História Seguindo o Jogo - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Álvaro Morata, Ángel Di María, Bastian Schweinsteiger, Cristiano Ronaldo, Fábio Coentrão, Francisco "Isco" Suárez, Gareth Bale, Sergio Ramos, Toni Kroos
Personagens Álvaro Morata, Ángel Di María, Bastian Schweinsteiger, Cristiano Ronaldo, Fábio Coentrão, Francisco Román Alarcón Suárez, Gareth Bale, Personagens Originais, Sergio Ramos, Toni Kroos
Visualizações 155
Palavras 2.309
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Esporte, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oii 😍😍
Esperando pelo dia que eu vou postar no dia certo...
Enfim, obrigada pelos comentários do capítulo anterior, acho que respondi todo mundo.

Sobre a capa do capítulo eu fiz uma pergunta pro Toni Kroobras "Quem é vacilão?"

Capítulo 11 - WC2014


Fanfic / Fanfiction Seguindo o Jogo - Capítulo 11 - WC2014

Estamos embarcando para o Brasil, finalmente a Copa do Mundo chegou e a minha empolgação era muito grande, desde 2006 eu não participava do evento, seria maravilhoso estar lá mais uma vez, claro que estaria torcendo pelo meu país, porém não deixarei de apoiar a Espanha de Sérgio, mesmo sabendo que eles não seriam campeões outra vez, afinal esse bi campeonato seguido apenas o Brasil tinha conseguido realizar.

Pelas coincidências que circulavam pelo meio do futebol estou crente de que vamos conseguir o tetra. Vamos aos fatos: tanto o Brasil quanto a Itália conseguiram o título do tetra exatos 24 anos depois de conseguirem seu tri, e como nosso tri foi em 1990 estou me apegando nessa hipótese, além do mais os rapazes já bateram tanto na trave nas últimas edições que eles merecem sim ganhar esse título. Havia também os lados negativos, nenhuma seleção europeia havia ganho títulos jogando no Continente Americano e tínhamos também o Brasil jogando em casa com toda a torcida a seu favor, porém isso não me deixava preocupada, tinha esperança que ganharíamos, já que o Brasil havia ganho a Copa das Confederações e todos nós sabemos que seleção que ganha esse evento não ganha a Copa no ano seguinte, eu confiava muito que nosso elenco estava maravilhoso, estou bem iludida com o título.

Infelizmente estou indo para Curitiba, é onde a seleção espanhola vai ficar durante seu período no Brasil, os alemães ficaram em Santo André, um povoado pequeno no estado da Bahia, foi isso que Bastian tinha me falado, queria muito estar lá com eles, estar entre os meus, era estranho ficar os espanhóis, as esposas e namoradas pareciam me deixar um pouco excluída delas, já entre as alemãs era diferente, me sentia acolhida.

Apesar disso os rapazes que eu mais gostava na Espanha faziam questão de tentar me inserir entre suas companheiras, mas a única que me dava espaço era a namorada do Casi, ela é um doce de pessoa.

Já estávamos no Brasil há alguns dias, aqui é um pouco frio, me disseram que é a capital mais fria do país, a cidade é linda estava aproveitando bastante enquanto Sérgio estava nos treinos ou jogando em algum outro lugar. Sarah me disse que onde ela estava era muito quente, mas muito lindo e que ela e minhas outras colegas estavam sentindo minha falta lá, queria estar com elas.

A última partida da fase de grupos acontecia e a Espanha ainda não estava classificada e dependia de resultados, afinal estar em terceiro lugar no grupo era uma situação muito delicada, estava confiante que eles poderiam seguir à diante, mas Sérgio me dizia que não achava que conseguiriam, inclusive já tinha até me dito para conversar com a delegação alemã para saber se poderia ficar lá com Leon até que eles retornassem, felizmente me permitiram tal coisa, e estava esperançosa quanto a ir para lá, mesmo que isso implicasse que a Espanha estaria fora da competição.

- Meu amor, tem certeza que não quer que eu volte com você? – Pergunto mais uma vez após a eliminação.

- Tenho, é a sua seleção, quero que você esteja presente nos próximos jogos.

- Obrigada Sér, é tão importante pra mim.

- Mas eu fico louco em pensar que você vai ficar mais perto dele do que de mim.

- Ele é apenas mais um jogador do meu país. – Dou um beijo nele. – Eu amo você.

- Só tenho medo que ele possa tentar fazer alguma coisa com vocês dois.

- Ele não seria louco. – Dou um sorriso pra ele. – Além do mais o Bastian e o Lukas estão lá, eles não deixariam ele tentar qualquer coisa.

- E isso me deixa um pouco mais tranquilo. – Ele fica me encarando. – Promete que não vai deixar ele ficar perto do nosso filho?

- Prometo meu anjo.

Realmente Sarah estava certa, aqui faz muito calor mesmo, mas é muito gostoso, as pessoas da região são hospitaleiras e bastante espirituosas, diferente de onde estava com a Espanha me lembraram bastante meu povo.

- Aaaah eu ainda não tô acreditando que você realmente veio. – Lisa Müller correu para me abraçar. – Gretta ele tá lindo e enorme! – Ela diz pegando Leon no colo.

- Nem eu tô acreditando ainda! Eu fiquei o voo inteiro pensando em como seria quando chegasse, mas não podia esperar uma recepção melhor. – Abracei Sarah, Bastian e Poldi que também estavam ali. – Cadê o Thomas?

- Correndo na praia com o Götze e o ... – Poldi corta a frase no ar, mas entendo bem o recado.

- Quando ele voltar quero dá um super abraço nele. – Digo.

- Vem, você vai ficar no quarto com a gente. – Sarah diz praticamente saltitando ao meu lado e eu sigo ela juntamente com Lisa. – Agora que estamos sozinhas posso falar. – Ela olha ao redor. – Graças a Deus que a Monika não tá aqui com gente!

- Nem fala!! – Lisa se joga em sua cama. – Ela é muito chata, pelo menos ficou no quarto com as outras chatas, vulgo Ann-Kathrin e Cathy Fischer.

- Estamos juntas isso que importa. – Digo colocando minhas coisas no pequeno guarda roupa que tinha ali, enquanto Leon ia explorar o quarto.

- Ele é muito sapeca. – Lisa fala enquanto vê meu filho tentando ligar a televisão. – Mas nos conte, como está a vida de casada?

- É maravilhosa, Sérgio é um amor comigo e com o pequeno, a gente acaba não saindo muito por conta do trabalho, você sabe como é. – Lisa concorda, já tinha alguns anos que estava casada com Müller. – Ele ama o Leon como se realmente fosse sangue do sangue dele é incrível, nunca imaginei algo assim e agora estamos tentando ter um filho também.

- Que maravilhoso!! Thommy e eu estamos tentando há bastante tempo e nada ainda. – Percebo sua voz ficar um pouco triste. – E você Sarah, não vão casar nunca não?

- Bem que eu queria, mas o Basti sempre corre do assunto né, às vezes acho que ele já desistiu de mim.

- Bobagem. – Dizemos juntas.

Tive o desprazer de encontrar com Toni algumas vezes por ali, mas sempre consegui evitar que ele se aproximasse, também Lisa e Sarah não davam espaço, assim como Lukas e Bastian faziam uma boa marcação nele, preciso agradecer muito por isso, toda as vezes que vejo aquela cabeça loira aparecendo quero acabar com a cara dele, segui a minha vida da melhor forma possível, mas ainda não consegui esquecer tudo que sentia por Toni, ele é uma parte muito importante da minha vida.

Depois de uma senhora goleada na seleção brasileira no Mineirão, agora era a hora da tão esperada final, não poderíamos deixar o título escapar mais uma vez entre nossos dedos, os rapazes estavam decididos a vencer, a final era justamente contra os argentinos e por essa motivo apesar da goleada que o Brasil levou, a maior parte dos torcedores do Brasil estavam do nosso lado.

As meninas e eu nos arrumávamos para ir ao Maracanã, Lisa vestia uma camisa com o número do Thomas, Sarah, Leon e eu vestimos com o número 7 de Basti, minha vontade era de usar uma 4 para meu marido saber que estava pensando nele nesse momento, mas Basti era meu melhor amigo e eu queria muito estar com essa camisa.

O estádio estava lindo, aqui no Maracanã existia uma atmosfera perfeita, me sentia como se estivesse no Santiago Bernabeu ou na Allianz Arena, que facilmente poderia dizer que eram minhas casas.

- Mutti, cadê o papa? – Leon me pergunta de forma fofa.

- O papai voltou pra casa lembra? – Ele concorda.

- Eu tô com saudade dele... Porque ele não vai jogar com o padrinho e o tio Poldi?

- Porque o papai joga em outro time meu anjinho, junto com o tio Casillas.

- A gente já vai pra casa?

- Daqui a pouco. – Ele estica os bracinhos pra mim e eu o tomo em meus braços. – Eu também sinto saudades do papai Leon.

Ele tenta descer do meu colo e vai ficar mais perto da grade que existia ali, e fica gritando para os jogadores, faço um vídeo rápido e mando para Sérgio que me responde na mesma hora dizendo que estava assistindo o jogo e torcendo para que os rapazes ganhassem.

- Oi Gretta. – Cathy aparece do meu lado seguida de Ann-Kathrin.

- Oi meninas. – Tento ser o mais simpática possível.

- Seu filho é uma gracinha. – Ann diz.

- Obrigada.

- Ele é mesmo seu filho com o Sérgio? – A mesma me pergunta.

- Claro que sim. – Digo sem vacilar.

- Engraçado, Mats me disse que ele era filho do Toni, e realmente eles se parecem bastante. – Pisco rapidamente, como Hummels sabia daquilo?

- Acho que eles fizeram confusão. – Digo de forma simples. – Kroos tem essa ideia fixa na cabeça desde sempre só porque ele é meu ex namorado.

- Não tem como esconder isso, cada dia que passa ele fica mais parecido com o Toni.

- Cathy porque vocês não vão procurar outra pessoa pra atormentar com suas intrigas? – Lisa aparece do meu lado com dois copos na mão. – Ninguém merece vocês.

- A dupla de cobra tá incomodando vocês? – Sarah pergunta de forma ácida. – Vamos ficar do outro lado meninas.

Cathy e Ann-Kathrin acabaram saindo primeiro que nós, de certa maneira Cathy estava certa, qualquer pessoa podia perceber que Leon era filho do Kroos e não do Ramos.

Minhas amigas tentaram me animar durante boa parte do jogo, mas meu dia já estava estragado pelo simples fato de alguém me lembrar do progenitor de Leon.

- Mutti!!! Gol, a gente tá ganhando. – Leon gritou pra mim assim que Götze marcou o gol que por hora colocava mais uma estrela em nossa camisa.

Quando o jogo terminou e os rapazes já tinham recebido suas medalhas e o Lahm levantou a taça era a nossa vez, todo mundo que estava naquele pedaço do estádio foi liberado para entrar em campo e comemorar junto, meu filho corria atrás de Bastian e Lukas que faziam uma selfie com Schweini beijando a bochecha do Poldi, que tinha Louis agarrado em sua perna.

Tirei fotos com os meninos e a taça, Leon ao lado dela e claro mandava tudo no mesmo instante para Sérgio, até perceber que lá já era um pouco mais tarde e que talvez ele já tivesse se preparando para dormir, porém ele visualizava na hora e me respondia de forma espirituosa dizendo que estava de olho em nós pela televisão.

Havia uma festa preparada no hotel em que estávamos hospedados, e quando eu digo festa é uma daquelas com muitas bebidas e todos os tipos de comidas, tinha coisas que estava acostumada a ver na Alemanha e outras que vi na casa do Marcelo quando nos reunirmos lá para jogar Poker e um tal de Truco que ele ensinou os meninos – um jogo muito barulhento por acaso.

Como não sou mais nenhuma criança e sabia muito bem me cuidar e dos meus limites comecei a tomar algumas bebidas que passavam, comia, bebia mais, dançava com as meninas – todas as crianças tinham sido levadas para uma comemoração delas e Leon estava com eles, Luan e Noah filhos do Miro me prometeram cuidar dele -, bebia mais um pouco, fazia tempo que eu não me divertia assim, se quer me lembrava quando foi a última vez, provavelmente eu ainda estava namorando com o Kroos.

Toni, por falar nele, ainda não o tinha visto, e ansiava por esse momento.

- Mats! – Grito por cima do som alto. – Você viu o Toni por aí?

- Vi ele no bar não tem muito tempo. – Ele me responde.

- Obrigada Hummels! Volta logo pra casa, a Baviera te espera. – Ele apenas ri e nega com a cabeça.

Toni realmente estava no bar como Mats tinha me dito, hesito um pouco antes de seguir em frente, porém ele me vê antes e levanta o que parece um copo com Whisky na minha direção, dou passos lentos em sua direção, sentindo o coração ficar mais acelerado do que o normal, a forma que só ele conseguia fazer bater.

- Hallo Meine Engel. – Ele diz sorrindo de uma forma extremamente sexy.

- Oi Toni. – Digo sentindo meu rosto ficar ainda mais quente.

- Então o espanhol deixou você livre no meu território. – Ele toma um gole de sua bebida. – Ele é bastante confiante, não sei se faria a mesma coisa.

- Nunca dei motivo para que ele precisasse duvidar de mim, além do mais você não representa uma ameaça para ele.

- Não? – Ele coloca a mão em minha coxa e começa a brincar ali traçando os padrões do vestido que usava. – Pensei que ainda sentisse alguma coisa por mim Gretta.

- Raiva talvez. – Digo de forma rápida.

- Sei que no fundo você ainda sente alguma coisa por mim. – Não respondo. – Está vendo como estou certo?

- Você está sendo ridículo Kroos.

Em um movimento rápido ele me toma em seus braços colando seus lábios nos meus, de início tentei resistir, mas o álcool não me deixava raciocinar muito bem, e quando percebi o que estava fazendo nossas línguas já travavam uma batalha urgente, empurro ele para longe.

- Nunca mais faça isso Toni.

- Boa festa Gretta.

Ele sai me deixando ali completamente confusa com o que tinha acabado de acontecer, ele me agarrou.

Vou procurar as meninas para avisar que estou indo para o quarto. Pego Leon no lugar onde eles estavam com as crianças, ele já dormia em um sono tranquilo, alheio que seu verdadeiro pai estava ali tão próximo dele e se quer podia chegar perto dele, acho que sou uma pessoa terrível.

Amanhã nesse horário estaremos chegando em casa e não terei de me preocupar com Toni, ele estará de volta em Munique e não terá como atormentar minha vida com Sérgio.


Notas Finais


Espero que tenham gostado
Não se esqueçam de comentar
até a próxima
Toni indo pra Madri nos próximos capítulos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...