História Segredos (Kai and Sehun) - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Kai, Sehun
Visualizações 85
Palavras 1.354
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Cross-dresser, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Pra compensar a minha ausência...aqui vai um Hotzinho pra vcs 😊♥️ boa leitura 😘

Capítulo 6 - 06


Fanfic / Fanfiction Segredos (Kai and Sehun) - Capítulo 6 - 06

- s/n ON –

 

 

Abri a porta, torcendo para Jongin estar em casa e para minha sorte, ele estava. Subi as escadas correndo em direção ao quarto. O vi sentado em frente à escrivaninha, letras de música estavam escritas no bloco de notas do computador e um grande fone tampava seus ouvidos. Aproximei-me lentamente, na tentativa de dar um susto nele, mas outra coisa me impediu.

Olhei para a janela no canto do quarto e vi uma pessoa. Mais especificamente uma sombra nos observando, usava uma máscara totalmente preta com olhos esbugalhados. O homem ou a mulher saiu o mais rápido que pôde assim que me viu, deixando-me ali parada. Paralisada. Não fazia a mínima ideia do que estava acontecendo, então suspirei, treinei um sorriso e continuei meu caminho.

Não deixaria que essa coisa, seja lá o que for, destrua minha juventude. Deveria continuar vivendo como se nada daquilo acontecera, não deveria me preocupar.

Coloquei as mãos no ombro de Kai, fazendo-o pular de susto e gritar alto o suficiente para ensurdecer alguém. Comecei a rir e tive de me jogar no chão, já que rindo daquela maneira não conseguiria me manter de pé. Ele mantinha sua mão no peito, tentando se acalmar.

-s/n! ISSO É MALDADE! – Jongin dizia enquanto me levantava do chão.

-Isso jamais vai perder a graça. – Falei, me sentando em seu colo com uma perna de cada lado. – O que estava fazendo?

-O que estou fazendo é trabalho, tenho que escrever essas músicas até mês que vem. Eu e D.O estamos trabalhando nisso. –D.O era um grande amigo dele, os dois eram muito íntimos por causa da amizade duradoura.

-Bom saber, mas será que pode parar um pouco para ficar comigo? – Perguntei, virando levemente a cabeça e sorrindo. Kim sorriu também, fazendo-me ficar com vontade de agarrar suas bochechas e beijá-lo da forma mais apaixonada possível. – Temos alguns assuntos pendentes se é que me entende… Preciso de você.

-Precisa de mim? – Ele começou a massagear minha cintura, sua respiração se misturava com a minha por conta da nossa proximidade. – Pensei em você o dia todo, se consegue me entender… Por que não voltou para a casa ao meio-dia?

-Hm… Acabamos tendo um contra turno, tivemos de ficar mais um tempo na escola para algumas aulas extras, mas isso foi só porque é o primeiro dia de aula. Não vai acontecer mais. – Menti, passando a mão nos seus ombros. – Vamos ao que interessa agora, tudo bem? – Kai sorriu e colocou seus dedos nas minhas costas, empurrando-me para mais perto.

O beijo se iniciou lento, o sentimento enchia aquele quarto. Uma de suas mãos estava entrelaçada na minha e a outra subia e descia pelas minhas costas. A respiração de Jongin estava um pouco pesada, quase não percebi, só notei no momento em que ele disse:

-Não posso te perder, e não vou deixar isso acontecer… Nunca. – Seus olhos estavam fechados, mas abri os meus. Parecia que ele sabia o que estava acontecendo. Parecia que todos sabiam menos eu. Ignorei esse sentimento, voltando para o que realmente era real. Era a certeza que eu tinha naquele momento.

Eu me movia lentamente para frente e para trás, fazendo seu membro ficar um pouco mais ‘’vivo’’ sob mim. Fui a primeira a tirar uma peça de roupa, retirando minha blusa e deixando a mostra meu sutiã preto liso, sem rendas. Por algum motivo, o preferido de Jongin. Ele passou a língua nos lábios enquanto analisava meus seios e o restante do meu corpo. Coloquei minhas mãos nos seus antebraços e beijei a parte nua entre seu pescoço e seu ombro, tendo certeza de deixar claras marcas.

Os amigos dele teriam certeza do que aconteceu. Alguma coisa dentro de mim cresceu, mas não era excitação nem nada disso, não sabia dizer o que era.

Tirei sua camisa e arranhei seu abdômen enquanto suspirava contra a pele sensível do seu pescoço. Ele massageava meus seios levemente e mordia o lóbulo da minha orelha. Suspiros longos e altos escapavam da minha boca, assim como da dele. Com dedos habilidosos, Jongin retirou meu sutiã e posicionou seu rosto em frente deles, pronto para ataca-los.

Sua língua brincava com eles como se fossem velhos amigos, me fazendo ser uma máquina de suspiros sem pausa. Jung não se prendeu muito a minha parte superior, o que realmente interessava para ele era a outra. A de baixo. Com minhas pernas ao redor da sua cintura, kai segurou minhas coxas e nos levou para a cama, me deitando com todo cuidado.

Ele ao menos esperou eu me arrumar, apenas subiu sobre mim e continuou seu trabalho no meu pescoço, usando as mãos para estimular-me por cima da calça. Ainda. Empurrando-o com a mão, nos fiz sentar e assim tirei meu jeans e ele fez o mesmo. Voltando para a posição inicial, fazendo uso de seus dedos Jongin pode perceber o quão molhada já estava minha intimidade. Isso apenas arrancou um sorriso do seu rosto.

-Já? – Falou, respirando pesadamente no meu ombro. Soltei uma risada breve seguida por um gemido causado pelo movimento circular que ele começou em mim.

Usando três dedos, ele movia-os em forma de círculo lentamente em minha intimidade, fazendo-me cravar as unhas em seu ombro e suas costas. Não tomando muito tempo, já que a paciência estava mínima para preliminares, Kim colocou minha calcinha de lado e enfiou dois dos três dedos. O menino entrava e saía de forma rápida e lenta, subindo e descendo. Tudo o que era feito, me fazia gemer cada vez mais alto.

Perto de atingir meu máximo, ele parou e se abaixou, deixando seu rosto na altura do meu sexo. Primeiro respirando pesadamente ali, seus olhos sequer paravam de me observar. Toda e qualquer expressão feita por mim, Jongin veria. Suspirei, apertando seus fios de cabelo com as unhas, ajudando-o nos movimentos com a língua.

Sua língua bateu no meu ponto de prazer máximo, o que me fez gemer tão alto que o pude ouvir a propagação do som no ar. Isso foi o sinal que ele precisava para saber o que fazer, assim Jongin brincava com o ponto G várias e várias vezes de muitas formas diferentes. Meu pescoço já estava começando a doer de tanto ser jogado para trás. Com um gemido que, com certeza, a vizinhança escutou, cheguei ao meu ápice.

-Agora a parte mais divertida… – Jongin disse, tirando sua calça, juntamente com a cueca e colocando uma camisinha.

-Não, espera… – Falei, sem ar algum. – Tenho que fazer você aproveitar também… – Sentei-me na ponta da cama, mas kim não me permitiu levantar.

-Não precisa, seus gemidos já são o paraíso para mim. Só relaxa e me deixa fazer nós dois aproveitarmos ao máximo, tudo bem? Não se preocupe comigo, não hoje. – Ele sorriu de lado, me fazendo deitar de novo e subindo sobre mim.

Sem aviso ou espera alguma, ele me penetrou e começou seus movimentos. Segurei-me em seus ombros enquanto escutava o som da cama batendo contra a parede. Nossos corpos colidiam um com o outro, e nossos gemidos entravam em harmonia e desarmonia. Puxei-o pelos cabelos, juntando nossas bocas uma na outra.

Assim que chegamos, eu e eu, ao máximo, deitamos na cama um ao lado do outro. Derrotados. Meu peito subia e descia e um pouco de suor se criava na minha testa.

-Essa foi rápida, já tivemos melhores. Ele disse, rindo.

-Foi rápida mesmo, quer um segundo round? – Perguntei, sorrindo de forma maliciosa e já subindo para cima do seu peito novamente, porém Jongin apenas passou os braços ao redor de mim e depositou um beijo doce na minha testa.

-Agora não, vamos dormir um pouco. Estou cansado de tanto trabalhar e quero ter um tempo com você, podemos conversar sobre o seu primeiro dia na faculdade não é? – Assenti, beijando seu nariz.

-Vamos dormir um pouco, quando acordarmos, te conto como foram as coisas lá. – Ri um pouco, e fiz nós dois deitarmos em forma de conchinha.

Ficamos em silêncio durante um tempo, pensei que kai já havia dormido. Eu estava quase lá, mas então escuto sua doce e rouca voz de sono no meu ouvido:

-0104.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...