Ele era fofo e sempre tinha a atenção de todo mundo, o príncipezinho. E de todos o membros, ele era o preferido de Jimin.

No começo ele só queria protegê-lo, era um sentimento fraternal tão forte que era com se tivessem realmente nascido da mesma mãe. E Jimin sentia a necessidade demonstrar isso, queria sempre estar com Jungkook e ao redor dele, porque era bom vê-lo sorrir mesmo que fosse fazendo piadas as suas custas. E cada dia que passava aquilo se tornava maior, até que chegou um dia em que Jimin, pela primeira vez, se questionou. Será que ele não estava passando dos limites?

E a partir daí, tudo foi por água abaixo e sua mente se tornou um caos. Ao mesmo tempo que se culpava por querer tanto Jungkook, mais e mais o queria. Ele estava confuso e não havia ninguém em que confiasse o suficiente pra confidenciar seus problemas. Ele estava perdido.

–...Eu adorava jogar tênis quando era mais novo. Ai como eu sinto saudades de pegar numa raquete!– Hoseok comentou ambiguamente e todos ao redor da mesa riram.

–Ué?! achei que você tivesse uma.– Yoongi respondeu com bom humor a piada.

–Ah mas esse jogo se joga em dupla, hyung! Que tal a gente brincar qualquer dia desses, hum? Eu com a sua raquete e você com a minha?– Hoseok provocou e Yoongi forçou uma careta engraçada. Jin e Namjoon não se aguentavam de tanto rir, Jungkook estava rindo da risada dos outros porque não entendia nada assim como Taehyung que franzia o cenho tentando entender a piada e Jimin estava constrangido com aquele assunto. Pensar sobre dois homens fazendo coisas juntos sempre gerara aquele desconforto que lhe apertava o estômago.

–Desculpa, mas eu prefiro basquete.– Yoongi respondeu.

–Eu brinco com você, hyung!– Taehyung se meteu, respondendo ingenuamente e as risadas só aumentaram.

–Hoseok-ah, você não devia falar essas coisas na frente das crianças!– Namjoon advertiu com bom humor e Taehyung fechou a cara, zangado.

–Tudo bem, Taehyung-ah!– Hoseok aproximou a boca a orelha do mais novo e falou mais baixo, mas ainda audível o suficiente pra todos ouvirem. –qualquer dia desses o hyung vai te ensinar umas coisas.

Jimin, do outro lado da mesa estremeceu assim como Taehyung, e desviou o olhar para Jungkook que bebia refrigerante pelo nariz. Riu e sem querer admitiu, ele queria fazer aquilo com Jungkook também.

–Ei, Jimin-ah! Porque você está se vestindo?

Hoseok questionou, meio bêbado depois do jantar, quando eles estavam se preparando pra dormir. –Com um ABS desses você não devia nem ter camisas no seu guarda-roupas!– Ele provocou e riu.

–Pra quê?! Pros tarados quem nem você me assediarem?!– Jimin respondeu.

–Ai você me machucou agora!– Hoseok reclamou sem perder o tom bem humorado. –Eu só acho que o que é bonito merece ser visto...– completou e Jimin sentou na própria cama, pensativo.

–hyung...– ele chamou depois de uns segundos silenciosos. –quando você faz essas piadas... Você... Está só brincando, não é?

–hã?– Hoseok se pôs sentado na própria cama confuso com o tom sério do mais novo.

–...Ou você... Gosta de homens também?– Jimin desentalou e ouviu o hyung ter um acesso de tosse misturado a uma gargalhada.

–TAMBÉM?!?!?!?!– Hoseok gritou com histeria fazendo o mais novo ficar vermelho como uma pimenta.

–N-NÃO FOI ISSO QUE EU QUIS DIZER!!!!– Jimin gritou de volta, cheio de desespero. –Eu quis perguntar se você gostava dos dois lados!– explicou.

–Hurum sei...– o mais velho respondeu desconfiado. –Algum motivo especial pra essa curiosidade?– quis saber e viu Jimin suspirar e perder o olhar num ponto qualquer. Hoseok ajeitou-se e analisou a figura alheia, não precisava pensar muito pra advinhar qual era o problema que estava afetando o mais novo. –Você não precisa se sentir culpado, hum?! A gente cresceu ouvindo que o 'certo' é 'isso', o 'certo' é 'aquilo', é natural se sentir estranho no começo, mas depois que você se aceitar tudo vai ficar mais fácil, você vai ver!– aconselhou.

–HÃ?!– Jimin arregalou os olhos para o mais velho, pronto pra se defender de mais aquela piada, mas o que viu foi o rosto sério, porém amável, de Hoseok lhe encarando com empatia. Ele não estava brincando daquela vez e um choque atingiu Jimin. Hoseok sabia, sabia exatamente pelo que ele estava passando e mentir não adiantaria nada.

–Vai ficar tudo bem, hum?– Hoseok levantou da própria cama pra sentar ao lado do dongseang e lhe segurou o punho cerrado. –A julgar por essa cara de choro, você deve estar gostando de alguém, não é mesmo? Quem é ele? Eu conheço?– apesar da amabilidade nas palavras do mais velho, Jimin não conseguia fazer seus lábios pararem de tremer nem engolir as lágrimas que lhe turvavam a vista. A terrível sensação de ter sido descoberto fazia seu peito doer como se tivesse uma ferida nele. E depois de libertar um dolorido choro, Jimin confidenciou ao hyung como se sentia em relação a Jungkook e como aquela confusão toda lhe machucava. Hoseok em momento algum lhe julgou e lhe encheu de conselhos.

E por dias e dias Jimin pensou sobre o que Hoseok lhe dissera. Já estava começando o verão e ter contado ao hyung seu segredo foi um das melhores coisas que fizera. Com o tempo ele apenas aprendera a conviver consigo mesmo e ter Hoseok pra comentar sobre o físico dos outros garotos era divertido. Ter um crush em Jungkook também não era mais um peso agora e sua consciência estava em paz. Mas é claro, ainda faltava convencer o mais novo a ficar consigo. E depois de várias investidas sem sucesso, lá estava ele fazendo Jungkook lhe prometer de mindinho que não o trairia.

A tarde estava quente, tão quente que a água da banheira, em que estavam submersos, parecia prestes a ferver. As bocas coladas eram inexperientes, mas se encaixavam perfeitamente naquela brincadeira. Jimin escorregou as mãos pelas coxas de Jungkook por baixo d'água, grossas e musculosas, elas lhe aumentavam o tesão. Separou-se do mais novo e olhou, através da água, seu membro teso. Mordeu os lábios, Jungkook já estava excitado aquele ponto?! Riu e envolveu o falo nas palmas pequenas e um onda quente lhe invadiu o estômago quando sentiu a pele macia entre as mãos.

Jungkook soltou um suspiro longo, apreciando os toques do mais velho. Estava ainda constrangido, era estranho estar tão vulnerável a outra pessoa, mas em segundo sequer quis fugir. Ao contrário, queria se afundar mais naquela sensação ardente que o preenchia. E Jimin estava concentrado, salivando. Descobrir o corpo alheio, que era tão igual ao seu, era estranhamente novo e excitante. Ele podia simular todas as sensações do mais novo em si próprio, parecia até mesmo um caminho já percorrido.

–Eu quero te tocar também, Jimin-ah...– a frase inesperada pegou Jimin de surpresa. A voz do mais novo soou grave e arrastada e o fez estremecer inteiro. Jungkook não esperou uma resposta e envolveu seu pau na palma grande. Lhe apertou a cintura com a outra mão e o puxou para mais perto. Jimin sequer podia controlar a respiração, o corpo inteiro sendo tomado por aquela sensação frenética. Jungkook parecia ter um dom natural pra aquilo, ele podia enlouquece-lo apenas com um par de mãos.

Com as bochechas rosadas e a boca sensual entreaberta, deixando escapar por ela gemidos baixinhos, Jimin dava a Jungkook uma visão do céu. O mais bonito dos anjos não devia ser nada comparado àquela beleza que fazia seu pau latejar de tesão. E depois de assisti-lo gozar em sua mão, o puxou ainda mais para perto. E com ele em seu colo e os abdomes colados, voltou a beija-lo na boca. Jimin estava ainda derretido pelo recente ápice, mas sentir o membro alheio latejando contra sua barriga o fazia despertar outra vez e rebolou sem receio os quadris.

Era uma tarde quente de verão na Coreia e todo mundo os olhou torto quando saíram do banheiro, mas distraídos com o novo segredo, eles sequer notaram. E daquele dia em diante aquela 'brincadeira' se tornou um hábito entre eles.

Eles estavam sempre sumindo pra se beijarem por detrás dos armários e pelos banheiros. Era perigoso e viciante, e Jimin mentiria se dissesse que não amava Jungkook. Que não amava aquele sorriso que lhe enrugava o canto dos olhos, o desconcerto dele quando flertava em público pra provocá-lo. Amava as coisas mais simples nele e amava perceber todas as vezes que ele o tratava de maneira diferente e especial. As vezes Jimin até não queria alimentar aquele sentimento, tudo estava tão bem do jeito que estava. Envolver sentimentos só deixaria tudo mais complicado, era o que ele achava.

Mas pra Jungkook as coisas não soavam da mesma forma. Jimin falava sempre e sempre que o amava, mas ele nunca pareceu sincero. Ele lhe entregava completamente o corpo, mas vez sequer lhe mostrava o coração. E ele se sentia dependente de Jimin, o suficiente pro medo de perdê-lo de causar pesadelos. Mas as vezes parecia que ele era o único a 'sentir' ali.

Era abril e os trabalhos estavam ficando cada mais difíceis. Eles estavam sempre ocupados e cada vez menos vezes Jimin o procurava. Ele não parecia mais o mesmo, ele estava sempre exausto e com pressa, sempre pensando em outras coisas. E Jungkook se sentia culpado, impotente diante da distância entre eles. Ele havia enjoado de si? Qual erro tinha cometido? Ele se perguntava e chorava baixinho com seu travesseiro. Por que tudo não podia ser com era antes?!

Já era noite quando eles encerraram o treino. Era um daqueles dias em que eles iam namorar no banheiro, mas pela distância que Jimin mantera de si o dia inteiro, Jungkook já sabia, ele faltaria aquela noite outra vez. E suspirou o vendo sentado do outro lado da sala, as costas contra o espelho e o celular na mão. Ele precisava ir até lá e conversar com ele uma vez por todas e entender o que estava acontecendo, mas como era de praxe, seu corpo não saiu do lugar.

–Vamos pra casa, gente!– Hoseok chamou e todos saíram, mas Jimin continuou lá. Era sua oportunidade de ir chamá-lo e ficar sozinho com ele, mas Taehyung foi mais rápido.

–Podem ir na frente!– ele avisou. –a gente acompanha vocês!– e correu de volta. Jungkook apertou os lábios finos, enfim entendendo o que estava acontecendo. Ele tinha sido feito de trouxa!

(…)

Era quase meia-noite e impaciente Jungkook ainda não tinha conseguido pregar os olhos. Namjoon roncava alto na cama ao lado e pensar sobre o que Jimin e Taehyung estavam fazendo até aquela hora o deixava irritado. Ele não conseguia ainda engolir o fato de que Jimin estava lhe traindo ao mesmo tempo que seu ciúme o fazia listar mil e um motivos pra aquilo ser verdade.

Ele só queria parar de pensar um instante e dormir, apenas isso. E virou outra vez na cama ouvindo a porta ser destrancada, os malditos estavam de volta. Ele ouviu o burburinho de vozes, alguém esbarrando nos móveis e risadas. Com certeza estavam bêbados! Jungkook cobriu as orelhas, não queria ouvir mais nada. Uma porta bateu no começo do corredor, mas um dos passos continuou se aproximando.

Jungkook sentou-se para ouvir melhor, mas o barulho da maçaneta de sua porta sendo girada o fez deitar outra vez. Seu coração acelerou ouvindo os passos se aproximarem de sua cama e cerrou os olhos com força quando o colchão afundou às suas costas. Ele não precisava abrir os olhos ou acender a luz pra saber que era Jimin ali atrás.

–Jungkook-ah...– ele lhe chamou com a voz embolada e rodeou sua cintura com o braço. –Eu queria ter chegado mais cedo...– ele lamentou escorregando a mão por sua barriga, deixando-a descer virilha abaixo pra dentro de sua cueca. –pena que você já dormiu...

–Não precisa se lamentar!– respondeu secamente tirando a mão do mais velho de suas calças. –Eu não ia ser a sua segunda rodada de qualquer jeito!

–hã?– Jimin sentou-se e acendeu o abajur pra poder ver o mais novo e riu de sua carranca fofa. –Do que você está falando?– questionou e Jungkook soltou um riso irônico pelo nariz e revirou os olhos. Ele ainda ia se fazer de sonso?!

–Não precisa inventar nada pra se desculpar, não é como se a gente namorasse de verdade e nada do tipo... O que você faz não é da minha conta, só não me peça pra ficar com você depois de sair com os outros. É nojento!– respondeu se virando na cama e se cobrindo até o pescoço e ouviu Jimin rir a suas costas. Jungkook dando um piti de ciúmes era a coisa mais fofa que já tinha visto na vida.

–Você estava realmente achando que eu e o Taehyung...– Jimin riu outra vez. –Você sabe que eu só tenho olhos pra você, bebê!– ele acariciou os cabelos do mais novo, o olhando ternamente e se surpreendeu ao ouvi-lo soluçar baixinho. –Jungkook-ah! Por você está chorando, meu príncipe?

–Você é um mentiroso!– ele acusou. –Se você não gosta mais de mim, então pare de me enganar! Eu tenho sentimentos sabia?!– Jimin sentiu seu peito apertar. Ver Jungkook chorar lhe partia o coração, mas vê-lo chorar por sua causa o destruía. –Eu sei que o que a gente tem não é pra ser um relacionamento sério, mas... Mas... Eu não consigo lidar com essa insegurança. Você tem sido mais frio ultimamente, mas em vez de me contar o que eu estou fazendo errado, você me isola!– Jungkook soluçou. –Eu odeio isso!

Jimin permaneceu calado. Ele nem tinha argumentos pra se defender. Ele tinha passado aquele tempo todo tentando se proteger e não percebera que estava machucando o homem que amava. E em silêncio mesmo, deitou-se sobre o mais novo e o aconchegou entre os braços.

–Eu... Eu não venho me sentindo bem ultimamente... A pressão está acabando comigo, sabe?! Eu me sinto insuficiente pra tudo e pra todo mundo... É difícil carregar tudo isso sozinho, mas eu não queria estragar nossos bons momentos com a minha melancolia... Me desculpa, Jungkook-ah... Eu tenho te amado mais que tudo a muito tempo, eu sinto muito não ter demostrado do jeito certo...– Jimin confessou e Jungkook se ajeitou dentro do abraço para confortar o mais velho.

–Você devia ter confiado em mim, Jimin-ah... Você é a coisa mais importante na minha vida, eu quero cuidar de você também, porque te ver triste me machuca...– ele beijou os cabelos de Jimin e lhe acariciou a bochecha gordinha. Aquela era a primeira vez que falava de sentimentos com o mais velho e a primeira vez que o olhava nos olhos com tanta firmeza. Ele precisava ser firme naquele momento, claro e sem arrodeios. –Eu te amo, Jimin-ah... Meu Jimin.


Notas Finais


Oneshot hahahaha eu nunca me conformo em deixar as coisas como estão


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...