História Segundas Intenções - YoonMin - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Agust D / Suga, Bangtan Boys (BTS), BLANC7, EXO, Kim Nam-joon / Rap Monster, SHINee
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Jackson, Jeon Jungkook (Jungkook), Jisoo, Jung Hoseok (J-Hope), Kai, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Kris Wu, Lisa, Lu Han, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Taemin Lee, Taichi, Xiumin, Zico
Tags Aposta, Baekyeol, Chanbaek, Clichê, Clichê De Leves, Colegial, College, Ensino Medio, Festa, Festas, Ficantes, Flex, High School, Kaisoo, Lemon, Long-fic, Mingi, Minimini, Namjin, Sobi, Sope, Sugakook, Sugamin, Taekook, Taeseok, Taiseok, Versátil, Vhope, Vkook, Yoongguk, Yoonkook, Yoonmin, Yoonmin Flex, Yoonmin Versátil, Yoonseok
Visualizações 1.022
Palavras 2.890
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


I'm back, babys

quem me segue, já deve ter notado que eu excluí algumas two!shots, saibam que estou reescrevendo quase tudo no meu perfil. quero deixá-lo bem bonitin :3

espero que gostem,
boa leitura!

p. s. vou responder os comentários do capítulo anterior, calma ^u^"

Capítulo 2 - Sobre Park Jimin.


Fanfic / Fanfiction Segundas Intenções - YoonMin - Capítulo 2 - Sobre Park Jimin.

Março, 04 - Segunda-feira

Fato 2: Pessoas, por mais que as detestemos, acabam por ter algumas qualidades.

 

06:11

‘Bip bip bip’

Eu odeio, com todas as forças do meu ser, o maldito barulho do despertador. Por isso, quase sempre, eu bato com força no botão de “desligar”, mas hoje alguém desligou por mim, de uma maneira bem calma. O Hobi veio aqui em casa no sábado, mas ele não tinha vindo no domingo pra acordar segunda na minha casa. Meus pais estavam trabalhando, não tinha como ser os dois.

Então só podia significar uma coisa… Esbugalhei os olhos, puxei o crucifixo da corrente pra fora, pulei e fiquei de pé na cama para então lindamente cantar:

— SANGUE DE JESUS TEM PODER, TEM PODER! FAZ O INFERNO ESTREMECER!

Quando percebi que era o Namjoon, cantei com ainda mais potência, mas agora eu estava rindo. Porém, eu fiquei um pouco confuso com uma coisa: o que aquele retardado tava fazendo na minha casa, e como ele conseguiu entrar se não tem a chave?

— Como você entrou aqui? — Pulei da cama, indo até o banheiro.

— Ah, eu pulei a janela. — Falou como se aquilo não fosse nada demais, até deu de ombros. — Então, se nesse sábado foi o J-Hope, no próximo vai ser o Jungkook?

— Cara, não vai ser nenhum dos dois. — No banheiro, baixei um pouco a bermuda que uso pra dormir e a cueca, apoiei uma mão na parede e comecei a urinar, de porta aberta. — Isso me lembra que preciso da sua ajuda.

— Em quê? Aprender a fechar a porta quando tem um cara tentando manter a heterossexualidade na sua casa? — Fechou a porta do banheiro, e deve ter se escorado nela.

Realmente, o Namjoon é heterossexual, assim como o Jin, por mais que todo mundo saiba que o mais velho é apaixonadinho pelo Joonie, igual ao Taehyung pelo Jungkook, embora Tae afirme que, em sua bissexualidade, meninas ainda são preferência.

Pensando em sexualidades, e na minha missão, o Jimin vive grudado no Taemin, mas não sei o que pensar sobre eles. Acho que é só amizade. Eu sou bastante popular na escola, sabem? Tenho minhas fontes em todos os cantos, e nunca ouvi nada deles nesse quesito.

— Namjoon, eu fiz um acordo com o Hoseok em que ele… — Enquanto eu estava guardando o meu maior orgulho de volta, o Namjoon arrombou a porta com um olhar de “mas o quê!?”. — Que foi?

— Você fez um acordo com Jung Hoseok? — Fiz que “sim” com a cabeça, puxei a descarga, lavei as mãos e recebi um tapa na nuca. — Você tem merda na cabeça?

Agora deixa eu explicar uma coisa sobre o Hobi: quando eu falei que ele devia ser o filho de Lúcifer, eu não tava brincando. O Hobi inventou a maldade. As pessoas chamam ele de “J-Hope” por pura ironia. Eu não sei porquê, mas ele gosta de foder com a vida das pessoas. Preciso dos dedos das mãos, dos pés e de mais alguns emprestados pra contar as maldades que ele já fez. Apesar de seu comportamento, o Hobi se passa por um anjo para aqueles que não o conhecem. Os professores amam ele, por exemplo.

— Vai me ajudar ou não? — Perguntei, passando a mão no lugar onde ele tinha me acertado.

— Fala aí.

— Preciso conquistar Park Jimin em noventa e nove dias.

Bem, como posso descrever este momento? O Namjoon começou a rir igual um demente que conseguiu escapar do hospício. Ele teve que abraçar a própria barriga, mas começou a perder a força das pernas, e teve que se apoiar na pia. O maldito estava chorando de tanto rir.

— Sério!? — Se escorou na pia, limpando uma lágrima no rosto e rindo ainda mais quando eu confirmei. — Você tá fodido!

— Que belo amigo, hein? — Empurrei ele, abri o armário de cima da pia, peguei minha escova de dentes e a pasta, e comecei a me escovar.

— Okay… — Andou, vulgo rastejou, até a privada, baixou a tampa e se sentou, cruzando as pernas igual uma mulher, e rindo um pouco mais. — Tudo bem. Como eu posso te ajudar a conquistar Park Jimin?

— Eu não sei. — Minha voz saiu muito errada por causa da pasta de dente.

— Por que não fala com ele hoje? — Eu olhei para o Namjoon, com uma expressão “eu desprezo você, e sou superior” e cuspi um pouco de pasta de dente no rosto dele. — Você merece a morte. — Limpou o rosto.

— E o quê exatamente eu devia dizer? — Enxaguei, guardei as coisas e depois lavei o rosto. — “E aí, Jimin-ah! Como você vai? Não nos falamos há uns nove anos, mas beleza. Ah, sabe, eu tô querendo te pegar, pode ser ou tá difícil?”.

— Idiota. —Levantou, me lembrando da diferença quase cômica entre nossas alturas, e com dois dedos cutucou a minha testa, pegando o celular do bolso e olhando a tela. — Você tem quinze minutos pra se arrumar, ou vou te deixar pra trás.

Fui para o quarto, diretamente para o closet, peguei o casaco do uniforme, uma blusa preta, uma calça jeans meio rasgada —não eram rasgos vindos de fábrica, mas eu gostava da calça — e um tênis Adidas branco. Então comecei a tirar a camisa branca sem estampa que estava usando, me sentindo observado.

— O que você tá olhando? — Perguntei ao Nam, que estava escorado na parede de braços cruzados.

— Você. — Riu. — Meu Deus, você não deve ter nem 1% de melanina. Parece papel.

— Vai a merda. — Coloquei a blusa, o casaco e tirei a bermuda tranquilamente. — O que houve com o “um cara tentando manter a heterossexualidade”?

— Se fosse por ver um cara seminu, eu já era gay há muito tempo. — Eu não tinha notado, porque ele não estava de sapato, mas Nam se aproximou um pouco de mim. — Até que você é bonitinho.

— Saí dessa. — Coloquei a calça e peguei o tênis, e minha mochila até então atirada no chão. — Vamos, “viado em produção”.

[° ° °]

A escola não fica muito longe de casa, então eu e o Namjoon vamos pra lá ou à pé ou de bicicleta, conversando sobre qualquer merda. Hoje, à pé, falamos sobre filmes interessantes que poderíamos assistir. Sugeri que assistíssemos “It: A coisa” de novo, e ele mandou eu ir para o inferno. As melhores amizades são essas.

Quando chegamos na escola, Jungkook, Taehyung, Kyungsoo, Baekhyun e Chanyeol estavam sentados na escadaria da entrada. Nos aproxímamos, mas eu me recusava a sentar naquela escadaria! Pessoas passavam com seus calçados sujos ali todos os dias, e já vi gente vomitando, e transando, também — não é legal passar na frente da escola n’uma madrugada de férias, estão muito bem avisados.

— Bom dia, Yoongi-hyung! — Jungkook acenou pra mim, exibindo todos os dentes em um sorriso. — O que vai fazer hoje depois da aula?

— Não sei. — Curto e grosso.

— E que tal vir comer alguma coisa no “Barbecue” comigo? — A ousadia dessa criança! Me confrontar com o amor da minha vida, carne.

— Você disse “Barbecue”? — Dei ênfase na palavra “barbecue”, dando um sorriso quase fofo pra ele. — Claro, né Kookie?

— Carnívoro. — Namjoon riu, mas ignorei.

Jungkook sorriu ainda mais alegre, provavelmente cantando vitória dentro da própria cabeça. No exato momento em que eu iria começar uma discussão com Namjoon sobre os motivos pra se comer muito mais carne do que qualquer outra coisa, Park Jimin chegou, junto de Lee Taemin. Eles desceram juntos do carro que eu sabia, por uma fonte, que era da mãe de Taemin.

Andaram até a escadaria. Um fato sobre Park Jimin é que ele nunca sorri. Sério, eu já cheguei a pensar que ele não tinha dentes, mas acho que ele só é mal humorado mesmo. Então, quando eles passaram por nós na escadaria, eu senti um cheirinho agradável emanando do Park e meu pescoço virou quase ao limite pra continuar sentindo.

— Tá possuído? — Kyungsoo brincou.

— Não sou nenhum de vocês. — Retruquei, fingindo que nada tinha acontecido.

O sinal tocou e nós entramos na escola. Algumas garotas colocavam os livros sob o peito e se prensavam contra os armários, suspirando diante de nós. De certa forma, eu me sentia muito bem com isso, mas Hoseok, que ainda não tinha chegado, era quem mais chamava a atenção, não apenas por ser estranhamente bonito demais, mas também por ser... naturalmente chamativo.

— GENTE! — Falando no diabo, a desgraça saltou com tudo nas minhas costas. — Me esperem, amiguinhos!

— Se quer me matar, me da um tiro! — Xinguei. — Porra, Hobi! Eu sou cardíaco, seu bosta!

— Desculpa, amor! — Beijou minha bochecha, se ajeitando nas minhas costas pra eu carregar ele, infelizmente. — AIÔ, SILVER!

— Se repetir isso, eu te atiro no chão. — Bufei, e ele parou imediatamente.

Eu, realmente, carreguei ele até a sala. Nós atraímos mais olhares ainda, nada a quê eu não estivesse acostumado, principalmente na companhia do Hobi.

Teríamos literatura, eu admito que sou bom nesse tipo de coisa. O professor ainda não estava na sala, e nós tínhamos que escolher nossos lugares.

— Onde você vai sentar, hyung? — Lisa, uma ruiva até bem bonitinha, me perguntou.

— Sei lá. — Eu não sirvo pra ser simpático.

— Provavelmente perto de mim, pra colar nas provas. — Namjoon comentou, fingindo que aquilo era um assunto sério.

— Em literatura não, obrigado. — Lembrei.

O Park estava mexendo no celular enquanto Taemin, animadamente, lhe contava algo. Foi aí que eu tive a mais brilhante ideia que alguém com o meu QI poderia ter, em relação ao desafio de Hoseok, mas acho que ele percebeu quase de imediato.

— Hum… ei, Ji… — Hoseok cobriu minha boca, com um sorriso cruel. Trapaceiro, filho da mãe.

— Jin, onde você vai sentar? — O desgraçado perguntou, ainda tampando minha boca.

— Eu que vou decidir isso. — O professor de literatura surgiu diretamente da puta que pariu na sala, nos assustando um pouco. — Todos para a parede esquerda.

Assim fizemos.

Portal de notícias: Jimin e Taemin estavam parados pertinho de mim, mas eu não sabia como puxar um assunto em uma hora dessas. Foda-se.

Continuando… O professor foi escolhendo nossos lugares e explicou que, tirando as matérias feitas em salas não convencionais — tipo ciências, que é feita no laboratório, e artes, na sala de artes —, devíamos sempre sentar assim.

E foi assim que eu acabei sentado bem na fileira do centro da sala, na terceira carteira, com Chanyeol ao meu lado direito, Jackson no meu lado esquerdo, Namjoon atrás de mim e, bem…

Park Jimin na minha frente.

[° ° °]

Calma, vamos por partes, porque nem eu aceitei esse estereótipo de filme de comédia romântica escolar, ou universitária, que acabou de acontecer com a minha pessoa.

Tá, eu estava divando na aula de ortografia, quando do nada o professor resolveu passar um trabalho em duplas. Até aí tudo bem, todos ficamos empolgados. Eu podia sentir no mínimo uns onze pares de olhos me observando atentamente, mas eu ia fazer com Namjoon. Ou com o Taichi. O Taichi é o único ser humano que eu acho fofo na face da Terra, e é muito inteligente…

Mas então meus planos de dorm… quer dizer, fazer dupla com o Taichi foram por água abaixo, porque o professor decidiu ele mesmo escolher as duplas. As meninas ficaram mega animadas, várias começaram a até mesmo apostar pra ver quem ia ficar comigo, ou com o Tae, ou com o Kyungsoo…

E é aí que vem o estereótipo de comédia romântica: o professor me colocou com o Park Jimin, e eu fiquei imediatamente pasmo.

Era bom para o desafio? Era, ótimo! Mas era bom pra mim, habitante do topo da pirâmide escolar, fazer dupla com Park Jimin, alguém pelo qual nutro um ódio natural há anos, alguém que está em uma posição na pirâmide escolar localizada no subsolo? Não!

— Deus, por que? — Sussurrei pra mim mesmo, e pra Deus, quase fazendo uma oração pra que tivesse sido um engano e eu fosse fazer dupla com o Jin, na verdade.

— Eu quem deveria estar fazendo orações, não acha? — Para a minha surpresa, o Jimin tinha ouvido. E ele me encarava agora, por cima do ombro. — Você não era nem a minha última opção.

— E você acha que era a minha? — Sussurrei de volta, ficando irritado aos poucos. — Eu preferia fazer com o seu Raimundo — faxineiro aqui da escola, gente fina, tenho altos papos com ele — do que com você! Quer saber, eu vou fazer essa merda sozinho.

— Pra eu perder nota? — Deu uma risada irônica.

O ar chegou a esvair dos meus pulmões. Depois da risada irônica, ele deu um sorriso maldoso e, por mais que estivesse desejando me ver morto com a língua pra fora e dois “X” nos olhos, ele ainda sim estava sorrindo. Os lábios dele eram carnudos, seus olhos eram fascinantes, e tinha aquele cheirinho...

Por alguma razão, isso só me faz odiá-lo mais.

— Você nunca vai superar o Joonie mesmo. — Dei de ombros, sorrindo igualmente maldoso.

— Deixa de ser criança. — O sorriso dele morreu, e senti que o meu coração estava acelerando. — Vamos fazer o trabalho, vamos receber uma boa nota, eu sumo da sua vida, e você some da minha. Que tal?

— Tanto faz. — Cedi.

[° ° °]

Nos dois últimos períodos, teríamos educação física. O Jimin normalmente foge dessa aula, com o Taemin e mais uns nerds, mas hoje eu queria que ele ficasse. E sabem por que? Porque o Hoseok falou:

“— Yoonie, eu quero vencer, mas você está sendo muito burro, e eu não dou a bunda pra gente burra. Se você tem uma oportunidade, use-a, porra.

Enquanto a maioria se direcionava ao ginásio, eu observava Jimin, Taemin e pessoas que não lembro os nomes indo até a enfermaria, onde uma das pessoas que não sei o nome tem uma parente que deve lhes dar dispensas da aula pra não perderem nota. Como eu poderia vencer esse esquema?

Ah, mas tem algo que vocês não sabem sobre mim: apesar de minha baixa estatura, eu sou muito bom nos esportes, ou seja, queridinho do professor de educação física. Tirei uma foto deles entrando na enfermaria, fui até o ginásio e mostrei, e contei a história toda, dando ênfase no nome de Jimin,  ao professor, que os chamou.

E foi assim que eu fiz a enfermeira da escola ser despedida, mas consegui que Jimin, e o resto, viessem pra aula. Quando o professor xingou eles, eu fiquei ao lado dele, balançando a cabeça negativamente, como se estivesse chocado e muito desapontado com o grupinho.

Quando Jimin passou por mim, eu senti o calor do ódio de seu corpo. Era óbvio que ele sabia que tinha sido eu quem os delatou, mas nunca saberia a razão.

— Qual é o teu problema, hein? — Ele sussurrou irritadamente pra mim, Taemin e o grupinho observando atentamente. — A gente nunca joga mesmo!

Tutorial da sedução, com Min Yoongi: primeiro, aproxime-se consideravelmente do rosto de seu alvo, ao ponto de que ele sinta o seu hálito — objeção: não faça isso se tiver mal hálito —, coloque uma de suas mãos sobre o ombro do alvo, dê um sorriso malicioso fechado, isto é, sem mostrar os dentes. Após, finja que irá beijá-lo, mas, quando seus lábios estiverem quase se tocando, desvie-se para o ouvido do alvo. Ao ouvido do alvo, sussurre — em uma voz rouca, de preferência — aquilo que desejava desde o ínicio lhe falar.

— Primeiro, Jimin, o meu problema é você. Segundo, eu quero você... — aquela pausadinha básica, com um suspiro de arrepiar até a alma. — ...no meu time.

E me afastei, de repente. Jimin estava, na mais simples definição, paralisado. Quando eu já estava quase dentro do vestiário, olhei por cima do ombro e vi seus amigos se aproximando dele. Ele ergueu o cabelo da testa, e sorriu, provavelmente deixando todos eles no vácuo.

Eu estava apreciando a minha conquista, até Hoseok me interromper, me puxando pra dentro do vestiário. Quando Jimin entrou lá, seguido pelos outros, ele me olhou por algum tempo, mas não consegui decifrar a sua expressão, não porque era difícil demais, mas sim porque, depois que ele colocou a roupa de educação física, eu a vi pela primeira vez.

Como eu nunca tinha reparado nela se ela estava sempre na minha frente? Fora que ela é enorme e bem gordinha! E ficava tão bem naquela bermuda preta... Me apaixonei perdidamente por ela logo de cara.

Seu nome? “A Bunda de Park Jimin”.

Vocês não têm noção do tamanho daquela bunda! Eu queria apertar, queria abraçar, queria deitar por cima, queria entr... não, calma, isso não. Quer dizer, eu não queria fazer nenhuma dessas coisas, porque eu odeio Park Jimin... se bem que a bunda dele é tão colossal que pode ser considerada outra pessoa...


Notas Finais


pois é, na primeira versão o Jimin e o Yoongi se deram bem logo de cara, e não fazia sentido, porque Yoongi afirmou odiar o Jimin, e sim, eu mudei um pouco (vulgo muito) a personalidade do Jimine :v

espero que estejam gostando, bye bye


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...