História Seguindo meu próprio caminho - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pokémon
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Amizade, Aventura, Comedia, Drama, Ficção, Heterossexualidade, Homossexualidade, Luta, Mistério, Personagens Originais, Pokémon, Romance, Yaoi, Yuri
Visualizações 106
Palavras 4.028
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Luta, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Esse é um capítulo bem simplesinho, mas fiz de coração.

Boa leitura e espero que gostem!

Capítulo 13 - Capítulo 13: Greenfield


Fanfic / Fanfiction Seguindo meu próprio caminho - Capítulo 13 - Capítulo 13: Greenfield

-Ai – Reclamou Thomas sentindo uma ardência no braço.

-Me desculpe, vou tentar ir com mais calma – Disse a enfermeira.

-Está tudo bem, não se preocupe – Disse Thomas com um sorriso simpático no rosto.

-Já está tudo pronto, o medido já te deu a receita para a pomada cicatrizante? – Perguntou a enfermeira.

-Sim, muito obrigado pela sua ajuda – Falou Thomas com seu sorriso simpático.

-É só o meu trabalho – Falou a jovem enfermeira com um sorriso no rosto – Eu diria “volte sempre”, mas ninguém quer voltar para o hospital.

Thomas deu uma risadinha com o comentário da jovem enfermeira e saiu da sala, o jovem caminhava pelo corredor de paredes brancas e olhava para o seu braço todos cortado. Depois do acontecimento no Bosque Ilex, onde Casey conseguiu capturar o Pokémon mítico Celebi, os jovens foram escoltados pela polícia até Greenfiel, que era uma das cidades que ficava entre Azaléa e Goldenrod e também onde iria acontecer um dos muitos torneios Pokémon de Johto.

O jovem foi até a sala de espera do hospital onde Sara, Anne e Lílac estavam esperando impacientes pelo jovem, ao vê-lo, os três se levantaram rapidamente do sofá branco que estavam sentados. Thomas esboçou um sorriso quando viu que os três pareciam que estavam bastante preocupados.

-Como você está? – Perguntou Lílac.

-Estou bem, por sorte não teve nenhum corte profundo – Dizia Thomas ainda sorrindo tentando mostrar que estava realmente bem.

-Se você não tivesse colocado o braço tentando me proteger isso não teria acontecido – Falou Sara se sentindo culpada.

-E você acha que eu iria deixar minha melhor amiga se machucar? – Falou Thomas.

-Idiota – Disse Sara rindo – E com isso você que se machucou.

-Já falei que está bem – Disse Thomas revirando os olhos.

-Está bem tarde, vou pedir para que o carro da polícia leve os três para o centro Pokémon para descansarem – Disse Anne.

Thomas olhou para relógio e viu que já havia passado de meia noite, havia passado apenas algumas horas desde que tudo aconteceu e graças ao carro da polícia e a ajuda de Anne os jovens percorreram apenas algumas horas de viajem de Azaléa até Greefield que a pé levaria dias. Os três saíram do hospital e foram direto para a farmácia para comprar a pomada cicatrizante e Thomas agradeceu aos céus por seus Pokémon terem vencido Bugys depois que viu o preço da pomada.

O policial levou os três para o centro Pokémon e Lílac foi direto para o balcão da enfermeira Joy enquanto Thomas e Sara foram até um cartaz completamente chamativo que anunciava o torneio que aconteceria na cidade, Sara sorriu os ver a foto da linda fita que o vencedor levaria.

-Está animada? – Perguntou Thomas vendo a expressão empolgada da amiga.

-Eu sei com tudo que aconteceu isso é o de menos com que eu deveria estar me preocupando, mas sim eu estou animada – Respondeu com um sorriso enorme no rosto.

-Vai acontecer daqui a cinco dias – Falou o jovem ao ver a data estampada no cartaz.

-Então ainda tenho cinco dias para deixar tudo perfeito – Falou a jovem.

-Ei, gente – Chamou Lílac – Consegui o quarto, vamos.

O centro Pokémon de Greenfield era quase igual ao da cidade Azaléa, um lugar calmo e simples, enfeitado com algumas flores e não era grande como os das cidades grandes, mas alguns detalhes do lugar eram feitos de cristais, como alguns enfeites na sala de espera e no corredor que levava para o quarto.

Quando Lílac abriu a porta do quarto em que havia conseguido os três viram era um quarto simples, uma janela, três camas com uma cabeceira em cada lado da cama e tinha uma porta que dava para o banheiro. Os três entraram e já se jogaram nas camas, Lílac ficou com a cama mais perto da porta, Thomas com a do meio e Sara com a cama perto da janela.

Lílac mexeu em seus bolsos e pegou a duas pokébolas, uma o jovem liberou seu Misdreavus, que flutuava pelo quarto alegre, e a outra o jovem apenas ficou olhando meio ressentido.

-Seu Misdreavus é tão lindinho – Disse Sara vendo o Pokémon alegre.

-Obrigado, Misdreavus está comigo desde os dez anos – Falou o jovem – Estamos juntos a sete anos.

-Você tem dezessete anos? – Perguntou Sara surpresa.

-Sim – Respondeu com um sorriso envergonhado.

-Pensei que tinha mais – Falou Sara.

-Meus 1,71 fazem com que eu aparente ter um pouco mais – Disse o jovem envergonhado.

Sara olhou para Thomas e viu que o jovem estava bastante quieto olhando para os cortes de seu braço. Thomas estava completamente preso em seus pensamentos, tudo que vinha em sua mente era o que havia acontecido a algumas horas atrás, o pouco de dor que sentia nos cortes de seus braços era o de menos com que se preocupar. Casey estava com um Pokémon que mostrou ser muito poderoso com aquele dispositivo que a garota havia colocado em Celebi e o que ela poderia fazer com aquele tipo de poder era o que preocupava ainda mais o jovem. Logo seus pensamentos mudaram e agora o jovem estava de olhos fechados e com uma das mãos em volta do pescoço se lembrando de que quase morreu asfixiado umas duas vezes.

-Thomas – Chamou Sara cutucando o amigo.

-Oi – Respondeu meio disperso.

-Está tudo bem contigo? – Pergunto Sara.

-Sim, estou bem – Falou forçando um sorriso – Vou tomar um banho e depois vou passar a pomada nos cortes.

O jovem pegou sua mochila e foi direto para o banheiro, Sara e Lílac se olharam e mesmo estando pouco tempo com os jovens o rapaz de cabelos roxos sabia que Thomas não estava nada bem. Depois que Thomas havia tomado banho e colocado sua roupa de dormir Sara havia ido logo em seguida e quando terminou Lílac entrou por último, os três se deitaram em suas camas fofinhas e quentinhas e rapidamente pegaram no sono.

 

Quartel General da Equipe Rocket

 

Casey havia acabado de descer do jatinho particular da Equipe Rocket ao lado do Pokémon mítico Celebi, a jovem caminhava pelos corredores com um olhar e caminhar superior enquanto Celebi voava ao seu lado, todos estavam espantados e surpresos com o que estava diante de seus olhos.

-Como será que ela conseguiu – Cochichou alguém.

-Não é à toa que ela é a melhor nesse lugar – Cochichou outra pessoa.

Casey ouvia os comentários e apenas esboçava um sorriso, a jovem era considerada a melhor no integrante da Equipe Rocket, desde que havia desistido de ser uma forte treinadora Pokémon fazer parte daquela organização ela o seu sonho. A jovem de olhos coloridos continuava andando pelos corredores até que parou em frente a uma porta e em seguida bateu umas duas vezes.

Uma mulher de terninho e uma saia preta que dava até seus joelhos abriu a porta com um cara meio azeda e ficou surpresa ao ver o pequeno Pokémon verde a lado de Casey. A jovem entrou na pequena sala sem ser convidada e se encaminhou até outra porta, a mulher rapidamente sentou em sua cadeira, pegou o telefone e digitou alguns números. Depois de alguns segundos alguém havia atendido e a mulher cochichou algumas palavras e fez um sim para Casey entrar.

Casey colocou a mão na maçaneta, virou e empurrou a porta abrindo-a, a jovem ergueu a cabeça e entrou na sala, o lugar era completamente diferente do que a sala que estava antes. O local era enorme com vários livros, pinturas que pareciam ser extremamente caras, vasos de porcelana, o piso era de mármore e no final da sala havia uma grande mesa de madeira e atrás da mesa estava o chefe daquilo tudo, o dono e mente de toda aquela organização.

O homem estava virado para a parede vidro e apreciava a linda vista que aquele lugar tinha, Casey se aproximou um pouco mais e se sentou em uma das poltronas que eram bastante confortáveis.

-Então você conseguiu? – A voz no homem era grossa e firme com um tom autoritário que poderia fazer qualquer um ter medo, mas Casey estava com uma cara séria e fria como se estivesse entediada de estar ali.

-Claro – Falou Casey – O Pokémon mítico Celebi agora está aos nossos comandos.

-Muito bom Casey – Dizia o homem – Sabe, você tem um grande futuro pela frente aqui na Equipe Rocket e talvez se tudo der certo tenho certeza que colocarei você para ser meu braço direto quando controlarmos e limparmos toda essa região.

-Sim senhor – Disse a garota em um tom firme.

-Entregue o Pokémon na sala de troféus e vá fazer aquelas coisas malucas e doentias que você adora fazer e fique atenta para a próxima missão.

Casey segurou firme o braço da poltrona e respondeu um simples “sim senhor” a garota odiava quando alguém a chamava de louco e toda vez que era chamada por aquele nome ou algo do tipo uma grande raiva crescia dentro de si, mas naquele momento ela sabia que não poderia revidar da maneira que queria.

A garota se levantou enquanto o Pokémon a seguia e logo estava novamente pelos corredores indo em direção a sala de troféus. A sala era chamada daquele nome pois ela ali que ficava os Pokémon ou artefatos preciosos ou de muito valor financeiro. Casey entrou na sala e deu o dispositivo que controlava o Celebi para um dos soldados que eram encarregados daquele lugar.

Quando saiu a jovem respirou fundo e foi direto para seu quanto, chegando no lugar revirou os olhos e bufou ao ver a pessoa que estava sentada com os pés em cima de sua cama, a jovem entrou quarto e empurrou os pés da pessoa fazendo-a rir.

-O que quer? – Perguntou Casey.

-Nada, estava com saudades da minha irmãzinha – Disse o rapaz.

-Desde quando você sente alguma coisa? – Perguntou Casey sendo sarcástica.

-Desde sempre, você é minha irmã preferida.

-Eu sou sua única irmã – Falou olhando sério para o garoto.

-E é por isso que você é minha preferida, mas eu só queria saber se você está viva. Que tipo de irmão mais velho eu seria se não me preocupasse com você.

-Eu estou bem e estou viva, agora pode ir embora – Falou apontando para porta.

-Na verdade eu preciso de um favor seu.

-Claro, por qual motivo você viria até aqui? – Falou em deboche.

-Eu preciso que você volte ao manicômio de Ecruteak – Falou o rapaz em um tom sério.

Casey olhou com os olhos arregalados para o irmão e o mesmo não parecia se incomodar com o olhar da garota. Casey olhou para suas mãos e viu que as mesmas estavam tremendo, fechou os olhos e aos mesmo tempo fechou os punhos como se fosse socar alguém, respirou fundo e quando abriu os olhos novamente sua tremedeira raiva haviam sumido.

-Eu nunca vou voltar naquele lugar – Falou a jovem.

-Eu preciso saber onde ele colocou meu Gengar, preciso do meu Pokémon de volta – Falou o rapaz com raiva nos olhos.

-Pegue outro Gengar então – Disse Casey como se não ligasse.

-Não! – Gritou o rapaz.

-Então arranje outro jeito porque eu nunca mais quero voltar naquele lugar de novo – Os olhos de Casey começaram e se encherem de lágrimas, mas nenhuma escorria pelo seu rosto.

-Fraca, não acredito que ainda tem medo daquele lugar – Falou o rapaz se levantando e indo até a porta.

-Todo mundo tem seus medos e seus demônios que precisam carregar pelo resto da vida – Falou Casey vendo irmão ir até a porta – Não haja como se não tivesse um.

O garoto saiu do quarto deixando a irmã sozinha, Casey fechou a porta e se encostou na mesma deslizando até sentar no chão. A jovem junto os joelhos e pôs sua testa entre eles e começou a chorar como uma criancinha sozinha, sentia seu peito doer enquanto as lembranças tomavam conta de sua mente.

 

Greefield

 

No dia seguinte todos acordaram cedo e um por um foram fazer sua higiene matinal, quando terminaram os três sentaram em suas camas sem tirar a roupa de dormir. Nenhum dos três realmente queria sair da cama, a cidade tinha uma calmaria e tinha uma energia maravilhosa. Sara e Thomas pegaram suas pokébolas e soltaram seus Pokémon, Totodile se aconchegou ao lado de sua treinadora, Wooper pulou no chão e começou a correr em círculos, Chikorita se aconchegou na cama no lado em que batia sol e começou a toma seu banho de sol, Phanpy andava meio desengonçado na cama enquanto Cyndaquil o observava.

-Equipe interessante a sua – Disse Lílac observando cada Pokémon de Thomas.

-É – Falou dando um risinho – Cada um tem sua personalidade, mas são especiais pra mim.

-Gente, precisamos nos arrumar imediatamente – Disse Sara se levantando e indo até o banheiro com algumas roupas.

-Mas porquê? – Perguntou Thomas.

A jovem não respondeu, Thomas olhou para cara de Lílac sem entender nada e o jovem de cabelos roxos fez o mesmo. Quando Sara saiu do banheiro e a visão era completamente diferente de quando estava de pijama, a jovem estava usando uma blusinha de manga comprida preta, uma saia branca que ia até metade de suas coxas e seu all stars branco e seus cabelos castanhos um poucos cacheados estavam lindos.

-Para onde você vai toda arrumadinha? – Perguntou Thomas.

-Você não, nós – Falou a jovem indo até a mochila de Thomas e pegando algumas roupas – Está tendo um encontrinho entre os coordenadores aqui na cidade.

-Encontrinho? – Perguntou Thomas.

-Sim, os coordenadores se encontram em algum lugar e se conhecem – Falava a jovem enquanto encontrava alguma roupa – É uma ótima maneira de conhecer seus competidores e até receber umas dicas dos mais experientes – Falou jogando uma roupa para o jovem.

Thomas nem pensou em discutir com a amiga, se levantou da cama, pegou a roupa e foi direto para o banheiro trocar de roupa. Depois de alguns minutos o jovem já estava pronto e usando uma camisa preta simples, calça preta um pouco apertada, um casaco azul escuro que Sara havia dito para deixar aberto e seu all stars preto.

Logo em seguida Sara estava empurrando Lílac para entrar no banheiro e se arrumar, quando o jovem saiu estava usando uma camisa bege, calça jeans, um casaco roxo e tênis preto. Sara batel palminhas com o look que o garoto sozinho havia escolhido e que o havia deixado lindo.

-Agora cada um escolher um Pokémon para podermos ir – Disse Sara.

-Que tal você Cyndaquil? – Perguntou Thomas para o Pokémon.

-Cynda – Disse o Pokémon fazendo um leve sim com a cabeça.

Thomas retornou seus outros Pokémon e pegou seus documentos e pokédex e Sara fez o mesmo. Os três saíram do quarto e foram direto para o balcão da enfermeira Joy onde se inscreveram para o torneio, Sara parecia ainda mais animada com aquilo. Logo em seguida conseguiram o endereço do tal local onde estava ocorrendo esse encontro o rapidamente pediram um táxi.

Depois de uns vinte minutos os três desceram e ficaram boquiabertos com o local onde estava ocorrendo o tal encontro, uma mansão enorme com vários detalhes de cristais estava agora diante dos olhos dos jovens. Um senhor de terno e luvas brancas se aproximou dos três com um ar superior.

-Os senhores e a senhorita vieram para o encontro dos coordenadores? – Perguntou um senhor de terno que estava do lado de fora.

-Sim...senhor?! – Falou Thomas.

-Poderiam me entregar os passes de coordenadores?

-Claro – Falou Sara.

Sara e Thomas entregaram seus passes para o senhor e o mesmo pegou uma maquininha verificando se eram passes legítimos. Depois da verificação o senhor os entregou e Sara havia dito que Lílac era um convidado e o jovem logo recebeu um crachá com seu nome para colar em sua camisa. Os três junto de seus Pokémon entraram quando as portas foram abertas, a recepção do lugar era linda, piso de mármore, esculturas de cristais, tapetes e cortinas vermelhas e móveis que só de olhar já dava para saber que eram os olhos da cara. Aquele lugar era lindo e bem mais sofisticado do que o hotel da cidade Violeta de quando Sara teve sua batalha contra Lola.

Os três foram até o balcão onde tinha vários recepcionistas mexendo nos computadores, Sara perguntou onde iria acontecer o encontro e logo uma gentil moça indicou o local. Os três caminhavam encantados com cada coisa que via, até os Pokémon pareciam surpresos com a beleza da mansão.

-Isso aqui é um hotel ou uma mansão? – Cochichou Lílac.

-Eu não sei, mas é lindo – Disse Sara maravilhada com o lugar.

Os jovens pararam quando viram uma grande sala com mais coisas de cristais, mas dessa vez o tapete era amarelo ouro, havia uma mesa de comidas deliciosas e com uma apresentação linda e todos que estavam no local estavam deslumbrantes vestindo vestidos e ternos caríssimos.

-Agora eu estou morrendo de vergonha de ter vestido essa roupa – Disse Thomas vendo a aparência de todos.

-E eu pensando se isso vai ser uma boa ideia – Disse Sara com medo de entrar na sala.

-Será que ainda dá tempo de ir embora? – Falou Thomas.

-Não sejam bobos, esse vai ser o mundo de vocês quando começaram a ganhar torneios – Falou Lílac.

Sara e Thomas se olharam sabendo que Lílac tinha razão, o mundo dos torneios era algo glamoroso, chique e muito caro, e se pretendiam vencer os concursos Pokémon aquele mundo seria o mundo deles por muito tempo. Os dois respiraram fundo e estraram sendo seguido por Lílac, os Pokémon Totodile e Cyndaquil pareciam que também estavam bem acanhados depois de verem os outro Pokémon com joias, alguns acessórios e pelos brilhando.

-E agora? – Cochichou Thomas para Sara.

-Eu não sei – Disse Sara.

Os três estavam recebendo olhares não muito amigáveis, várias pessoas começaram a cochichar e soltar risinhos enquanto olhava para os três. Sara, Thomas, Lílac e seus Pokémon pararam quando chegaram perto da mesa de doces. As atenções dos três foram roubadas quando um Politoed apareceu do lado de Sara com uma gravatinha azul batendo palmas alegremente e se escondendo atrás dele um Pokémon pequeno humanoide que media uns quarenta centímetros e que se assemelha a um bebê, tinha cabelos loiros que atingiam os ombrinhos com algumas mechas de cabelo que ficavam acima de sua cabeça, sua pele era cor de roxa enquanto seu busto tinha uma cor creme, possuía grandes olhos azul-verde e um par grande de lábios cor-de-rosa. Sara se abaixou um pouco apontando sua pokédex para o Pokémon.

Pokédex: Smoochum, o Pokémon Beijo. Os lábios de Smoochum são bastante sensíveis, então os usa primeiro para investigar objetos.

-Que coisa mais lindinha – Disse Sara deixando a Pokémon envergonhada.

Enquanto Sara estava encantada com a fofura tremenda de Smoochum, Thomas estava completamente admirado pelo Politoed que batia palmas alegremente já que aquele era um dos seus Pokémon preferidos.

-Politoed, já disse para não sair de perto de mim desse jeito – Dizia uma jovem de grandes cabelos azuis.

Sara ficou surpresa ao ver aquele rosto conhecido novamente, aqueles logos cabelos azuis presos em uma maria Chiquinha não mais iriam sair de sua mente depois de tela ajudado a se recompor depois da derrota que deve.

-Akemi! – Falou Sara animada em ver a jovem.

-Sara, que bom te rever – Disse Akemi abraçando a jovem – Já um tempo que não lhe vejo, como estão indo as coisas?

-Está tudo bem, vou participar do torneio aqui da cidade e estou bem animada – Disse Sara.

-Já estou ansiosa para ver a sua apresentação – Disse Akemi.

-Deixa eu te apresentar meus amigos, esse é o Lílac – Falou mostrando o jovem de cabelos roxos – E esse aqui é o Thomas – Disse apontando para o amigo que estava com um olhar brilhante o Politoed.

-É melhor ele pare de olhar assim para o Politoed ou ele vai ficar batendo palmas o dia todos – Disse Akemi dando um risinho – Ele adora atenção.

-Thomas também vai se apresentar no torneio – Disse Sara.

-Que incrível, adoro um pouco de rivalidade amigável – Disse Akemi – Isso me lembra que tenho que procurar alguém, Smoochum deve estar cm saudades de sua treinadora.

-Moochu, smoochum – Disse a Pokémon fazendo um sim com a cabeça.

-Vamos encontra-la minha querida – Disse Akemi dando um sorriso para a Pokémon.

-Ai está você – Smoochum saiu de trás de Politoed e correu para os braços de uma bela jovem.

A jovem tinha uma pele rosada, seus cabelos eram platinados e longos presos em um rabo de cavalo e tinha uma franjinha que cobria um pouco sua testa, seus olhos eram cinzas meios azulados, estava usando um lindo vestido azul claro que ia até a metade de suas coxas, um cinto cinza que apertava um pouco sua cinturinha fina, botas cinzas claras e um casaquinho azul claro como seu vestido.

-Como vai princesa – Disse Akemi fazendo reverência.

-Idiota – Disse a garota de cabelos platinados com um olhar frio e sem vida.

-Não liguem pra essa daqui – Disse Akemi apontando para garota de cabelos platinados – Ela tem esse olhar que pode te congelar, mas é a pessoa mais incrível e maravilhosa que vocês vão conhecer.

-Cuidado que eles podem acreditar nisso – Disse a jovem sem mostrar nenhuma emoção.

-Essa daqui é a Ice – Disse Akemi apresentando sua amiga – Esses são Sara, Thomas e Lílac.

-É um prazer conhecê-los – Disse a jovem de uma maneira meiga, mas sem demonstrar emoção.

-Ice é chamada de princesa de gelo – Disse Akemi – Ela só usa os Pokémon de gelo nos palcos e já tem três fitas.

-Obrigada pela apresentação – Disse Ice.

-Ela também mora em Mahogany e é filha do líder de ginásio Pryce – Disse Akemi com uma voz de aprentador de televisão.

-Odeio quando você fala do meu pai – Falou Ice revirando os olhos.

-Ela odeia esse ser a sombra do pai – Cochichou Akemi.

-Eu te entendo – Disse Thomas.

-Interessante – Disse Akemi apertando os olhos – Quem é o membro de sua família que é uma estrela?

-Sou um Lake – Disse Thomas.

Akemi e Ice arregalaram os olhos ao ouviram o nome, Thomas olhou para o lugar e viu que algumas pessoas estavam o observado depois de ouviram o que o jovem havia dito.

-Uau, sua mãe é tipo a rainha dos torneios – Disse Akemi – Mas não somos nossos pais e estamos aqui para seguir nosso próprio caminho.

-Obrigado – Disse Thomas meio acanhado.

-Já está sabendo sobre a Lola? – Perguntou Ice.

-Me conta, qual o babado? – Disse Akemi animada para saber da fofoca.

-Ela vai participar esse torneio – Falou Ice – Ela está hospedada aqui e pagou o quarto mais caro.

-Ela é Lola Star não é mesmo?! – Falou Akemi revirando os olhos.

A conversa havia sido interrompida quando uma mulher chamou a atenção de todos batendo uma um talher em um copo de vidro, todos os olharam foram para ela no mesmo instando e vários pessoas comentavam o lindo vestido branco que ela estava usando.

-Bom dia a todos, agradeço a cada um que está aqui nesse momento – Dizia a mulher – Esse pequeno evento serve para que todos os participantes possam se conhecer melhor, trocar ideias de apresentações e melhorarem como coordenadores e com seres humanos, estou animada em apresentar o concurso que irá acontecer em alguns dias nessa linda cidade repleta de beleza e serenidade, então boa sorte a todos e deem o melhor de vocês e seus Pokémon.

Todos aplaudiram e bela mulher após suas lindas palavras, Akemi e Ice voltaram a atenção aos jovens e viram que os mesmos estavam confusos tentando saber quem era a mulher.

-Aquela é Cecilian – Disse Akemi – Ela diz que é “sócial” do Sr.Contesta – Falou fazendo aspas – Mas todo mundo sabe que ela dorme com ele.

-Ela uma das organizados e juízas dos concursos aqui em Johto – Disse Ice.

Todos pareciam estar se divertindo, quando o encontro acabou os três amigos pegaram um táxi novamente para o centro Pokémon e quando chegaram foram direto para o quarto trocarem e colocarem uma roupa mais confortável. Sara desceu até a ala dos monitores para poder ligar para sua avó já que não falava com ela havia um mês inteiro.

A jovem digitou número de sua casa e ficou um pouco impaciente quanto ninguém parecia atender, mas logo sentiu um alívio e ao mesmo tempo surpresa ao ver quem estava do outro lado.

-Sam? – Falou a jovem surpresa.


Notas Finais


Críticas, opiniões e idéias são sempre bem vindas <3
Comentem!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...