História Segurar sua mão - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias VIXX
Personagens Hongbin, Leo, N
Tags Neo
Visualizações 55
Palavras 1.821
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Fluffy, LGBT, Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi pessoal.

Espero que gostem do capítulo.
Capa do capítulo vem da artista @hongchamoka.
Ela faz fanarts muuuuito fofas do Vixx, sigam lá no twitter o link está nas notas finais.

Boa leitura.

Capítulo 2 - Hora do intervalo


Fanfic / Fanfiction Segurar sua mão - Capítulo 2 - Hora do intervalo

Na segunda feira eu não consegui me concentrar direito nas aulas, coisa que não costumava acontecer. Raramente eu me distraía. Eu era um perfeito nerd na maioria das matérias.

Quando eu ouvi o sinal do intervalo já comecei a ficar nervoso com a ideia de Hakyeon talvez ir me ver, mas me encaminhei calmamente até a sala de música.

Me posicionei na frente do piano e coloquei as partituras na estande. Esperei algum tempo, mas nada de Hakyeon aparecer.

Talvez ele só tivesse dito aquilo pra puxar assunto. Ou talvez tivesse ficado irritado por eu ter brigado com o seu melhor amigo. Independente do motivo eu fiquei triste por ele não ter aparecido.

Comecei a tocar mesmo assim. Afinal eu sempre tocava sozinho, não precisava de uma plateia pra me assistir. Comecei errando algumas notas, mas logo me concentrei e a melodia começou a fluir. Tocar piano era uma das coisas que mais me acalmava e me deixava feliz. Era o momento em que eu esquecia de tudo e podia me concentrar apenas na música e em tudo o que a melodia me fazia sentir.

Quando terminei a música me assustei ouvindo aplausos entusiasmados vindo da porta. Olhei pra trás e logo vi Hakyeon parado na porta me olhando com um grande sorriso e aplaudindo.

-Você me enganou dizendo que não sabia tocar direito Taekwoon. Você foi maravilhoso. –Falou fechando a porta atrás de si e se aproximando.

-Por que você estava parado na porta?

-Quando eu cheguei você já estava tocando e eu não quis interromper então fiquei esperando a música terminar. Desculpe por ter me atrasado, mas eu fui comprar um lanche pra nós dois. Não dá pra ficar o intervalo todo sem comer não é?

Ele me ofereceu uma sacola onde havia um salgado e um suco.

-Obrigado. Você não precisava comprar pra mim. Eu nunca como no intervalo.

-Mas você precisa comer pra recuperar as energias. Experimente esse folhado de queijo é uma delícia. Hakyeon se sentou em uma das cadeiras na lateral e eu fui me sentar também abrindo o lanche e comendo.

-É mesmo muito bom.

-Não falei? Qual era o nome da música que você estava tocando Taekwoon?

-Se chama luar enevoado.

-Eu não conhecia, mas achei muito linda. Eu tenho certeza que posso criar uma coreografia com ela.

-Ei eu já falei que não vou participar da apresentação com você.

-Mesmo que você não participe, não seria divertido se pudéssemos fazer algo juntos? Eu quero passar mais tempo com você Taekwoon.

-Bem. Se não for pra nos apresentarmos então tudo bem.

-Ótimo. Você pode tocar mais uma vez?

-Eu prefiro terminar de comer com calma. Até por que só temos mais dez minutos de intervalo e eu preciso lavar as mãos senão vou encher o piano de gordura.

-Eu acho que você está arrumando desculpas pra não tocar.

-Eu? Imagina. Jamais faria isso. –Falei fingindo indignação e ele riu.

-Tudo bem, mas amanhã você não escapa. Vai ter que tocar a música toda pra mim.

-Eu vou. Não se preocupe.

-Eu queria te perguntar uma coisa. Por que você ficou tão bravo com o Binnie no parque?

-Por que eu não gostei da maneira que ele estava tratando você.

-Nos somos assim mesmo um com o outro. Ele sabe que eu sou um pouquinho exagerado ás vezes e por isso não deu muita bola naquele momento por que achou que eu estava fingindo, mas quando eu expliquei que eu tinha passado ficado mal de verdade ele me pediu desculpas e ficou todo preocupado.

-Mas ele também fiou te pressionando pra ir nos brinquedos mesmo sabendo que você tinha medo.

-Isso é verdade, mas ele sempre me incentiva a enfrentar os desafios e superar minhas dificuldades. O Binnie está sempre fazendo coisas radicais e muitas vezes me chama pra ir junto e eu gosto disso. Na verdade quando eu estou com as pessoas que eu gosto eu me sinto mais corajoso.

-Entendo.

-Mas de qualquer forma eu achei muito fofo você me defendendo daquele jeito. Obrigado.

-Fofo?

-É. Você é muito fofo sabia?

-Eu não sou. –Comecei a sentir meu rosto esquentar.

-É sim. E fica ainda mais fofo com as bochechas coradas. –Apertou minhas bochechas me deixando ainda mais envergonhado.

-Para com isso. –Afastei suas mãos enquanto ele ria.

Terminamos de comer e logo ouvimos o sinal tocar.

-Temos que ir. –Falei me levantando.

-Nos vemos amanhã no intervalo combinado?

-Combinado.

-Eu prometo que amanhã eu não vou me atrasar.

 

 

No dia seguinte quando eu entrei na sala de música Hakyeon já estava lá e tinha uma sacola ao seu lado.

-Oi Taekwoon.

-Oi Hakyeon.

-Desta vez eu trouxe o lanche de casa. Eu mesmo fiz, mas só vou deixar você comer depois que tocar a música pra mim.

Eu sorri.

-Quer dizer que se eu tocar mal não vou ganhar o lanche?

-Isso mesmo.

-Bem, então vou me esforçar bastante.

Eu arrumei a partitura e respirei fundo algumas vezes. Minhas mãos estavam suando. Era estranho ter alguém assistindo.

Comecei a tocar normalmente, mas acabei errando o andamento da música e acelerei demais e logo comecei a me atrapalhar. Parei bruscamente e comecei tudo de novo. Observei Hakyeon que escutava de olhos fechados e seu rosto estava tão sereno que me passava tranquilidade. Voltei a me concentrar na música e logo esqueci completamente da preocupação e da tensão. Era apenas eu e o piano apesar de ter consciência da presença do moreno.

Quando terminei ele novamente me aplaudiu.

-Não precisa aplaudir toda vez que eu termino a música.

-Precisa por que é uma apresentação linda e digna de aplausos.

-Se vamos trabalhar juntos então você vai me ouvir tocar muitas vezes e se ficar aplaudindo sempre vai ficar estranho.

-Então você vai treinar comigo?

-Eu falei que se não for pra me apresentar não tem problema.

-Eu gostei da música e quero fazer uma coreografia pra ela. Já estou até pensando em alguns passos quer ver?

-Pode ser.

-Toque mais uma vez que eu vou dançar de improviso e ver o que vai sair.

-Tá, mas se eu estiver tocando não vou conseguir te ver.

-Então eu vou filmar com o celular pra você ver depois.

-Eu não quero que você filme.

-Por que não?

-Por que eu não quero que me vejam tocando.

-Deixa de ser bobo Taekwoon eu não vou mostrar pra ninguém só nos dois vamos ver. Eu nem sei se a dança vai ficar boa assim de primeira. Eu prometo que depois que você ver eu apago o vídeo.

-Tudo bem.

Ele afastou as cadeiras colocando o celular na última e apoiando com os um livro. Abriu espaço no centro da sala e se posicionou.

-Está pronto?

-Sim.

Eu comecei a tocar e procurei não prestar atenção no moreno pra não perder a concentração, mas eu podia ver com o canto dos olhos que ele se movimentava com bastante agilidade.

Em certo momento eu resolvi olhar. Ele estava deitado no chão e levantou em um único movimento com leveza. Acabei me desconcentrando e errei feio a música de uma maneira que ficou difícil recuperar a melodia e acabei parando de tocar.

-Por que você parou antes do final?

-Por que eu fui olhar você dançando e acabei errando.

Ele foi até o celular e parou de gravar.

-Você não precisava olhar. Eu falei que ia te mostrar depois.

-Desculpa.

-Não tem problema era só um improviso mesmo. Vamos ver o vídeo?

-Vamos.

Eu fiquei encantado com a coreografia que ele criou. Seus movimentos precisos e leves nem de longe pareciam improviso. Quando terminamos de ver ele apagou como havia me prometido e no fundo eu fiquei triste com isso. Queria poder guardar o vídeo e assistir mais vezes ele dançar.

-Agora vamos comer Taekwoon. Eu espero que você goste. Deu bastante trabalho.

-Obrigado Hakyeon.

Comecei a comer e os bolinhos de queijo estavam muito bons, assim como a omelete, mas os bolinhos de arroz estavam terrivelmente salgados, tanto que precisei beber toda minha água e mais o refrigerante que ele havia trazido.

-O que você achou da minha comida?

-E-estava bom. –Falei tentando disfarçar.

-Pode me falar a verdade. Estava horrível, não é? –Ele me olhou triste.

-Claro que não. Os bolinhos de arroz estavam salgados, mas os de queijo e a omelete estavam uma delícia. Eu juro.

-Você não está mentindo só pra me agradar?

-De jeito nenhum, mas maneire no sal dos bolinhos na próxima.

-Pode deixar. Quando eu fiz o lanche do Binnie da última vez ele me falou que estava horrível.

-Bem você deve ter melhorado bastante de lá pra cá.

Ele sorriu e eu fiquei feliz por ser o motivo do seu sorriso.

 

Na quarta feira nos encontramos de novo e ele falou que estava criando alguns passos, mas como não tinha encontrado música pra baixar estava com dificuldade.

Então ele resolveu gravar o áudio enquanto eu tocava, mas o nervosismo me fez errar três vezes até conseguirmos gravar a música completa.

Hakyeon fez o meu lanche novamente e desta vez estava bem melhor.

-Agora que eu tenho o áudio vou poder treinar em casa e criar uma coreografia decente. Eu definitivamente vou me apresentar com essa música no fim de ano. Vai surpreender a todas. Eu posso usar o áudio que gravamos hoje na minha apresentação?

-Contanto que você não fale que sou eu que estou tocando não tem problema nenhum.

-Por que você não quer que descubram que você toca Taekwoon?

-Eu sou muito tímido e toda vez que alguém descobre que eu toco piano me pede pra me ver tocar exatamente como você fez e as pessoas criam uma expectativa muito grande que me deixa nervoso.

-Mas você toca muito bem. É só fingir que não tem ninguém olhando.

-Não é simples assim. Você não se sente envergonhado quando dança na frente de pessoas que não conhece?

-Não. Eu gosto que me vejam dançar. Eu me sinto muito bem dançando e treino muito antes das apresentações então não preciso me preocupar. É claro que eu tenho medo de errar na hora, mas se acontecer é só levantar e continuar em frente.

-Eu admiro sua confiança.

-Isso é por que eu amo o que eu faço.

-Eu também amo tocar, mas nem por isso consigo me sentir assim.

-Se você ama música e treina muito não tem que se importar com pequenos erros ocasionais ou com o que as pessoas vão pensar da sua música. O nervosismo só vem por que você está preocupado demais com quem está assistindo e não com o que você está passando com a música.

-E o que eu passo com essa música quando você a escuta?

-Ela me parece triste e solitária.

-Ela é exatamente como eu.

-Você não me parece assim.

-Mas eu sou.

-Você não é solitário. Agora eu estou aqui com você. –Ele falou sorrindo e por alguma razão aquilo aqueceu meu coração.


Notas Finais


Twitter da artista que eu peguei a capa: https://twitter.com/hongchamoka

Comentem o que estão achando dessa evolução.
Se agasalhem por que está muito frio. Eu estou congelando. Nos vemos em breve.

Bjs <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...