1. Spirit Fanfics >
  2. Segura o meu esquilo! >
  3. Capítulo 1;

História Segura o meu esquilo! - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oi oi, ai senhor vim com essa fic que é bem fofinha e engraçada.

Essa pode confiar que termino! Tenho certeza skksksks

AVISO:

- Contém conteudo homossexual, então se você não concorda, apenas não leia.

- Correção por Maria (esqueci o nome dos perfis dela huahua)

Fiquem com o capitulo!

Capítulo 1 - Capítulo 1;


 

Felix suspirou pensando no garoto moreno e forte que sempre via correndo de tarde em frente ao seu prédio. O nome dele era Seo Changbin, tinha chegado na cidade apenas alguns dias atrás, mas Felix já estava perdidamente apaixonado pelo rapaz, e que por pura coincidência, era seu vizinho e também colega de classe.


— Por que você não investe naquele tal de Hwang Hyun não sei o que?


O garoto de mechas tingidas de laranja virou-se para Han, que mexia no lacinho azul que tinha no pescoço enquanto apreciava a brisa que vinha da janela do quarto do Lee. Era o seu lugar favorito; ficar sentado na janela.


Felix segurou-se para não agarrar o amiguinho em seus braços por causa de sua fofura.


— Nunca. Aquele garoto me dá é medo com aquelas maluquices dele. — Felix revirou os olhos, lembrando-se de dias atrás. — Além de que ele nem chega perto do Binnie.


Felix não segurou o sorriso bobo, pensando no Seo. Han, vendo a cena, fez um barulho de desgosto, o que fez o ruivo dar um risinho.


— Não sei o que você vê nesse garoto, Lix. Você é bonito e simpático. Tudo de bom. Quer perder tempo com aquele cara? Já te disse que não vou com a cara dele.


— Você não vai com a cara de ninguém além de mim, meus pais e Minho, Han.


— Mas entre o anão e o palhaço, prefiro mil vezes que você esteja com o Hwang, ele não parece um macho alfa fortão que nem aquele moleque.


Felix revirou os olhos novamente por causa do exagero do outro. Han nunca gostou de Changbin, sempre dizendo que ele era problema e coisa do tipo, mas Felix sabia que era tudo ciúmes, como sempre.


— Queria poder ter coragem de falar com ele por mais do que alguns minutos. — o ruivo suspirou voltando a olhar pro teto. Sentiu um peso em sua barriga e direcionou o olhar para o esquilo marrom em seu peito.


— Mas você falou com ele anteontem.


— Passar um minuto pedindo desculpas por um certo esquilo ter voado na cara dele não vale, senhor Han. — Felix olhou-lhe bravo, lembrando-se do dia. Han apenas ignorou a fala do amigo e se aconchegou em seu pescoço, passando o rabo felpudo no queixo de Felix.


— Não foi minha culpa se ele provocou, você o viu mexendo o braço. Ele ia me atacar.


— Ele só queria fazer carinho em você, bobo. — o Lee, mesmo que com um bico de raiva, passou a acariciar o seu bichinho, que se espreguiçou, gostando do toque do dono.


— Eu nunca deixarei aquele moleque encostar os dedos dele em mim, muito menos em você! — Felix se deixou rir por alguns segundos pela voz do esquilo ter afinado por causa da raiva. Han era uma graça, um pouco agressivo, mas uma graça.


— Você não manda em mim, esquilosinho. Na próxima vez que eu encontrar ele e você fizer algo do tipo, adeus Minho.


E Felix recebeu como resposta um belo arranhão no pescoço.


— Han!


A possível perseguição mortal que começaria foi interrompida com o irmão mais velho do Lee entrando no quarto. Minho riu vendo a cena comum. O esquilo aproveitou e pulou no ombro do Lee mais velho, logo recebendo carinho e um beijinho gentil na cabeça, o que o fez se esfregar no pescoço cheiroso do humano.

Felix olhava aquela cena sentado em sua cama com uma cara de tédio, era sempre assim, seu irmão aparecia e Han se transformava no melhor bichinho de estimação que existia no planeta.


Falsidade.


— Às vezes eu acho que Han gosta mais de mim do que você. — Minho comentou brincalhão, olhando para o esquilo fofinho que sempre ficava colado em si.


— Disso não tenho dúvidas. — Felix suspirou vendo a cena. — Precisa de algo, Hyung?


— Ah, não. — o moreno em pé tirou o esquilo sangue suga do seu pescoço, o segurando em suas mãos. — É que o vizinho quer falar contigo, ele tá na porta.


— Vizinho? — Felix franziu o cenho.


— É, o Changbin.


Felix nunca correu tão rápido na vida. Rezava para que Han estivesse distraído demais com o seu irmão para ir atrás de si. O ruivo quase caiu no tapete da sala, mas se ajeitou rapidamente quando viu o moreno na porta olhando para o corredor. Respirou fundo e deu o sorriso mais gentil que conseguia.


— Changbin?


O garoto moreno olhou para Felix e sorriu, o que quase fez o Lee ter um ataque, mas ele se segurou e agiu normalmente.


— Oi. Desculpa aparecer aqui do nada, é que Chan Hyung disse que esqueceu de te dar isso. — o Seo estendeu-lhe o livro de matemática que Felix tinha emprestado ao Bang alguns dias atrás.


— Obrigado. — Felix agradeceu com um sorriso, então os dois garotos ficaram parados se olhando, já que o assunto tinha morrido.


Mas Felix não queria que acabasse ali. Meio desesperado, percebeu uma leve cicatriz que tinha no queixo de Changbin e quase gritou:


— Você está melhor?


— Como? — Changbin olhou-lhe sem saber do que se tratava. Felix pôs o seu dedo em seu próprio queixo e o Seo pareceu entender. — Ah, sim. Não foi nada grave, apenas um arranhão. — o moreno deu um risinho.


— Mil desculpas novamente, já botei aquele esquilo de castigo. — Felix fez uma falsa cara de bravo, o que fez o Seo sorrir.


— Castigo?


— É, uma semana sem passeios da tarde, ele vai ter que se contentar com a janela. — o Lee fechou as mãozinhas, as botando na frente do corpo em forma de afirmação a sua fala. — Não sei o que deu nele para pular em você. — Olhou Changbin com vergonha, mas o moreno apenas sorriu largo e negou com a cabeça, dando um passo para trás.


— Não tem problema, deve ter sido apenas ciúmes. Afinal, até eu teria se tivesse um dono tão bonito como você. Enfim, tenho que ir agora, até. — e o Seo entrou na porta ao lado, deixando um Felix estático para trás.


Seo Changbin tinha-o chamado de bonito, repito, Seo Changbin tinha-o chamado de bonito. O surto que o ruivo teve foi tão grande ao ponto de sua única reação ter sido falar um "ah", pois a sua mente estava enlouquecendo de pensamentos diversos. Mas o seu grande surto interno foi interrompido por uma voz fina chamando o seu nome, apenas virou-se para dentro da sua casa e algo felpudo voou na sua cara.


— Desculpa Lix! Só olhei o celular por um segundo e ele saiu correndo do quarto. — Minho apareceu respirando fundo, como se tivesse corrido para chegar ali.


Felix tirou o esquilo da sua cara e encarou o bichinho, que parecia furioso.


— Bela tática, senhor Felix! Botando o seu irmão para me seduzir enquanto você ia se encontrar com o ogro, mas isso não vai acontecer novamente! Agora cadê aquele anão que eu vou arranhar a cara dele até ficar irreconhecível! — o animalzinho se mexia desesperadamente tentando sair das mãos de Felix, mas obviamente era inútil.


Felix suspirou, percebendo que teria que colocar uma amordaça no esquilo.

 

 


Notas Finais


Obrigado pela leitura!

IMPORTANTE!
- O único que entende o que o Han fala é o Felix, nenhum outro humano entende.
- Han é muito próximo de Felix e bastante ciumento, chega a ultrapassar dos limites, mas ele irá resolver isso conforme os capítulos forem passando.
- Essa fic será pequena, não terá mais de 10 capitulos.
- Pretendo postar um cap por semana.

Comente o que achou!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...