1. Spirit Fanfics >
  2. Seleção >
  3. Capítulo Único

História Seleção - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Não tem spoilers para o mangá, ok? A história foi até feita ano passado, podem ler sem medo.
Parte 3 da Summer Oikage Week 16-22 July 2019! Dia três: futuro (ok, era aged up em inglês, mas mais velhos soa estranho).

Capítulo 1 - Capítulo Único


Tobio finalmente tinha conseguido. Todo o seu trabalho, horas treinando, jogando, observando e pensando o que ele poderia fazer melhor tinham valido a pena. Ele foi convidado a integrar a Seleção Nacional de vôlei.

Hoje, ele conheceria o resto da Seleção. Ele estava empolgado para jogar com os melhores do Japão e se perguntou quem eles seriam, já que não tinha tido tempo para acompanhar quem mais estava no time, muito ocupado com sua própria agenda e competições demais para acompanhar quem ele tinha visto ou não.

- Olá, sou Issei, capitão do time - um homem informou, oferecendo as mãos para ele apertar. Ele aceitou feliz, sabendo que o cara era um ótimo ponta. - Alguns dos caras já estão se alongando, outros estão se preparando - Issei explicou.

 - Como está Akira? - Tobio perguntou, lembrando do que Hinata disse que ele deveria fazer quando conhecesse seus companheiros de equipe. - Eu espero que ele melhore.

Issei sorriu, satisfeito ao ouvir sua pergunta. Sim, qualquer um ficaria feliz em se juntar à Seleção, mas ele ficou feliz em saber que Tobio era pelo menos um pouco empático com o que havia acontecido para o ajudar a chegar lá. Um jogador se machucando nunca era uma coisa boa.

- Ele não vai mais jogar nesta temporada, mas na próxima ele deve estar pronto - informou Issei.

Eles finalmente chegaram ao ginásio e Tobio percebeu que alguns dos jogadores já estavam lá, se preparando para o dia de treinamento, e ele viu algumas pessoas que ele conhecia, como Bokuto, Kamasaki e Ushijima. O problema foi quando ele viu Oikawa, parecendo tão concentrado como sempre, fazendo seus exercícios.

Tobio não havia se preparado para a possibilidade dele estar lá, o que parecia até idiota agora, porque ele nunca duvidou que Oikawa chegaria lá um dia, ele sempre foi assustador e se esforçou cada vez mais ao longo dos anos. Mas eles não jogavam um contra o outro ou se viam pessoalmente há anos. Ele não sabia se o homem ainda o odiava.

Kageyama não sabia o que fazer ou ao menos se queria falar com ele. Então, ele escolheu fingir que não o viu lá.

- Ei, Kageyama! - veio o grito alto de Bokuto. - Ouvi dizer que você se juntaria a nós, isso é ótimo - disse ele.

Aparentemente atraído pela voz de Bokuto, os olhos de Oikawa Tooru se concentraram nele pela primeira vez. Ele pareceu surpreso, mas não tão irritado quanto Tobio teria imaginado que ele ficaria.

Distraidamente, Tobio notou que Oikawa parecia ainda mais bonito agora, mas ele mudou seu olhar para Ushijima, que o cumprimentou com um breve aceno de cabeça e um sorriso hesitante. Então ele sentiu Bokuto abraçando-o e foi atingido por uma enxurrada de perguntas sobre Hinata e Tsukishima.

Tobio conseguiu sentir os olhos de Oikawa seguindo-o pelo resto do dia; antes isso o perturbaria ou irritaria, agora ele simplesmente ignorou. Ele não se deixaria arrastar pelo mesmo caminho de desejar a aprovação de Oikawa.

Somente quando o treinador os dividiu em duas equipes no final do treino, naturalmente colocando-o como um dos levantadores e Oikawa como o outro, ele foi forçado a lidar com ele. 

Só de vê-lo do outro lado, Tobio ficou tenso. Ele sabe que eles estão no mesmo time agora e isso é apenas uma prática, mas há memória demais. Não ajudava que Ushijima e Kamasaki também ficaram do lado dele, embora Bokuto esteja no seu.

Oikawa sacou primeiro e Tobio parabenizou o líbero que conseguiu pegar a bola bem, impressionado. Eles quase marcaram o primeiro ponto, mas Tobio errou um pouco o levantamento e o tempo foi um pouco mais rápido do que Bokuto seria capaz de acertar (secretamente Tobio desejou que Hinata estivesse lá para cortar) e ele pediu desculpas, prometendo melhorar.

Oikawa pareceu muito satisfeito consigo mesmo quando marcou um ponto de saque e seguiu para o terceiro saque seguido, mas ele botou muita força e a bola foi para fora. Alguém que Tobio não se lembra do nome sacou depois e o jogo continuou.

Tobio relaxou assim que conseguiu o primeiro levantamento perfeito para Issei, fazendo o homem marcar. Segundos depois, ele sentiu a própria mão queimar com uma forte cortada.

Ele pode sentir a temperatura do jogo subindo, com cada time apenas conseguindo marcar dois pontos antes que o outro alterasse o placar, mas ele não foi afetado por isso. Ele estava onde deveria estar sempre.

Oikawa olhou para ele. Era até engraçado como seu olhar calculista não mudou. Suas jogadas também continuam sendo um desafio direto para Tobio, que não hesitou em devolver o desafio.

Quando finalmente terminaram, quem ganhou foi o time de Oikawa, mas apenas por alguns pontos e considerando que Tobio havia acabado de se juntar a eles, ele estava feliz. Ele sabia que não iria demorar muito tempo para poder vencer Oikawa novamente, embora não estivesse tão entusiasmado com a ideia quanto antes.

Alguns jogadores conversaram sobre algumas jogadas, enquanto outros apenas relaxaram ou fizeram outro exercício. Tobio estava aceitando um elogio de Kamasaki quando Oikawa se aproximou dele, olhando-o atentamente.

- Você foi muito bem - ofereceu o outro levantador.

Apesar de tudo, Kageyama sorriu.

- Oh, Tobio-chan! Então você sabe sorrir - brincou Oikawa, mas seus olhos não tinha o mesmo olhar cruel de que quando eram mais jovens.

Kamasaki saiu de perto deles, escolhendo praticar mais com Ushijima.

Sem saber o porquê, Tobio fica um pouco nervoso por ficar praticamente sozinho com Oikawa. Sim, havia muitas pessoas que podiam ver se o homem tentasse matá-lo. Mas ele nunca soube o que esperar dele.

- Você parece diferente - Oikawa observou.

Tobio deu de ombros, sem saber o que ele deveria dizer. Ele sabia que tinha percorrido um longo caminho do que costumava ser e isso se devia principalmente a seus companheiros de equipe e amigos.

- Oikawa… - ele disse e parou.

Como explicar a ele que ele queria deixar todos aqueles anos de rivalidade para trás? Ele não tinha tempo para especular se um dos colegas de time tentaria prejudicá-lo, ele precisava passar todas as horas acordado pensando em como ele poderia melhorar e fazer com que sua equipe fizesse isso também. Só assim eles teriam uma chance real de ganhar o torneio.

Além disso, estar com Karasuno havia o ensinado a importância da confiança ou pelo menos a cooperação dentro de uma equipe. Ele queria poder contar com cada um de seus colegas de equipe e, mesmo sabendo que algumas pessoas ali não eram seus fãs, o único problema real poderia ser Oikawa.

- Sinto muito por o quer que seja que eu fiz que fez com que você me odiasse tanto - disse Tobio simplesmente, nem mesmo passando por sua mente ser qualquer coisa fora direto.

Os olhos de Oikawa se arregalaram. Ele não esperava isso. O Tobio que ele conhecia era tão centrado em si mesmo que nunca desceria tão baixo a ponto de pedir desculpas a alguém. Mas ele estava feliz por ele aparentemente querer deixar o passado para trás, porque sempre soube que era o pior dos dois. Tobio era uma criança chata, mas ele estava apenas fazendo o seu melhor para aprender e ele o afastou, com ciúmes de seu talento natural.

- Você pode me chamar de Tooru - Oikawa ofereceu, não querendo pedir desculpas também, mas querendo mudar as coisas.

 

Tornou-se um hábito ser o último a sair do ginásio, o segundo treinamento deles quase tão obrigatório quanto o oficial. Tudo começou com Tooru pedindo em tom de desafio para Tobio levantar algumas bolas para ele cortar, agora eles sempre treinavam levantamento e corte juntos. Funcionou muito melhor do que eles esperavam, porque se um deles jogassem um milímetro errado, o outro poderia ver e a competitividade ainda estava lá

Oikawa tinha que admitir para si mesmo que era a sua parte favorita do dia. Era praticamente impossível achar alguém que podia aguentar mais tempo treinando que ele, mas Tobio quase nunca parecia cansado o suficiente para parar, e nas maiorias das vezes era Oikawa quem tinha que admitir que suas pernas não aguentavam mais. Era ainda mais raro encontrar alguém que poderia levantar melhor do que si, mas ele sempre soube a lenda que Tobio iria se tornar. 

Mais uma vez, o treinamento com Kageyama fez com que melhorasse, o fez se aperfeiçoar todos os dias, mas havia algo diferente dessa vez. Ele não tinha mais medo de ser substituído por ele, então Tobio não o fazia se sentir tão ameaçado.

E, claro, Tobio também mudou. Ele ainda estava longe de ser a pessoa mais extrovertida da equipe, mas era melhor em se comunicar com os outros, conseguindo conversar com eles e até fazendo alguns amigos. Isso também refletia em seu jogo, ele sempre sabia o quanto pressionar alguém e quando se concentrar em outra pessoa.

Ao longo da temporada, Oikawa teve muitas chances de ver Tobio jogando contra outros times fortes e, embora ainda estivesse infeliz por ter que ficar de reserva nessas ocasiões, ficou encantado com a maneira como Tobio jogava. Ele lembra que, mesmo quando o garoto jogou no Spring Interhigh (ele ainda estava um pouco mal por ter perdido a chance dele), ele era corajoso, fazendo jogadas arriscadas bem, agora parecia que isso se intensificava. Vê-lo trabalhando tão bem com colegas tão fortes era absolutamente glorioso. Ninguém poderia negar que ele era excepcional.

Seu antigo apelido, rei da corte, combinava muito bem com ele, mas por razões completamente diferentes agora. Ele governava o jogo inteiro, usando o máximo de jogadores, fazendo com que todos tivessem sucesso, mas de uma maneira que todos aprovavam.

 

Oikawa nunca tinha visto Kageyama bêbado antes e era fofo.

O time decidiu usar o milagre de não ter treino nos próximos dois dias, devido a um feriado, para sair e se divertir. Depois de ter gritado um pouco com Ushijima sobre Shiratorizawa e Aobajohsai, ele viu Tobio sentado perto de Bokuto e balançando a cabeça para algo que ele dizia.

Ele viu como as bochechas deles estavam vermelhas por conta do álcool e ele já estava um pouco sonolento.

- Tooru! - Kageyama falou assim que o viu, feliz. 

Tooru sorriu, surpreso. Mesmo tendo dito mais de uma vez para Tobio chamá-lo assim, ele só usava o sobrenome dele. Soava tão bem vindo dele.

- Estávamos conversando sobre Tsukishima - disse Bokuto, sorrindo. Ele parecia feliz.

- Aquele demônio - Tobio reclamou.

- Oh, vocês dois não se dão bem? - Tooru perguntou interessado. Ele tinha adivinhado isso, mas ele nunca soube ao certo.

- Tsukishima é um pé no saco, eu o odiava - admitiu Tobio. - Ele gostava de me chamar de rei da corte, você sabe o porquê. Ele até se recusou a nos ajudar! - Tooru não tinha ideia de quem eram os “nos” - Ele me fez implorar.

- Ele te fez implorar? - o tom de Bokuto era malicioso, consequência do tempo que passou com Kuroo. - Feito… - ele sussurrou o resto das palavras para Kageyama, que corou ainda mais.

- NÃO, DEUS ME LIVRE! - ele gritou ganhando a atenção de todo mundo.

- Não foi nada - Oikawa disse em um tom agradável, dispensando os curiosos.

Bokuto riu, contente em falar sobre um dos namorados dele (se Oikawa não se enganava, ele tinha um relacionamento com ele e Kuroo. Ou era o levantador do colégio dele?).

- Mas começamos a nos dar melhor - Kageyama deu de ombros. - Ele virou meu amigo.

Tooru ficou surpreso e até um pouco triste. A história dele com Tsukishima parecia demais com a deles e isso fez com que ele se sentisse mal. Ele queria ser especial, mais que só um amigo.

Bokuto começou a falar sem parar sobre Tsukishima e como ele era maravilhoso. Honestamente, Tooru parou de ouvi-lo e observou Tobio. Ele estava de olhos fechados e parecia prestes a dormir. Ele estava tão bonito.

- Não acha que é hora de ir para casa? - ele falou baixinho para o homem.

Tobio abriu os olhos, demorando um segundo para processar o que estava acontecendo. Ele pareceu assustado. Tooru sentiu o próprio coração disparar ao notar a proximidade e a beleza dos olhos de Tobio.

- Ok - ele disse.

Os dois se despediram de todos e o mais velho chamou um táxi para eles. Ele então os guiou até a casa de Tobio, deixou o garoto em seu quarto e estava prestes a sair por conta própria.

- Tooru? - Kageyama disse, trocando de roupa.

Tooru olhou para ele atordoado. Ele não pretendia vê-lo nu, mas isso não foi culpa dele! Tobio tinha o chamado. E ele não podia negar que apreciava a vista, ele já havia imaginado como seria seu antigo rival sem nada.

- Fica comigo - implorou Tobio, enquanto terminava de colocar sua cueca.

Seu primeiro instinto foi negar, a imagem dele nu bagunçando seu cérebro. Ele poderia ser um idiota, mas ele não queria fazer nada que o outro não estivesse disposto. Então, chegou a conclusão que ele não faria nada, mas queria ficar lá com Tobio.

- Tá - disse Oikawa e assim fez.

Ele ficou lá, deitado na cama com ele, até o outro adormecer e ele foi embora. Eles ficaram deitados um perto do outro, mas sem tocar, e Tooru se sentiu mais em paz do que tinha em anos.

 

Eles tentaram ignorar tudo sobre aquela noite, mas agora havia uma tensão que não existia antes. 

Eles não deixaram que isso atrapalhasse, fazendo uma temporada incrível (o treinador chegou a dizer que essa era a melhor temporada de Oikawa).

Eles ainda conversavam, ficando mais próximos todos os dias, a ponto de Kageyama começar a ter um pouco da obsessão de Oikawa pelo espaço e o outro estar se tornando um especialista em leite.

A Seleção estava indo muito bem também, mesmo enfrentando alguns monstros de outros países. O nível nacional não era uma piada e todos terminavam o dia prontos para se jogarem na cama.

Tudo valeu a pena quando eles se chegaram a final. Tobio estava nervoso, já que esta era a sua primeira chance de ganhar uma medalha de ouro para seu país oficialmente. Tooru, Bokuto e Issei conversaram com ele antes da partida, o ajudando um pouco a voltar a si.

O jogo era difícil, quase impossível, com cada ponto parecendo o fim. Eles não podiam permitir que seu oponente ficasse à frente. Kageyama foi substituído uma vez e ele usou o tempo para se acalmar ainda mais, observando atentamente o oponente e quando ele voltou, ele estava bem melhor.

Foi para o quinto set. Todos os jogadores estavam cansados, mas nenhum deles estava disposto a desistir. Até Tobio não estava com toda a energia e ficou surpreso ao saber que o último ace que Oikawa havia feito foi o match-point. Eles ganharam.

Eles apertaram a mão do outro time, mostrando o respeito que mereciam por um jogo dessa qualidade. Todo mundo falou um com o outro e houve muitos abraços, mas de alguma forma Tobio não se sentiu sufocado. Ele estava apenas feliz, incrivelmente feliz. Nessa hora, Oikawa se jogou nele e ele apenas o abraçou.

Tooru olhou para ele, tão alegre quanto ele. Nenhum deles podem acreditar no que fizeram, quão longe chegaram juntos.

Ele olha para ele com intensidade, pensando em tudo que tinham passado juntos e naquela noite que não saia da sua cabeça. Sem conseguir se controlar, ele o beijou. Foi perfeito. Eles não se seguraram, mostrando todo o desejo contido que tinham um pelo outro e as emoções intensas que sentiram e reprimiram ao longo dos anos.

Eles se separaram quando o treinador avisou que estava na hora de receber suas medalhas.

Tobio mal aguentava ficar em pé de tão cansado que estava, mas se forçou a se levantar e ir até lá. Ele estava tão orgulhoso de conseguir sua primeira medalha como parte da Seleção.

- Nós conseguimos - diz Tooru, olhando para ele enquanto recebe a própria medalha.

- Conseguimos - Tobio responde, sorrindo.


Notas Finais


Tenho que admitir que essa é uma das minhas Oikage favoritas das que escrevi, empatando só com a do último dia.
Ah e sobre Idols, minha previsão é que sexta saí o último capítulo e sáb o epílogo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...