1. Spirit Fanfics >
  2. Seja Minha - Imagine Zhang Yixing (EXO) >
  3. Capítulo Vinte e Dois.

História Seja Minha - Imagine Zhang Yixing (EXO) - Capítulo 22


Escrita por: KatRamos

Notas do Autor


Oi amorecas, tudo bem com vocês? Sentiram a minha falta? rs

Me perdoem por não ter atualizado, ando com alguns problemas pessoais e isso está me fazendo ter um bloqueio criativo gigantesco 😞 mas enfim, espero que gostem do capítulo e boa leitura ❤️

Capítulo 22 - Capítulo Vinte e Dois.


Fanfic / Fanfiction Seja Minha - Imagine Zhang Yixing (EXO) - Capítulo 22 - Capítulo Vinte e Dois.

Um ano se passou. Finalmente eu havia terminado os meus estudos, e decidi desde então ingressar na faculdade de gastronomia, eu amava o mundo da culinária.

Comecei a trabalhar no restaurante do D.O, eu o auxiliava na cozinha, e isso estava me ajudando muito para o meu crescimento profissional.

A minha relação com o Lay não era mas como antigamente, mas até que estávamos nos dando bem. 

Ele já havia se casado e a minha sobrinha  Min-ji já havia completado um ano de idade. Eu havia questionado há um tempo atrás se esse bebê era realmente do Lay, mas as minhas dúvidas acabaram assim que a Min-ji nasceu. Ela era linda e a cópia fiel do Lay. 

Apesar de eu e a Irene não nos darmos muito bem, ela não me proibia de ter uma relação de tia com a minha sobrinha. 

Atualmente, eu estava morando em um pequeno apartamento em Seul, que fica a alguns quarteirões de distância do restaurante. Depois que o Lay havia se casado, ele decidiu comprar outra casa para que ele e a Irene pudessem morar juntos, e desde então, tivemos que vender a nossa antiga casa, fazendo com que Lay me desse uma  parte do dinheiro  para que eu pudesse comprar um apartamento menor para mim, já que agora eu iria morar sozinha.

(...) 

Hoje era o casamento da Jennie e do Chen, e eu e D.O havíamos ficado encarregados pelo buffet, porque de acordo com a Jennie, o Mingles tinha a melhor comida de Seul, e nisso, eu realmente tinha que concordar. 

— As comidas já estão quase prontas Chefe. — Me referi ao D.O que estava acertando os últimos detalhes do buffet. Ele sorriu ao escutar a palavra "chefe", porque segundo ele, não precisava dessa formalidade toda. 

— Vamos lá pessoal. Falta pouco para as comidas serem entregues. Vamos! — Falou batendo as mãos e agitando os cozinheiros. 

Agilizamos as comidas do buffet o mais rápido possível e finalmente tudo já se encontrava em seu devido lugar. Além de estarem extremamente deliciosas, a estética estava impecável.

Entregamos as comidas para os senhores que estavam encarregados de entregar e finalmente, a nossa missão havia sido cumprida. 

— Cansei. — Me joguei na cadeira, tirando a minha touca do cabelo. 

— Isso é só o começo Lisa. — Falou D.O tirando o seu avental. — Antes de eu ser Chefe e ter meu próprio restaurante , tive que ralar muito. — Sorriu. — Mas você consegue. Você tem talento de sobra, menina.

Escutar aquelas palavras da boca de um dos melhores Chefes de Seul era gratificante. 

— Surpresa! — Falou Lay entrando com a Min-ji em seu colo. Os dois já haviam se arrumado para o casamento, porque, até então, eu e o Lay éramos um dos padrinhos da Jennie e do Chen. 

— Minha boneca. — A puxei dos braços de Lay, a colocando em meu colo. — Que saudades eu estava de você. A titia ultimamente anda muito ocupada né? — Falei com uma voz de criança. Eu conversava com ela como se ela me entendesse. 

— Sabe que ela não entende muito ainda, né? — Lay falou sorrindo, deixando as suas covinhas aparentes. Como eu era apaixonada por aquele sorriso! 

— Eu sei seu bobo. — Dei língua para ele e sorri. 

— Lisa, se você quiser, já está liberada. Daqui a pouco o casamento começa e você nem se arrumou ainda. — D.O falou sorrindo. — Vocês são os padrinhos, precisam estar lá esperando pela noiva. 

— Tem razão. — Me levantei entregando a minha sobrinha para o Lay. — Te encontro lá? — Olhei para o D.O.

— Com certeza! — Sorriu. — Só irei ajeitar algumas coisas aqui e logo mas estarei lá.

— Tá bom. — Beijei a sua bochecha e fui pegar as minhas coisas. 

Saí do restaurante com a mochila nas costas. Depois de o Lay ter insistido muito em me levar até em casa, eu me dei por vencida e aceitei a sua carona. Ele já me esperava dentro de seu carro junto com a Min-ji, que se encontrava em sua cadeirinha no banco de trás. E assim, demos partida em direção ao meu apartamento. 

(...) 

— Fique à vontade. Só não repare a bagunça. — Abri a porta dando espaço para ele entrar. Apesar de sermos irmãos, o Lay nunca havia vindo à minha casa. 

— Nossa! Bem aconchegante. Gostei! — Sorriu admirando a decoração e em seguida colocou a Min-ji no tapete felpudo da sala.

— Irei tomar o meu banho e me arrumar. Fique à vontade. — Saí da sala e fui para o meu quarto. Eu precisava urgentemente de um banho bem tomado, pois o cheiro de tempero estava impregnado em meu corpo e em meus cabelos. 

Finalmente eu havia acabado o meu banho e em seguida comecei a me arrumar, colocando o meu vestido rosa bebê com uma fenda aberta na altura das coxas. A Jennie fazia questão de que  todas as suas madrinhas estivessem lindas e sexys. Palavras ditas por ela mesma. Sequei os meus cabelos rapidamente, fazendo um coque logo em seguida, deixando apenas alguns fios soltos. Fiz uma maquiagem leve e simples, coloquei o meu salto que era em um tom prateado, peguei a minha carteira com os meus documentos e segui para sala.

— Estou pronta. Vamos? — Falei olhando para o Lay que se encontrava de costas, observando algumas fotos no porta retrato. 

Assim que ele se virou, os seus olhos percorreram por todo o meu corpo, analisando cada centímetro dele, pude perceber que os mesmos brilhavam. Ele veio se aproximando vagarosamente de mim, e eu não conseguia dar nem um passo sequer. Lay segurou em minha cintura e colocou o seu rosto em meu pescoço, dando uma suspiro bem forte. 

— Como você está cheirosa. —  Suspirou mais uma vez em meu pescoço, sentindo o aroma do meu perfume doce, e em seguida se afastou me olhando. — E linda também. Aliás, isso você sempre foi. — Sorriu. 

Apenas sorri timidamente e não consegui falar sequer uma palavra. Eu havia ficado extremamente tensa com aquela reação dele. 

(...)

Finalmente havíamos chego, e eu saí rapidamente de seu carro, pois eu já estava ao ponto de agarrá-lo e beijá-lo ali mesmo, e isso, jamais poderia acontecer. 

Comecei a procurar o lugar aonde a Jennie se arrumava, e finalmente, achei. 

— Amiga, cheguei! — Falei sorrindo. 

A Jennie estava realmente maravilhosa vestida naquele vestido de noiva. O Chen tinha muita sorte de tê-la como sua futura esposa. 

— Amiga! — Jennie veio em minha direção me abraçando. — Eu estou tão nervosa! Acho que vou infartar. — Colocou a mão em seu peito. 

— Calma amiga. — Fiz ela se sentar novamente em sua cadeira. — Isso é extremamente normal. Afinal, é um passo muito importante que você está dando na sua vida. Não se preocupe, tudo dará certo. — Sorri a acalmando. 

— Eu não sei o que seria de mim sem você. — Sorriu me abraçando. 

Narração Lay. 

A Irene me esperava em um dos bancos da igreja, e a sua expressão não era nada amigável.

Depois que nos casamos, eu decidi viver bem com a Irene e tentar desenvolver algum sentimento por ela, mas, infelizmente eu não havia conseguido. O meu coração iria sempre pertencer a Lisa. 

— Aonde você estava Lay? — Falou Irene com uma expressão desconfiada. 

— Eu estava no restaurante Irene. Fui ver como estava as coisas lá, afinal, eu também sou um dos donos de lá, esqueceu? — Falei entregando a Min-ji a ela. Irene relutou um pouco para pegá-la, mas acabou cedendo. 

Após o nascimento da Min-ji, a Irene havia pegado um pouco de repulsa pela nossa filha, ela a rejeitava algumas vezes. Na época, os médicos haviam me dito que poderia ser uma depressão pós-parto, e logo, para que isso não piorasse, a Irene começou a ser medicada. Era notório o quanto ele odiava ser mãe.

Fui para o altar e me juntei com o restante dos padrinhos. Em seguida, a Lisa entrou na igreja, parecendo procurar alguém. Assim que ela me viu, ela lançou um sorriso em minha direção. E que sorriso! 

Ela veio ao meu encontro e se posicionou ao meu lado, e em um pequeno reflexo, acabei segurando em sua mão e entrelaçando os nossos dedos. Ela me olhou um pouco assustada, mas não tirou a mão da minha.

Confesso que nem sei o porque eu havia feito aquilo, apenas havia seguido o meu coração. 

Fim Narração Lay. 

O casamento tinha sido lindo, e a Jennie e o Chen me pareciam muito felizes. Eles estavam sentados juntos do Kai e de sua namorada, que me pareciam estar bastante felizes também. 

Eu os observava em um canto do salão sorrindo, eles realmente me pareciam muito apaixonados. 

— Eles estão realmente muito apaixonados. — Falou Lay parando em meu lado com as suas mãos em seu bolso. 

— Eles são lindos demais. — Sorri admirando a Jennie e o Chen. — Espero um dia viver algo assim com alguém também. 

— E você vai Lisa. Você merece ser feliz. — Me olhou sorrindo de lado. — Você sabe muito bem que eu queria estar vivendo isso tudo com você né? — Me olhou nos olhos me fazendo encará-lo. 

— Mas agora você está casado Lay, tem uma família, uma filha maravilhosa, que a princípio eu amo demais. — O encarei. — E eu tenho que seguir com a minha vida também. Não dá para ficar parada para sempre no tempo né. — Suspirei. 

— É Lisa. Você tem razão! — Suspirou saindo de perto de mim e foi para a sua mesa, aonde se encontrava a Irene e a minha querida sobrinha. 

— Finalmente eu cheguei. — Falou D.O colocando as suas mãos em seus joelhos e suspirando.

— Caramba D.O! Você está todo soado. Parece que correu uma maratona. — Rimos. 

— E eu corri mesmo viu. — Sorriu. — Uma pena eu não ter chegado a tempo da cerimônia. 

— Foi linda! Mas o importante é que você está aqui. — Falei ajeitando a sua gravata que se encontrava torta. 

D.O me olhou tímido, e em seguida o seu olhar foi parar em minha boca. O encarei confusa com aquela atitude dele e os nossos olhares acabaram se cruzando. 

— É.. Obrigado Lisa. — Coçou a cabeça e se afastou de mim. — Vou ir lá na cozinha, ver se está tudo bem. — D.O falou e se foi. 

(...) 

A comida realmente estava maravilhosa. Eu me encontrava na mesa do buffet e confesso para vocês que eu não parava de comer. Eu estava parecendo uma morta de fome! 

— Nossa! Para onde vai isso tudo? — Escutei uma voz masculina ao meu lado e ergui os meus olhos. Olhei para aquele homem que estava se servindo ao meu lado. E que homem bonito! 

— Que vergonha. — Falei baixo. 

— Não fique envergonhada meu bem. — Sorriu me olhando. — Confesso que já devo ter vindo aqui pela quinta vez, afinal, não tem como resistir a essa comida maravilhosa. — Rimos. — Mas é segredo viu! Não conta para ninguém. — Falou baixinho e colocou o seu dedo em sua boca fazendo um sinal de segredo. Apenas ri. 

— A princípio, eu sou uma das responsáveis por essa comida maravilhosa. — Sorri. 

— Caramba! Sério? Pois você está de parabéns minha querida. — Sorriu. — Ah! Quase esqueço de me apresentar. Me chamo Kim Jun-myeon, mas pode me chamar de Suho. — Falou pegando em minha mão e a beijando. — E você, como se chama? — Me encarou. 

— Me chamo Lisa. É um prazer conhecê-lo. — Sorri amigavelmente.

— O prazer é todo meu minha querida. — Sorriu e piscou para mim. 


Notas Finais


Desde já, peço desculpas pelos erros ortográficos.

E não deixem de conferir a minha outra fanfic👇🏼
https://www.spiritfanfiction.com/historia/o-dono-do-bar--imagine-kim-jong-in-exo-22285019

Não se esqueçam de comentar, é muito importante para mim.
Beijos e até em breve 💋❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...